Vaticano contra descriminalização da homossexualidade?

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 8 meses 19 dias atrás.

Encontrei em diversos lugares (parece, aliás, que não se fala de outra coisa): Vaticano se opõe à descriminalização da homossexualidade. O que está acontecendo? A França irá (de acordo com a Época, “com o apoio da União Européia”) defender um projeto na Assembléia Geral da ONU “para descriminalizar a homossexualidade”. E “[o] observador permanente do Vaticano na Organização das Nações Unidas (ONU), monsenhor Celestino Migliore, afirmou nesta segunda-feira (1) que a Santa Sé é contrária” a ele.

A Igreja, evidentemente, não é contra tal projeto porque ache que os gays podem ser presos, torturados e executados somente por serem gays, mas sim porque enxerga nele um instrumento a ser usado para a promoção do casamento gay. A partir daqui começam os problemas. Esta reportagem diz que a decisão do Vaticano é “totalmente estúpida e tola” porque “[a] resolução francesa não tem nenhuma relação com casamento gay”; no entanto, saiu em ZENIT o seguinte:

[A] proposta francesa não só busca «despenalizar a homossexualidade», «mas também introduzir uma declaração de valor político que pode gerar sistemas de controle, segundo os quais toda norma – não só legal, mas também relativa à vida dos grupos sociais ou religiosos – que não coloque exatamente no mesmo nível toda orientação sexual poderia ser considerada como contrária ao respeito dos direitos do homem».

«Isso pode converter-se claramente em um instrumento de pressão ou discriminação para quem, só por colocar um exemplo muito claro, considera que o matrimônio entre um homem e uma mulher é a forma fundamental e originária da vida social e como tal deve ser privilegiada», declarou o Pe. Lombardi.

Ora, temos aqui duas posições frontalmente antagônicas. Para o tal Franco Grillini, a resolução não tem nada a ver com o casamento gay; para o pe. Lombardi, pode ter a ver sim. Tenho uma sugestão para resolver o impasse: a Santa Sé já deixou claro que, “[o]bviamente, ninguém quer defender a pena de morte para os homossexuais, como alguns querem dar a entender”. Ora, se não há discordância alguma entre o que quer o projeto proposto pela França e o que quer a Santa Sé, basta então pegá-lo, identificar os trechos litigiosos e os substituir por outros que não deixem nenhuma margem de dúvida sobre o seu alcance. Deseja-se somente impedir que os homossexuais sejam presos ou executados meramente por serem homossexuais? Então, que isso seja dito bem claro! Com certeza a Santa Sé não vai se opôr. Agora, caso a intenção oculta seja facilitar a legalização do casamento gay… então a França não vai aceitar modificar a proposta, e nem o Vaticano vai apoiá-la. É esperar para ver.

Aliás, são palavras do pe. Lombardi:

«Não é por acaso que menos de 50 Estados membros das Nações Unidas aderiram a esta proposta, enquanto mais de 150 não aderiram. A Santa Sé não é a única», conclui.

E aí? Será mesmo que mais de três quartos dos membros das Nações Unidas são “totalmente estúpidos e tolos”? Ou a única que merece tal invectiva é a Santa Sé?

Em tempo: a Catholic League defendeu o Vaticano.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Vaticano contra descriminalização da homossexualidade?

  1. vanderley

    Na verdade , estamos diante do “tsunami” gay.

    Querem normalizar a causa gay a todo custo.

  2. Santiago

    O casamento homossexual vai afetar a nossas famílias. Os fatos demonstram que tudo muda quando o casamento homossexual é legal. Se é legalizado, deve ser ensinado como normal, aceitável e moral, em cada escola pública.
    Nas primeiras escolas públicas, inclusive em Infantil, devem ensinar a seus filhos a aceitar que o casamento homossexual é mais uma opção moral. E isto confunde as crianças. Isso já aconteceu em Massachusetts
    O testimônio da família Parker comoveu a sociedade americana donde todos os referendos ratificam que o casamento é algo entre homem e mulher: “Solicitamos à escola que nos avisassem quando fossem tratar esses temas para termos a opção de que nosso filho não assistisse a este doutrinamento. Os professores, ao negar a opção de eximir ao nosso filho de assistir essas aulas estavam imiscuindo-se em nosso direito a formá-lo.”
    Parker foi a juízo e perdeu. A sentença deu razão ao Estado. Ao ser legal o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo, grupos gay poderiam impartir oficinas de sexualidade a crianças de 5 anos sem permissão dos pais.
    Você pode ver neste vídeo: http://es.youtube.com/watch?v=CGPUeeAphEE

    Recomendo também esta a outro vídeo que também legendados em português, que explica que uma criança também é uma dádiva: http://es.youtube.com/watch?v=pJtlrYmZe6Y

    Santiago Chiva, Granada, Espanha

  3. sandra nunes

    Igreja Católica surpreende e pede descriminalização da homossexualidade
    Por Redação ( UOL)
    12.12.08

    Após séculos de perseguição aos homossexuais, a Igreja Católica, surpreendentemente, emitiu um comentário em prol da comunidade LGBT. Em anúncio oficial nesta sexta-feira, dia 12 de dezembro, o padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, defendeu a descriminalização da homossexualidade em todos os países onde ela ainda é proibida.

    “A Igreja é a favor da descriminalização da homossexualidade, ela não apóia leis penais que considerem crime a homossexualidade”, afirmou Lombardi. Em seguida o porta-voz, porém, voltou com o velho discurso da Igreja: “o matrimônio entre homem e mulher é o único que a Igreja apóia e não aceita colocar no mesmo patamar casamentos entre pessoas do mesmo sexo”.

    Conforme publicou a Ansa, a declaração de Lombardi é uma resposta às críticas de organizações LGBT e dos direitos-humanos, que diziam que a Igreja Católica não defenderia a descriminalização da homossexualidade. De acordo com o porta-voz, este tema é um “assunto misterioso”, já que nenhum texto sobre este tema foi apresentado na Organização das Nações Unidas.

    ONU

    Em setembro passado Rama Yade, ministra dos Direitos Humanos e das Relações Exteriores da França, salientou que brigaria na União Européia pela descriminalização universal da homossexualidade. A declaração foi feita durante a 61ª Conferência Anual das Organizações Não-Governamentais.

    Rama disse também que entregaria na ONU até o final do ano um documento assinado por todos os países membros da União Européia. Estima-se que a homossexualidade é considerada crime em 80 países ao redor do mundo.

  4. Pingback: Mais sobre a Santa Sé e o homossexualismo « Deus lo vult!