Câmara homofóbica

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 anos 2 dias atrás.

Uma notícia aparentemente banal: Câmara aprova projeto que cria novas regras para adoção no país. A boa notícia está no subtítulo e no último parágrafo, que dizem, respectivamente:

[p]ossibilidade de adoção por casais homossexuais foi retirada do texto

e

[a] possibilidade de adoção por casais homossexuais foi retirada do texto para facilitar a aprovação.

Isto significa que, a despeito de toda a pressão dos gayzistas, a Câmara permanece com alguns resquícios de fidelidade ao sentimento nacional; e o motivo da retirada – “para facilitar a aprovação” – é testemunha eloqüente de que ninguém quer entregar as crianças às duplas (porque “casais” não são) de pervertidos.

Isto significa também uma outra coisa: “família” e “filhos” são dois conceitos que andam também juntos. Se os homossexuais querem “formar família”, é natural que eles também queiram “ter filhos” e, devido à impossibilidade biológica, o caminho para isso é a adoção. Rejeitando-se a adoção, rejeita-se indiretamente o “casamento gay”, porque dizer que uma dupla de homossexuais não pode ser responsável por uma criança é igual a dizer que uma dupla não pode ser um casal, não pode ser uma família. Os gayzistas sabem disso e, portanto, batalham pela adoção:

A maior discordância nos grupos contra e a favor à adoção, envolve dois motivos de extrema relevância: o reconhecimento perante a sociedade da existência de um núcleo familiar homoafetivo e a conseqüência gerada aos adotados por estas famílias. [Mix Brasil, grifos meus]

A adoção de crianças por GLBTs ainda é um tabu para a Justiça. Qual a sua opinão sobre o assunto?
Acho que GLBTs têm todo o direito de adotar crianças
89.8%

Acho que crianças deveriam ser adotadas apenas por heterossexuais
10.2%
[Enquete espaço GLS]

Queira Deus que os governantes brasileiros possam reconhecer o óbvio: é um atentado contra a instituição familiar conceder às duplas de pessoas do mesmo sexo o mesmo status que é concedido às famílias verdadeiras. Que as pessoas possam ver isso, se não por via direta, ao menos indiretamente [olhando para a questão da adoção de crianças]. E que Maria, Mater Castissima, não permita que o Brasil vira uma Sodoma do século XXI.

Leitura relacionada: Aspectos conjunturais da adoção de crianças por homossexuais: uma tentativa jurídica de justificar legalmente a adoção de crianças, que termina por confessar aquilo que estamos falando sobre a tentativa de se destruir a Família (pois justifica a sua tese afirmando que “a família está em transformação”…).

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Câmara homofóbica

  1. Fabrício L.

    Sandra, se *eu* sou covarde, por quê você não responde à pergunta? Você é ou não é a favor do “direito de decidir”?

    Na sua opinião a mulher tem ou não tem “direito sobre o próprio corpo”?

    Paz e Bem!

  2. Jorge Ferraz

    Sandra,

    Se a leitura da senhora é seletiva, pergunto eu: a senhora é a favor do “direito de decidir”?

    Abraços,
    Jorge

  3. Léo

    Fabrício, eu achava que ela não lia seus comments :-)

    Abraços e fiquem com Deus,

    Léo

  4. Fabrício L.

    Léo,

    Pois é. Pra ela, é mais confortável não ler meus comments, porque eu sei um pouco mais sobre ela do que ela mostra aqui pra vocês.

    No fundo eu a amo, e gostaria de vê-la convertida, mas a teimosia é muito grande. Eu já cansei…

    Paz e Bem!

  5. sandra nunes

    Jorge Ferraz

    Jorge, já conversei COM VOCÊ pessoalmente, via email., o que eu penso.

    Lembra que te contei da minha sobrinha?

    Não vou dar satisfação, para um covarde, mentiroso, que está te usando, que já tentou até usar do “anonimato” pois sabe que não dirijo minha palavra a ele.

    É uma promessa que fiz, a meus entes queridos, e cumpro minhas promessas.

    VOCÊ SABE MINHA OPINIÃO

    REITERO TUDO O QUE TE FALEI.

    NÃO TIRO UMA VÍRGULA.

  6. sandra nunes

    JORGE, se você quiser, te autorizo, a colocar minha posição quanto ao aborto, para o pessoal do blog.

  7. Fabrício L.

    Sandra,

    Chamar-me de “covarde, mentiroso e usurpador” é o máximo de gentileza que pode vir de você, não é?

    Quanto à acusação de que eu usei do anonimato, nunca precisei dele pra me dirigir a quem quer que fosse.

    Paz e Bem!

  8. Jorge Ferraz

    Sandra,

    JORGE, se você quiser, te autorizo, a colocar minha posição quanto ao aborto, para o pessoal do blog.

    Tu podes colocar então, por favor?

    – Jorge

  9. Pedro

    Interessante. A Sandra ilustrou um pensamento comum quando se debate o que é “ser Igreja”:

    “A quantidade enorme de “post” contra: ( em todos os blogs similares, não só aqui ) aborto, pesquisa de célula tronco, homossexualismo,

    Não ví, NENHUM, “enfurecido” ou “aos brados” contra as crianças em orfanatos, ou crianças de rua, ou crianças sem saúde, creche, escola, comida!”

    Proteger quem tem fome, sede, frio, doença e sofre da pobreza e da injustiça é o óbvio. É tudo uma verdade com que todos concordam. Até os demagogos defendem isso.

    Esses pequenos ajudamos mais “fazendo” do que “dizendo” na internet. Não precisamos ser caridosos “aos brados”. Por isso o comentário do Léo é bastante pertinente.

    Porém, quando outras ameaças à vida — defesa do aborto, do fim da família, do homossexualismo — se transvestem de verdade, muito mais deve ser dito e escrito pela verdade e contra essas demagogias. É óbvio que os debates, blogues e afins se multipliquem nesses assuntos: este é o campo de batalha, não no cobertor e na comida doados, no abrigo em nossas próprias casas, ou até mesmo no voto.

    O católico defende tanto o pobre quanto a criança não-nascida. Cada um precisa de um tipo de ajuda. Portanto, dizer que quem milita na internet contra aborto não ajuda o pobre é uma falácia séria.

  10. sandra nunes

    Jorge Ferraz

    Você me perguntou o que já te respondi, num bate papo!

    Se já sabe, não entendo o motivo da pergunta!

  11. Jorge Ferraz

    Sandra,

    A pergunta surgiu no meio dos debates daqui do blog, de modo que julgo relevante respondê-la, já que não custa nada. Ou estou enganado?

    Abraços,
    Jorge

  12. sandra nunes

    Pedro

    Nem vou discutir com você.

    Nossa cara, adoro jazz. (Louis Armstrong, Billie Holiday, do Bird, e outros )

    E pensar que eles, não podiam sequer entrar pela mesma porta que os brancos, para se apresentarem, há bem pouco tempo.

    Parabéns, pelo Blog.

  13. sandra nunes

    Jorge Ferraz

    Sabe, eu quero mais que o babaca, mentiroso, que fez a pergunta fique esperando a resposta!

    Tem gente que usa da intriga, mentira e da calúnia, para se auto afirmar.

    Com o respeito que você merece, como dono do Blog, portanto da casa, já sabe a resposta.

    Aliás, depois de tanto tampo, só aquela anta, não sabe o que eu penso.

  14. Fabrício L.

    É óbvio que eu sei o que você pensa, Sandra.

    A pergunta foi justamente pra fazer cair a tua máscara… pra que todos aqui soubessem até onde vai o teu “sou contra o aborto”.

    Paz e Bem!

  15. vanderley

    “Sandra,

    Se a leitura da senhora é seletiva, pergunto eu: a senhora é a favor do “direito de decidir”?”

    (10 )

  16. Demerval Jr.

    Oi, sandra mumes!

    Voltei! Sentiu muito a falta de se irmãozinho aqui?

    E então? Parece que você está escondendo suas opiniões de “alguém” (e esse “alguém” sabe quem…) ou é puuura impressão minha?

    Fala, filhinha do Pai Eterno, fala… Você sempre foi tão corajosa…

    Eu também quero saber: o que pensa sobre as idiotices das CDD’s? Hã? Hã?…

    Deus te abençoe!

  17. sandra nunes

    Demerval Jr.

    “Eu também quero saber: o que pensa sobre as idiotices das CDD’s? Hã? Hã?…”

    O que são as idiotices das CDD’s ?

    Eu sou a favor das CEB’s, inclusive freqüento e trabalho em algumas.

    Pensei que estava, dando atenção à sua família.

    Mas pra quem acha que ficar com os filhos, no computador, é educação, é lazer familiar fazer o que né?

  18. Jorge Ferraz

    Sandra,

    Não é só o Fabrício que quer saber a resposta da pergunta. Tem mais pessoas aqui perguntando a mesma coisa. Portanto, podes respondê-la?

    – Jorge

  19. sandra nunes

    JORGE,

    Não sei como tem gente que tem a cara de pau de dirigir a palavra a quem já pediu para não faze-lo.

    Primeiro, não dei a ele o direito de me tratar pelo nome, isso só dou a meus amigos e familiares.

    Deve gostar de se passar por “coitadinho” agredido, mas no fundo é uma serpente.

    Graças a Deus, meus primos e eu temos UMA VIDA repleta de momentos felizes, tristes, fartura, falta de dinheiro. Compartilhamos as alegrias de nascimentos e tristezas das mortes na família.

    Agora, vem essa pessoa, de má índole, que só se realiza semeando a discórdia.

    Eu amo, amo as filhas da minha prima como amos meus filhos.

    Elas sempre contaram comigo, para tudo, e sabem que se precisarem estou de coração aberto.

    Minha casa é como se fosse a casa delas, tem um lugar guardado para ela a qualquer hora.

    No mesmo, sentido sei que meus primos, sentem me fazem o mesmo pelos meus filhos.

    Deve, agora estar tentando fazer intriga na família.

    Não quis expor esse problema, mas o maluco, faz questão de se mostrar.

    Espera sentado, e me deixe em paz.

  20. Demerval Jr.

    Ué…

    O que tem a ver CDD (“CÁUSTICAS” pelo direito de decidir) com a família da sandra mumes?

    sandra mumes, só a sua OPINIÃO (sincera, se for possível) sobre as CDD’s nos basta. Não precisa dizer nada sobre a sua família, diga sobre você e suas idéias, ok?

    Ou vai querer se esconder atrás de seus familiares de novo?

    sandra mumes, é SÓ a sua opinião sobre as CDD’s, ficou claro? Só isso, filha do Pai Eterno… Só isso… Pode ser?

  21. sandra nunes

    Demerval Jr.

    Com certeza, o comentário não foi dirigido a você, foi ao Jorge e ela sabe, de quem eu estava falando>

    Não sei da existência de um grupo de advogadas que defendem o aborto.

    Se esse grupo de Advogadas existe, é problema delas.

    Deve existir, também, um grupo de Advogadas que as contestam.

    Existem grupos contra e a favor de TUDO.

    A associação no Brasil é livre.

    O princípio da AMPLA DEFESA está aí para cada um se defender e defender suas posições perante a sociedade.

    Quem sou eu para ser contra ou a favor de alguma associação.

    Tem gente, que filia na TFP, fazer o que né?

  22. Fabrício L.

    Sandra,

    Jamais te ofendi. Desde que começamos a nos falar, minha intenção para contigo sempre foram as melhores possíveis, e continuam sendo até hoje. Jamais quis o mau pra você.

    Se você acha que eu mereço tudo isso que você me fala, só mostra o quão hipócrita você é quando se auto-denomina católica, ou quando deseja “a Paz de Cristo e o Amor de Maria”.

    Eu não faço intrigas com sua família sobre você. Eu falo pra todos por aqui o quanto eu gosto de conversar contigo. Aliás, gostava, porque agora você decidiu não me dirigir mais a palavra…

    Só que acho muito importante que todos aqui saibam que sempre fui honesto e franco com você. Pode ter me faltado a bondade necessária em certos momentos, pois assumo que perdi a paciência, pois você tem um certo dom de esgotar a paciência alheia, o que é facilmente perceptível para todos que freqüentam este blog. Mas honestidade e franqueza nunca me faltaram para contigo.

    Eu repito: não quero seu mal. Apenas quero que você seja católica de verdade. Que honre e assuma seu batismo. E acredito que um bom começo seria você se assumir. Seja verdadeira, honesta e franca para com os freqüentadores deste blog, e consigo mesma! Para isso, eu relevo todas as ofensas e esperneios que você usa pra fugir da pergunta, e lhe dou mais uma chance:

    Você é ou não a favor do “direito de decidir”?

    Vamos lá. Você nunca teve dificuldade alguma pra responder a esta pergunta quando discutíamos via e-mail ou chat.

    Se você não quer me dirigir à palavra, responda ao menos em consideração para com os tantos outros freqüentadores do blog que também lhe dirigiram a mesma pergunta.

    Paz e Bem!

  23. André Víctor

    Será que ela tem que responder mesmo?

    Alguém aqui, que já a acompanha por algum tempo, lendo seus comentários, não imagina qual seria sua resposta?

    Hum!!! Acho que não. Ao menos eu não!

    Mas quero ‘ouvir’ (ler) diretamente dela.

    Sandra!? Também eu gostaria de saber a sua resposta.

    Você é ou não a favor do “direito de decidir”?

    Abraços e fiquemos com Deus.

    André Víctor

  24. sandra nunes

    André Víctor, valeu!

    “Será que ela tem que responder mesmo?
    Alguém aqui, que já a acompanha por algum tempo, lendo seus comentários, não imagina qual seria sua resposta?”

    Pelos menos você prova que tem discernimento.