Miscelânea de assuntos

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 10 meses 6 dias atrás.

– O Papa Bento XVI está preparando uma encíclica social; e a expectativa é que ela saia até o final deste ano. Excelente notícia, posto que será – sem dúvida – mais um duro golpe na Teologia da Libertação, mais uma reafirmação do Magistério da Igreja sobre assuntos esquecidos dos nossos dias. No entanto discordo, data vênia, do otimismo do card. Martino sobre a invasão muçulmana que sofre a Europa; precisamos não de mesquitas, e sim de mais padres zakarias

– A PEPSI doou meio milhão de dólares para uma fundação que defende direitos gays! Não nos iludamos: o gayzismo é um movimento tremendamente bem organizado e milionariamente financiado. Vale salientar – mais uma vez – que “direitos gays” é uma expressão intrinsecamente absurda, posto que o vício não pode produzir “direitos” adicionais. Não há nenhum motivo para que a homossexualidade seja tratada de maneira diferenciada pelas leis positivas; se – como foi noticiado – a tal organização luta para que “empresas concedam aos funcionários homossexuais os mesmos benefícios concedidos aos héteros”, então ela não está lutando por “direitos gays”, e sim por direitos trabalhistas que valem para todos. Faz muita diferença.

– “Mas o ministro de Deus / possui o santo dever / de estar di lado dos fracos / sua causa a defender, / não é só salvar a alma / também precisa comer” (Patativa do Assaré, “O padre Henrique e o Dragão da Maldade”, in Ispinho e Fulô). Não sei quem foi padre Henrique; a julgar pelo poema, contudo, parece ter sido um dos expoentes da Teologia da Libertação em Recife à época da Ditadura Militar. Em uma carta inédita de D. Hélder sobre o referido padre que encontrei recentemente, diz-se ter sido o padre “trucidado em 1969 por integrantes da ditadura militar brasileira”. Tinha 28 anos de idade. Maldito comunismo (sim, a culpa é dos comunistas), que ceifou a vida de um sacerdote do Deus Altíssimo ainda na juventude, depois de – provavelmente – ter-lhe contaminado a alma! Kyrie, eleison.

– A Santa Sé já disse que a Igreja não possui faculdade de ordenar mulheres. Recentemente, estabeleceu até uma pena de excomunhão latae sententiae para quem tentasse uma “ordenação” feminina. No entanto, um bando de malucas – parece que não se cansam! – esteve esta semana no Vaticano em defesa justamente desta sandice. Acho que o Papa vai precisar desenhar…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Miscelânea de assuntos

  1. sandra nunes

    Jorge, esse rapaz é contumaz em “barrigada”.
    Ele no seu fanatismo religioso, não averigua a veracidade da notícia.
    A regra número um do bom jornalista é apurar com a pessoa atacada antes de repercutir a notícia.
    Jorge, o fato que nos aproximou foi a nota falsa dele, que o VATICANO estava revendo se permitiria a DOAÇÃO DE ÓRGÃO.
    O Marcio Antonio, como jornalista com J trouxe luz à matéria difamatória do “barriga”.
    Novamente, ele repercute uma matéria, sem averiguar, ( caluniando, difamando um Bispo ) com D.Pedro Luiz ou com o Vicariato.
    Como alguém pode se considerar um profissional de respeito, se não respeita pessoa que está noticiando, com um simples contato para confirmar a notícia.
    O profissional necessita de caráter, não só de títulos, ( No Brasil, No Canadá ou em qualquer lugar do mundo).
    O estudo nos dá a técnica, não o caráter, esse vem de berço.

  2. sandra nunes

    Me desculpe, a pessoa que repercutiu a noticia no BLOG dele a que “divulgou” a NOTA MENTIROSA, se diz JORNALISTA FORMADO e não confere com a a pessoa acusada, antes de passar a nota.
    Se fosse um leigo, como você e eu, seria até normal, ( errado mas aceitável ) mas uma pessoa que se diz jornalista formado, é imperdoável. Totalmente anti-ético.
    Hoje em dia, você pode estar em São Paulo, em Recife, no Canadá, no Japão, que com um simples e.mail., pode obter a veracidade da nota, sem necessitar caluniar ninguém.
    D. Pedro Luiz, não merece ser caluniado, nem difamado dessa maneira, sem antes ter sido consultado.
    Ontem fui na Pastoral do Belém, depois que vi as estranhas notas aqui e verifiquei que se trata de intriga política.
    Usaram a Região Episcopal Belém, de maneira covarde.
    E pessoas oportunistas, a fim de difundir seus ódios
    e intolerâncias, se aproveitaram para propaga-las

  3. Jorge Ferraz

    Sandra,

    Foste até Belém? Conseguiste falar com D. Pedro?

    Enviei-lhe emails ontem e não obtive resposta. Poderias pedir-lhe que a Região Episcopal divulgasse uma nota oficial desmentindo expressamente a notícia divulgada na mídia, bem como re-afirmando a posição católica frente aos temas do aborto e do “casamento” gay?

    Abraços,
    Jorge

  4. sandra nunes

    Fui sim, moro perto, minha casa na Regional são uns 15 min de carro. ( sem transito )

    Achei muito estranha aquela nota. NUNCA houve nada desse tipo na Igreja.

    Há uma declaração para a imprensa DO VICARIATO, negando veementemente.

    Alguns Padres, declaram seus votos, mas fora da missa, na qualidade de cidadão.

    Jorge não tenho acesso ao VICARIATO ( aqui é tudo muito grande e tem q passar por várias pessoas )

    Falei com o Pe. Juarez umas duas vezes, mas em reuniões de Ministros da Região Belém.

    Mas esse tipo de declaração não é necessária, pois ele representa a IGREJA na nossa região e sua posição é obvia, frente aos temas do aborto e do “casamento” gay.

  5. sandra nunes

    me desculpe, o jeito de vc perguntar soa estranho e engraçado.
    “Foste até Belém?”
    Aqui a gente fala assim foi la no Belém?

    do jeiro q vc perguntou me parece q

  6. sandra nunes

    Esse tipo de declaração não é necessária, pois ele representa a IGREJA na nossa região e sua posição é obvia, frente aos temas do aborto e do “casamento” gay.

  7. sandra nunes

    Fui sim, moro perto, minha casa na Regional são uns 15 min de carro. ( sem transito )

    Achei muito estranha aquela nota. NUNCA houve nada desse tipo na Igreja.

    Há uma declaração para a imprensa DO VICARIATO, negando veementemente.

    Alguns Padres, declaram seus votos, mas fora da missa, na qualidade de cidadão.

    Jorge não tenho acesso ao VICARIATO ( aqui é tudo muito grande e tem q passar por várias pessoas )

    Falei com o Pe. Juarez umas duas vezes, mas em reuniões de Ministros da Região Belém.

    Esse tipo de declaração não é necessária, pois ele representa a IGREJA na nossa região e sua posição é obvia, frente aos temas do aborto e do “casamento” gay.

  8. sandra nunes

    caiu a internet.

    Do jeito q vc perguntou parece que eu fui à Cidade onde nasceu Nosso Senhor!

    Que besteira a minha ( me desculpe )

  9. Fabrício L.

    Jorge, prepare-se para as reações! Tem certas pessoas que freqüentam seu blog que são assumidamente defensoras da ordenação feminina.

    Paz e Bem!

  10. sandra nunes

    Jorge, não foi UM SACERDOTE que morreu nas mãos dos ditadores. Foram VÁRIOS ( não sei dizer quantos, mas foram muitos )

  11. sandra nunes

    Jorge, Patativa do Assaré é um “gênio” um poeta maior do cordel Pernambucano e sem dúvida do Brasil.

  12. vanderley

    Jorge

    Não justifica a morte de nenhum padre ou religioso, sabe-se lá em que circunstâncias.

    Mas a grande verdade que muitos estavam envolvidos com

    atividades ligadas a grupos subversivos, que assaltavam

    bancos e faziam a chamada guerrilha urbana.

    É caso conhecido ,por exemplo, dos dominicanos que

    trabalhavam para ALN do Marighella.

    Houve, infelizmente, quem tomou partido e aderiu

    a luta armada, sendo simpatizante ou trabalhando em

    pról da causa.

    Não sei se é o caso do referido padre.

    Pelo que eu sei não tem “santinho” nesta história.

    Era comunista x anti-comunistas.

    Quem conhece a história da época, não a que é “vendida”

    nos meios de comunicação, sabe que o pais esteve à

    beira do comunismo no governo Goulart e o que

    sucedeu posteriormente, foi apenas o desdobramento

    daqueles anos.

    Na verdade, o Brasil tem uma grande dívida com os

    militares.

    Houve excessos, compreensíveis diante das circunstâncias.

  13. sandra nunes

    Vanderley, Deus te perdoe…

    Nenhuma morte é compreensível, de nenhum lado!

    Brasileiro x Brasileiro foi muito muito triste.

    Quanta hipocrisia, se diz contra o aborto, mas justifica os assassinatos no período da ditadura…

    Pelo visto, você só defende os “não nascidos” ( e se não for comunista ), porque comunista pode morrer… que absurdo!

    Deve pensar que o holocausto e a Inquisição Espanhola, foram justificadas ( judeus, homossexuais, ciganos e quem não era ariano ), que vergonha e se diz um CATÓLICO
    “IPISIS LITERI”!

    Jamais aceitarei qualquer desculpa para matar, quer seja nascido ou não…

  14. sandra nunes

    VANDERLEY, EM QUAL ARTIGO DO CATECISMO DIZ QUE É “JUSTIFICÁVEL” MATAR “COMUNISTAS” OU QUALQUER PESSOA QUE NÃO PENSE COMO VOCÊ?

  15. vanderley

    Grande ignorante veja o que eu escrevi:

    “Não justifica a morte de nenhum padre ou religioso, sabe-se lá em que circunstâncias”.

    “Houve excessos, compreensíveis diante das circunstâncias”

    Onde está escrito ?:

    Houve mortes, compreensíveis..

    Quanto besteira você escreve, eu não falei em nenhum destes outros assuntos.

    Procure um psicólogo ou psicanalista . Você é doente.

  16. Eduardo Araújo

    Gostaria de fazer uma pequena coreção, fora do tema do tópico.

    Sandra, Patativa do Assaré foi um poeta cearense e não pernambucano e sua poesia não se destinava a cordel, antes fornecia temas e letras para repentes (cantos acompanhados por violeiros sobre explorando determinado assunto).

    Uma das músicas de sucesso de Luiz Gonzaga – “Triste Partida” – tem poema do Patativa e foi ouvido pela primeira vez pelo Gonzagão em Juazeiro do Norte.

    Quanto à discussão, o que você quer dizer juntando Holocausto e Inquisição Espanhola? Acaso está insinuando alguma conivência da Igreja no genocídio judeu perpretado pelos nazistas?

  17. sandra nunes

    Eduardo, me desculpe eu sempre achei que Patativa era Pernambucano e poeta de cordel. ignorância minha.
    “A triste Partida” é na minha opinião juntamente com “Asa Branca” os maiores Hinos da migração nordestina (forçada).
    O descaso ( centenário ) do Governo Brasileiro com o povo nordestino, está patente nesses poemas.
    Posso falar, pois meus sogros migraram para São Paulo. Chegaram aqui quando São Paulo comemorava o IV Centenário e jamais conseguiram voltar para Sergipe.
    Mas Graças a Deus eles amavam São Paulo, e não eram tão melancólicos quanto o poema do Patativa.
    Não equiparei o holocausto e a Inquisição Espanhola com a Igreja.
    Eu DISSE que TALVEZ o rapaz que acha que as mortes dos Padres foram necessárias ( por serem de esquerda ) ele não dá importância à vida humana em sua plenitude.

  18. sandra nunes

    Vanderley, agora quer mudar suas palavras.

    Tenha hombridade!

    “Pelo que eu sei não tem “santinho” nesta história.

    Era comunista x anti-comunistas.”

    você deixa claro, que contra COMUNISTA houve “excessos, compreensíveis”

    VOCÊ ESCREVEU e eu agora que viu que defender a morte de comunistas é anti-Cristão.

    Eu me confesso ignorante, não sei muita coisa, mas não saio defendo morte de NINGUÉM, nem dos Ditadores.

    O Papa pede pelo fim dos atentados, pelo fim da mortantade no MUNDO.

    Você só tem discurso vazio, e político.

    E EU que não sou Católica, que ironia…

  19. Eduardo Araújo

    Sandra, não há o que desculpar, mesmo porque se Patativa fosse pernambucano continuaria sendo uma honra para todos nós. Pernambuco é um dos estados que reputo mais culturais do país, bem como mantenedor das tradições nordestinas. Também não haveria problema se o poeta de Assaré tivesse sido cordelista, pois o cordel é uma das manifestações mais puras, porém de grande valor, do nordestino.