Homossexualidade: de nascença?

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 anos 2 meses atrás.

Não há mais argumentos, se você é gay é porque você nasceu gay.
[G1 – “Estudo vê semelhança entre cérebro de gays e do sexo oposto”]

La homosexualidad no nace, se hace.
[Courage Latino – “La homosexualidad no nace, se hace; lo vivido en la infancia influye, según un estudio”]

Quando dois estudos chegam a duas respostas diametralmente opostas (como é o caso acima), nós temos um forte motivo para colocarmo-nos em alerta e passarmos um olhar crítico sobre as informações que nos estão chegando, a fim de separarmos o que é estudo sério do que é desinformação ideológica.

Começo com uma simples comparação entre as duas notícias acima: o estudo citado pelo G1 foi realizado “em 90 pessoas” e, o segundo, “a partir de 2 millones de personas”. Isso, para quem tem noções mínimas de estatística, por si só já basta para mostrar que o segundo estudo tem, provavelmente, muito maior relevância.

Mas tal constatação por si só não é dirimente. Vejamos, pois, uma outra coisa: a (suposta) relação entre o formato cerebral e a orientação sexual. Eu não entendo absolutamente nada de neurociência e, embora me pareça estranha a afirmação (subentendida por trás do estudo do “você-nasceu-gay”) de que a simetria ou assimetria dos hemisférios cerebrais mantém-se desde o estágio fetal até a vida adulta, não vou entrar neste pormenor. O ponto é outro. Eu não entendo de anatomia cerebral, mas entendo um pouco de lógica, e sei quando um argumento não prova aquilo que diz provar.

Relações de causa-efeito podem ser expressas na forma “SE causa ENTÃO efeito”. Utilizando um exemplo simples: a rua está molhada [efeito] porque choveu [causa]: portanto, SE choveu ENTÃO a rua está molhada. Mas a construção reversa não é necessariamente verdadeira [só o seria se o efeito em análise tivesse uma única causa] e, embora sirva como hipótese investigativa, definitivamente não serve para postular verdades incontestáveis.

Em outras palavras: dizer SE a rua está molhada ENTÃO choveu (invertendo causa e efeito) não é necessariamente verdadeiro. E o erro aqui está em se considerar que a única causa da rua molhada é a chuva, o que não é verdade. A rua pode estar molhada porque um caminhão-pipa estava vazando. Pode estar molhada porque estourou um encanamento. Pode estar molhada porque alguém estava lavando a calçada. Ou por quaisquer outros motivos. Neste exemplo, embora haja nexo causal entre “chuva” e “rua molhada”, este não poderia ser provado simplesmente partindo da “rua molhada”.

Voltemos ao estudo do “você-nasceu-gay”. Para esta expressão fazer sentido, então “ser gay” é efeito e a causa é uma dada disposição anatômica congênita (como, no caso do estudo, a diferença entre os hemisférios cerebrais). A forma correta da relação seria, então, a seguinte: SE o cérebro é de tal formato ENTÃO o sujeito é gay. Mas acontece que – segundo o G1 – o que se investigou foi o contrário! Pois a notícia diz textualmente:

Ao analisar os resultados, os especialistas observaram que homens homossexuais e mulheres heterossexuais têm os hemisférios cerebrais simétricos, enquanto os dois lados do cérebro de lésbicas e homens heterossexuais são assimétricos, com o hemisfério direito consideravelmente maior do que o esquerdo.

Ou seja: percebeu-se que homens homossexuais têm hemisférios cerebrais simétricos, e não que homens que têm hemisférios cerebrais simétricos são homossexuais! Isso não é um “dilema Tostines”; é exatamente o que permite passar da hipótese investigativa para a existência do nexo causal! É exatamente a investigação partindo da causa para os efeitos o que permite identificar a existência de relações de causalidade entre duas coisas.

A proposição “SE o cérebro é assim ou assado ENTÃO o sujeito é gay” só poderia ser demonstrada verdadeira se se verificasse a ocorrência do efeito sempre (ou, pelo menos, quase sempre) que fosse identificada a existência da causa – ou seja, se todos ou quase todos os homens que tivessem os hemisférios cerebrais simétricos fossem gays. Pelo caminho reverso, só se poderia no máximo concluir pela veracidade da proposição se o efeito tivesse uma única causa; mas, neste caso, é uma clara Petição de Princípio, pois o que o estudo quer provar é exatamente isso e, assim sendo, não o pode usar como premissa para chegar à sua conclusão.

O formato cerebral, então, não pode ser demonstrado como a única causa do homossexualismo pelos meios que o estudo realizou. Vamos adiante: será que se pode provar que ele é, ao menos, uma causa? A resposta é não, de novo, pois a conclusão do estudo pode ser demonstrada falsa muito facilmente.

Vejamos: de acordo com esta tese de doutorado (que versa sobre outra coisa, mas reproduz uma informação relevante), 35% da população possuem hemisférios cerebrais simétricos. A porcentagem de homossexuais na população, segundo os próprios homossexuais, varia de 4 a 10%. Considerando que há um número mais ou menos proporcional entre homens e mulheres na população mundial e considerando o melhor cenário para os defensores da teoria do “você-nasceu-gay”, teríamos:

  • 50% homens, 4% gays => 2% população mundial é masculina e gay.
  • 50% mulheres, 10% lésbicas => 5% população mundial é feminina e lésbica.

Somando:

  • Homens heterossexuais + lésbicas = 48% + 5% = 53%
  • Mulheres heterossexuais + gays = 45% + 2% = 47%

Ou seja, se o estudo estivesse certo, 53% da população deveria ter “assimetria cerebral” e, 47%, “simetria cerebral”; números que são de, respectivamente, 65% e 35%. São doze pontos percentuais de diferença entre os dados reais e os dados que o estudo esperaria encontrar – e isso no cenário mais extremo em favor dos defensores da teoria noticiada por G1. Temos, então, um motivo forte o suficiente para rejeitar tal estudo, pois o mesmo simplesmente não condiz com a realidade. Portanto, a anatomia cerebral não é nem mesmo uma causa do homossexualismo – muito menos a única causa. A única coisa que este estudo mostra é (no máximo) que, dentro do grupo de amostragem utilizado, os homossexuais têm o cérebro semelhante aos heterossexuais do sexo oposto; mas não prova nenhuma relação de causa-efeito entre a anatomia cerebral e a “orientação sexual” do indivíduo.

Em suma: não há determinismo no comportamento dos homens. Os atos humanos, como tais, permanecem sempre dependentes da liberdade humana. Tendências ou inclinações para qualquer coisa não significam que o homem esteja inelutavelmente preso à mecânica realização daquilo para o qual ele se sente inclinado. No fundo daquilo que é a própria essência do homem, está o livre arbítrio; e este, dom sagrado do Criador à Sua criatura, não lhe pode ser arrancado.

Permanece, portanto, plenamente atual aquele ensinamento do Catecismo da Igreja Católica:

As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.
[CIC 2359]

E a castidade é possível, pois é escolha humana, e o homem sempre pode escolher; não há determinismo biológico ou imposição ideológica que seja capaz de retirar do homem esta sua capacidade que é sagrada.

Sugestão de visita: National Association for Research & Therapy of Homossexuality.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

14 thoughts on “Homossexualidade: de nascença?

  1. Pingback: Se faz ou se nasce? « O Possível e O Extraordinário

  2. Pingback: Pais e filhos gays « Deus lo vult!

  3. Asac

    É fácil para pessoas heterossexuais, falarem sobre o que seja ou não o ser homosexual, viver o que não se vive é extremamente fácil!
    Fazer-se acusador, juiz e executor de outrem se torna tarefa banal, relegar o homossexual a ser um marginal, um execrável é fácil.
    Difícil é ser homosexual em um mundo torpe, rude, inospido, idiota, derrotista, e extremamente preconceituoso! A igreja católica cosome fortunas para abafar escândalos homosexuais dentro de sua casa e quer ditar normas de contutas, afff. Você aínda diz que entende é de lógica, do que é óbvio! Coitado és apenas um preconceituoso perdido e desorientado!

    rsrs

    “Mas assim caminha a humanidade com passos de formiga e sem vontade”

    p.s.: sugestão………. cresça!

  4. Clementino

    concordo plenamente com o ASAC, acusar é facil, dificil é seer homosexual, mesmo que a ciencia tenha certeza sobre o motivo que leva uma pessoa a ser homosexual, e por acaso esse motivo for Biologico, a igreja sempre ira contra aos homosexuais não importa a Circunstância.

  5. José

    Sou casto, mas sofro muito… queria muito poder mudar esta condição, pois nao me revejo nela…eu aprecio mulheres, mas a minha natureza não me ajuda na hora certa…

    sepre neguei…queria muito que alguem me podesse ajudar, se é que pode eu gostaria muito de alterar esta condição…

  6. Renato Lima

    Jorge, me desculpe pela minha intromissão;

    Mais eu achei estranho você ter colocado um abaixo-assinado para essa Rozangela Justino!

    Eu particulamente não assino.

    Essa senhora é protestante, e como tal, ela também ataca a Santa Igreja Católica assim que puder.

    Em uma entrevista que ela deu (não me lembro agora onde li), ela falou com aquele ar de soberba e ignorância típica dos protestante:

    ESTAMOS VOLTANDO PARA A INQUISIÇÃO!

    Se essa psicóloga quer aparecer, visto que ela é mais uma que repete como papagaio as mesmas mentiras de sempre, que faça isso; mas que não apareça às custas da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

    E agora você indica (será que só essa psicóloga pode ajudar esse esse rapaz!)essa senhora para o José!

    Quem me garante que futuramente, ela também não ira doutriná-lo nas heresias protestante, e transformá-lo em um anti-católico?

    PS: José, rezo pela sua recuperação, antes que alguém me interprete mal.

  7. argo

    Pela primeira vez na vida o Jorge tem meu apoio. Indicações profissionais e humanitárias deveriam ser distintas de opções (ou a ausencia de) religiosas.

    Mas, voces que são “brancos” que se entendam.

  8. Pingback: A ideologia gay e os fatos sobre os homossexuais | Deus lo Vult!

  9. smile XD

    muito bom amigo. ai tem os revoltz, xinga os católicos e crentes, sem nem escutar as suas fontes, que é a Bíblia. muito bom.

  10. carlos andré

    Q imbecil.kkk eu conheço criancinhas d 5 e 6 anos q nasceram gays e até hoje são,esses fatos jogam no luxo qualquer estudo feito por idiotas

  11. carlis André

    A bíblia é [CENSURADO], onde um deus [CENSURADO] mandava matar criancinhas e animais indefesos, crentes e católicos são os abestalhados manipulados por uma [CENSURADO] d um livro sangrento, gostaria q fossem varridos da face da terra, assim como todas as religiões,onde só tem ignorantes q nem sequer lêem a gibíblia