Bush e o dia da Santidade da Vida humana

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 7 meses 4 dias atrás.

Em algum momento do intervalo entre postar a íntegra do — já mencionado — belíssimo discurso do presidente George W. Bush (soon-to-be ex) em inglês e fazer uma tradução traditora, encontrei, por acaso, no orkut, a tradução, que me parece bastante acurada. Uma vez que o autor do tópico não deixou claro se a reproduzia de outro lugar, ou se traduziu o discurso ele mesmo, deixo o espaço vacante para o reclame de autoria da tradução. De qualquer modo, reproduzo-a abaixo:

Dia Nacional da Santidade da Vida Humana, 2009

Proclamado pelo Presidente dos Estados Unidos da América

Toda vida humana é um dom de nosso Criador, que é sagrado, único e digno de proteção. No Dia Nacional da Santidade da Vida Humana, nosso país reconhece que cada pessoa, incluída toda pessoa que espera para nascer, tem um lugar e um propósito especiais neste mundo. Nós também sublinhamos nossa dedicação em divulgar esta mensagem de consciência ao clamar pelos que, entre nós, são fracos e sem voz.

O dever mais básico do governo é proteger a vida do inocente. Minha Administração tem se comprometido em construir uma cultura da vida ao promover vigorosamente leis de notificação de adoção e de paternidade, ao se opor ao financiamento federal de abortos no exterior, ao encorajar a abstinência aos adolescentes e ao financiar programas de gravidez de risco. Em 2002, tive a honra de sancionar a Lei de Proteção a Crianças Nascidas Vivas, que estende a proteção legal a crianças que sobrevivem a uma tentativa de aborto. Assinei uma legislação em 2003 para banir a prática cruel do aborto de nascimento parcial, a aquela lei representa nosso compromisso em construir uma cultura da vida na América. Também me orgulho de ter assinado a Lei de Não-nascidos Vítimas de Violência em 2004, que permite às autoridades acusar uma pessoa que causou a morte ou lesão a uma criança no ventre como uma acusação separada em acréscimo a outras acusações relacionadas à mãe.

A América é uma Nação atenciosa, e nossos valores devem nos conduzir enquanto aproveitamos os benefícios da ciência. Em nosso zelo pelos novos tratamentos e curas, não podemos jamais abandonar nossos valores morais fundamentais. Nós podemos alcançar as grandes descobertas, que todos procuramos, com reverência pelo dom da vida.

A santidade da vida está escrita nos corações de todos os homens e mulheres. Neste dia e ao longo do ano, aspiramos à construção de uma sociedade em que toda criança é bem-vinda à vida e protegida pela lei. Também encorajamos mais dos nossos compatriotas americanos a se unirem a nossa causa justa e nobre. A história nos ensina que com uma causa enraizada em nossos princípios mais profundos e recorrendo aos melhores instintos de nossos cidadãos, nós vamos prevalecer.

AGORA, PORTANTO, EU, GEORGE W. BUSH, Presidente dos Estados Unidos da América, em virtude da autoridade investida em mim pela Constituição e leis dos Estados Unidos, pelo presente ato proclamo 18 de janeiro de 2009 como Dia Nacional da Santidade da Vida Humana. Eu conclamo os americanos a marcar este dia com cerimônias apropriadas e a destacar nosso compromisso com o respeito e a proteção à vida e à dignidade de todo ser humano.

COMO TESTEMUNHO, com referência a isto eu ergo minha mão neste décimo quinto dia de janeiro, no ano de nosso Senhor de dois mil e nove, e no de duzentos e trinta e nove da Independência dos Estados Unidos da América.

GEORGE W. BUSH

O original pode ser visto em: http://www.whitehouse.gov/news/releases/2009/01/20090115-1.html

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

0 thoughts on “Bush e o dia da Santidade da Vida humana

  1. Rodrigo A.

    Aliás, droga, num é a mesma tradução… Foi mal pela percepção “apurada”, ahauhauhauh…

  2. Pingback: Bush e o dia da Santidade da Vida humana : orkut

  3. Emerson

    Que discurso belo, ele fecha com chave de ouro em plocamar 18 de janeiro de 2009 como Dia Nacional da Santidade da Vida Humana.
    Um recado para o novo presidente abortista, o Obaminha Paz e Amor que tudo indica, vai liberar a morte de seres humanos.

  4. Antonio

    Belíssimo mesmo. Dada a total contingência político-politiqueira do ato, de um presidente que promoveria para si melhores chances de um futuro político omitindo-se a respeito desse polêmico assunto (ainda mais num texto de tamanha veemência), eu arriscaria-me a dizer que há algo de sobrenatural no conjunto de intenção, forma e matéria contido nesse decreto.

    Ainda, chamou-me a atenção a clareza das palavras, com pouco ou nenhum rodeio, eufemismo ou qualquer jogo de palavra que se possa facilmente dar margem a interpretações menores (ou diferentes) do que concerne o assunto. Por fim, a forma solene e quase plena de autoridade com que sela o decreto relembra-me, pela discrepância, a imprudência que foi a Igreja ter abandonado quase totalmente seus ensinamentos formalmente positivos ou negativos, para dar lugar a uma redação e um conteúdo por vezes pastoralmente confusos, ambígüos, auto-contraditórios e/ou pouco vinculativos.

  5. Emerson

    Bush terminou o seu mandato como um cruzado, eu como Católico fiquei radiante com suas palavras.
    Eu já ouvi dizer da sua conversão, e nas entrelinhas deste documento vi uma luz, e parece que vem de Roma.

    Rezemos.

  6. Erickson A. Santana de Oliveira

    Emerson,

    É verdade. Não é de hoje que Bush tem vários assessores e consultores católicos. É sabido que um grande amigo dele, convertido, é hoje padre… Ele leu os livros do Papa, tem uma profunda admiração pelo Catolicismo e, não bastasse isso, alinha com a Igreja em diversos temas controversos. Ele já é mais católico que Kennedy! :P