Lavagem das escadarias e bênção sacerdotal

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 7 meses 6 dias atrás.

A Igreja Católica tributa um sincero respeito em relação aos cultos afro-brasileiros, mas considera nocivo o relativismo concreto de uma prática entre ambos ou de uma mistura entre eles, como se tivessem o mesmo valor, pondo em perigo a identidade da fé cristã católica. Ela sente-se no dever de afirmar que o sincretismo é danoso ali onde a verdade do rito cristão e a expressão da fé podem facilmente ser comprometidas aos olhos do fiéis, em detrimento de uma autêntica evangelização.
[João Paulo II, Ad Limina Bispos do Brasil, 1995]

De acordo com esta notícia publicada em UOL, na Bahia, “pela primeira vez, em mais de 250 anos, um padre abençoou o cortejo formado em sua maioria por adeptos do candomblé”. Um sacerdote do Deus Altíssimo abençoando macumbeiros! Se isto não for um típico caso de sincretismo que ameaça a verdade da Fé Cristã, não sei mais o que é.

“Tenho uma grande admiração pelas manifestações populares, a festa do Senhor do Bonfim resume muito bem a religiosidade e a crença do nosso povo. Achei que ficava um vazio sem a bênção e pedi permissão para a Arquidiocese”, disse o padre.

Resta saber (1) o que foi, exatamente, que o padre pediu à Arquidiocese; (2) qual foi, exatamente, a resposta da Arquidiocese; e (3) o que foi, exatamente, que aconteceu durante a lavagem das escadarias da igreja de Nosso Senhor do Bonfim. Para entrar em contato com a Arquidiocese de Salvador, é só clicar aqui.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

23 thoughts on “Lavagem das escadarias e bênção sacerdotal

  1. Luciano Perim

    Minha Nossa…. me diga que não é verdade….

    Jorge, quando tiver as respostas, favor publicar.

    Paz.

  2. Júnior Andrade

    Eu já estou (infelizmente) acostumado com este tipo de sincretismo aqui na Bahia. É só ter festa popular de santo católico que lá vai um bando de (vou ser bem respeitoso) candomblecistas cultuando os seu deuses…
    O pior é que tudo é sempre visto como normal, é convivência pacífica entre as religiões etc., etc., etc.

  3. vanderley

    Nessas horas a gente pergunta :

    Ninguém (hierarquia) vê isso ??

    Notícia do Jornal Nacional !!!

    Precisa acabar com esse Relativismo dentro da Igreja.

    Essa cumplicidade com o erro.

    Já enviei o meu protesto para a Arquidiocese.

  4. André Víctor

    Que coisa absurda!

    Como podemos convencer alguém que o erro é ruím e é um mau intrínseco?! Sic!

    Que coisa viu! Isso me fez lembra da ‘benção’ do Padre Antõnio Maria para o ‘casamento’ do Ronaldo com a Cicarelli.

    Até que ponto chagamos. Aquilo que ofenda a verdade, o erro, é apresentado agora lado a lado com a verdade em uma ‘convivencia harmoniosa’.

    Temos máxima urgência em esclarecer e acabar de uma vez por todas com essa idéia e proclamar em alto e bom tom, que não se pode colocar junto uma coisas que são por si mesmas contrárias e contraditórias. A verdade NUNCA pode ser equiparada com o erro. E a atitude de se ‘abençoar’ o erro, significa o mesmo que arrancar a verdade de seu ‘ trono’ e colocar o erro em seu lugar. Que aberração! Que ofensa e blasfêmia ao Deus verdadeira.

    Este Padre, nada mais nada menos ‘anestesiou’ a consciência de muitos com esta sua atitude. Aliás, eu diria mesmo que ele está ‘anestesiando’ sua própria consciência, isso sim. Sendo ele um sacerdote de Deus verdadeiro, ‘abençoa’ o erro. Que desparate!

    Que Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, a Verdade encarnada, possa ter misericórdia de nós.

    André Víctor

  5. Maite

    Tentei mandar email para a Arquidiocese pelo link indicado e dá erro:

    Not Found
    The requested URL /cgi-bin/formmail.cgi was not found on this server.

    Additionally, a 404 Not Found error was encountered while trying to use an ErrorDocument to handle the request.
    Apache/1.3.36 Server at http://www.arquidiocesesalvador.org.br Port 80

  6. Lucas

    Eu não consigo ver isso como algo abominável, apenas um ato de carinho do padre com as pessoas.
    Conheço vários católicos que frequentam centros espiritas porque se sentem bem tomando o”passe”, acho que é esse o nome.

  7. Jorge Ferraz

    Maite,

    Obtive o mesmo problema. Enviei emails direto ao Arcebispo Primaz do Brasil, Dom Geraldo Card. Majella, por meio dos dois emails abaixo que achei na internet:

    [email protected]
    [email protected]

    Tentemos assim. Talvez seja desnecessário, mas não posso deixar de recordar a todos que estão falando com um Cardeal da Santa Igreja, e portanto o tom destas mensagens precisa ser condizente com a dignidade da pessoa a quem elas se dirigem.

    Abraços,
    Jorge

  8. Rodrigo

    Isto é um câncer que já deveria ter sido estirpado há muito tempo! A grande verdade é que a ignorância religiosa não atinge tão somente o povo, mas atinge aqueles que deveriam instruir o povo nas Verdades da Fé, combatendo corajosamente a mentira e a superstição. Essa benção é um atestado de complacência declarada ao paganismo!
    Alegar que a festividade sem a benção sacerdotal ficava “um vazio” é reconhecer o quanto essa Festa do Senhor do Bonfim há muito deixou de ser católica e se tornou o mais deplorável exemplo de como Nosso Senhor é ofendido dentro de Sua própria casa e por Seus ministros.

  9. Dionisio Lisbôa

    Caros amigos

    Eu estou a par de todo o ocorrido… Por sinal, pertenço à Devoção do Sr. Bom Jesus do Bonfim aqui de Salvador.

    Espero que os irmão tentem entender a dificuldade que existe aqui em evangelizar… As pessoas, em sua grande maioria, possuem um leve verniz de evangelização!

    A Lavagem do Bonfim (que não é a Festa do Bonfim, que ocorre neste domingo 18/01, que é antecedida por nove dias de um novenário belíssimo, inclusive com música sacra) tem sua origem histórica no século XIX, quando as escravas africanas iam arrumar a igreja e lavar o templo para a festa religiosa católica, ao mesmo tempo em que iam cultuar a entidade Oxalá, que foi associada ao Sr. do Bonfim em face da repressão que sofriam os cultos de origem africana no Brasil de então…

    Hoje a “lavagem” movimenta milhões de reais e ajuda no sustento de muitas famílias (não estou aqui para defender o erro), mas é preciso que se enxergue a situação de uma forma bem abrangente para uma correta compreensão do que acontece.

    Acho que o padre Edson (que eu conheço muito bem) teve a melhor das intenções, pois a Igreja precisa espalhar seu doce aroma até no Pateon dos Deuses pagãos, mas cabia a ele um melhor esclarecimento de nossa fé e do equívoco que são as outras religiões (pois de diálogo infrutífero e “ecumênico” – estou farto).

    Atenciosamente

    Dionisio

  10. Emerson

    Este padre misturou água limpa que traz a salvação com água suja da “lavagem” um nome bem apropriado para esta “festa”.
    Uma boa parte do clero não tem mais zelo pela fé, o certo para eles é misturar tudo, o homem em primeiro lugar, não podemos deixar de abençoar esta festa, dizem eles, seria driscriminação.
    Falta pouco para certos padres tirarem o diabo do inferno, alguns já até tiraram.

    Que Deus nos livre da lavagem.

    Rezemos pelo papa Bento XVI

  11. Rodrigo

    Para esses padres, inferno não existe mais, diabo é um companheiro de diálogo ecumênico…
    Não se pode chamar de catolicismo o que se pratica nessa festa religiosa soteropolitana, está desfigurada pela própria inculturação. Logo, logo vão colocar água de cheiro nas pias de água benta das igrejas e, na missa das cinzas, darão, ao invés da imposição de cinzas, banho de descarrego nos fiéis.
    Só falta a titia Sandra Nunes dizer que minha opinião é uma punhalada nas costas desses padres que promovem e fazem vistas grossas para essas ofensas à Nosso Senhor. Afinal, ela adora ir contra a corrente…

  12. vanderley

    O padre precisa sim é espalhar a verdade para o

    povo.

    Isto significa não participar desse falso “ecumenismo” ou

    dialogo religioso, ou folclore, ou qualquer outro nome.

    Ele representa a Igreja.

    A Igreja não pode pactuar com práticas pagãs.

    O ato dele foi visto dessa forma.

    Ninguém é obrigado ser católicos. Mas nós católicos

    não somos obrigados a engolir esse sincretismo.

    Seja ele onde for na Bahia ou na Sibéria.

    Deveriam retirar este padre morno e colocar alguém

    que soubesse manter esse pessoal fora da Igreja.

    PORTA FECHADA PARA O PAGANISMO !!!

  13. Dionisio Lisbôa

    Como eu já disse, não discordo da opinião de vocês… O problema é que a situação não é fácil aqui na Bahia… Se você for dizer abertamente que não concorda com o candomblé, é taxado de racista pelo MNU (Movimento Negro Unificado) sem ter culpa…
    O Padre Edson não é uma pessoa ruim, mas a formação dele não é das melhores (e isto eu tenho coincidência de causa nisto) e tampouco sua ortodoxia é forte…
    O que posso fazer? Já falei com ele sobre diversos equívocos que já vi, mas ele não me escuta, já falei para ele, que foi diretor do seminário daqui que a formação que estavam dando só gerava homossexuais, ateus, comunistas e liberais e vocês acham que ele me ouviu?
    A arquidiocese daqui é uma bagunça… dizem até que uma das autoridades mais influentes dela convive maritalmente com sua secretária particular em um condomínio fechado… O clero de Salvador é (salvo raras exceções), péssimo!
    Sem contar que o cardeal, por medo de represálias, só escuta algumas figurinhas “delicadas” do clero, como os Padres Juracy, Lázaro, Aderbal, Jair Arlego, entre outros…
    O que posso fazer? Já estou fazendo: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=80325869
    Nem Missa Tridentina temos aqui e os pouquíssimos bons sacerdotes são perseguidos…
    Rezem por nós, aqui da Bahia!

  14. Jorge Ferraz

    Caríssimo Dionísio,

    Eu escrevi ao Cardeal Primaz, mas até agora não obtive resposta. Tu, que és de Salvador, saberias nos dizer algo (ou poderias nos informar) sobre as perguntas que foram feitas?

    – Qual foi a determinação da Arquidiocese sobre as portas da igreja abertas?
    – Há algum documento oficial que a contenha?
    – O que foi exatamente que o padre pediu à Arquidiocese?
    – O que ela respondeu? Isso está registrado em algum lugar?

    E coisas parecidas.

    Abraços,
    Jorge

  15. Dionisio Lisbôa

    Estou mais ou menos inteirado da situação..

    Em primeiro lugar, informo que o cardeal não toma qualquer medida sem antes ouvir a camarilha que o cerca como um rebanho de lobos, sendo que hoje, 18/01, fiquei chocado durante um almoço dado pela Devoção do Bonfim aos membros mais eminentes da Arquidiocese, no qual se confirmou tudo aquilo que eu suspeitava e postei acima…

    Mas, respondendo às suas perguntas:

    a) As portas da Igreja NÃO ficaram abertas, a não ser o portão principal da Basílica, que que, apesar de aberto, é protegido de alto a baixo por uma grade de aço, ninguém adentrando no templo!

    b) Não existe, salvo informação em contrário, qualquer documento a este respeito, sendo que a autorização para a bênção foi dada verbalmente.

    c) Pelo que eu consegui entender, o padre apenas pediu autorizção para dar a bênção da janela principal do coro da Basílica, que fica na fachada, acima do portão principal.

    d) A Arquidiocese daqui, segundo o padre, autorizou isto, o que não foi desmentido pelo cardeal.

    Rezem por nós… D. Geraldo já pediu renúncia, mas ficará por mais 02 a 03 anos… Rezem para que tenhamos um bispo digno, santo e justo!

  16. Dionisio Lisbôa

    e o contato com a arquidiocese daqui através do site não funciona há mais de dois anos!

    os e-mails acima funcionam, mas não esperem resposta
    às postagens pois D. Geraldo não responde!

  17. Edenilde

    Assim diz assim a sabedoria popular:

    Padre santo, povo piedoso. Padre piedoso, povo bom. Padre bom, povo aceitável. Padre aceitável, povo tíbio. Padre tíbio, povo ruim. Padre ruim, povo corrupto. Padre corrupto, povo péssimo.

    Rezemos irmãos, rezemos

  18. Rodrigo

    A omissão dos pastores leva à perdição do rebanho. Penso que uma denúncia à Sagrada Congregação dos Ritos seja a melhor coisa a ser feita.

  19. Jorge Ferraz

    Caríssimo Dionísio,

    Muito obrigado pelas valiosas informações. Rezemos por Salvador; que Deus Se digne mandar-nos santos pastores.

    Quando ao Cardeal, imagino que se poderia tentar um contato mais formal (sei lá, carta com firma reconhecida; Dionísio, tu conseguir-nos-ia o seu endereço? Saberia dizer se isso ajudaria?) e, caso houvesse persistência no silêncio, encaminharmos as nossas dúvidas e queixas às instâncias superiores.

    Abraços,
    Jorge

  20. Dionisio Lisboa

    Caro Jorge Ferraz…

    Eu posso estar enganado (o que é difícil), mas, tal tentativa de contato é inútil, ainda mais conhecendo D. Geraldo como nós aqui de Salvador conhecemos…

    De qualquer forma, por desencargo de consciência:

    D. Geraldo Majela Cardeal Agnelo
    Arquidiocese de São Salvador da Bahia
    Av. Leovigildo Filgueiras, 270
    Garcia
    Salvador/BA
    CEP 40100-050

    Para vc ter uma idéia, não temos Missa Tridentina aqui e o jeito foi apelar para a Comissão Ecclesia Dei em Roma, que ainda não respondeu…

    Envie-me seu e-mail para conversarmos melhor

    Atenciosamente

    Dionisio

  21. jose jorge de souza

    acabou para esta igreja, ja nao e mais a maior, agora e a menor, tantos erros no passado presente e se continuar sera no futuro tambem, todas as mentiras praticadas em todos estes seculos estao vindo a tona.

  22. Dionisio Lisbôa

    José Jorge de Souza

    Você é pessoa que está bem desinformada! Suas declarações demonstram isto muito claramente!

    A Igreja Católica está retomando o rumo com Bento XVI… A retirada das excomunhões contra a Fraternidade Sacerdotal São Pio X e a liberação da Missa Tridentina são passos importantes que demonstram isto!

  23. wanessa vieira coutinho

    caro irmao Dionisio, é verdade, que é um absurdo muito grande, nao termos missas tridentina, aqui na Bahia! e, esse cardial mesmo, misericórdia! e essa misturada toda, de católico, e espirita, é uma aberraçao, um escândalo para nossa igreja! temos que orar muito a Deus mesmo, para que nos envei cardial, santo justo! paz e bem