“Homofobia” na UFPE

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 8 meses 24 dias atrás.

Tenho a impressão de que o meio universitário é um campo fértil para a proliferação da intolerância gayzista. Após o já célebre caso dos gays que estragaram a festa em São Paulo, apareceu hoje uma notícia no Blog de Jamildo, conhecido jornalista do Jornal do Commercio, noticiando uma denúncia de homofobia aqui na Casa do Estudante da UFPE. Verdade seja dita, a cobertura do incidente foi feita com honestidade, porque o Jamildo publicou uma carta, de um dos “homofóbicos”, onde ele se defendia das acusações.

O anônimo que se defende diz algumas coisas interessantes. Reproduzo aqui cum jubilo, feliz por encontrar coragem e bom senso entre os residentes da Casa do Estudante que são acossados pela ideologia gayzista infiltrada nos meios universitários.

[E]sse enfrentamento [entre quem se define “hetero” e “homo”] quase sempre foi incitado pelos que se dizem vítimas de preconceito.

É inadmissível que aqueles que se dizem vítimas de preconceito ajam com um preconceito às avessas, ou então, com agressividade, mesmo que não física.

Já tivemos fatos de homossexuais escalarem paredes de banheiros para verem os heteros tomarem seus banhos, ou mesmo gays que trazem seus parceiros sexuais de aventura para dentro da casa, e são assaltados por esses.

Quem quer ser respeitado não respeita pessoas nem regras. Não se dá ao respeito, portanto, não pode exigir respeito.

Em momento algum a chapa “Atitude” se valeu do fato de ter membros heterossexuais em sua composição, por julgar que este fato seja irrelevante dentro de uma gestão democrática.

Em contrapartida, a própria chapa “Ação é tudo” se valia do fato de ter homossexuais em seus discursos, fato para nós irrelevantes.

O lençol azul que foi estirado não caracteriza agressão nenhuma. A Casa é do Estudante *Masculino*, e é de conhecimento geral que o azul caracteriza a Masculinidade. Aposto como mesmo os gays receberam um enxoval azul e não rosa quando nasceram. Eu consideraria agressão outro fato, passado ainda esse ano, quando os residentes gays conseguiram um telefone rosa para a Casa. Havia como conseguir um telefone de qualquer cor, mas fizeram questão de conseguir um rosa para agredir os heteros.

Quem agride tem de estar preparado para ser agredido.

[…]

Não esperem que depois de termos ouvido tudo que ouvimos da chapa 1, de termos passado e enfrentado todos os entraves que nos foram colocados por essa chapa, agíssemos como se nada houvesse acontecido.

Se [os homossexuais] têm tanto apego às leis, comecem por não encobrir os criminosos que vocês mesmos recebem de braços abertos, passem por cuidar de cumprir as regras e deixarem de usar drogas em nosso espaço de convívio. Deixem de trazer seus parceiros sexuais efêmeros, parem de agredir os costumes e as leis de boa vivência. Dêem-se ao respeito se querem, de fato, um dia ser respeitados.

Isso parece mais choro de quem teve seus planos de comando interrompidos pela vontade da MAIORIA. Interessante que foi preciso perderem a eleição para irem buscar a imprensa e divulgar o que chamam “homofobia”. Se houvessem ganho, será que a atitude seria a mesma?

Parabéns ao autor da carta pela lucidez e pela coragem. Ninguém pode ser obrigado a aturar passivamente a “moral” gayzista nem a ser exposto às depravações sexuais dos sodomitas. Na vida em sociedade, há uma óbvia exigência de que o comportamento esteja adequado ao ambiente onde se está, no respeito às leis de boa convivência; os intolerantes gayzistas não podem se arrogar o suposto “direito” de estarem acima da Moral e dos bons costumes, transformando a Casa do Estudante “em uma Sodoma e Gomorra”.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on ““Homofobia” na UFPE

  1. sandra nunes

    Sérgio

    Se a Igreja excomungar todos que eles aqui querem que sejam excomungados, acredito que sobrarão menos de 1 milhão de Católicos!

  2. João C.

    Oh minha cara! Eu critico e tento combater os erros, não a pessoa e a sua condição de Padres que os cometem.

    Claro, que tu, nessa visão limitada em que só “se faz luz” nesse cérebro quando convém, não consegue perceber isso. Esse assunto já foi discutido 1000 vezes, a propósito da tendência homossexual e actos sodomitas. Deve combater-se o erro em si mesmo, não a condição de pessoa. Mas adiante… Só para que saibas, Católica quer dizer Universal (e não é só para o que te convém). Logo, o combate ao erro não se limita à geografia. Porque a perda das almas é universal e somos responsáveis pelo dano que causamos na alma de outro.

    Pensa, reflecte, estuda e medita no que dizes. Para bem da tua alma e de muitas que te lêm…

  3. Sérgio

    Mas Jorge, se “Tudo o que a TdL tem de bom não é dela, e sim algum aspecto da Doutrina Católica”, você também concorda com alguns aspectos da TdL, certo?
    Eu creio que a Doutrina Católica está em tudo o que diz respeito a Igreja, inclusive na TdL que foi formulada a partir da própria Doutrina Social da Igreja.
    Se alguns expoentes, não a utilizaram de forma correta, o próprio cardeal Ratzinger os corrigiu fraternalmente e pelo que lembro, somente Boff saiu e infelizmente vive a dar contra-testemunho por ai.
    Gustavo Gutierrez, um dos grandes expoentes da TdL esse ano esteve numa das solenidades públicas do Vaticano e pelo que foi noticiado aceitou ser corrigido e vive bem a sua vocação.
    Hoje, o trabalho na Igreja que está em voga é o movimento carismático e suas ramificações, que veio na contramão na TdL, mas também da tradição católica. De modo que vejo que tradicionalistas e adeptos da TdL estão no mesmo número e não são maioria.
    Eu creio muito na vivência pessoal dos sacramentos como instrumento de salvação, de forma que TdL, RCC, são apenas instrumentos para alcançar nosso objetivo.

  4. sandra nunes

    João C

    “Só por não concordar com as tuas opiniões (aliás, por tentar ser fiel à Doutrina da Igreja, coisa que a ti te é impossível), sou apelidado de “sapode fora não chia”?…”

    Claro que não, podes não concordar à vontade.

    O que acho que é muita impertinência, o senhor falar mal de PADRES BRASILEIROS!

    Sabe aqui, no Brasil, temos uma mania, nós brasileiros podemos falar mal a vontade de nossa gente ou nossa terra, mas não admitimos que gente de fora o faça.

    Eu posso criticar, meus filhos, brigar com eles, mas não aceito que outra pessoa fale deles.

    O senhor jamais, me verá criticar Portugal ou Portugueses, pois não é certo.

    Com efeito “SAPO DE FORA NÃO CHIA”

    Isso não é um apelido, isso é um dito popular.

  5. Jorge Ferraz

    Sérgio,

    Mas Jorge, se “Tudo o que a TdL tem de bom não é dela, e sim algum aspecto da Doutrina Católica”, você também concorda com alguns aspectos da TdL, certo?

    Errado. Eu concordo com a Doutrina Católica que os adeptos da TdL ainda mantém.

    Acreditar que Jesus é o Senhor não é “concordar com alguns aspectos do protestantismo”, porque a crença em que Jesus é o Senhor não é um aspecto do protestantismo, e sim do catolicismo.

    Acreditar que é necessário fazer boas obras para se salvar não é “concordar com alguns aspectos do espiritismo”, porque a crença na importância das obras não é um aspecto do espiritismo, e sim do catolicismo.

    Assim, acreditar n’aquilo que a TdL mantém de católico não é “concordar com alguns aspectos da TL”, e sim concordar com a Doutrina Católica.

    Qualquer coisa vai ter alguma coisa “concordável”, porque o erro absoluto não existe.

    Eu creio que a Doutrina Católica está em tudo o que diz respeito a Igreja, inclusive na TdL que foi formulada a partir da própria Doutrina Social da Igreja.

    Não, não foi.

    Foi formulada a partir da heresia do Satanista do Marx.

    A Doutrina Social da Igreja é a anti-TL.

    Se alguns expoentes, não a utilizaram de forma correta, o próprio cardeal Ratzinger os corrigiu fraternalmente e pelo que lembro, somente Boff saiu e infelizmente vive a dar contra-testemunho por ai.

    A Heresia da Libertação só produziu desgraça por onde passou. Boff dá testemunho perfeito deste excremento teológico, e só dá “contra-testemunho” na medida em que a própria TL é um contra-testemunho.

    Gustavo Gutierrez, um dos grandes expoentes da TdL esse ano esteve numa das solenidades públicas do Vaticano e pelo que foi noticiado aceitou ser corrigido e vive bem a sua vocação.

    Não tenho informações sobre o Gutierrez, mas só há duas opções: ou ele abandou a Heresia da Libertação e, hoje, vive como católico (Deus o permita!) ou trocou a Igreja pela heresia.

    Eu creio muito na vivência pessoal dos sacramentos como instrumento de salvação, de forma que TdL, RCC, são apenas instrumentos para alcançar nosso objetivo.

    A TL é uma heresia que afasta as almas da vivência pessoal dos sacramentos. Se você crê na importância dos sacramentos, parabéns, e que Nossa Senhora lhe conserve neste santo caminho, e afaste-se da TL, antes que a heresia corroa em você o amor à Igreja que você tem.

    Abraços,
    Jorge

  6. Sérgio

    Mas é isso, amigo Jorge. Sem a vivência correta e honesta dos sacramentos, não somos nada. E se alguém em nome de TdL, RCC ou outras correntes dentro do catolicismo fugir desse aspecto, está se entregando a perdição.

    Fique com Deus.

  7. Jorge Ferraz

    Sérgio,

    A TL é uma heresia, e afastar-se da Igreja quando se é da TL não é um “acidente de percurso”, e sim a conseqüência mesma do seguimento da heresia.

    Quem tem vida sacramental e é da TL, freqüenta os sacramentos apesar de ser da TL, e não “por causa” dela, de modo que ela não pode ser de modo algum um “instrumento” para se alcançar a santidade.

    Abraços,
    Jorge

  8. Sérgio

    Bom dia Jorge.

    Percebo que você teve uma péssima experiência de TL em sua vida. Assim como existe pessoas que tiveram péssimas experiências de RCC, outros movimentos e vivencias, dentro do catolicismo.

    O fato de morar em Recife, onde o saudoso Dom Helder Câmara adminstrou essa Arquidiocese sendo expoente da TL pode ter colaborado.

    Não consigo concordar com a sua afirmação: “Quem tem vida sacramental e é da TL, freqüenta os sacramentos apesar de ser da TL, e não “por causa” dela”. Se a TL fosse uma heresia, seria bem mais combatida pelo Vaticano.

    Bento XVI nos ama muito para deixar a gente ir para a perdição dentro da Igreja que Deus confiou. E creio que ele nos ama, quando corajosamente incentiva nossos sacerdotes a celebrar a Missa na lingua original da Igreja.

    Fique com Deus e bons debates.

  9. Jorge Ferraz

    Sérgio,

    O senhor leu o “Eu vos explico a Teologia da Libertação” citado?

    Recomendo a leitura. O Papa ama muito os católicos para os deixar à perdição, e é por isso que os papas condenaram repetidamente o socialismo e a Teologia da Libertação Marxista. Acontece que tem uns que não querem ouvir o Papa…

    A TL é uma heresia – fato. E uma heresia já infinitas vezes condenada pelo Vaticano. E uma heresia só provocou desgraças por onde passou.

    Abraços,
    Jorge

  10. sandra nunes

    Sérgio

    Abençoadas sejam suas palavras!

    Convivi com S. Luciano Mendes e com D. Paulo Evaristo Arms

    Foram dois Sacerdotes maravilhosos e obedientes aos Papas, e foram da TL. ( D. Paulo está aposentado )

    A vida sacerdotal deles serve de exemplo para TODOS os Católicos paulistas, brasileiros e do mundo todo.

    Reitero, abençoadas sejam suas palavras!

    Paz de Cristo e o Amor de Maria.