Incrementando o dossiê

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 14 dias atrás.

Só para não perder o costume:

Nota pública do “Grupo Curumim” – ONG que milita a favor do aborto e exerceu papel crucial na obtenção da autorização dos pais para que a criança de nove anos abortasse – sobre os acontecimentos dos últimos dias.

Médico que realizou aborto é aplaudido em Brasília: o sempre inacreditável oportunismo do Ministro da Saúde, José Temporão, que aproveitou mais uma vez para aludir ao necessário “reconhecimento do aborto como problema de saúde pública”.

Aborto e Excomunhão: católicos envergonhados: no blog do Ricardo Kotscho, incrivelmente movimentado, contendo um bom compêndio das maiores besteiras sobre o assunto que foram proferidas por indignados “católicos” e não-católicos nos últimos dias.

Estupro não é licença automática para o aborto, um raro texto que – ao contrário dos demais citados neste post – merece divulgação pelo que tem de positivo, mostrando como no Código Penal Brasileiro “não exclui a criminogênese e a tipicidade dessas condutas [aborto supostamente “terapêutico” e aborto no caso de estupro], senão apenas exclui a punibilidade que a elas estaria, noutros termos, recomendada juridicamente” – uma distinção importantíssima e que é amplamente ignorada nos nossos dias.

O despertar da Primavera, texto do Pedro Sette Câmara, questionando a existência da excomunhão devido à (possível) ausência das condições necessárias para que ela se configurasse como tal [quanto a isto, caberia alguns comentários que, por falta de tempo, deixo, no entanto, para alguma outra oportunidade].

O presidente Lula – o católico! – critica a Igreja e propõe um “Dia de Luta contra a Hipocrisia”, provavelmente por algum desejo secreto de promover um evento de auto-homenagem do qual ele seria de longe o mais destacado expoente.

Uma carta aberta a Dom José, escrita por Max Wolosker Neto, pérola de uma pessoa que consegue, na mesma carta, afirmar “há muito deixei de ser católico” e “[v]enho por intermédio desta solicitar, também, minha excomunhão”.

Pois é. É melhor ler besteiras do que ser analfabeto…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

5 thoughts on “Incrementando o dossiê

  1. Julie Maria

    A minha vizinha (que eu converso pela janela, uma na frente da outra) disse, quando eu comentei este post para ela:”não sei do que você tá falando Julie”. Eu disse tentanto detalhar mas não tanto, pela criança do lado dela.. “d caso da menina grávida… como a Igreja é atacada…”.

    Resultado: Ela não vê TV. Está muito bem ocupada sendo excelente esposa, mãe de dois filhos e dona de casa. Ela está construindo a civilização do amor.

    Bendito seja Deus por pessoas como ela. Não sabem deste caso, e MESMO sem saber, está curando as feridas deste sociedade doente.

    PAX

    Julie Maria

  2. Renato

    Acabei de ver o Jornal da Band. O reporte que estava fazendo a matéria quis saber a opinião de representantes de outras religiões!

    Bom , eu só quero comentar a opinião do ”pastor” protestante da assembléia de deus (com letras minúsculas), Jabes de Alencar.

    Este ”homem de Deus” apoiou a morte dos fetos para ”preservar a vida da criança”!

    Não escutei muito bem a opinião dele, mas ele (o ”pastor”) apoiou a ”pregação” da mídia anti-católica!

    Engraçado: Esses protestantes são os mesmos que gostam de dizer que são perseguidos pela imprensa (!), mais o que mais eles tiveram nos últimos anos foi espaço na imprensa!

    A minha pergunta é: Porque ainda tem católicos que chamam os protestantes de irmão separados?

  3. Fernando

    É preciso mesmo conhecer a pena para ser excomungado, como diz o Pedro Sette? Ou basta saber que a Igreja proibe o aborto? Pensei que era necessário apenas ter consciência de que se está fazendo algo condenado pela Igreja.

    Se for necessário conhecer a pena, então praticamente ninguém, hoje em dia, cai nessas excomunhões da Igreja. Mesmo com a intervenção pública de dom José, a maioria das pessoas continua ignorando que a excomunhão é automática.

  4. Marcelo

    Jorge,
    nem tudo é perdido. Veja a nota do Curumim: elas dão um dado do ministério da saúde – mais de 10 mil crianças entre 10 e 14 deram à luz entre 2000 e 2006. Ou seja, elas mesmo admitem que a gravidez da menina de 9 anos não era assim de risco tão elevado. Quanto ao Kotscho, pobre coitado, ele ainda precisa explicar a sua passagem pelo governo Lula e como conseguiu ficar lá sem saber nada sobre o dinheiro que ia e vinha a bordo de cuecas e outros meios heterodoxos.
    Sds.,
    de Marcelo.

  5. Sidnei

    Renato, de fato há muitos protestantes que preferem se aliar ao diabo do que dizer que a Igreja Católica estava certa,porém nem todos são assim, não podemos generalizar, li um comentário no blog do José Roldão Fidei Depositum, de Hélio Angotti Neto que é presbiteriano e sinceramente fiquei surpreendido das coisas que ele falou, ele falou coisas que vários católicos não se tocaram e nem tem mais vergonha na cara para falar o que este evangélico ligado a uma igreja protestante história no caso a Presbiteriana falou, de fato estamos diante de um grande contra censo.