Stultorum infinitus est numerus

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 6 meses 23 dias atrás.

Corro o risco de parecer maçante e repetitivo, mas não consigo ficar calado diante do manancial inesgotável de estratosféricas besteiras que leio por aí. Agora foi a vez do sr. Wálter Fanganiello Maierovitch tecer comentários completamente imbecis sobre – ainda – a retirada das excomunhões que pesavam sobre a FSSPX. Não, eu não tenho mais paciência para esse tipo de atitude estúpida.

Este senhor fala na “infâmia que atingiu à comunidade hebraica”. Que infâmia, cara-pálida? As negociações entre a Santa Sé e a FSSPX não têm nada a ver com as posições particulares – quaisquer que sejam elas, pois não vêm ao caso – de Dom Richard Williamson; será que está difícil entender isso? Por que é infamante para a comunidade judaica que a comunidade católica receba um bispo de volta? Por que a Santa Sé deveria ser culpada por declarações de bispos das quais Ela discorda expressamente?!

Passa a impressão de que a “comunidade hebraica” quer governar a Igreja no lugar d’Ela. Primeiro, esperneando por causa da oração pela conversão dos judeus da Sexta-Feira Santa; depois, esperneando por causa do processo de beatificação de Pio XII; agora, esperneando por causa de uma revogação de excomunhão. Ora bolas, as orações da Igreja são para uso interno da Igreja, os santos da Igreja são para veneração interna da Igreja, e as sanções canônicas (ou sua retirada) atingem os membros da Igreja, e portanto nada disso tem nada a ver com a “comunidade hebraica”! Por que diabos os judeus não param de perseguir os católicos e deixam a Igreja seguir o caminho d’Ela? Por que esta sanha doentia de meter o bedelho naquilo que não lhe diz respeito?

Ainda mais porque, no caso concreto, o sr. Maierovitch manifestamente não faz a mínima idéia das coisas que está falando. Nem me refiro às calúnias históricas repetidas contra o Papa Pio XII. Falo de erros grosseiros referentes aos fatos atuais que ele se propõe a comentar. Por exemplo:

Todos os quatro foram ordenados em 1988 pelo falecido e tradicionalista arcebispo Marcel Lefebvre, com o rito da “bula de Pio V”. Ou seja,  em desacordo com as regras estabelecidas pelo Concílio Vaticano II.

Primum, não existe o “rito da bula de Pio V” – o blogueiro ouviu o galo cantar e não sabe onde. Existe o Rito Romano segundo o Missal promulgado por São Pio V – Missal, e não Bula – e existe a Bula Quo Primum Tempore que promulga este Missal. Apesar de ser possível adivinhar o que se quis dizer, “rito da Bula” é uma expressão sem sentido algum. Secundum, o Concílio Vaticano II não proibiu ninguém de celebrar os Sacramentos de acordo com o Missal de São Pio V (até porque não havia outro missal à época da conclusão do Concílio e a Reforma Litúrgica só virá depois…), portanto não havia “desacordo” quanto a isso. Tertium, Dom Lefebvre (e os quatro bispos ordenados) incorreu em excomunhão não por usar o Rito da Ordenação antigo (que estupidez!), e sim por ter ordenado bispos sem mandato pontifício! Teriam sido excomungados ainda que celebrassem segundo os livros litúrgicos em vigor!

E ainda, sr. Maierovitch, o nome é Fraternidade Sacerdotal São Pio X, e não “Pio V” (sic!), como o senhor escreve (A propósito, os lefebvrianos da Fraternidade Pio V…)! Sem contar que “lefebvrianos da Fraternidade” (ainda que estivesse com o nome correto) é um pleonasmo sem razão de ser. Se os lefebvrianos não fossem “da Fraternidade”, seriam de onde? Da Opus Dei? Ainda que seja possível falar, latu sensu, em “lefebvrianos” como sendo os simpatizantes de Dom Lefebvre (e, portanto, não necessariamente ligados juridicamente à FSSPX), estes últimos não são mencionados em momento algum do texto, o que torna a redundância acima simplesmente… redundante.

Pouco adiantou a manifestação do superior dos lefrebvianos, (sic) pois a Fraternidade continua a não aceitar as regras do Concílio Vaticano II e, com isso, adota postura independe (sic) da Igreja e desabonadora do povo hebreu.

Não sei qual é a religião deste senhor; ele se diz filho de pai judeu e mãe cristã. No entanto, a julgar pelo número impressionante de besteiras sobre a Igreja que ele conseguiu escrever em tão poucas linhas, acho razoável imaginar que, católico, ele não seja. É portanto incompreensível o esforço empregado em jogar lama numa atitude do Santo Padre cujas razões o sr. Maierovitch ignora manifestamente e que, aliás, não é da sua conta. Procurar ter informações mínimas sobre um assunto qualquer que se deseje comentar é uma condição essencial para qualquer articulista que deseje ter um mínimo de credibilidade; no entanto, a vida dá a cada dia mais provas de que o número dos estultos é realmente infinito.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

12 thoughts on “Stultorum infinitus est numerus

  1. beinbetter

    Não é só ele, Jorge… Orlando Fedeli escrever um artigo estranho sobre essa questão, dizendo que Dom Lefebvre e Dom Mayer tinham situação canônica reconsiderada, quando na verdade o decreto da Congregação para os Bispos não citou (em nenhum momento) nesse documento o nome dos dois. Lamentável! Mais uma vez nosso professor Fedeli tentando enganar os fiéis.

    O artigo está disponível em http://www.montfort.org.br/index.php?secao=veritas&subsecao=igreja&artigo=gloria_lefebvre_mayer&lang=bra

    Oremos, Jorge. Oremos.

    Gratia vobis et pax a Deo Patre nostro.

  2. Rodrigo

    Pela quantidade de comentarios idiotas naquele sitio onde o cidadão em questão escreveu seu vômito contra a Igreja, não se pode esperar muito de pessoas assim. O emburrecimento é um mal crescente e as vistas grossas para a verdade cada vez mais se multiplicando. Certos judeus adoram se fazer de vítimas de tudo, mas se esquecem que também eles contribuem para que a violência religiosa e racial se espalhe, basta uma olhada na questão tão em evidência como os ataques à Gaza.
    Se eles se metessem com suas vidas, política e religião, certamente fariam melhor. E deveriam se lembrar que além de judeus, outras etnias foram vítimas da perseguição nazista. Mas, holofotes se lançam apenas sobre a causa judaica…é mais interessante…os outros que se danem…

  3. Pingback: Um email “católico” « Deus lo vult!

  4. Julie Maria

    Patética esta incapacidade de tecer comentários tão contraditórios que só demostram uma coisa: ignorância total no tema.

    Realmente quando se fala na Igreja cada um quer dar o seu “ponto de vista” mesmo sem ter conhecimento de n-a-d-a.

    Quem sai perdendo? Os que escutam este senhor como se ele soubesse algo…

    PAX

    Julie Maria

  5. presentepravoce

    Judeu, como se diz é Judeu mesmo.

    Nós somos católicos, e na verdade oramos pela conversão do mundo a Jesus, que afinal de contas veio para os Judeus, mas se… nem é bom lembrar…

    Para tudo Deus tem seu tempo e sua hora, afinal as profecias dizem isto, e não as do novo testamento, mas as do velho e creio que todo bom Judeu sabe disso.

    Mas quando eles se converterem, podemos estar prontos para receber Jesus em sua segunda vinda.

    Maranatha…

    Amem

  6. presentepravoce

    Realmente Everth

    O comentário do Sr. Fedeli sobre as excomunhões é extranhicimo, porque é mais uma exaltação de Dom Lefebvre que nem foi citado no documento Papal, do que qualquer outra coisa.

    O defendeu de todas as maneiras possíveis e inimagináveis, praticamente mal citou os beneficiários do perdão Papal ou a FSSPX.

    Continuou a mesma retórica contra o CV II que já não será mais comflito com a FSSPX, porque afinal aceitaram o retorno e comunhão plena com a Igreja Católica.

    Serão poucas as vozes testonantes em relação a este assunto agora, e como a Montfort gosta de atribuir o termo “traidores” àqueles que retornam a Roma, em breve estes Bispos reintegrados poderão também receber este magnífico Título honorífico do site Montfort, mas isto já era de se esperar o que seria uma surpresa mesmo era a aceitação do CV II, mas quem sabe o Professor Fedeli caia na real, não seria mesmo a esperança a ultima que morre.

    Bento XVI fez a sua parte por completo.
    Liberou a Missa de Sempre e criou um Instituto para promovê-la sem forçar a substituição do que é ordinário.

    Reintegrou os Bispos que estavam fora da Comunhão plena da Igreja.

    Agora é só esperar o ressoar dos ecos se calarem!

    Sem Intrigas e ressentimentos o interesse pela “Missa de Sempre” deve aumentar e muito em todo o País, porque muitos não a aceitavam justamente pelo casamento da divulgação do Rito de Pio V com as intrigas contra o Concílio Vaticano II.

    Mas acho que ainda devo ver outras opiniões.

    Até logo.

    Jesus te ama.

  7. Márcio

    Márcio,

    Você está equivocado. O Papa Bento XVI, não fez o trabalho completo. Só estará completo quando condenar extirpar eliminar seja lá o que for, com o câncer que é a RCC dentro da Santa Igreja.

    Se Deus quiser,

  8. Delcides S. Bin

    Se o comentario sobre o holocausto fosse feito por um índio, eu diria que ele tem razão pois, o mesmo desconhece a istória mas, feito por um padre que conhece bem o que a Igreja Católica cometeu contra o povo Judeu e, nas cruzadas contra parte do Oriete Médio, me deixa preocupado.
    O pior é que a Igreja Católica Surrupiou tudo que tinha no primeiro testamento (que éra do povo Judeu)quando percebeu que poderia dominar o mundo elaborando um segundo testamento e, esplorando o nome de judeus que a Igreja colocou como um genio e na verdade eram pescadores analfabetos.
    Só que hoje, nosso povo não mais analfabeto.

  9. Delcides S. Bin

    Se o comentario sobre o holocausto fosse feito por um índio, eu diria que ele tem razão pois, o mesmo desconhece a istória mas, feito por um padre que conhece bem o que a Igreja Católica cometeu contra o povo Judeu e, nas cruzadas contra parte do Oriete Médio, me deixa preocupado.
    O pior é que a Igreja Católica Surrupiou tudo que tinha no primeiro testamento (que éra do povo Judeu)quando percebeu que poderia dominar o mundo elaborando um segundo testamento e, esplorando o nome de judeus que a Igreja colocou como um genio e na verdade eram pescadores analfabetos.
    Só que hoje, nosso povo não é mais analfabeto.

  10. Renato Lima

    Delcides,

    o que você anda lendo?

    Você deve está confundindo colonização protestante com colonização católica.

    Olha que a Santa Igreja Católica Romana não precisa dar muitas provas do seu amor pelos índios. É só olhar que pela America Latina o que mais existe são índios; então que massacre foi este?

    Porque as maiores colonias judaicas se encontravam ou se encontram em países de maioria católica?

    Sobre as cruzadas, se não fosse a Santa Igreja Católica combatendo os mulçumanos, talvez nem existiria ocidente.

    O seu segundo paragrafo é uma pérola. De onde você leu isso? do David Bay; da Mary Schunze?

    Veja a diferença entre a colonização protestante nos EUA, e a colonização católica na America Latina! Onde existe mais índios: Na America Latina ou America do Norte?

    Até você tem descendência de índio!

  11. presentepravoce

    Aló Delcides

    Uma novidade pra Você

    Já existem muitos Judeus como Você

    que já aderiram ao Cristianismo

    Sem deixar de ser Judeu

    O presente também é pra voce.

    Deus te ama.