Exemplo comovente de um pai

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 22 dias atrás.

Foi com tristeza que comentei ontem aqui a existência de um assassinato em curso: uma garota de nove anos, estuprada pelo padrasto e grávida de gêmeos, estava na iminência de iniciar um processo de aborto autorizado pela mãe. No último instante, porém, aconteceu uma coisa extraordinária (que eu só fiquei sabendo hoje): o pai da menina é evangélico e disse ser contrário ao assassinato de seus netos! Diz o Jornal do Commercio que, “com a divergência entre os pais, a situação será decidida por um juiz da infância e da juventude”.

Não confio, absolutamente, nos “juízes de infância e juventude” que nós temos, nem tampouco nos “médicos” do IMIP (aliás, o Diário de Pernambuco disse hoje que o procedimento abortivo já começou e “pode levar dias”… Kyrie, eleison!). Mas existem algumas coisas sobre este caso que precisam ser ponderadas, além daquelas que eu já comentei em resposta ao Steven no post de ontem.

Antes de mais nada, vale a pena salientar que estamos diante da mais extrema situação de “aborto justificável” que os abortistas poderiam desejar, porque esta garota reúne em si virtualmente todos os [pseudo-]argumentos tradicionalmente utilizados pelos defensores do assassinato de bebês: é uma criança, foi estuprada, a gravidez é de risco. Impressionante como quase todos os “motivos” ad nauseam alegados pelos abortistas encontram-se personificados nesta menina que está internada em um hospital daqui de Recife!

Exatamente por isso, merece extremo louvor o pai da criança que, evangélico, declarou-se contra o assassinato dos bebês. Ele não se declarou simplesmente contrário ao aborto: com esta atitude heróica, ele deu um eloqüente testemunho contra quaisquer “argumentos” abortistas, já que se trata de uma filha dele, criança, que foi violentada, que leva uma gravidez de risco. Tentação maior para se optar pelo caminho “mais fácil” eu não conseguiria imaginar; no entanto, o pai da menina acredita no valor da vida, e acredita que nem mesmo a conjunção de todos os sofismas abortistas juntos é capaz de justificar o assassinato de inocentes. Ainda há pais verdadeiros neste mundo!

Se não for moralmente aceitável que esta criança aborte os seus filhos (como o pai dela acredita, e como eu acredito), então o aborto nunca é aceitável, porque situação mais difícil do que essa não poderá existir. Os abortistas sabem disso, e portanto precisam fazer de tudo para cativar as pessoas e fazê-las acreditar que, neste caso, o aborto é a solução mais perfeita e mais razoável, mais humana e mais sensata. Não surpreendentemente, o Jornal do Commercio aproveitou a reportagem já citada para fazer uma enquete sobre o aborto – em cuja vitória ele certamente confia – e divulgar um especial sobre o assassinato de crianças. “Uma mulher morre a cada três minutos no mundo por aborto inseguro; são 35  a 50 milhões de interrupções por ano; no Brasil, são mais de um milhão de abortos, entre espontâneos e provocados; (…) o aborto é a quarta causa de mortalidade materna no País”. Que primor de jornalismo sério e de imparcialidade!

Contra o blá-blá-blá, contudo, existe um pai, aqui em Pernambuco, que tem uma filha grávida, correndo risco com a gravidez, criança de nove anos de idade, violentada; mesmo com tudo isso, este pai é contra o aborto. Provavelmente nenhum dos abortistas que encontramos tagarelando por aí jamais passou por uma situação nem mesmo próxima dessa! No entanto, é o homem que sofre na pele tudo isso que tem a coragem de se dizer contrário ao assassinato de bebês. Que belíssimo exemplo! Rezemos por este pai, e rezemos pelas três crianças pernambucanas que estão no centro desta polêmica toda: a mãe e os dois gêmeos. Que Deus Se compadeça de nós, e que a Virgem de Guadalupe, padroeira das Américas e protetora dos nascituros, seja em favor das três.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 thoughts on “Exemplo comovente de um pai

  1. William Murat

    E tem gente que, se não se arrepender o quanto antes, irá para o inferno:

    http://oglobo.globo.com/pais/cidades/mat/2009/03/04/menina-de-9-anos-estuprada-por-padrasto-submetida-aborto-em-recife-754680349.asp

    “A menina de 9 anos abusada pelo padrasto em Alagoinha, em Pernambuco, e grávida de gêmeos, realiza aborto nesta quarta-feira na Maternidade Cisam, vinculada à Universidade de Pernambuco, no Recife. Segundo o diretor médico Sérgio Cabral, responsável pelo procedimento, os dois fetos já foram expelidos. A equipe médica deve realizar, até o início da noite desta quarta-feira uma curetagem, que deve durar cerca de 10 minutos. Segundo Cabral, o aborto em caso de estupro é legal. ”

    Rezemos por estas duas crianças que foram trucidadas a pedido de sua avó materna. Claro, como sempre, com o apoio de ONGs “humanitárias”… E também com o diagnóstico de um médico (médico uma ova! médicos não matam!) que pontificou que a menina não poderia levar a têrmo a gravidez. E o apoio da imprensa também… Enfim, os “suspeitos usuais”.

    Segundo reportagem, o pai da menina e a própria eram contra o aborto. Foi, enfim, uma violência sem par, como é todo aborto.

    Rezemos muito… E também por aqueles que se prestaram ao covarde papel de algozes de crianças inocentes.

  2. Emanuelle Carvalho Moura

    Triste: “expelidas”, falam como se fosse lixo, ou algo descartável.

  3. Steven

    Viva a menina!!! Foi libertada da gravidez indesejada!!!
    Chora, Jorgete!!!! Seu hipócrita patético!!!! A justiça triunfou!!! a sua igreja assassina e hipócrita que se lasque!!!

  4. André Víctor

    Pucha vida!!! (sic!)

    Senhor, tenha misericórdia de nós…

    Cristo, tenha misericórdia de nós…

    Senhor, tenha misericórdia de nós.

    Acolha, Senhor,… estas pobres vidas que tu a gerastes como sendo a tua imagem e semelhança…

    Rezemos em desagravo…

    André Víctor

  5. Pingback: Cronologia de um assassinato « Deus lo vult!

  6. Demerval Jr.

    Steven, o palhaço vespertino, não quis entender que essa gravidez era DESEJADA pela menina-mãe, APOIADA pelo pai/avô e REPROVADA pela calhordagem de plantão, tipo o palhacinho aí de cima…

    Biltre mesquinho…

  7. Roberta

    É muito triste saber que tudo isso foi permitido, morre o menino João Hélio e o país fica comovido, morre a menina Isabela Nardoni e o país mais uma vez se comove (Com razão pois foram crimes inacreditáveis!) Agora são assassinadas duas crianças do ventre de sua mãe e alguns vibram de felicidade! É triste demais isso, meus olhos se enchem de lágrimas, eu seria capaz de adotar esses gêmeos caso fosse impossível para essa menina criá-los, acredito que muitas pessoas também devem ter pensado isso, mas não era impossível pra ela não!!! Porque pra Deus NADA é impossivel!
    Não é possível que as autoridades não façam nada pra salvar vidas como essas! Gente! Que cegueira tão grande é essa desse povo que não vê que dessa forma a carnificina em nosso país só aumenta!!! Precisamos de ajuda!

  8. Luiza

    Os médicos salvam mais uma vez uma vida!!!
    Parabéns!!
    Uma menina de 9 anos volta a viver!

    Ah! O estuprador também é imagem e semelhança de Deus? socorroooooo!!!

  9. Luiza

    E o pai é de Igreja Evangélica… não poderiamos esperar outra opinião dele…

    Afinal ele ja comprou o pedacinho dele no céu e “Deus” não devolve o dinheiro, como poderia ele ñ apoiar tal gravidez(?)!

  10. Sidnei

    Os médicos salvaram uma vida tirando duas, isto é para dar parabéns?, JESUS disse que o diabo só vem para matar, roubar e destruir, o que fizeram foi justamente o que o pai da mentira tanto adora fazer, mataram e destruíram duas vidas em curso, eram filhos de DEUS feitos a sua imagem e semelhança, não importa se foram gerados por estupro, decorrente de um adultério ou uma fornicação mas deveriam ter sidos acolhidos por todos, pois este é o mandamento do SENHOR, amar até mesmo aqueles que não seriam dignos de serem amados, inclusive este estuprador, que também é filho de DEUS, porém deformado pelo pecado, deverá merecer uma punição mais severa por parte da lei, que ao meu entender neste pais é muito branda com relação aos estupradores, porém, isto não quer dizer que ele não mereça a misericórdia divina, se por acaso ele vier se arrepender do mau que ele fez, pois esta é a lógica divina, incompreensível para o mundo de hoje mais os pensamentos de DEUS nunca foram iguais aos nossos, portanto, o julgamento quanto a salvação eterna pertence a ELE e só ELE sabem quem se salvará ou não inclusive o padrasto desta garota, e quanto ao pai dela ser evangélico e não ter aceitado o aborto, vergonha para nós católicos, pois se fosse o pai da garota católico seria o primeiro a querer tirar a vida deste dois inocentes, para ver o quanto anda a situação dos católicos deste pais e do mundo, uma lastima.

  11. Maria

    quando li a notícia.. fiquei chocada e até pensei q esse caso era realmente muito extremo.. puxa vida.
    tenho uma filha de 10 anos.
    e comecei a refletir.
    pensei na menina.. como se ela fosse a minha filha.
    o que eu, como mãe, ia preferir para ela?
    fazê-la abortar, e deixá-la com o trauma do estupro (que já é uma coisa horrenda) e ainda por cima, com o remorso de ter matado duas crianças, seus próprios filhos?
    ou fazer tudo que fosse humanamente possível para ajudá-la a ter as crianças, que seguramente lhe darão muitas alegrias e inclusive a ajudariam a se livrar das lembranças monstruosas do estupro que viveu?

    hoje em dia, com os avanços da medicina, creio q seria possível sim levar a termo uma gravidez dessa.. podia ser induzido um parto prematuro.. os médicos poderiam responder essa questão melhor q eu.

    agora viver o resto da vida sabendo que assassinou os próprios filhos, porque foi exatamente isso que aconteceu..

    e para nós cristãos e tementes a Deus, temos ainda a certeza de que.. se Deus permitiu a concepção, com certeza daria os meios para que tudo saísse da melhor forma possível.

    parabéns ao pai da menina, pela mostra de confiança inabalável no Senhor! um exemplo para todos nós!

    abraço

  12. Ivan Fassheber Jr

    Que moral é essa que a igreja católica tem? É uma MENINA, uma CRIANÇA que teria sua vida em risco se continuasse com a gravidez..parabéns aos médicos por mais uma vida salva….

  13. Sidnei

    A moral da Igreja Católica é a moral de CRISTO, é uma MENINA, sem dúvida, mas as duas crianças que traziam em seu ventre eram o que?, lixo?, não disse JESUS que deveriam vir a ELE suas criançinhas porque é delas o Reino dos Céus?, seja elas geradas por meio de um casal abençoado pelo sacremento do matrimônio, ou por um ato de adultério, fornicação ou estupro.

  14. Roberta

    Glória a Deus por todos aqueles que ainda são tementes a Deus!!!

  15. jorgearruda

    Concordo totalmente com vocês, é uma ofensa a Deus esse aborto, Um deus que gosta tanto das criancinhas!
    É verdade, essa menina não deve abortar, se ela tiver sorte, seus filhos podem vender chiclets no semáforo para conseguirem comprar o pão de cada dia. Quando ela ficar mais velha, pode se prostituir, ou vender drogas para comprar o material escolar dos filhos. É obvio que deus vai providenciar uma casa confortável, uma família estruturada, uma boa educação numa escola fora da periferia, isso é claro se a MENINA DE 9 ANOS não morrer no parto, ou ficar com alguma sequela!

  16. Ivanildo Silva

    É realmente incrível o que a falta de conhecimento de causa nos leva como jornalistas e formadores de opinião, a distorcer os fatos. O Arcebispo não excomungou ninguém, já que a excomunhão para este tipo de delito contra a doutrina da Igreja é automática.

    Muito boa a postagem e tomo a liberdade de divulgar um link para que se compreenda mais a relação Aborto X Excomunhão – independente de convencer o leitor, tem o caráter explicativo do que pensa a Igreja:

    http://ivanildosilva.blogspot.com/2009/03/aborto-x-excomunhao.html

    Apesar de que tudo já foi dito aki

  17. Raquel

    A vc Maria, com certeza não é se quer capaz de imaginar um estupro,admiravel é a sua ingenuidade em achar que tais crianças poderiam trazer alegria,são marcas,pesadas de mais para se carregar ter uma vitima de estupro em sua vida e ainda sua filha e + condenala a suportar as dores e riscos ñ é um pouco d+? Que moral tem este pai,que ñ pode atender os anseios de sua familia e separou-se,que evangelico é este homem?onde ficou a”uma só carne”onde,onde está a biblia dele e que biblia é essa que diz fruto de estupro,É querido quem é vc que nem se quer cria sua propria filha???È muito facíl querer condenar esta mãe quando vc não foi capaz de ser pai….

  18. Mario

    O pai da menina nem morava com ela , não cuidava dela mas queria dar palpite sobre se abortava ou não por causa da fé dele num zumbi judeu homossexual que vivia cercado de [CENSURADO]. Abençoado seja.