Carta de Dom Williamson

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 6 meses 23 dias atrás.

[Publico apressadamente a tradução de um post de hoje do Dinoscopus, que se apresenta como sendo o lugar das “colunas semanais do bispo Richard Williamson, da Fraternidade Sacerdotal São Pio X”. Não conhecia este blog; publico no entanto com a esperança de que a notícia seja verdadeira, e Nosso Senhor, acordado pelas nossas súplicas, possa acalmar a tempestade que se abateu nos últimos dias sobre a Igreja.

(P.S.: o Fratres in Unum acabou de publicar a mesma carta.)

Trata-se de uma carta de Dom Williamson pedindo perdão ao Santo Padre e ao cardeal Catrillón Hoyos pelo mal-estar causado por suas declarações referentes ao Holocausto na televisão sueca.]

A Sua Eminência, Cardeal Castrillón Hoyos

Vossa Eminência,

No meio desta tremenda tempestade da mídia ensejada por observações imprudentes feitas por mim na televisão Sueca, imploro a V. Ema. que aceite, enquanto é devidamente respeitoso [only as is properly respectful], meu sincero pesar por ter causado a V. Ema. e ao Santo Padre tantas aflições e problemas desnecessários.

Quanto a mim, tudo o que importa é a Verdade Encarnada, e os interesses de Sua Única e Verdadeira Igreja, através da qual somente [through which alone] nós podemos salvar as nossas almas e dar eterna glória, a nosso pequeno modo, ao Deus Todo-Poderoso. Tenho apenas um comentário, do profeta Jonas, I, 12:

“Tomai-me, disse Jonas, e lançai-me às águas, e o mar se acalmará. Reconheço que sou eu a causa desta terrível tempestade que vos sobreveio”.

Por favor também aceite, e transmita ao Santo Padre, meus sinceros agradecimentos pessoais pelo documento assinado na última Quarta-Feira e tornado público no sábado. O mais humildemente possível [most humbly], eu irei oferecer uma missa para ambos.

Sinceramente vosso em Cristo,

+ Richard Williamson

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

6 thoughts on “Carta de Dom Williamson

  1. Luiz Henrique

    Fortes e humildes as palavras do bispo Williamsom!

    Em que pese o triste fato que gerou esse pedido de desculpas, destaco:

    “Quanto a mim, tudo o que importa é a Verdade Encarnada, e os interesses de Sua Única e Verdadeira Igreja, através da qual somente [through which alone] nós podemos salvar as nossas almas e dar eterna glória, a nosso pequeno modo, ao Deus Todo-Poderoso”

    “O mais humildemente possível, eu irei oferecer uma missa para ambos”

    Eis um dos motivos porque julgo tão importante o retorno da FSSPX, tais palavras não encontram lugar na pena da maioria dos bispos e sacerdotes que temos na Igreja atualmente. O testemunho da fraternidade sobre piedade e fé seriam de grande valia.

    []’s
    Luiz Henrique

  2. Danilo

    Lembro-me que Dom Cappio disse algo semelhante quando terminou sua greve de fome na Bahia… ah, me enganei, ele não disse…

    Lembro-me que Dom Geraldo Majella ofereceu o mesmo e humilde pedido de desculpas pela profanação cometida pelo Pe. Pinto da Lapinha… Oh, não, acho que me enganei…ele não pediu desculpas!

    Dom Pedro Casaldaliga, toda vez que desobedecia ao Papa João Paulo II e não comparecia ao vaticano para a sua visita obrigatoria, sempre enviava um pedido de desculpas humilde, parecido com esse… Não, acho que não asasim que acontecia

    Todos os bispos que se colocaram contrários ao efetivo exercicio do Motu Proprio também se desculparam com o Santo Padre, com o mesmo ar de arrependimento… Ou será que não?

    Enfim, a coisa é muito diferente…

  3. presentepravoce

    Caro Danilo

    Já faz uma grande diferença este pedido de desculpas, mal acabou de se reintegrar e já pediu desculpas por seus equivocos cometidos anteriormente.

    Agora ele não é mais um bispo desligado da Hierarquia e vagando sem rumo e direção, agora ele deve explicações de suas palavras e atitudes ao Papa que é seu superior e a quem deve total obediência.

    Esperemos que realmente não fique apenas nas cartas de desculpas, esperemos realmente que Dom Williamson que é o que mais seria “tetonante” com o Vaticano vigie melhor suas palavras que tanto mal causam a Bento XVI, sabendo que Ele agora também se tornou responsável por estes filhos que a tanto tempo permaneceram por sua propria conta e responsáveis por seus próprios atos.

    Mesmo assim é louvável esta atitude de Dom Williamson e nos tras mais segurança de um futuro melhor para todos.

    Ainda espero uma carta semelhante a esta de outros nomes que tanto desentoaram ao Vaticano durante o periódo do Cisma.

    Parabens.

  4. Sidnei

    Será que a mídia ou o sr. Maierovitch em seu blog vai abrir espaço para esta notícia sobre o pedido de perdão de D. Williamson ao Papa, será que vai?, quem se arrisca a dizer que vai?, podemos esperar o fim do mundo mas que isto não vai aparecer na mídia e muito menos no blog do sr.
    Maierovitch, isto não vai mesmo, podemos esperar sentados que em pé vamos cançar.

  5. Altair Reinehr

    Concordo que o Bispo Richard Williamson expresse sua opinião e que não seja pressionado por “superiores” a se retratar. Também eu não acredito neste absurdo que é o “holocausto judeu de 6 milhões”, atribuído aos alemães. Em 1956 – 11 anos após o té”rmino da guerra, a CRUZ VERMELHA INTERNACIONAL publicou o seguinte: “O TOTAL DE ÓBITOS EM TODOS OS CAMPOS ADMINISTRADOS PELOS ALEMÃES É DE 293.310…!” E acrescenta que a “causa mortis” foi diversa. Que os mortos eram de diversas etnias e religiões… A estória do holocausto está cada vez mais vulnerável e é na verdade uma “HIPERBÓLICA METÁFORA…!

  6. Pingback: A condenação de D. Williamson « “Erguei-vos, Senhor”