A quem interessa a farsa?

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 11 meses 19 dias atrás.

Muita água rolou desde a primeira vez em que eu comentei aqui no Deus lo vult! sobre o (suposto) plano de esterilização “embutido” na campanha de vacinação contra a rubéola do Governo Federal. Engrossou a fileira dos que deram crédito, de uma ou outra maneira, à teoria da esterilização (veja-se, p.ex., o Requerimento de Informação do min. Martini ou o artigo de Dom Aloísio Roque). Aumentou consideravelmente o número dos que estão preocupados com a possibilidade dos rumores serem verdadeiros. E, no entanto, até agora nada foi provado e nem desprovado.

Há os que negam veementemente. Encontrei um blog (mal educado – cuidado) que, a despeito do estilo pouco recomendável, responde bem aos principais argumentos dos defensores da teoria da esterilização. Ele não está sozinho no seu “ceticismo”; muitas pessoas têm olhado com reservas para esta história toda, que – como eu sempre disse – está mal contada.

Em particular, tenho conversado com um amigo, médico, que me disse ter as seguintes dúvidas sobre o divulgado plano de esterilização:

– Foi detectado o HCG nas vacinas em forma livre ou de fato formando uma proteína complexa com o toxóide tetânico ou outro carreador?
– Por que o HCG, sendo um hormônio presente em todas a mulheres grávidas, provocaria resposta imunológica pelo simples fato de estar presente na vacina?
– Qual é a técnica usada para se conseguir os vírus atenuados da rubéola? As particularidades dessa técnica não justificariam a presença de HCG? E se esse hormônio está mesmo presente, estaria comprovado que se trata de Gonadotrofina Coriônica HUMANA?
– Tendo em vista a semelhança estrutural do HCG e do FSH, a ponto de testes clínicos menos específicos não conseguirem diferenciar um do outro, por que não há casos de reação cruzada, com os supostos anticorpos anti-HCG atacando o FSH presente em mulheres e homens, levando a sintomas de hipogonadismo?
– Estando a vacina Tríplice Viral (a mesma usada na campanha) presente no calendário vacinal de algumas regiões do Brasil há uns vinte anos, cobrindo quase toda a população com menos de 19 anos, por que ainda se vêem tantas adolescentes grávidas?

A despeito, portanto, da quantidade de pessoas sérias e de instituições dignas de crédito que nos alertam para os riscos desta campanha, é igualmente verdade que existem pessoas sérias e bem intencionadas a recomendar cautela sobre esta história. Enquanto isso, silêncio sepulcral sobre os aspectos que são realmente relevantes, e eu não vejo absolutamente ninguém fazer as coisas que poderiam ser feitas para se encerrarem de vez as especulações.

Quem conhece instituições sérias que possam fazer o teste de detecção dos hormônios? Quem solicitou amostras da vacina para serem analisadas? Quem examinou as pessoas que já tomaram a vacina para verificar se elas apresentam mesmo os hormônios anti-gravidez? Infelizmente, sobre as coisas que poderiam ser feitas para se dirimir definitivamente as dúvidas, pouco ou nada foi feito.

A quem interessa semear o pânico entre a população, deixando-a aterrorizada com a possibilidade de estar sendo esterilizada involuntariamente? Acaso são os católicos, os militantes pró-vida, os defensores da família? Por que não é feito nada para desmentir os boatos que já produziram inclusive requerimentos oficiais de informação ao Ministério da Saúde? Será que não é cômodo à canalhada abortista ter os seus maiores inimigos defendendo um hoax que os exporá à humilhação e ao escárnio quando for finalmente desmentido?

Respostas, já! Respostas sérias, respostas embasadas, respostas verdadeiras. Já se manteve o suspense por tempo demais.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “A quem interessa a farsa?

  1. Eduardo Araújo

    Jorge, falando em canalhada abortista, vi o tal blog mal educado e novamente me deparo com “os milhões” de mulheres que morreriam em clínicas clandestinas de aborto.
    Interessante é que o autor dessa pérola de pseudo argumento abortista é incisivo em exigir provas no caso da vacina e critica as teorias de conspiração que se armam a respeito.
    E as provas dos “milhões” de mulheres, as coitadinhas que mesmo sabendo que aborto ainda É crime e também das consequências de realizar qualquer procedimento médico em clínicas clandestinas, as “inocentes vítimas” desses açougues, como diz o blogueiro.

    Açougues, mesmo, são as clínicas de aborto dos países onde esse procedimento é legal. O lixo desses matadouros deve dar uma boa idéia do que seja açougue humano.

    E isso não é teoria de conspiração, como as MENTIRAS ABORTISTAS, das quais uma das mais cínicas é essa dos milhões (normalmente os adoradores do aborto dizem um milhão) de mulheres, coitadinhas, vítimas do abortamento clandestino, aquele que elas mesmas buscaram. E hipócritas seriam os que não concordam com as “pobrezinhas” e seus defensores …

  2. Maria

    Olá, descobri seu blog e me encantei. Meus parabéns!
    Quanto ao seu último artigo, bem, pensei muito no seu último parágrafo: a quem interessaria o hoax?

    E é exatamente o que eu penso:

    “Será que não é cômodo à canalhada abortista ter os seus maiores inimigos defendendo um hoax que os exporá à humilhação e ao escárnio quando for finalmente desmentido?”

    Mas isso sem dúvida alguma!! Realmente, precisamos de respostas concretas, urgentemente. Pois penso que o problema maior não é a humilhação e o escárnio, é o descrédito, pois se for denunciado algo do gênero realmente verídico, ninguém vai acreditar, pois dirão: “lembra-se do caso da vacina.. que era mentira? Essas pessoas são muito exageradas…”

    Penso que isso sim é algo a se preocupar.. realmente deveria ser investigada a fundo essa história.

    Um grande abraço para você, que Deus o abençoe, lhe dê forças e o ilumine sempre.

  3. Jorge Ferraz

    Maria,

    Obrigado pela visita e pelas palavras gentis. Que a Virgem Santíssima possa conceder-te graças que sobrepujem aquelas que tu desejas para mim.

    Quando à tua observação, sim, sem dúvidas. O descrédito seria terrível! E seria um prato cheio para os inimigos de Cristo. É necessário agir com muita cautela neste assunto, e ao mesmo tempo com muita rapidez, pois a cada dia que passa, mais e mais pessoas terminam por tomar um partido que lhes pode ser prejudicial depois.

    Abraços,
    em Cristo,
    Jorge Ferraz

  4. sandro de pontes

    Prezado Jorge, salve Maria.
    Não consegui colar minha carta na página destinada ao debate. Peço o favor que coloque lá por mim. Obrigado.

    Sandro de Pontes

  5. sandro de pontes

    Prezado Jorge, nã consegui colar a minha carta na página do debate. Por isso colei aqui. Favor colocar o meu texto lá posteriormente.

    Um abraço,

    Sandro

  6. Cristina

    Olá Jorge,

    Tudo bem?

    Meu nome é Cristina e em nome do Ministério da Saúde envio algumas informações sobre as dúvidas citadas no seu post.

    A vacina não causa nenhum problema na gravidez . E este fato já foi comprovado até mesmo por estudos e acompanhamentos feitos com gestantes que se vacinaram sem saber que estavam grávidas. E nenhuma delas apresentaram problemas com o feto. As gestantes só não podem participar das campanhas por uma medida de prevenção, para que nenhum problema, que possa ocorrer na gestação, venha a ser ligado com a vacina.

    A vacina não causa infertilidade. O objetivo dessa campanha é livrar a população da Rubéola, assim como fez com a Paralisia Infantil e com o Sarampo. O público-alvo da campanha são 70 milhões de homens e mulheres em todo o Brasil.

    Para tirar este tipo de dúvida, você pode entrar no site http://www.brasillivredarubeola.com.br.
    Todas estas informações são públicas e estão abertas a todos, desde o primeiro dia da campanha.

    Att,

  7. Jorge Ferraz

    Olá Cristina,

    Tudo bem?

    A senhora trabalha para o Ministério da Saúde? Agradeço pelo contato e pela disponibilidade em procurar dirimir as nossas dúvidas.

    No entanto… a senhora concorda que o mero testemunho do acusado não encerra a questão? :-) Concorda que, se houvesse realmente um plano maquiavélico para esterilizar na surdina o povo brasileiro, isto não estaria dito no site oficial da campanha de vacinação? Afinal, ninguém quer saber o que o Ministro do Ataúde diz ou deixa de dizer, porque já está mais do que provado que ele não é digno de crédito.

    Desde a primeira vez que comentei aqui no BLOG sobre o assunto, tenho dito que a história cheira a HOAX. Mas, certamente, os meus motivos não são as meras informações do site “Brasil sem Rubéola” (que já linkei aqui da primeira vez que tratei sobre o assunto). As dúvidas poderiam ser melhor sanadas, p.ex., se o Temporão respondesse ao Requerimento de Informação apresentado pelo dep. Martini. A senhora tem alguma informação sobre o andamento deste requerimento?

    Abraços, em Cristo,
    Jorge Ferraz

  8. Cristina

    Oi Jorge,

    Sim, trabalho para o Ministério da Saúde e acredito que todas as suas dúvidas possam ser esclarecidas através do site: http://www.brasillivredarubeola.com.br/

    Sobre o requerimento, o gabinete do Ministro José Gomes Temporão recebeu o documento e o encaminhou à área técnica do Ministério. Em breve todas as respostas serão devidamente fornecidas.

    Att,
    Cristina

  9. Leonardo

    Colocarei aqui o mesmo comentário que fiz no site supra citado (Mundo Gump), sobre o assunto em questão.

    A UNICEF há muito tempo está ligada a International Planned Parenthood, essa agência internacional só possui menos abortos no seu histórico do que o governo Chinês. O objetivo de diminuição da população global, principalmente em países de terceiro mundo, já esta na agenda dos países ricos desde a era Kissinger nos EUA (vide documentos liberados em 1989, que demonstram claramente planos de depopulação de 1974, incluindo o Brasil entre os países – National Security Study Memorandum 200 ou NSS 200, pesquise lá não acredite só na minha palavra).

    A vacinação de países pobres é perfeita para esconder essas agendas de controle de população, as vacinas em si são benéficas claro, mas os agentes esterilizantes encontrados na Argentina (2006) e Filipinas (1995) são bem reais. Grupos Católicos promoveram as pesquisas nas Filipinas que encontraram o agente B-hCG nas vacinas anti-tetânicas, e conseguiram impedir o resto do programa de vacinação no país pelo Supremo Tribunal Federal de lá (http://www.lifesitenews.com/ldn/2002/oct/021030a.html).

    Agora pq a UNICEF faria isso?Pq um programa escondido de esterilização?

    Os países de terceiro mundo são facilmente explorados pq sua população não é educada, em países como a Suécia ou a Finlândia as taxas de natalidade são baixíssimas pq a população é educada e sabe fazer controle de natalidade sem a intervenção do governo (camisinha e outros anticoncepcionais). Agora já que eles não podem educar a população, tornando-a assim menos manipulável, eles agem por programas que deveriam ser somente benéficos (ninguém contesta a validade de se imunizar crianças contra o Pólio por exemplo). Não existem provas de que isso está acontecendo agora no Brasil, mas deveríamos suspeitar de tudo que a UNICEF faz.

    A internet, na minha opinião, é o último meio de comunicação e de informação que não é controlado pela elite. Se vc acha que vai achar alguma verdade sobre o que acontece no mundo no Jornal da Globo, vc está mais cego e desinformado do que pensa. No entanto é preciso saber separar o joio do trigo, não descarte uma teoria ou informação só pq ela parece impláusivel.

  10. Vânia Valeria

    Ilá,minha duvida é se for mesmo uma vacina com esterelizante,
    estereliza definivamente?
    Fiz meu filho se vascinar e já me sinto culpada.
    Obrigada!

  11. Jorge Ferraz

    Caríssima Vânia,

    Não se preocupe.

    Em primeiro lugar, até o presente momento não houve nenhuma confirmação de que a vacina tivesse efeitos esterilizantes.

    Em segundo lugar, a (suposta) esterilização só teria efeito nas mulheres, e não nos homens. Portanto o filho da senhora não corre nenhum risco.

    Abraços,
    Jorge

  12. Pingback: Assuntos variados « Deus lo vult!