Comentários ligeiros

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 10 meses 15 dias atrás.

– Ainda a repercussão sobre a perfídia do rabino-chefe de Haifa: Andrea Tornielli lembrou no seu blog o pronunciamento do Grande Rabino de Jerusalém, Isaac Herzog, em 1944:

O povo de Israel não esquecerá jamais o que Sua Santidade e os seus ilustres delegados – inspirados pelos princípios eternos da religião, que estão na base da autêntica civilização – estão fazendo pelos nossos desventurados irmãos e irmãs na mais trágica hora de nossa história, uma prova viva da Divina Providência neste mundo.

– Sobre o mesmo assunto, o Rorate Caeli publicou alguns textos da Igreja sobre “a palavra de Deus e a infidelidade dos judeus”: Evangelho de São João (cap. 5), Atos dos Apóstolos (cap. 28), trecho de uma homilia de Paulo VI e a oração tradicional da Sexta-Feira Santa.

– O Vaticano é o mais novo membro da Interpol; e foi admitido por unanimidade. O objetivo da polícia internacional é “promover a cooperação entre as polícias dos 187 países-membros e a apoiar organizações, autoridades e serviços que previnam ou combatam o crime internacional”.

– No Sínodo dos Bispos, entrevista de Dom Laurent Monsengwo Pasinya à Radio Vaticana:

[A] Bíblia se interpreta em comunhão com a Igreja, segundo alguns critérios que são garantidos pela Igreja, em coerência com toda a Bíblia. Não basta pegar um versículo, dar-lhe arbitrariamente um sentido, é preciso seguir a coerência de toda a Bíblia. Ademais, existe outro critério: jamais se pode dar a um texto bíblico um sentido que seja contrário à fé recebida dos Apóstolos

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page