Ainda o Papa e os preservativos

closeAtenção, este artigo foi publicado 5 anos 7 meses 28 dias atrás.

Para a mídia tupiniquim, o Papa “distorce fatos sobre preservativos”. Cita-se, com muita pompa, a “respeitada revista médica Lancet” para dizer que o Papa vai na contramão da ciência e – ainda mais! – que precisaria “se retratar” (parece que agora virou moda exigir retratações) por ter tido a ousadia de questionar a borracha salvadora da humanidade:

“Quando qualquer pessoa influente, seja um líder religioso ou político, faz uma falsa declaração científica que pode ser devastadora para a saúde de milhões de pessoas, ela deve se retratar ou corrigir os registros públicos”, disse o editorial.

O que não sai na mídia tupiniquim – óbvio – é o pronunciamento de Edward Green, diretor da AIDS Prevention Research Project at the Harvard Center for Population and Development Studies, que concorda integralmente com o que falou o Papa Bento XVI. Segundo ele:

“Há”, Green acrescenta, “uma associação consistente mostrada por nossos melhores estudos, inclusive o U.S.-funded Demographic Health Surveys, entre maior disponibilidade e uso de preservativos e uma maior (não menor) taxa de infecção por HIV. Isto pode ser em parte graças a um fenômeno conhecido como compensação de risco, o que significa que, quando alguém usa uma ‘tecnologia’ de redução de risco (como camisinhas), com freqüência este benefício (da redução do risco) é perdido por [este alguém] ‘compensar’ ou ‘assumir’ maiores riscos do que alguém assumiria sem a tecnologia de redução de risco”.

Curioso, não?

Ah! Outra coisa: os bispos dos Camarões deixaram claro que as declarações do Papa Bento XVI, ao contrário do que foi noticiado, não provocaram nenhum mal-estar no país africano. E acusaram o Ocidente de “desinformar” sobre a visita do Papa…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

45 comentários em “Ainda o Papa e os preservativos

  1. roberto quintas

    meninos e meninas, sabem porque não se citam esses trabalhos que falam da possível “falha” no preservativo? porque não forma comprovados ou testados por outros laboratórios.
    essa é a grande diferença entre o a palpitologia e a ciência.

    ao Assunção, eu peço que releia esse trecho:
    o meu raciocinio é evidente: a Igreja é uma instituição espiritual, devia cuidar das coisas espirituais. [b]então os sres afirmam que não são maduros e/ouresponsáveis o suficiente para conduzirem suas vidas sexuais sem a inferência/interferência de uma instituição religiosa. não é de se espantar que tantos tem que ir consultar um terapeuta.[/b]

  2. Carlos

    Roberto Quintas,
    Você está cada vez mais ridículo.

    “meninos e meninas, sabem porque não se citam esses trabalhos que falam da possível “falha” no preservativo? porque não forma comprovados ou testados por outros laboratórios.
    essa é a grande diferença entre o a palpitologia e a ciência.”

    E isso é um palpite ou não? E essa sua frase foi comprovada em laboratório? E você tem provas laboratoriais de que possui cérebro? (Então traga provas de pelo menos três laboratórios de que você tem cérebro e que esse cérebro funciona. Claro que você não vai conseguir, porque no primeiro laboratório já lhe mandarão para o sanatório. Lá você vai encontrar muitos colegas que também se acham mais sábios que os cientistas e historiadores, mas que não passam de doidinhos, como você).

    Sim, considerando as coisas que diz, vou propor ao Jorge que só aceite a sua participação nos debates depois que você provar que não é doidinho (como essa prova é impossível, nos livramos de você).
    Adeus, doidinho!
    Carlos.

  3. André Víctor

    Demerval Jr.!

    Se ‘Jesus… é o jardineiro. E as árveres samos nósis”, então, a conclusão do Sr. Carlos nos é bastante pertinaz não acha?!! (rs) Principalmente para o Roberto Quintas! (rs)

    “Você queria que a Igreja se intrometesse na vida de quem? das árvores?”

    Agora sim, ta certo!!! (rs)

    André Víctor

  4. roberto quintas

    sr Carlos, sua desonestidade e má-fé é típica de um fundamentalista. o sr não argumentou nem refutou coisa alguma. só sabe ficar no ad hominem.

    ps: desculpem meus erros de digitação.

  5. Carlos

    Roberto Quintas,
    Seus erros de digitação são o de menos.

    Graves são seus erros de lógica e sua falta de honestidade.
    Você disse que os trabalhos científicos que provam as falhas dos preservativos não são citados porque não foram testados por outros laboratórios.

    Como você sabe disso? Você, por acaso, acompanhou todos esses trabalhos? Claro que não. Então não fala besteira, rapaz!

    Sempre que uma notícia não lhe agrada você a descarta com um palpite infeliz desse tipo.
    Isso sim, é fundamentalismo, desonestidade intelectual e má-fé.

    E os testes científicos que “provam” a segurança dos preservativos foi confirmado por outros laboratórios? Quantos?

    Você só acredita na ciência quando ela vai ao encontro dos seus preconceitos anticristãos.

    Se mil laboratórios comprovarem a falha dos preservativos e um só disser que eles são seguros você vai acreditar é neste.

    Portanto, fanático, fundamenalista, desonesto e palpiteiro obstinado aqui é você!

    Carlos.

  6. roberto quintas

    sim, sr Carlos, ao contrário do sr eu busquei fatos e textos científicos sobre o assunto. simplesmente há o texto citado pela Emanuele, do Dr. Ronald F. Carey, que simulou por meio de partículas e um agente reativo se há a passagem destas partículas. simulação não é conclusão.
    citando-a:”o estudo do Sr. Carey da FDA (mais laico que isso, o que quer?) diz que há 30% de chance de partículas do tamanho do vírus HIV passarem pelos poros da borracha”. probabilidade não é certeza. o experimento foi repetido? foi avaliado? se fosse, como o sr disse, comprovado por mil laboratórios, a comunidade científica seria a primeira a se manifestar contra o uso de preservativos, recomendando o desenvolvimento de outras ferramentas de proteção. a menos que o sr prefira entrar na “teoria de conspiração”, como parece ser a tônica desse blog.

  7. roberto quintas

    em tempo: o dr Ronald Carey é doutor em hidrodinâmica, o que exclui o trabalho dele como base de avaliação na área da mcrobiologia e patologia.

  8. Carlos

    Roberto Quintas,

    Segundo você mesmo confessa:

    “o estudo do Sr. Carey da FDA (mais laico que isso, o que quer?) diz que há 30% de chance de partículas do tamanho do vírus HIV passarem pelos poros da borracha”.”

    Então, R. Quintas? Se há 30% de chances do HIV passar, significa que isso é pior do que roleta russa. Na roleta russa, com uma bala apenas, as chances de você girar o tambor e a bala cair na agulha são de 16%.
    Logo… fuja do preservativo e pratique a castidade (ou a fidelidade, se for casado), que você estará MUITO mais seguro.

    Mas se gosta mesmo de alguma emoção, compre um 38 e vá brincar de roleta russa. Você ainda terá mais chances de sobreviver do que com os preservativos assassinos.

    Carlos.

    P.S.: Tem mais um detalhe: como todo produto comercial, deve haver várias marcas de preservativo. Se essa aí oferece só 70% de segurança, como serão as made in china?
    C.

  9. Sidnei

    O mais irônico nesta história toda é que uma vez ao assistir um programa de televisão foi pergunto a alguns participantes se fariam sexo com alguém que tivesse AIDS e com camisinha, todos responderam que não, há ta, então para transar com alguém com camisinha a pessoa não pode ter AIDS agora se tiver AIDS nem com camisinha transaria, mas como a pessoa vai saber que a outra pessoa que ela irá manter relações sexuais tem ou não AIDS? Perguntará,? A outra pessoa falará a verdade?, então estamos em um mundo que não sabe o que quer e quando o mundo não sabe o que quer só acabam fazendo besteira.

  10. roberto quintas

    chances não são certezas, sr Carlos. ademais, os estudos não são conclusivos, lembra? o dr Ronald Carey usou polipropileno. um grão de polipropileno não é a mesma coisa que um virus da HIV. o virus só pode ser contraído se tiver um veículo que o conduza: semen ou sangue e estes não passam pela membrana do preservativo. dê uma estudada em microbiologia, ok?

  11. T. Martins

    O que mais causa contaminação pelo vírus do HIV é o sexo sem preservativo. Não adianta levar apenas para o lado religioso, pois, mesmo que seja papel da Igreja incentivar a castidade, muitos, não estão nem um pouco preocupados com o que o Papa diz. É óbvio que a castidade é o melhor remédio contra a transmissão do Vírus HIV, porém, muitos jovens hoje em dia não ouvem nem os pais, muito menos ouvirão um “homem de batina branca”. Não sou contra as campanhas para uso de preservativo. Mesmo que não seja 100% eficaz a camisinha, nem por isto sairei dizendo por aí que ela dve ser substituída pela castidade. Acontece que o Papa está fazendo o papel dele e a ciência o papel dela. Se a ciência, em diversos casos durante a história ajudou a Igreja, como por exemplo, em pesquisas sobre milagres eucarísticos, deveria também ser respeitada quando exerce sua função. Foram os cientistas que pesquisaram e chegaram ao avanço nos tratatmentos antiretrovirais. Não é a solução, porém, quantos e quantos portadores de HIV continuam vivos graças a tais medicamentos. Por outro lado que ninguém ouse se arriscar porque os remédios são poderosos. é uma vida difícil a vida do infectado, isto, sem contar com o preconceito e o ódio de muitos. Mas, o telhado é de vidro. Por que não ouvir os cientistas quando falam em prevenção? Seria hipocrisia, fanatismo e desrespeito para com a ciência.Fiquem no conto de fadas, achando que todos ouvirão a voz do Papa e viverão na castidade. Será que dentre os portadores do vírus HIV, será que não há nenhum católico praticante sequer?
    Veja bem, ninguém aqui, mesmo os que defendem o uso do preservativo estão fazendo propaganda, não é nada disto.

  12. Sidnei

    T. Martins, concordo com você, quem quer fazer sexo que faça com camisinha, sem camisinha, que se arrebentem que eu não estou nem aí, não escutam os pais, não escutam o Papa não escutariam nem a DEUS e nem a JESUS CRISTO, então eu quero que esta gente se lixe, não vou fazer que nem o Papa não, não vou dizer, olhem não façam sexo antes do casamento, fora do casamento, pois vocês poderão perder a salvação, claro que entendo o Papa pois como uma pai, como nosso pastor representante do Supremo Pastor da Igreja quer que todos se salvemos, mas como vejo que muitos não querem se salvar, eu quero mais é que eles se danem, não estou nem aí se perderem a salvação, vou eu tratar de me salvar o resto, que se virem.

  13. T. Martins

    Ok, Sidnei, entendo sua indignação. Eu sei que no fundo, voce não quer que eles se danem. Eles é que buscam a danação fazendo sexo sem preservativo. O que a Igreja precisa compreender é que a Aids se alastra pelo simples fato de as pessoas praticarem o ato sem preservativo. A pornografia icentiva muito isto. Quantos filmes, segundo o ministério da saúde, são verdadeiros apelos ao sexo sem proteção. O que eu aconselharia, é, que, mesmo aqueles que não vivem a castidade evitem a promiscuidade, a volúpia, etc.. Procurem ter seu parceiro único, prezem o amor, porque a vida passa rápido. Que não venha a Igreja dizer que faço apelo á fornicação. Dentro da própria Igreja há muita gente irregular, claro privadas de uitas coisas, mas, existem. O que incentivo é que não sejam loucos e saiam por aí com todo mundo, sem preservativo, sem o mínimo de amor pelo seu próprio corpo. Quem se ama, se cuida. Não acredito que o casto seja melhor do que aquele que tem um unico parceiro e se previne. Não julguemos as pessoas, porque nossos tetos são de cristal. O que mais contamina são as práticas sem preservativos. Não adianta distribuir para quem não quer usar. Claro, não é 100% eficaz, quase nada na vida é, exceto a castidade. Mas, vai por na cabeça do ubandista, dos espíritas em geral, dos protestantes, dos ateus, gnósticos, etc., o apelo do Papa. Meus caros, vamos entender uma coisa, os católicos, em grande parte ouvem o papa. Mas, o restante da sociedade não vai obedecer ao Papa, para eles, é tão somente um bispo vestido de batina branca. A ciência previne estes, mas, nem sempre ouvem a ciência e se auto-destroem. O QUE MAIS CAUSA CONTAMINAÇÃO É O NÃO USO DO PRESERVATIVO e os outros fatores supracitados não podem ser considerados como a causa das contaminações em massa. São casos isolados. Sabemos que há porcentagens. Ninguém aqui é hipócrita. Agora, se podem ser castos, que maravilha. Quem não pode, que ouça a ciência, não refiro ao meu cometário, mas, as campanhas do ministério da saúde, médicos, etc..

  14. T. Martins

    Sidney tem razão ao dizer que uma pessoa contaminada nem sempre revela que é contaminada. Mas, tem muita gente que arrisca e pratica o ato sexual com ou sem preservativo seja com quem for. As pessoas são livres. Cada qual faz o que quer. é muito facil dizer: Eu não faria sexo se soubesse que fulano é contaminado. Mas, faz sexo com beltrano frequentemente usando preservativo, tãso somente porque beltrano não revelou. A culpa é do beltrano? Não. A pessoa que saiu com beltrano, saiu porque quis. Por isto torno a dizer, já que quer sair com beltrano, fulano ou ciclano, sem saber o que traz dentro de si, use o preservativo. As pessoas, diante das cameras dizem que são sensatas, mas, não é o que parece. Porque aas termas, boites, e outros lugares fac-simile, ganham fortumas aqui no Brasil. Isto sem contar com a prostituíção. Vejam os anúncios dos jornais… Tem classificado para isto. Por isto repito, quer arriscar-se, não quer ouvir o Ppa, corra menos risco possível, não faça sexo sem camisinha.

Deixe um comentário: