Processo contra o Papa

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 anos 12 dias atrás.

Tem gente que adora aparecer…

No cabe apelación ni recurso contra una sentencia o un decreto del Romano Pontífice (CIC, 333 §3).

Em caso de leis conflitantes promulgadas pelos dois poderes [civil e eclesiástico], a lei civil prevalece (Erro 42 condenado pelo Syllabus – tradução livre).

No entanto, os “herdeiros” dos Templários exigem a reabilitação da Ordem, em processo contra o Papa Bento XVI! A ação – que não foi aceita em primeira instância – está, atualmente, com um recurso de apelação a ser julgado no dia primeiro de outubro, segundo o comunicado oficial dos seus autores.

Aliás, para quem não conhece estes sujeitos (eu não conhecia), os malucos da Orden Soberana del Temple de Cristo chegam ao cúmulo de afirmar, em uma nota a todos os meios de comunicação de agosto de 2008, que

[l]a Orden Soberana del Temple de Cristo profesa al Vicario de Cristo fraternal deferencia y respeto en la medida que éste escuche la voz de los Soldados de Cristo.

Ou seja: primeiro, eles confessam que o papa é o Vigário de Cristo. Depois, dizem que professam a ele “deferência e respeito”, mas somente na medida em que o Papa escutar a voz dos “Soldados de Cristo”, isto é, deles próprios! Uma tremenda bobagem, um completo nonsense, uma verdadeira loucura. Por que tem tanta gente que insiste em deixar armado o picadeiro para qualquer um fazer a palhaçada que lhe der na telha?

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Processo contra o Papa

  1. Captare

    Caríssimo, isto é resultado da chamada “liberdade de expressão”, que vem no pacote da chamada “democracia”.
    Na nossa sociedade atual “democrática”, só é legítimo restringir a liberdade de expressão da Igreja Católica, quando ela fala contra a sodomia e o assassinato “científico” de embriões humanos.

    Miserere nobis, Domine!

  2. Pingback: Esclarecimentos dos Templários « Deus lo vult!

  3. Pingback: Ainda os templários « Deus lo vult!