Lula e o aborto

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 13 dias atrás.

Recebi, hoje, por email, uma notícia do Terra com a chamada “Lula critica Igreja e propõe dia contra a hipocrisia”. Nem li. Não, quando se trata do Presidente da República, do alto de sua sabedoria nossa velha conhecida, eu tinha de ler o que ele tinha dito, com as suas palavras. O discurso deu-se na abertura do Seminário “Mais Mulheres no Poder: Uma Questão da Democracia”, e a íntegra todos podem conferir no site da Presidência. A parte que nos interessa, e aqui reproduzo, é a parte em que o presidente comenta o lamentável caso de aborto aqui em Pernambuco. Pois bem, terminado o exórdio a essa obra de sabedoria suprema… aí vai:

“Recentemente, vocês viram aquele problema da menina de Pernambuco, que engravidou.  Vocês viram? [Há! Viram mesmo? O problema da menina já não mais é ter sido estuprada, mas estar grávida] É mais do que absurdo. Como é que se pode proibir a medicina de cuidar de uma menina que ficou grávida indevidamente? [Olha, eu nunca vi gravidez ser tratada como doença, mas mesmo considerando-a assim, alguém aqui quis impedir os médicos de prestar-lhe assistência? Eu só queria que a medicina tivesse cuidado também dos bebês!]Eu fui questionado porque no Carnaval, eu estava no Carnaval, o Temporão apareceu lá, ele e a equipe de Saúde, distribuindo preservativos. E eu joguei preservativos. Ora, eu não posso, como pai e como presidente da República, fingir que distribuir preservativos é ruim. [Opa! Então quer dizer que o pai agora já não pode mais negar que a distribuição de preservativos é ruim!] Quem sabe o que significa a Aids, quem sabe o que significa a doença, tem mais é que levantar a cabeça e falar: “o governo tem que tratar dessas coisas, sim”. [Opa, aqui eu fico em dúvida se o presidente errou a preposição e quis dizer “tratar essas coisas”, se referindo a AIDS, ou se em algum sentido quase perdido no meio da frase mal construída ele quis dizer que o governo tem de falar disso… Sei lá! O que eu sei é que ninguém no mundo — acho eu, talvez algum lunático seja uma exceção — acha que o governo não deve tratar a AIDS ou tratar da AIDS. O problema é o “como”]

Se perguntarem para mim: “Lula, você, homem, é contra ou a favor do aborto?” Eu falo: como cristão, eu sou contra o aborto – poderia dizer. Agora, como chefe de Estado eu tenho que tratar como uma questão de saúde pública. Não pode ser diferente.” [“Ai, Amara! Jogasse o sabonete, pegou na minha cara!” Mais liso, impossível. Lula, então, tem três pessoas. Eu sempre achei que endeuzavam o presidente, especialmente depois que construíram um parque aqui em Recife em homenagem à Lindu, sua mãe, sendo que ela sequer morou em Recife. O mérito de Lindu é ser mãe de Lula, e o parque lhe é merecido pelos méritos do seu divino excelentíssimo filho! Aqui Lula, homem, cristão e chefe de Estado tem três posições sintomáticas:

Quando perguntam ao homem Lula, o homem Lula responde como cristão, sem antes de terminar fazer a ressalva de que “poderia dizer”. Óbvio, o homem Lula não pode se comprometer com a posição cristã do cristão Lula! Então, o homem Lula diz que o cristão Lula poderia dizer que era contra o aborto. Ok. Mas o presidente Lula — como é da essência do seu gênero, os políticos, ser escorregadio — diz que tem que tratar como uma questão de saúde pública.

Recapitulando: o homem Lula, que nada fala de si mas fala pelos outros, diz que como cristão Lula poderia dizer que é contra o aborto (sabe-se lá o que isso significa “poder dizer ser contra o aborto”), mas como presidente é uma questão de saúde pública. Ora, eu, Erickson, indivíduo uno, sou contra o aborto e também acho que é uma questão de saúde pública… Uma questão de saúde dos bebês, saúde psíquica da mãe que aborta e de a saúde mental da população que parece ser emburrecida a ponto de engolir um absurdo desses!

Não pode ser diferente…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Tagged on: , , ,

10 thoughts on “Lula e o aborto

  1. André Serrano

    Erickson, nunca na história deste país houve um presidente tão hipócrita como o Lulla.

  2. Rodrigo Ruiz

    Se esse senhor, que por infelicidade, (acha que) governa o Brasil considera-se um cristão, certamente, banalizou-se o conceito de cristianismo.

  3. Roberto Bettoni

    Erickson

    Captei a intenção de Lulla.
    Teremos o dia contra a hipocrisia, e os demais dias do ano todos eles continuam sendo hipócritas.

  4. Julie Maria

    Como alguém deste nivel chega à Presidência?… Talvez por isso eu tenho imensa dificuldade de ser patriota.

    Ah que falta faz um governo ÉTICO, decente, e moralmente normal. Vamos rezar, este inferno não pode continuar com mais um mandato!!!

    É uma geração inteira sendo depravada nas escolas de aula!!! Não temos nem idéia do que isso nos trará como consequências…

    Que Deus tenha misericórdia e nos ajude a fazer um impeachment. Se ele está desobedecendo a nossa Constituição, não temos condição de fazer um?

    Julie Maria

  5. vanderley

    Só falta 1 ano e (quase) 9 meses.

    Tem um lado positivo muitos, na Igreja, que flertavam

    com o Lulla, já descobriram a surucucu, destilando o seu

    veneno.

    Antes tarde do que nunca !.

  6. Carlos

    É isso aí, Vanderley, tá acabando…
    O problema é que, depois dele, parece que vem o tal José Serra, outro abortista fanático. Que pena!

  7. presentepravoce

    Não se esqueçam que a dona Dilma vem aí….

    Agora faz proselitismo em nosso meio

    Foi até o Papa apertar sua mão…

    Será que o Papa sabia quem era aquela mulher ?

    Foi na canção nova …

    Marcaram com Lula e a Dilma é que apareceu cumprindo o compromisso !

    Vê se pode isto agora !

    Colocou até o véu, para ficar mais parecida com Católica e é claro que a presidente Dilma será bem pior que o Pai Lula.

    Se Lula joga camisinha do camarote da Sapucaí, o que ela poderá distribuirr para o povo ?

    Quem vê cara não vê coração, depois não adianta reclamar !

    Paz

  8. João Antonio

    Presentepravocê,

    E o senhor viu que tipo de católicos está promovendo a dona Dilma?

    Carismáticos da CN, Pe. Marcelo et caterva… Parece que ele e o Pe. Fábio de Melo estão em um concurso para ver quem nos envergonha mais.

    É meu caro, a coisa vai de mal a pior, quem viver verá…

  9. Eduardo Araújo

    A Dilma e o resto do antro mal conseguem disfarçar o objetivo politiqueiro dessa aproximação com a Igreja.

    O pior é que certamente muitos católicos desinformados votarão nessa senhora, que é tão “católica” como o são as “católicas” pelo direito (fajuto) de decidir (assassinar seres humanos indefesos no ventre materno).

    Com ela, podem ficar certos, o sinistro da (falsa) saúde ou continuará sendo o Temporão dos diabos ou outro(a) abortista feroz, tipo aquela candura Jandira Feghali.

    Eles não descansarão enquanto destruirem a família e a Igreja, maiores obstáculos (vide Marcuse, Adorno, Horckheimer e Gramsci) à infestação marxista total.

  10. Pingback: Quem não sabe se autogovernar, não está apto para governar uma nação « Julie Maria