STF – Audiência Pública

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 11 meses 6 dias atrás.

De acordo com o portal de notícias do dia do Supremo Tribunal Federal, começou às 08:55 “a última etapa da audiência pública que discute a possibilidade de antecipação de parto de fetos anencéfalos”. A dra. Elizabeth Kipman Cerqueira fez uma bela intervenção:

Ela começou sua apresentação lembrando que diversos especialistas que se apresentaram na audiência afirmaram que dentro do útero não é possível determinar a morte encefálica. “Quem afirma isso está passando por cima de critérios científicos”, afirmou.

[…]

Para a médica, a mãe sofre risco durante a gravidez, mas o risco maior é na antecipação do parto, que na verdade é um trabalho de parto prolongado de três a onze dias de internação e que pode causar ruptura interina e infecção. De acordo com ela, no caso de manter a gravidez, os problemas são 100% resolvidos, enquanto nas complicações da antecipação do parto as seqüelas são permanentes para a vida da mulher.

[…]

“É mais possível que uma mãe que faça aborto sinta remorso e arrependimento, mas a mãe que leva a gravidez até o fim, ou até a morte espontânea, ela não vai ter remorso de ter feito o que pôde enquanto pôde”, afirmou Elizabeth.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “STF – Audiência Pública

  1. Pingback: Encerramento da audiência pública do STF « Deus lo vult!

  2. Maria dos Anjos

    Por favor, uma medica da Universidade de Jacarei, mas onde fica isso…. Bem se ve que nao e medica formada por uma das top five do Brasil em medicina… para ir la defender uma tese indefensavel… onde estao as estatisticas que provam o que ela falou…. nao existem… a igreja e dominada por um pensamento masculino machista que matou mulheres na fogueira

  3. franc1968

    A dona Maria dos Anjos (santo nome esse, mas…) cometeu a velha tática dos abortistas. Observem:
    1º Desqualifica a pessoa que fez a afirmação: “Por favor, uma medica da Universidade de Jacarei, mas onde fica isso…. Bem se ve que nao e medica formada por uma das top five do Brasil em medicina…”
    2º Depois joga uma frase como se verdade fosse: “para ir la defender uma tese indefensavel…”
    3º A seguir, pede estatísticas, coisa que, aliás, os abortistas têm aos montes e das quais eles jamais dizem de onde foi tirada: “onde estao as estatisticas que provam o que ela falou…. nao existem…”
    4º Finalmente, mete a Igreja na discussão: “a igreja e dominada por um pensamento masculino machista que matou mulheres na fogueira”. E aqui ela agita o espantalho surrado da Inquisição. Não tem jeito: o ódio dos abortistas pela Igreja é latente. Toda e qualquer oportunidade é aproveitada, quando se é para caluniar a Igreja de Cristo. Mas, como diz a sabedoria árabe, “os cães ladram, a caravana passa”…

  4. Celso Galli Coimbra

    A Dra. Elisabeth Kipman Cerqueira é indicada pelo Ministério Público Federal nestas audiências e, agora, dia 02.02.2009 fez uma importante intervenção, com 43 páginas, na ADPF 54, que me parece vem passando despercebida.

    []’s

    Celso Galli Coimbra

  5. Celso Galli Coimbra

    Hoje, dia 24, a ADPF teve publicada nota de expediente eletrônica, com despacho de Marco Aurélio, abrindo prazo final para as últimas intervenções antes da fase final de julgamento que, portanto, iniciará em breve.

    O endereço pedido é o indicado pelo William, ali está em pdf a íntegra daquele documento.

    Pelo importante conteúdo que a Dra. Elizabeth conseguiu colocar nos autos nos últimos momentos é compreensível o silêncio sobre o que ali foi muito bem examinado. Por exemplo, a questão da morte encefálica, a questão do câncer de mama e, principalmente uma questão jurídica que os juristas não suscitaram naquela ADPF: a proteção da vida humana em nosso constitucionalismo nunca depende da perspectiva de vida em qualquer hipótese.

    []’s

    Celso Galli Coimbra