Errata

closeAtenção, este artigo foi publicado 9 anos atrás.

Um anônimo teve a caridade de fazer-me uma correção no texto “Que há de extraordinário…?” aqui publicado. Trata-se de um erro de tradução: na verdade, “de internis nisi Ecclesia” significa do que é interno, [ninguém] a não ser a Igreja [julga], e não “do que é interno, nem a Igreja julga” como eu coloquei.

Fui induzido ao erro por dois motivos: primeiro, pelo contexto no qual a frase se encontrava no texto do sr. Orlando Fedeli, onde o sentido é claramente aquele que foi colocado por mim no texto aqui publicado. Segundo, porque o próprio Orlando Fedeli traduziu errado em outro lugar do site Montfort (grifos meus):

Não entro no foro das intenções, onde nem mesmo a Igreja entra: “De internis, nisi Ecclesia”.

Na verdade, o ditado correcto é “De internis, nec Ecclesia”, como o próprio professor Fedeli cita correctamente uma vez, e como encontra-se em repositórios de frases latinas na internet. Portanto, a despeito da tradução [de segunda mão] equivocada, é certo que o prof. Fedeli quis escrever “de internis nec Ecclesia”, e não “de internis nisi Ecclesia” como escreveu.

Agradeço, mais uma vez, ao anônimo pela correção.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Tagged on: , ,

0 thoughts on “Errata

  1. Pingback: Que há de extraordinário…? « Deus lo vult!