Retratação de Dom Williamson

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 21 dias atrás.

Reproduzo como li em ZENIT. Não tem no Dinoscopus. Apenas comento que a notícia me dá um duplo sentimento, por um lado bom, por outro lado ruim. É bom que Dom Williamson saiba ceder naquilo que não é essencial, e é bom que ele tenha a humildade de fazer um pedido público de perdão, numa situação que tantas tribulações trouxe para o Santo Padre e a Igreja de Nosso Senhor. Mas é muito ruim que a opinião pública politicamente-correta tenha forçado um bispo a se retratar sobre uma posição histórica que passa longe de ser “intrinsecamente má” como querem fazer parecer.

Ele, no entanto, não negou o que disse à televisão sueca. Falou que não teria feito as declarações se soubesse do mal-estar que seria causado, falou que manifestou apenas opiniões de quem não é historiador… mas não falou “é, vocês estão certos, as câmaras de gás existiram mesmo e o número de judeus mortos foi de fato o que vocês dizem”. Um mínimo de sensatez precisa ser salvaguardado, e Dom Williamson soube fazê-lo com diplomacia.

Segue a carta.

O Santo Padre e o meu Superior, bispo Bernard Fellay, solicitaram que eu reconsidere as observações que fiz na televisão sueca quatro meses atrás, pois suas consequências têm sido muito pesadas.

Observando essas consequências, posso verdadeiramente dizer que lamento ter feito essas observações, e que se eu soubesse de antemão todo dano e dor que elas dariam origem, especialmente para a Igreja, mas também para os sobreviventes e parentes das vítimas da injustiça sob o Terceiro Reich, eu não as teria feito.

Na televisão sueca, eu manifestei apenas a opinião (… “eu penso”… “eu acho”…) de uma pessoa que não é um historiador, uma opinião formada há 20 anos com base nas provas disponíveis então, e raramente expressa em público desde então. No entanto, os eventos das últimas semanas e os conselhos de membros da Fraternidade São Pio X persuadiram-me da minha responsabilidade por tanto sofrimento causado. Para todas as almas que ficaram verdadeiramente escandalizadas com o que eu disse, diante de Deus, peço perdão.

Como o Santo Padre tem dito, todo ato de violência injusta contra um homem fere toda a humanidade.

+ Richard Williamson,

Londres, 26 de fevereiro de 2009.

[Traduzido do inglês por Zenit]

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

3 thoughts on “Retratação de Dom Williamson

  1. Natália Prado

    Faço minhas as suas palavras! Disse tudo, Sr. Jorge Ferraz.

  2. Vinícius

    Certíssimo. Este circo armado pela mídia não faz o menor sentido. Claro que não condiz com um sucessor dos apóstolos dar uma declaração polêmica pela polêmica.

    Acho que os bispos ultimamente estão confundindo as coisas. No Brasil eles falam de segurança pública. Dom Williamson prefere falar de história. Quando será que os bispos(generalizando) vão voltar a falar dos mistérios de Deus?

    Vejam como o clero precisa de oração…Não há o que fazer, meus caros. Só rezar. Rezar pelo Santo Padre, rezar pelo clero.

  3. Pingback: Retrospectiva: Israel e Santa Sé « Deus lo vult!