¡Protege mi vida!

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 5 meses 3 dias atrás.

[Traduzido do site da Conferência Episcopal Espanhola; trata-se de uma campanha produzida pela Conferência, em defesa da vida e que, segundo informações que me foram passadas, está deixando os socialistas furiosos.

Só um comentário: que santa inveja…]

A Conferência Episcopal da Espanha (CEE) põe em marcha desde hoje uma campanha de comunicação com o tema “Protege minha vida!”. A iniciativa se insere no contexto da Jornada pela Vida, que se celebrará no próximo dia 25 de março em todas as dioceses espanholas.

Anunciam-se mudanças legais que, caso se concretizem, darão lugar a uma situação na qual aqueles que estão por nascer ficarão ainda mais desprotegidos do que com a atual legislação. Ao mesmo tempo, parece que a aceitação social do aborto vai aumentando. Neste contexto, a Conferência Episcopal põe em marcha uma campanha de comunicação na qual se distribuirão os materiais habituais que se elaboram cada ano por ocasião da Jornada pela Vida (Notas dos bispos, cartazes e roteiros [guiones] litúrgicos) e, além disso, excepcionalmente, os cartazes serão colocados em outdoors [vallas publicitarias] e serão distribuídos livretos [dípticos] explicativos.

Concretamente, foram enviados 30.000 cartazes para paróquias e centros católicos de toda a Espanha, a partir de hoje e até o próximo dia 30 de março podem-se ver anúncias em 1.300 outdoors de 37 cidades espanholas, e começou-se a distribuir nas dioceses um total de 8 milhões de folhetos.

A campanha tem como protagonistas um ser humano e um lince. Em nossa sociedade, é cada vez maior a sensibilidade sobre a necessidade de se proteger os embriões de várias espécies de animais; as leis tutelam a vida dessas espécies em suas primeiras fases de desenvolvimento. Tudo bem que seja assim; no entanto, é paradoxal que a vida da pessoa humana que vai nascer seja objeto de uma desproteção cada vez maior. Por isso, nos anúncios aparece a pergunta: “e eu?”, entre o menino já nascido e uma série de imagens nas quais se mostram os diferentes estágios da vida humana em gestação. Trata-se de dar voz àqueles que não a têm, porém têm, sim, o direito de viver.

Essas iniciativas unem-se ao Ano de Oração pela Vida que está em curso desde o mês de janeiro último.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on “¡Protege mi vida!

  1. Renato Lima

    Jorge, eu estava dando uma olhada na internet, e descobri que o programa Canal Livre da protestante Rede Band, irá fazer um programêco amanhã sobre o aborto.

    Veremos até que ponte está emissora vai com a sua sanha contra a Santa Igreja Católica.

    OBS: Prestem atenção no comportamento de dois pseudos-jornalistas; Marcelo Parada e Fernando Mitre,… ambos anti-católicos.

  2. Renato Lima

    Jorge esqueci de avisar! O programêco Canal Livre da protestante Rede Band vai ao ar às 23h30 de domingo.

    Não é preciso ser uma pessoa inteligente para saber que eles irão atacar a Santa Igreja Católica: Por isso temos que nos preparar para mandar em cartas e emails protestos condenando a atitude desta emissora protestante.

  3. Matheus

    Prezado Renato

    Não creio que seja justo de sua parte faltar com o respeito aos bispos, ou dizer que “não estão nem aí” para a questão do aborto, o que evidentemente não é verdade. O problema é que eles lamentavelmente, ao mesmo tempo em que combatem o aborto, continuam a apoiar os mesmos políticos socialistas que o promovem.
    Não sei se ficar apenas choramingando e xingando adianta alguma coisa; pergunto-me se talvez nós católicos mais fiéis não devêssemos ser mais presentes em nível paroquiano e diocesano, para contrabalançar a presença maciça dos ignorantes/infiéis.

  4. Jorge Ferraz

    Esteban,

    A Igreja nunca prometeu “proteção contra a violência”. Existe livre-arbítrio na Criação, e o mundo no qual vivemos é – como rezamos todos os dias, na Salve Rainha – um vale de Lágrimas. Deus não existe para livrar-nos do sofrimento, e sim para dar sentido ao sofrimento. E este sentido foi encontrado, p.ex., pelos homens e mulheres que se entregaram voluntariamente ao martírio nos primeiros anos da Era Cristã. E é encontrado ainda hoje, por cada cristão, diante de cada adversidade, de cada cruz, de cada sofrimento, de cada dia.

    – Jorge

  5. Luciano Perim

    Deus te abençoe Jorge. Bela resposta.

    Eita… Esteban…aprendeu menino ?

    Luciano

  6. Esteban

    Imagina se fosse você a vítima do bandido. Logo você um devoto de Deus!! Que Deus é este que não protege seus filhos??? Sentido ao sofrimento?? Então porque algumas vivem bem e outras mal?? Não seria lógica todas sofrerem?

  7. vanderley

    Vive mal e sofre aquele que “abandonou” ou dá “às costas”
    para Deus.

  8. João Cadete

    E esta declaração de que a Igreja aceita o aborto terapêutico?

    http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2009/03/21/Mundo/Vaticano_desmente_rejeicao_do_Pap.shtml

    Ou a noticia é falsa, ou o agora o Papa precisa de tradutores…

    Sinceramente, não percebo como essa ideia estúpida do “aborto terapêutico” apareceu.

    Sendo enfermeiro, já na faculdade aprendi isso e achei uma perfeita idiotice. Aliás, deixei essa pergunta com resposta em branco numa das frequências.

    É um insulto à inteligência de qualquer um perguntar em que situações é permitido matar uma pessoa, salvo em legitima defesa…e que eu saiba um bebé nunca ameaçou ninguém!

    É triste que ainda haja pessoas tão preversas e tão ignorantes que nem se apercebem das besteiras que defendem…

    São umas tristes…

    Omnes, cum Petro, ad Iesum per Mariam!

    Um abraço de Portugal, Terra de Santa Maria!

  9. Pingback: Declaração de Madrid « PALAVRAS APENAS…

  10. roberto quintas

    novamente, mais uma propaganda tendenciosa e coercitiva patrocinada pela Igreja.
    o aborto é feito em alguns casos extremos e acometem a fetos, não a bebês formados.
    mas já que compararam um bebê a um animal, por que não colocam coleiras em seus bebês?

  11. sheyck

    Roberto Quintas,
    Só porque seu pai colocou coleira em você, quando era pequeno, fazendo com que você ficasse com esse raciocínio animalesco, você agora quer que todo mundo coloque coleiras nos bebês. Nada Disso. Coleira é só para animal mesmo, como você.

  12. roberto quintas

    caro sr sheyck, se o sr não sabe argumentar, não apele para o ad hominem.
    apenas mostra o quanto os católicos são desequilibrados.

  13. sheyck

    roberto quintas,

    “mas já que compararam um bebê a um animal, por que não colocam coleiras em seus bebês?”

    E você, com esse “coice” aí, pensa que sabe argumentar?
    E só você pode apelar para o ad hominem?
    Conselho de amigo: tente se equilibrar só em duas patas e quem sabe você começa até a raciocinar.

    Sheyck

  14. roberto quintas

    caro sr sheyck, a comparação está sendo feita pela propaganda, não por mim. se o sr tem alguma reclamação, faça-a ao Papa. eu simplesmente fiz uma assertiva cabível diante de uma propagandda tão abusiva, tendenciosa e coercitiva.
    eu espero um pedido de desculpas formal de sua parte, primeiro por não ter se esforçado em ler e interpretar meu texto e em segundo por ter recorrido ao ad hominem na falta de argumentos.

  15. Sheyck

    Roberto Quintas,
    Foi você que baixou o nível fazendo uma pergunta tão agressiva. Se você não entendeu a propaganda, interpretando literalmente uma figura, então não exija que eu interprete benevolamente a sua maldade.
    Está esperando um pedido formal de desculpas? É melhor se sentar…
    Sheyck.