Lula e Igreja Anglicana lado a lado

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 anos 8 dias atrás.

Não sei se o presidente quer “se converter” ao anglicanismo, mas certamente ele ficaria muito mais à vontade e seria muito mais coerente se fosse porta-voz do cisma de Henrique VIII.

Digo isso por causa de duas tristes notícias que têm algo em comum. Primeira: Brasil introduz agenda gay na OEA. Segunda (abaixo reproduzida conforme recebi por email): para Rowan Williams (arcebispo anglicano da Cantuária), relacionamentos gays são “comparáveis ao casamento”. Estão, portanto, o presidente petista e o cristão não-católico em perfeita sintonia, este tentado justificar teologicamente a desastrosa atuação política daquele.

Sobre a vergonha brasileira no exterior [leiam, se possível, a notícia original da C-FAM], destaco:

This is not the first time Brazil has pushed a pro-homosexual agenda at the international level.
[Esta não é a primeira vez que o Brasil propôs uma agenda pró-homossexual a nível internacional – tradução livre]

De fato. É assunto antigo – e sempre o PT. Recomendo aos interessados a preciosa cronologia do combate à castidade no Governo Lula feita pelo padre Lodi.

Sobre o desmoronamento do anglicanismo, encontra-se em tal estado de confusão o chefe da Comunhão Anglicana que ele chega ao ponto de proferir sem pudor os seguintes disparates blasfemos:

I concluded that an active sexual relationship between two people of the same sex might therefore reflect the love of God in a way comparable to marriage, if and only if it had about it the same character of absolute covenanted faithfulness.
[Eu cheguei à conclusão de que um relacionamento – com práticas sexuais – entre duas pessoas do mesmo sexo pode refletir o amor de Deus de uma forma comparável ao casamento, se e somente se ele [o relacionamento gay] tiver a sua [do casamento] mesma característica de compromisso de absoluta fidelidade – tradução livre]

Para o dr. Williams, então, a profana caricatura do ato conjugal que é a relação homossexual… reflete o amor de Deus do mesmo jeito! Como não se indignar diante de tamanha lesa-majestade divina? São Paulo escreveu que era importante até haver heresias (oportet et haereses inter vos esseEpistula I ad Corinthios 11, 19), para que os virtuosos se manifestassem; que as blasfêmias do Arcebispo da Cantuária possam, então, abrir os olhos dos bons anglicanos e fazê-los – pela intercessão de São Thomas More – retornar sem demora à verdadeira e única Igreja de Cristo.

* * *

Anexo: recebido por email.

União gay reflete amor divino, diz chefe da Igreja Anglicana

DA REDAÇÃO

Relacionamentos homossexuais podem “refletir o amor de Deus” de forma comparável ao casamento, se forem duradouros e fiéis, escreveu o arcebispo da Cantuária, Rowan Williams, 58, em cartas trocadas com um psiquiatra evangélico entre 2000 e 2001, quando ainda era arcebispo de Gales. O arcebispo da Cantuária é o líder da Igreja Anglicana.

O jornal britânico “The Times” teve acesso às cartas nesta semana, dias depois de terminada a Conferência de Lambeth -cúpula anglicana que acontece a cada dez anos. Os escritos repercutiram na imprensa britânica.

Em meio à crise sobre casamento homossexual e ordenação de mulheres e gays, a conferência foi boicotada pelo bloco, majoritariamente africano, de bispos conservadores que ameaçam rachar a Comunhão Anglicana, terceiro maior grupo cristão, com 77 milhões de fiéis.

O encontro propôs um acordo conciliatório -o que pode acontecer em cinco anos. Enquanto isso, Williams pediu que “as igrejas norte-americanas” mantenham moratória na ordenação e celebração de casamento de homossexuais.

A crise estourou em 2003, quando a Igreja Episcopal dos EUA (braço americano dos anglicanos) ordenou um bispo assumidamente gay.

Williams saíra-se bem na cúpula com a indefinição numa questão que pode levar ao maior cisma dos 450 anos de anglicanismo. Com as cartas, no entanto, sua situação pode complicar-se.

Segundo as correspondências de Williams, as proibições bíblicas referem-se apenas a heterossexuais que buscam uma “diversidade de experiências eróticas” e não às pessoas “homossexuais por natureza”. Por outro lado, o arcebispo separou a opinião enquanto teólogo da posição como líder religioso.

Williams, que antes se opunha aos homossexuais, diz ter mudado de opinião ao, como professor em Cambridge, debater nos anos 80 com estudantes que acreditavam que a Bíblia não proibisse o homossexualismo, mas a promiscuidade.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

3 thoughts on “Lula e Igreja Anglicana lado a lado

  1. Edílson Augusto Santos

    São realmente lamentaveis as colococações um tanto quanto infelizes do Arcebispo de Canturia, que diferentemente do que afirmam alguns teologos da igreja de Roma não o lider da igreja Anglicana, o Arcebispo de Catuaria e um simbolo de unidade da Historica igreja Anglicana que também diferentemente do que foi colocado nos textos em questão não tem 450 anos mas cerca de 2008 anos, pois somos seguidores dafiel doutrina dos apostolos desde da fundação daigreja do Senhor Jesus, fatos historicos mostram isso e bem sabemos que essa é a verdade. Sou seminarista Anglicano pertecente a diocese do Recife e como anglicano em plena comunhão afirmo para todos os seguimentos religiosos que a Bíblia é nossa regra de fé e nele contem TODAS as coisas nescessárias para nossa edificação e salvação e todo aquele que tenta mudar o conteudo sagrado da oalvra de Deus seja ANATEMA, seja ele anglicano ou não. por tanto ao invés de uma torcida para o declinio e fim da fé anglicana que está em Cristo, esperamos as orações dos irmãos pois as Portas do Inferno não Prevalecerão contra a Igreja que é de Cristo. um fraternal abraço a todos e toda paz que emana do coração do Senhor Jesus.

  2. IGGY

    É :Ás vezes me envergonho dessa Igreja(Episcopal-Anglicana)que tanto amo,no qual fui batizado(55anos atrás)casei e continuo a frequenta-la,afinal foi nela que encontrei o CRISTO-VIVO e atravéz dela tenho aprendido muito como cristão e cidadão.É triste ver individuos que acham que tem vocação religiosa se infiltrarem em nosso meio como diaconos,presbiteros,bispos,teólogos,leigos,etc,etc e trazerem a decadência moral,e os engodos e práticas que não condizem com as Escrituras e os ensinamentos de Jesus Cristo.E ficam usando de argumentos confusos(como suas cabeças)para justificarem seus pecados.Para esses cidadães,basta ser bonzinho e respeitador que DEUS se agrada.Pô!Se fosse só isso,não precisaríamos de nenhuma igreja,nem de nenhum sacrifício de CRISTO,nem de nenhuma fé.Ainda não entendi como esses seres foram ordenados e por quem.Eles impõem suas baixarias teológicas,não respeitando nem consultando os membros(a junta paroquial geralmente não são a maioria)esquecendo que nós que sustentamos a Igreja com nossos dizímos e ofertas.As igrejas estão cada vez mais vazias não só no Brasil.Meus pais eram anglicanos e através deles também me criei como tal,e agora sinto-me obrigado a ter que “engolir”esses néscios se continuar nessa igreja.Hoje entendo quando JESUS disse que “é necessário que haja escandalo,mas aí daquele que vier os escandalos,melhor seria nem ter nascido”.Esses individuos são os mesmos que CRISTO chamava-os de “bando de víboras”.SÓ PELA MISERICÓRDIA DE JESUS MESMO!

  3. Camilo

    Criticar uma fé cristã dessa maneira, não é a atitude de um verdadeiro cristão. Em vez de criticar as posições da Igreja Anglicana, sugiro que os católicos reflitam verdadeiramente sobre os seus dogmas e tenham a humildade de admitir que hoje as posições dessa fé anglicana tem buscado a paz, a comunhão, o diálogo e o amor de maneira bem mais veemente, mais corajosa e mais lúcida do que tem buscado a Igreja Católica Apostólica Romana.