Comentando um comentário

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 6 dias atrás.

O sr. Nelson Gomes deixou um extenso comentário aqui ontem à noite, sobre assuntos os mais diversos, mas que podem ser resumidos à eterna lenga-lenga que os filhos de Lutero não cansam de vomitar contra os filhos de Deus. Cumpre dar algumas respostas – rápidas, mais verdadeiras – ao protestante.

Estudando a Babilônia verifiquei que as raízes de certas religioões são babilônicas. Uso de velas, imagens, ramos de vegetais, adoração à vários deuses (politeismo), inimizade com os monoteistas, comunicação com os mortos ( fazer petições a quem está morto).

A despeito de não dar nome aos bois (em atitude inclusive bem covarde, diga-se de passagem), o sr. Nelson provavelmente está se referindo à Igreja Católica. Contra isso, vale dizer que

  1. quanto às velas, os próprios judeus já as utilizavam;
  2. quanto às imagens, idem;
  3. quanto aos “ramos de vegetais”, não faço idéia do que ele esteja falando;
  4. quanto à “adoração à (sic) vários deuses”, a Igreja condena o paganismo e a veneração aos santos não se confunde com o politeísmo;
  5. quanto à “inimizade com os monoteistas”, tampouco faço idéia do que ele esteja falando;
  6. quanto à comunicação com os mortos, a necromancia é proibida pela igreja, mas não os pedidos de intercessão aos santos de Deus.

Note-se que são despejadas em profusão as montanhas de calúnias baratas, de insinuações maliciosas que, sem acusar diretamente (dada a impossibilidade de se sustentar honestamente as acusações diante dos fatos), servem no entanto de rótulo negativo (gratuito, é sempre bom frisar) à Igreja Católica já no começo do comentário, predispondo o leitor a olhar com antipatia para Ela. Mas não vou perder meu tempo na refutação destes ataques que já estão caducos de tão velhos, e cujas respostas podem ser facilmente encontradas à profusão por quem tiver boa vontade. Vamos ao resto do comentário do sr. Nelson.

Veja a imagem de JESUS na cruz ensanguentado. Você teria a imagem de um ser querido seu, de um filho, um pai, uma mãe, etc. numa situação dessas?. Será que DEUS gosta? Principalmente porque ELE proibiu imagens?

Sabe quem gosta de tal imagem? Quem gosta é o diabo. Esta imagem representa o momento agradável para o diabo. quando ele viu o FILHO DE DEUS sendo humilhado e torturado numa cruz.

Já comentei aqui em outra ocasião sobre a repulsa à Cruz de Cristo. Vale, no entanto, lembrar mais uma vez que nós, católicos, “pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos; mas, para os eleitos – quer judeus quer gregos -, força de Deus e sabedoria de Deus” (1Cor 1, 23-24). Vale também lembrar que a Cruz de Cristo é a nossa Glória e, à semelhança do Apóstolo, cada católico sempre se esforça para dizer também: “não pretendo, jamais, gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gl 6, 14). A Cruz é o Trono de Cristo, é a Sua – e nossa! – vitória sobre o pecado e sobre a morte. O diabo tem horror à Cruz. Não é de se espantar, portanto, que os seus filhos também não suportem a imagem de Cristo Crucificado.

Nós evangélicos sabemos que JESUS está vivo e que todo poder, toda honra e toda glória foram entregues a ELE por seu PAI.

Nós, católicos, também sabemos isso, e sabemos mais e melhor do que estes que se dizem “evangélicos” mas não seguem o Evangelho de Nosso Senhor.

Por isso damos a ELE a glória merecida

Mentira, não dão. Os protestantes não têm a Santa Missa e, portanto, não oferecem a Deus o Sacrifício Perfeito do qual Ele é digno.

Não damos glórias as criaturas.

E, por isso, afastam-se de Nosso Senhor, que disse a Deus Pai: “Neles [nos Apóstolos] sou glorificado. (…) Dei-lhes a glória que me deste” (Jo 17, 10. 22). A glória dada aos santos – obras de Deus – redunda na glória a Deus, Autor das obras, em Quem os santos são santos. Na verdade, os protestantes “desconhecem os segredos de Deus, não esperam que a santidade seja recompensada, e não acreditam na glorificação das almas puras” (Sb 2, 22).

Não adoramos Maria mãe de JESUS, ela é santa, irá morar com DEUS.

Maria é Santíssima e já mora com Deus, de Quem Ela nunca Se separou.

E nós também não adoramos Maria, óbvio. Nós A veneramos.

Mentem quem diz que não amamos a Maria. Ela é nossa irmão e iremos morar com a mesma quando JESUS CRISTO vier buscar os salvos que desprezaram a idolatria e os costumes pagãos.

Aqui, está uma das maiores e mais perniciosas mentiras dos filhos de Satanás. Dizem eles que amam a Maria; acontece que se recusam a manifestar-Lhe este seu “amor”.

A Virgem Santíssima disse: “desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Lc 1, 48b). Os ditos “evangélicos” recusam-se a proclamar a bem-aventurança de Maria Santíssima, e isso é ofendê-La, pois é negar-Lhe algo que Lhe compete por direito.

A ofensa direta não é a única ofensa possível. A indiferença também é ofensa. Se tratarmos a nossa mãe, por exemplo, como tratamos qualquer outra mulher, isso é ofensivo à nossa mãe, porque ela merece ser honrada pelos seus filhos. Se chegarmos diante de uma rainha ou outra autoridade terrena qualquer e agirmos como se ela não estivesse presente, como se ela fosse “qualquer mulher”, isso também é ofendê-La. Se, diante de nossa mãe natural ou de alguma autoridade terrestre, não ousaríamos negar-lhes aquilo que lhes compete por direito, como poderemos negar à Mãe de Deus e nossa também, à Rainha dos Céus e da Terra, a veneração à qual Ela tem direito, a honra da qual Ela é digna? Como alguém pode tratar com uma solene indiferença (que esconde um secreto desprezo) a Virgem Santíssima e, mesmo assim, abrir a boca para dizer que não A ofende e, ao contrário, ama-A?

Todos os protestantes, todos, sem exceção, ofendem a Virgem Santíssima, ofendem a Mãe de Deus e, por conseguinte, ofendem o próprio Deus. Por mais que eles neguem e por mais que digam que A amam – não amam, porque as suas atitudes [e sua falta de atitudes] demonstram exatamente o contrário. Que eles abram os olhos enquanto é tempo; quanto a nós, católicos, continuemos cantando as glórias de Maria Santíssima, a fim de que Deus seja glorificado em Sua Mãe Imaculada, a fim de que os pecadores se convertam, e a fim de que eles e nós – permita-o Deus! – alcancemos um dia a bem-aventurança do convívio dos Santos na Eternidade.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on “Comentando um comentário

  1. João C.

    Excelente resposta Jorge! Haja católicos a sério que defendem a verdadeira Doutrina, sem medo de desagradar a este ou àquele.

    Antes desagradar infinitamente aos homens que por pouco que seja a Deus.

    Omnes, cum Petro, ad Iesum per Mariam!

  2. Emerson

    Que lavada heim?

    É uma delícia para nós Católicos não é mesmo?

    Porque quanto maior a mentira, mais resplandece a verdade.

    Que Deus lhe guarde Jorge.

  3. Renato Lima

    Engraçado, o sr. Nelson e os protestantes, tem a mesma opinião dos defensores do ”Estado laico”!

    Tirando todos os crucifixos das instituições públicas, só querem com isso tirar a herença cristã (católica apostólica romana) do ocidente.

    Quanta semelhança com os maçons e a tal ”Nova Ordem Mundial”!

    Por falar em maçonaria, pelo que eu sei: O maçon só crescerá na hierarquia maçonica, se ele cuspir na cruz, com Jesus Cristo crucificado; caso contrário ele permanecerá sempre em um posto muito baixo na hierarquia.

    Eu não tenho mais dúvida. Os protestantes fazem parte desta tal ”Nova Odem Mundial”!

  4. Laerte Rodrigues

    SALVE A GLORIOSA E SEMPRE VIRGEM MARIA, MÃE DO VERDADEIRO DEUS E NOSSA MÃE!!!!! Parabéns por sua resposta. É hora dos filhos da luz darem um basta a esta torrente de blasfêmias que saem da boca de protestantes que não têm o mínimo de conhecimento de nossa santa fé católica.Salve Jesus no SS. Sacramento! Salve Maria!Salve o Papa! Salve a Santa Igreja Católica!

    Laerte

  5. Carlos

    Só umas perguntinhas a este herege miserável:

    Sr. Nelson Gomes,
    Qual e a seitinha vagabunda que o senhor freqüenta? É a do ‘bispo’ PEdir MAisCedo? Já pagou o dízimo? E a oferta, tá em dia? Cuidado! Vê se não atrasa!
    Talvez o senhor freqüenta aquela igrejola do ‘apóstolo’ hernandez e da ‘bisca’ mulher dele. Se for esta, cuidado com o telhado, que pode cair na sua cabeça oca a qualquer momento. Claro que não se perderá muita coisa, nem da igrejola, nem da sua cabeça, que é oca mesmo.
    Ah, já sei. O senhor deve ser pastor. É, porque falando tanta idiotice, com certeza já fundou o seu próprio chiqueiro protestantoso. Vou adivinhar até o nome do seu muquifo barulhento. Duvida? Aposto que é TERCEIRA IGREJA EVANGÉLICA DA NOVA ASSEMBLÉIA DA OITAVA TROMBETA DO ÚLTIMO JUÍZO DO GIDEÃO RETANGULAR. Acertei? Não??? Mas aposto que o senhor gostou do nome e vai já trocar a placa daquela cloaca que o senhor chama de igreja.
    Corre para não esquecer o nome! Tenho certeza que com esse nome pomposo vai chover de clientes, digo trouxas, digo IRMÃOS!!! na sua espelunca. Mas cuidado com o telhado…
    Carlos.

  6. João

    Jorge.
    Divergências a respeito do credo já derramaram sangue demais no mundo.
    Não compartilho das mesmas opiniões que você, mas acho a religião importante na formação moral das familias.
    Acho que a Igreja Católica tem muito a oferecer e não entendo a sua postura de só publicar artigos polêmicos, que geram reações de repulsa aos dogmas vigentes.
    Gostaria de visitar o seu blog e ver matérias que aproximem as pessoas da igreja, por enaltecer os seus pontos positivos.
    Você não vai conseguir converter ninguém pela força, assim como, ninguém vai conseguir abalar a sua fé com comentários irados.
    Se você usar o dom que Deus lhe deu, de escrever bem, da forma correta, ninguém te segura.
    Estou fazendo esta critica porque leio e gosto da forma como você escreve, mas não consigo mais ler os comentários sem ficar deprimido.
    Não transforme o seu espaço em um campo de batalha.
    Antes que alguém diga que o debate é valido pelas idéias expostas, afirmo que acho justamente o contrário, neste caso. Não consigo aproveitar uma linha sequer dos comentários, pois são uma sucessão de argumentações vazias, que visam somente rebater as opiniões contrárias.
    Isso tem nome, chama-se intolerância.
    Sei que a polêmica é útil para gerar visitas, mas peço que, de vez em quando, você escreva sobre assuntos mais leves. Os seus leitores pacíficos, como eu, vão agradecer.
    Abraço.

  7. Roberto Bettoni

    “ramos de vegetais”
    Pode ser que ele estivesse se referindo ao Domingo de Ramos.

  8. Lício Cataldi

    A ignorância protestante alcança níveis absurdos! É de se lamentar a ingenuidade e, muitas vezes, a malícia dos ditos “evangélicos” que se orgulham de repetir as mesmas tolices que vão ouvindo em suas seitas através da livre interpretação das Sagradas Escrituras e da negação de toda a Verdade que, muito antes do bêbado, glutão e promíscuo Lutero, já era ensinada pela Santa Igreja fielmente, conforme lhe foi transmitida pelo testemunho apostólico daqueles que viram, ouviram e aprenderam do Próprio Cristo. Pensam prestar um verdadeiro culto à Deus, mas o deus deles é o orgulho cego e a pertinácia na escuridão da ignorância.

  9. Felipe Coelho

    Ave Maria Puríssima!

    “…artigos polêmicos, que geram reações de repulsa aos dogmas vigentes.” (João, pacífico defensor da kantiana Religião nos Limites da Simples Razão).

    Sed contra:

    “Ah! é glorioso para a Igreja ter semelhantes adversários: e uma das grandes provas da verdade católica são os processos de polêmica de quantos a impugnam.”
    (Pe. Leonel FRANCA, S.J., Polêmicas. Rio de Janeiro: Agir, 1953, 2a. ed., p. 233)

    AMDGVM, FC

  10. Lampedusa

    Bom, se for para esse senhor desqualificar como verdade toda a similaridade do Antigo e do Novo Testamento encontrada nas religiões ancestrais (mesmo ficando só na babilônica) pouco sobraria do CRISTIANISMO e não SÓ DO CATOLICISMO.

    Em outras palavras, ou falta coerência ou sobra má fé nessas pessoas.

  11. Jorge Ferraz

    Caríssimo sr. João,

    Obrigado pelo comentário. Na verdade, “um campo de batalha” é precisamente a forma como eu idealizei este espaço e me esforcei para construí-lo; no post de abertura do Deus lo Vult! (já vai completar um ano… o que a gente faz pra comemorar, hein?), eu terminei com a seguinte frase:

    E que triunfe o Imaculado Coração da Virgem, Porta do Céu – Janua Coeli -, a quem é dedicada esta arena virtual.

    Portanto, uma arena, onde são travados debates pela Verdade, onde a Fé Católica e Apostólica é defendida, onde a Igreja de Nosso Senhor é exaltada – foi assim que pensei o Deus lo Vult!. Mas, mesmo assim, esta arena virtual às vezes se presta a outras coisas que não as polêmicas, e é muito fácil constatar isso: há escritos de santos, documentos dos papas, orações, poesias, coisas particulares, etc. Qualquer busca no blog revela isso.

    Sobre escrever sobre assuntos “mais leves”, “de vez em quando”, vou anotar a sugestão, pode deixar. Como eu disse (e, aliás, como eu sempre fiz), o blog também comporta esses assuntos.

    Obrigado, mais uma vez, pela manifestação.

    Abraços,
    Jorge

  12. Carlos

    Caro Jorge,
    Não caia na falácia do irenista e ecumênico João.

    Não foi realçando os pontos comuns e ignorando os erros das falsas religiões que a Igreja Católica converteu os romanos e os pagãos da europa e das américas. Foi o contrário. Os missionários nunca deixaram de polemizar e apontar os erros e falsidades do paganismo e do protestantismo.

    Depois, você apenas defendeu a Igreja do ataque desse protestante miserável chamado Nelson.
    E veja a contradição do João: ele reclama de você defender a Igreja, mas não reclama dos ataques agressivos, ignorantes e rasteiros do protestante Nelson.

    Pacífico João, se vc não gosta de polêmica e de luta, por que não vai ler a revista “Caras”, jogar paciência ou brincar de amarelinha com as criancinhas da sua vizinhança?

    Carlos.

  13. Assunção Medeiros

    A todos,

    Gostaria de dizer apenas que – além de concordar com cada linha que o Jorge escreveu – temos todos a obrigação de lutar pela Verdade.

    Jesus, aliás, não tinha tolerância alguma com a inverdade e o desrespeito a Deus. Caiu em cima dos fariseus e do Sinédrio sem nenhum medo, deu uma coça nos vendilhões do templo, bradava coisas desagradabilíssimas aos adormecidos judeus de seu tempo. JUSTAMENTE POR ISSO foi crucificado.

    João, passividade e falta de ação não é coisa de cristão. Tente o zen budismo.

    Força na batalha! Avante soldados de Cristo! A recompensa é o Céu!

    Sue

  14. Carlos

    Cara Sue,
    Tenho apreciado muito todas as suas intervenções.
    Seu estilo combativo, lógico e inteligente me agrada bastante e me faz pensar na grande Santa Joana D’arc. Sim, a senhora me faz pensar na camponesa guerreira que a seu tempo salvou a França. Ela combatia com a lança e a coragem, sob a proteção de Deus.
    A senhora também combate com coragem e com um raciocínio tão lógico que parece uma lança a perfurar os sofismas do adversário.
    Enfim, só queria registrar esse elogio, que é de justiça.
    Que Nossa Senhora e Santa Joana D’arc a conservem sempre assim.
    Carlos.

  15. João

    Jorge.
    Agradeço a consideração!
    Claro que o meu comentário anterior não tinha a finalidade de argumentar sobre o post em questão, mas acho que você entendeu que eu não estava defendendo o ponto de vista do Sr. Nelson Gomes.
    Ao Carlos e ao Assunção Medeiros eu só tenho uma coisa a dizer:
    Pior que errar é descobrir que estava enganado tarde demais.

  16. gregorio a.c

    Só eu que estou de SACOCHEIO! desse blahblahblah christianii? Prefiro SEXPISTOLS >” I am the antichrist”…

  17. roberto quintas

    creio que o bibliólatra está falando da procissão de ramos. compete a avisar ao energúmeno que os Judeus também empregavam folhas e vegetais em suas celebrações, como na celebração de Succot.
    o resto é briguinha de família…vocês que se entendam.