Dize-me com quem andas…

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 9 meses 15 dias atrás.

… e eu te direi se vou contigo.

A Associação Mundial de Gays e Lésbicas comemorou a vitória de Barack Obama para a presidência dos Estados Unidos. Curioso, não? Por que será que os gayzistas ficaram tão animados com a vitória do democrata?

A secretária-geral da ILGA, a mexicana Gloria Carreaga, disse à Agência Efe que “através de sua campanha e também em seu discurso depois do triunfo eleitoral, Obama foi claro sobre sua posição contra qualquer tipo de discriminação”.

Aliás, ainda segundo a notícia, “Obama prometeu impulsionar a luta contra a aids com uma postura liberal”. Tenha Deus misericórdia da humanidade.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Dize-me com quem andas…

  1. R. B. Canônico

    A onda obamista no mundo prova apenas um fato. As pessoas só conseguem se entusiasmar com política através de coisas que nada tem a ver com política.

    – Obama é o 1º presidente negro.

    – Ele é o candidato da mudança

    – Ele é o candidato da esperança

    Na prática, o que isso siginifica para um político? Nada!

    Por isso as pessoas se entusiasmam tanto assim com um político: por torná-lo um mito, e não um político.

    Deixa Obaminha umentar subsidios agricolas, aumentar tarifas comerciais, dizer um ‘au revoir’ ao Brasil na Rodada Doha… aí que quero ver.

  2. sandra nunes

    realmente, vocês estão em melhor companhia:

    “O pastor protestante e diretor da Ku Klux Klan, Thomas Robb, declarou após a vitória democrata na corrida à Casa Branca que o presidente eleito dos EUA é “só metade negro”. A KKK é a associação racista mais famosa do planeta, identificada historicamente por seus capuzes brancos, cruzes incandescentes e crimes raciais.

    Em um texto publicado no site do grupo supremacista branco, Robb afirma que “Barack Obama se tornou o primeiro presidente mulato dos Estados Unidos”, e não negro, já que “ele não foi criado em um ambiente negro”. “Ele foi criado por sua mãe [branca]”, argumenta, na nota intitulada “América, nossa nação está sob julgamento de Deus!”.

    Robb interpreta que, com a eleição de Obama, o “povo branco” dos EUA vai perceber que é hora de se unir contra aqueles que odeiam seu modo de vida –estrangeiros e negros, de acordo com a KKK. “Essa eleição de Obama nos chocou? Nem um pouco! Nós vinhamos avisando ao nosso povo que, a menos que os brancos se juntassem, seria exatamente isso que aconteceria”, incitou.

    Para ele, a votação do última terça-feira (4) não foi uma disputa entre liberais e conservadores, mas “uma guerra racial e cultural, travada contra o povo branco”.

    Embora já tenha passado por várias “refundações”, a KKK foi criada originalmente na segunda metade do século 19, após a Guerra Civil Americana (1861-1865), que pôs fim à escravidão no país. A facção foi erguida com fins de, entre outros, impedir a integração social dos negros recém-libertos.

    Durante a campanha eleitoral deste ano, a polícia de Michigan chegou a abrir investigação para apurar a autoria de pichações em um outdoor da campanha de Obama. As ofensas, com suásticas e símbolos da KKK, foram feitas no mês passado.

  3. sandra nunes

    me desculpe não citei a fonte:
    DIÓGENES MUNIZ
    editor de Informática da Folha Online

  4. Jorge Ferraz

    Caros,

    Enfatizados os “detalhes” de que ninguém aqui – até onde eu saiba – tem o mínimo vínculo com a KKK, e que os problemas com a eleição do Obama – como já foram exaustivamente citados aqui – não são de origem racial, não se entende o sentido da insinuação de que nós “estamos em boa companhia”.

    Abraços,
    Jorge

  5. sandra nunes

    Jorge, mão tem racistas?!

    Acho que você não lê o que comentam aqui.

    A KKK (protestante) e a TFP (católica) é a mesma coisa.

    A Nota da KKK é intitulada “América, nossa nação está sob julgamento de Deus!”.

    DEUS é usado, para dar amparo aos seus preconceitos e intolerâncias…

    Detalhe, eles também NÃO se JULGAM preconceituosos e intolerantes.

  6. sandra nunes

    Jorge, não tem racistas?!

    Acho que você não lê o que comentam aqui.

    A KKK (protestante) e a TFP (católica) é a mesma coisa.

    A Nota da KKK é intitulada “América, nossa nação está sob julgamento de Deus!”.

    DEUS é usado, para dar amparo aos seus preconceitos e intolerâncias…

    Detalhe, eles também NÃO se JULGAM preconceituosos e intolerantes.

  7. Jorge Ferraz

    Sandra,

    Não, não tem racistas.

    Quanto à tua já quase proverbial capacidade esdrúxula de igualar coisas que não têm nada a ver uma com a outra, nada tenho a dizer, pois já é mais do que evidente.

    Só registro (para quem talvez não conheça) que a TFP não é racista e não tem nada a ver com o Ku Klux Klan.

    Abraços,
    Jorge

  8. Eduardo Araújo

    O Canônico foi muito feliz no comentário de abertura.

    O Obama é – que não se esqueça – antes um político e, como tal, tem histórico de votação a favor de medidas prejudiciais ao nosso país, como o subsídio ao etanol do milho.

    Essa conversa de fazer dele uma conjunção hodierna de Malcolm X e M. Luther King, numa batalha fictícia entre os “povos” (???) negro e branco é uma dessas falácias tipicamente eleitoreiras. Lembra, com um pouco de analogia, o Collor caçador de marajás.

    Infelizmente, do circuito de interesses do novo presidente americano com certeza faz parte fundamental o IPPM (Planned Parenthood), a rede multinacional de “clínicas de abortos” (eufemismo para MATADOUROS DE SERES HUMANOS INDEFESOS). Um negócio muito lucrativo no mundo dos “direitos ao próprio corpo” …

    No que toca a aborto, lembre-se, ainda, que Obama é declaradamente a favor de se assassinar até os bebês sobreviventes desse procedimento desumano!

    Um cristão autêntico não pode comungar com essa cartilha, em hipótese alguma.

  9. João C.

    “Obama prometeu impulsionar a luta contra a aids com uma postura liberal”.. alguém me explica q sentido faz esta frase??? Como católicos temos a obrigação de nos manifestar contra a cruzada anti-católica que estamos a assistir… Fortes e sem medo de rótulos, fiéis à verdade eterna e não às leis do mundo, que variam como a direcção do vento…