O Estado e a Depravação Sexual

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 8 meses 26 dias atrás.

Reinaldo Azevedo, hoje: protejam suas crianças do molestamento do Estado. É um texto longo, como o próprio Reinaldo diz, mas recomendo enfaticamente a leitura, para quem tiver estômago. Refere-se a um “kit” para as aulas de (des)educação sexual que o Ministério da Saúde está enviando às escolas. Não sei se a depravação está já generalizada por todo o território brasileiro ou se ainda se restringe à terra da garoa; mas as fotos exibidas pelo Reinaldo foram enviadas por uma pai de família que mora em São José do Rio Preto, no interior do Estado de São Paulo.

O tal kit contém coisas como um DIU, um diafragma, pílulas anti-concepcionais, pílula do dia seguinte, camisinha feminina e… um pênis de borracha (!), para ser usado nas aulas práticas (!) onde os alunos vão aprender a colocar a camisinha. O “público-alvo” desta educação petista são meninos e meninas de 12 ou 13 anos em diante. Não é novidade. Houve já, no ano passado, o escândalo da cartilha de educação sexual, lembrada pelo Reinaldo no texto acima linkado, e que vale a pena copiar aqui:

A cartilha sexual de Lula é destinada a jovens entre 13 (!!!) e 19 (!!!) anos, como se essa faixa etária existisse. Observem: estamos falando praticamente de uma criança e de um adulto, ambos expostos à mesma informação e, lamento dizer, estimulados a praticar sexo, inclusive entre si — o que pode até configurar crime. Tanto uns quanto outros lerão nas cartilhas entregues por Lula coisas assim:

– O beijo é como chocolate por “aguçar todos os sentidos” e “liberar endorfinas”. E tem uma vantagem: “queima calorias”, ao contrário do doce.
– Há espaço na cartilha para o estudante — de 13 a 19 anos, reitero — relatar suas “ficadas”. E o governo federal ensina que ficar compreende “beijar, namorar, sair e transar”.
– O pênis com a camisinha é chamado de “O pirata de barba negra e de um olho só [que] encontra o capuz emborrachado”. A associação entre pênis e pirata merece um estudo…
– O uso dos verbos no imperativo não deixa a menor dúvida: “Colocar o preservativo pode ser uma excelente brincadeira a dois. Sexo não é só penetração. Seduza, beije, cheire, experimente!”.

A cartilha de Lula é pornografia pura e simples. E eu não lastimo apenas o gosto estético de quem redigiu, mas também a saúde mental. Quem se dirige a crianças e adolescentes nessa linguagem tem problema. Precisa se tratar. Se algum adulto, na minha presença, referir-se a sexo, nesses termos, com as minhas filhas no ambiente, leva um tapão na orelha. Leva um pé no traseiro.

Sinceramente, isso já ultrapassa em muito todos os limites do tolerável. Estamos falando de um pênis de borracha! Como criticou muito apropriadamente o Reinaldo (que, óbvio, não publicou a foto do dito cujo), “alunos de 12, 13 anos estão sendo expostos a um “material didático” que não pode ser exibido em blogs e jornais voltados para o público adulto”. A educação dos filhos compete aos pais em primeiríssimo lugar, e só subsidiariamente ao Estado, como ensina a boa Doutrina Católica e também a Lei Natural. É óbvio ululante que esta pornografia chula ministrada em sala de aula para adolescentes de treze anos, além de ser uma agressão estatal aos direitos da Família, não pode provocar senão profundas deformações morais nos alunos. Crianças que têm contato com utensílios eróticos, que lêem material pornográfico e são incentivados a escrever neles as suas “experiências”, que são apresentadas a toda uma gama de apetrechos contraceptivos e abortivos (como o DIU ou a pílula do dia seguinte), que podem pegá-los gratuitamente e por si próprias nos postos de saúde (ou nas “máquinas de camisinhas” das escolas), que fazem “aulas práticas” nas salas de aula para aprenderem a sua utilização, tudo isso no clima da mais absoluta normalidade e não raro à revelia da sua família… que espécie de jovens irão se tornar? Será que é preciso ser psicótico ou neurótico, ou ultra-conservador e reacionário, ou alienado fundamentalista, ou estar vendo chifre em cabeça de cavalo, para perceber que tal processo não pode produzir senão monstros?

Evocam tanto a laicidade do Estado para retirar dos espaços públicos quaisquer referências a Deus ou à religião, sob o (furado) pretexto de que a exposição de um certo conjunto de crenças pode ferir as susceptibilidades das pessoas que não lhe são adeptas; mas e quanto a esta palhaçada pornográfica? Ela ofende, se não todas, uma parte sem dúvidas muito considerável das religiões existentes! Por que, quando se trata de impôr a depravação moral nas escolas públicas, o governo não se preocupa com a pluridade religiosa e a diversidade cultural do povo brasileiro – ao contrário, as desrespeita frontalmente? O Estado está firmemente empenhado em impôr a sua própria “moral” aos seus cidadãos, numa clara extrapolação das suas funções e num flagrante desrespeito ao seu povo. Colocam-se mil dificuldades para o ensino do Catecismo nas escolas; mas, para ensinar o anti-catecismo, o Partido é rápido e eficaz, e não aceita nenhuma discordância! Por acaso isto é governo? Isto é educação? Isto é respeito? Quanta patifaria!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 thoughts on “O Estado e a Depravação Sexual

  1. Joachim di Fiore

    “Ela ofende, se não todas, uma parte sem dúvidas muito considerável das religiões existentes!”

    Jorge, penso que ofende qualquer pessoa sensata.

    Ofende a razão e ofende o bom senso!

  2. Demerval Jr.

    Estes são os que pensam com a cabeça do pênis; se próprio ou alheio, pouco importa.

  3. genteestranha

    kkkkkkkkkkkkkk
    Muito boa Demerval!!

    O Estado está cada dia mais incentivando a promiscuidade. E o que é pior é que ganha status com isso na medida em que alega ser “política pública educacional”.

    Libera-nos, Domine!

  4. R. B. Canônico

    Isso é a estatolatria petista.

    Pior foi ler as declarações, como sempre ridículas, de Lula. Ele disse que as religiões precisam parar de hipocrisia, e que o caminho para melhorar essa questão da sexualidade é com essa ‘educação’ aí…

  5. André Víctor

    Para um Governante que não sabe o conceito exato de ‘hipocrisia’… podemos esperar coisas ainda piores.

  6. Fabrício L.

    Jorge,

    Comentamos sobre o mesmo assunto nos nossos respectivos blogs quase que ao mesmo tempo.

    É uma pena o que está acontecendo com a nação Brasileira. Salve-se quem puder…

    Paz e Bem!

  7. Pingback: Protejam suas crianças!!! « PALAVRAS APENAS…

  8. Luciano Perim

    Diante de tanta infâmia, só rezando.

    Quanto tempo Senhor, quanto tempo permitirá que o povo brasileiro continue sendo exposto a essa infâmia ?

    Somos fracos, ó Jesus, e por mais que nos esforcemos, sem a vossa graça, nada podemos. Olhai pelas nossas crianças, violadas na sua pureza, contaminadas em sua mocidade. Tenha misericórdia de nós, Jesus. E por favor acuda-nos, logo.

    É o que vos peço, pelas mãos de Maria. Amém.

    Ave-Maria cheia de graça, o Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

  9. vanderley

    Esta é marca do governo pró-depravação lulista e

    petista.

    Não bastasse todo fomento que os meios de comunicação

    já fazem a respeito, temos um governo especializado

    em corromper o que resta da moral na nossa sociedade.

    Porém, eles só estão lá porque o elegeram e tem o apoio

    da maioria da sociedade, inclusive de pessoas da Igreja.

    Basta verificarmos a quantidade de católicos-

    petistas, inclusive com cargos politicos no atual governo.

    E não adianta dizer que não sabiamos, por que foi

    reeleito.

    Tem muita gente na Igreja com as mãos sujas.

    Recordo o caso do bispo que fêz protesto contra o

    desvio do Rio São Francisco.

    Alguém fez “greve de fome” pelo desvio moral que este

    governo está imprimindo na sociedade ?.

    Recordo que o FHC era bem criticado (inclusive nas missas)

    e, talvez, merecesse muitas delas, mas não ouço e nem

    vejo críticas ao Lula na mesma proporção.

    Sei que existem membros do Clero e leigos conscientes

    críticos e corajosos, mas somos a minoria.

  10. Pingback: Calamidade Pública MORAL « Julie Maria

  11. sandra nunes

    vanderley

    Essa campanha é do ESTADO DE SÃO PAULO, na rede Pública Estadual.
    Vários Municípios aderiram e pediram que seus professores fossem treinados para ministrarem as palestras de Educação Sexual.

    Caso você não saiba o Governador do Estado de São Paulo é Jose Serra, (que já foi Ministro da Saúde no Governo FHC ) e ele é do PSDB.

    Os Municípios que aderiram os Prefeitos pertencem aos mais diversos Partidos.

    A Educação Sexual, nas escola, não tem conotação política-partidária, tampouco religiosa.

    Ela visa esclarecer os pré-adolescente, adolescente e jovens como se prevenir de DST’s e gravidez precoce.

    O público alvo, pré-adolescente, adolescente e jovens não É SÃO CRIANÇAS INOCENTES, são pessoas jovens que devem ser informadas das conseqüências que existem se passarem ter uma vida sexual ativa.

    A participação não é obrigatória.

    Os pais, autorizam os filhos a participarem das aulas.

    O que será que aquele pai de Rio Preto pensou que seria falado na aula de prevenção às DST’s e Gravidez precoce?

  12. Demerval Jr.

    Jorge, amigo,

    sandra “separatista” UNEs, descobrindo a América, revelou:

    “Essa campanha é do ESTADO DE SÃO PAULO, na rede Pública Estadual.”

    É… o Estado de São Paulo agora tem seu próprio Manustérgio da Saúde…

    Alguém aqui ainda sabe ler?

  13. Pingback: chocolate » Blog Archive » O Estado e a Depravação Sexual

  14. Pingback: valedoriodoce » Blog Archive » O Estado e a Depravação Sexual

  15. Pingback: Fantástico fuleiro « Julie Maria

  16. Lord Leonardo Siegfried Cezìno de York.

    Caro sr, estando a pesquisar alguns textos no Google sobre a depravação em Roma (pretendo escrever um livro sobre isso só que ambientado nos dias atuais), algo me chamou a atenção e resolvi ler o seu comentário e fazer outro também.

    Olhe, não me leve a mal e não pense que sou depravado como meus ancestrais (isso é uma longa história genealógica).Concordo em partes com o sr. realmente vivemos numa epóca, acredito pior do que a da Roma antiga, acredito que a culpa não é do presidente Lula, ministros, tampouco quem redigiu a “cartilha sexual”.

    Talvez eles foram de certas formas coagidos a agir assim devido a realidade e as circunstâncias que o nosso país se encontra, mas acredito que o estado de depravação seja global e cresce a cada dia sem até nos darmos conta assim como o tal aquecimento…penso que assim como Aarão se viu obrigado a fundir o bezerro de ouro para deleite e adoração dos hebreus, assim vejo a posição de nossos governantes.

    Sexo sempre esteve e estará presente em nossas vidas.Creio que é um poder que DEUS nos deu, mas que devemos usá-lo com sabedoria, só que essa sabedoria virou loucura!A culpa dessa total “depravação” parte do não respeito a DEUS e ignorância à Sua Divindade e Poder, a culpa parte principalmente da FAMÌLIA.

    A FAMÍLIA é a base social e moral de tudo!Tibério, Calígula, Nero e demais jamais nasceram depravados, eles se tornaram devido o que viam nas sua famílias e na sociedade.

    Não pretendo aqui apoiar os atos deles e dizer que foram mocinhos, mas foram vítimas assim como nós dos desejos e maldades humanas.O que fizeram era na verdade um escape e uma resposta cada vez mais contundente a sociedade da época.

    Sou professor e lido com crianças e adolescentes e sei que as da época de CRISTO eram até inocentes…porém não acredito mais nisso, tenho relatos de crianças de 07 anos que já tem a libido aguçada e adora falar sobre sexo.De quem é a culpa?!Minha?!Sua?!Da FAMÍLIA?!

    Encerro o meu comentário com uma citação de Pitágoras:”Educai a criança para que não seja preciso castigar os adultos.”Aguardo também o seu contacto.

    Sinceramente,
    LORD LEONARDO SIEGFRIED CEZÌNO DE YORK.

  17. Jorge Ferraz

    Prezado Leonardo,

    Acredito que exista, sim, uma espécie de “retroalimentação” nas relações entre os indivíduos e o Estado. Parece-me claro que as duas coisas são verdadeiras: tanto o Estado influencia na formação dos indivíduos, quanto os indivíduos exercem influência sobre o Estado.

    O principal problema, a meu ver, ocorre devido à assimetria: é muito mais fácil que uma sociedade corrupta corrompa também os seus cidadãos, do que um cidadão probo e honesto consiga transformar todo o meio no qual ele vive…

    Intermediando estas relações entre a sociedade e o indivíduo, existe a figura da Família. Sim, ela precisa ser salvaguardada, porque oferece uma “barreira” às loucuras estatais e pode oferecer um ar puro e salutar ao desenvolvimento dos futuros cidadãos. Uma Família verdadeiramente estruturada exerce a função de “filtro”, preservando as crianças das influências nefastas que porventura existam numa sociedade depravada. É por isso que há a importância capital de se preservar a Família, a todo custo: é verdadeiramente justo (posto que a Família é uma pequena sociedade, de fato e de direito) e salutar para o Estado. É este o ponto.

    Quando o Estado Depravado estende os seus tentáculos e procurar sufocar também as Famílias, estamos diante de uma situação de injustiça e que vai, por sua vez, impossibilitar a mudança das “estruturas injustas” que acaso existam. É por isso que o Estado anti-Católico que deseje se manter como tal vai tentar impôr as suas convicções diretamente sobre os seus cidadãos, prescindindo da influência benéfica da Família. É contra isso que precisamos nos levantar.

    Abraços, em Cristo,
    Jorge Ferraz

  18. Pingback: “Simples” propaganda ou abuso de crianças? « Julie Maria

  19. Pingback: Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes « “Erguei-vos, Senhor”

  20. Pingback: Deus lo Vult! » Palavrões em escolas públicas - agora oficialmente

  21. Pingback: Pacto de San Jose da Costa Rica « “Erguei-vos, Senhor”

  22. Wel

    Acho q é bastante prática. No tempo em que vivemos, com o excesso de informações as quais nossos filhos estão expostos, acho que a cartilha, baseado no que está escrito acima, (não li completamente a cartilha e observando apenas um lado da história não nos habilita a fazer um julgado eficaz) é de ordem prática. Seria muito moralismo da minha parte querer conceber uma realidade pura como prega a igreja de um modo geral, enquanto as pessoas que têm pouca informação adquirem doenças venéreas ou problemas relacionados ao sexo precoce. Ótimo seria se esses males não existissem, o problema é que eles existem e estão, talvez longe da realidade pregada por quem critica essas iniciativas. Talvez a linguagem usada não tenha sido a mais adequada, mas a iniciativa é das melhores e pautada na realidade da grande maioria da população. Coisa que os críticos da internet, ou melhor o público a quem a cartilha não se dirige, pois a grande parte da população que terá contato com a cartilha não usa a internet, deveria compreender. Como cristãos deveríamos fazer o melhor pelos nossos irmãos e ajudar aqueles que o fazem, a crítica é muito positiva, mas há de se fazer uma distinção entre criticar um objeto que pode ajudar realmente algumas pessoas e o moralismo que está distante da realidade vividas por pessoas as quais não temos contato.