En Passant

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 2 meses 26 dias atrás.

O “Pacientes na Tribulação” resolveu escrever contra um artigo do Veritatis Splendor – artigo este, aliás, que foi posteriormente tirado do ar pelo próprio VS. Não tenho tempo para me meter na polêmica agora [ainda tenho, aliás, algumas pendências com os senhores Sandro Pontes e Felipe Coelho aqui, das quais não me esqueci]; gostaria somente de registrar o ocorrido e comentar uma frase feita nos comentários. O autor do blog disse o seguinte:

Quando os protestantes falam em “Roma”, eles querem atacar a Igreja Católica enquanto instituição. Quando um tradicional usa o termo “Roma modernista”, ainda que impróprio, refere-se aos modernistas infiltrados na Santa Igreja de Roma.

E isso não me parece uma diferença lá muito grande, porque também os protestantes não atacam “a Igreja em Si” com a clareza de consciência de que o estão fazendo, e sim a Igreja Católica que, para eles, não é a Igreja de Cristo. Pari passu, quando os “tradicionalistas” atacam o Papa [que, para alguns, não é o Vigário de Cristo…], a semelhança [antes que comecem os protestos, uso o termo “semelhança” de propósito, a “igualdade” preferindo-o] é evidente.

– Na Argentina [a notícia tem um mês mas eu ainda não comentei sobre o assunto aqui] segue o processo de descristianização da sociedade por meio da campanha de apostasia coletiva promovida no país. Os inimigos da Igreja que, antes, agiam de maneira sutil, envenenando a cultura, promovendo anti-valores nos meios de comunicação, debochando dos religiosos, etc., agora saem às ruas para, às claras, falar em apostasia e em repúdio formal à Igreja de Nosso Senhor.

A campanha de apostasia em andamento na Argentina foi lançada no dia 7 de março com o slogan “Não em meu nome!”. O objetivo é fazer chegar á Igreja católica argentina o maior número de pedidos de apostasia. A este propósito foi criado um site onde os interessados a pedir a apostasia podem baixar e preencher uma carta endereçadas às autoridades eclesiásticas.

Deus tenha piedade da Argentina.

Missas suspensas em Cidade do México, por causa da gripe suína; o México confirmou a oitava morte. Os colégios estão fechados, mas as igrejas não: os fiéis podem continuar a rezar nelas, caso o desejem. Não entendo, portanto, o motivo da suspensão das celebrações; da última vez que isso aconteceu no México, os motivos eram mais sérios e, os resultados, foram mais trágicos [aliás, vale muito a pena – recomendo enfaticamente – ver um velho cristero falando sobre “el gobierno cabrón” e cantando Viva Cristo Rei!]. Que Nossa Senhora de Guadalupe proteja o México: Santa Maria de Guadalupe, a ti rogamos proteção e amparo, para que em breve vençamos essa epidemia que afligiu o nosso país, pois tu nos amas com um afeto especial. Com o teu cuidado maternal velas sobre nós e com a tua intercessão maternal estás sempre disponível para nós.

Garota em São Paulo está grávida da namorada; lesbianismo, dupla de homossexuais cuidando de crianças, fecundação artificial heteróloga, barriga de aluguel: um verdadeiro compêndio de imoralidades e de ofensas à lei de Deus. Segundo a notícia dada por Jamildo, o que as duas querem “é sair da maternidade juntas, com um documento que permita registrar as crianças no cartório com o sobrenome de cada uma e o nome das duas mães na certidão de nascimento”; acaso isso é permitido no Brasil?! Ontem à noite, nasceram os gêmeos. Diante das câmeras. Sob o entusiasmo dos gayzistas de todos os naipes. Tenha Deus misericórdia de nós todos.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

51 thoughts on “En Passant

  1. argo

    Tenho quase certeza de que o Vaticano encontrará um meio de “provar” que as Guerras Mundiais não existiram… Um sistema que conseguiu reescrever a história do jeito que ele conseguiu, tudo pode.

    Ah, não duvido de que, também, consigam fazer com que Hitler haja sido comunista.

  2. Carlos

    Argo,

    Você diz que o Vaticano pode tudo, pois conseguiu reescrever a história do jeito que quis.

    Você está enganado. Aposto que nem o Vaticano consegue provar que você tem alguma inteligência.

    Você, como todo ateu, só tem estupidez, arrogância, orgulho e fanatismo.

    A propósito, se “o Vaticano” reescreveu a história, quem a havia escrito antes? Você?

    Veja como você é burro:

    “Ah, não duvido de que, também, consigam fazer com que Hitler haja sido comunista.”

    Hitler era socialista, tanto que socializou a economia alemã e militava no partido do Nacional Socialismo. Você, ignorante como é, não vê nenhuma diferença entre socialismo e comunismo.

    Pois saiba que entre socialismo e comunismo a diferença é só de graus e de métodos, mas ambos procuram levar a humanidade para o mesmo buraco, que eles chamam de utopia igualitária.

    Logo, Hitler era comunista sim, ao menos quanto aos fins que visava.

    E pode espernear e gritar à vontade seus slogans de pseudo intelectualzinho revoltado. Seus berros e suas birras só o tornam mais ridículo.

    Vá estudar um pouco, infeliz Argorrogante.

    Carlos.

  3. argo

    Viu, Jorge, quando eu mando voces [CENSURADO], voce censura. Acolher epítetos como estúpido, pode, não é mesmo?

    Que saudades da inquisição, não é? Fascistas de meia-tijela, fascistas enrustidos!

    Ah, Carlos, quem precisa estudar mais é voce, sim senhor. Thyssen, Krupp, Bayer e outros tiveram suas fábricas entregues aos operários, não é mesmo? A santa a qual voces deveriam rezar é a Santa Idiotice!

  4. Pedro

    Carlos tem razão. O partido de Hitler se chamava nacional-socialista, quer dizer preconizava um socialismo nacionalista, e era nisso que se diferenciava do socialismo “internacionalista” do bolchevismo russo.
    O escritor francês Alain Besançon, num livro excelente chamado “A Infelicidade do Século” analisou e expôs muito bem as silimiaridades dos dois regimes: tanto nazistas quanto comunistas tinham a pretensão de acabar com as mazelas do mundo por meios violentos, quer dizer com a eliminação dos supostos causadores de todo o mal (os judeus, no entender de Hitler; a burguesia, segundo os comunistas) e construir uma sociedade “perfeita”; ambos os regimes, por supostas premissas, existiam uma hostilidade permanente para com o mundo exterior que, levada às últimas conseqüências, exigiria a guerra para conquista do mundo.
    A propósito, para constatar a similaridade dos regimes nazista e stalinista, basta procurar na internet imagens da propaganda dos dois regimes; vai encontrar sempre as mesmissimas imagens de trabalhadores sorridentes, de camponeses e soldados em harmonia, de jovens de peito estufado, todos com feições de boneca. Só os símbolos da suastica e da foice e martelo é que distinguem, nos cartazes, as ideologias.

  5. Lucas

    Assunção Medeiros …

    “Será que um casal movido verdadeiramente pelo amor que um sente pelo outro e ambos por uma criança não teria a capacidade de ADOTAR uma das muitas crianças abandonadas por aí? Porque nào trocar um ato de vaidade genética por um de verdadeira caridade cristã?”

    Que otima ideia falar de adoção de crianças que foram abandonadas, isso sim é uma verdadeira caridade. È muita vaidade mesmo um casal querer ter filhos geneticamentes seus.
    A própósitos, quantas crianças carentes abandonadas você ja adotou?

  6. Assunção Medeiros

    Lucas,

    É vaidade genética sim, gastar 15 mil reais ou mais para conceber artificalmente um filho que seria impossível de existir naturalmente – E QUE DEIXA PARA TRÁS VÁRIOS IRMÃOZINHOS CONGELADOS, LITERALMENTE CONDENADOS À PRISÃO PERPÉTUA EM NITRIGÊNIO OU À DESTRUIÇÃO PARA PESQUISA. É arrogância também, porque é revolta contra a realidade que se impõe – nem vou falar em Vontade de Deus, porque pelo visto você nem leva isto em consideração.

    Eu nem tenho filhos meus nem adotei nenhum, nem tentei conceber artificialmente um filho de óvulo meu, pelo simples motivo que não sou casada, e acredito que criança precisa de Pai e Mãe, juntos, presentes e ativos para ter uma boa formação moral, espiritural e psicológica. Não seria leviana ao ponto de adotar um filho como quem vai ao abrigo de animais adotar um gatinho, apesar de amar crianças profundamente.

    Se algum dia eu me casar, e meu marido concordar, adoto uma criança com todo o prazer e amor, já que minha idade reprodutiva está se encerrando – estou nos ’45 do segundo tempo’ por assim dizer.

    O fato de eu não ter filhos invalida o que eu disse em que?

    Paz e Bem

    Sue

  7. Lucas

    Assunção Medeiros

    “É vaidade genética sim, gastar 15 mil reais ou mais para conceber artificalmente um filho que seria impossível de existir naturalmente”

    Bom, o que cada um faz com seu dinheiro é problema seu. Ao negar a geração da vida, que não seja por meios “naturais” não se esta querendo evitar o próprio ciclo da vida?

    “nem vou falar em Vontade de Deus, porque pelo visto você nem leva isto em consideração.”

    Uma coisa que acho engraça é quando criaturas finitas tentão dizer quais são e quais não são as vontades de Deus, um ser infinito. Não acha o cumulo da arrogância?

    “Eu nem tenho filhos meus nem adotei nenhum, nem tentei conceber artificialmente um filho de óvulo meu, pelo simples motivo que não sou casada, e acredito que criança precisa de Pai e Mãe, juntos, presentes e ativos para ter uma boa formação moral, espiritural e psicológica.”

    Um amigo meu foi adotado por uma mãe solteira e teve sem duvida nenhuma uma otima formação moral, espiritual e psicológica. Nunca vi ele se queixando de não ter um pai, nem traumatizado por isso.
    Com certeza se ele tivesse ficado num orfanato abandonado, ele teria sequelas pro resto da vida. Então o argumento que só um casal pode adotar uma criança é facilmente refutável.

    “Não seria leviana ao ponto de adotar um filho como quem vai ao abrigo de animais adotar um gatinho, apesar de amar crianças profundamente.”

    Você falou exatamente o que eu queria dizer. Uma criança não pode ser um premio de consolação pra quem não consegue ter filhos geneticos. Além disso pra você foi tão facil falar de caridade cristã em adotar uma criança, mas na pratica você não segue o que falou.

    “O fato de eu não ter filhos invalida o que eu disse em que?”

    Não invalida em nada, só mostra que pra quem ta de fora é facil achar soluções pros problemas alheios.

  8. Pedro

    Bom, tenho certeza de que, se Assunção Medeiros fosse a favor dos caríssimos métodos de inseminação artificial, o fato de ela não ter filhos naturais nem adotados não invalidaria em nada sua opinião, não é, Lucas?

  9. Assunção Medeiros

    Lucas,

    O que cada um faz com seu dinheiro é de foro íntimo, com certeza. O que se faz com as gerações futuras é problema da sociedade inteira, mesmo dos que não têm filhos, como eu, mas que vão ter de enfrentar o futuro que está sendo semeado.

    Se é IMPOSSÍVEL para o casal ter filhos naturalmente, está se evitando qual ciclo da vida??? A própria realidade desta impossibilidade não é demonstração da vontade divina? Em que olhar em volta e enxergar é arrogância?

    Olha, tenho certeza que se seu amigo tivesse um bom pai junto desta boa mãe – e eu tenho certeza de que ela tentou ser a melhor mãe possível, já que você mesmo diz que seu amigo é feliz e sem traumas – a vida dele seria MELHOR. Isso porque eu dou todo crédito a você quando diz que ele NÃO tem traumas ou carências profundas por conta disto. Já conversou francamente com ele a respeito?

    Certamente ele teria problemas se vivesse toda a vida em uma instituição, outros ou os mesmos em maior intensidade, não se sabe. Também poderia ultrapassá-los ou se deixar dominar por eles, como todas as pessoas que enfrentam problemas. Mas algo sempre fica faltando. Por isso EU não escolheria trazer um filho para um ambiente sem equilíbrio, sem pai. FAZ FALTA, mesmo que se aprenda a compensar a mesma. Tem gente que vive muito feliz sem as pernas ou sem os braços. Você ESCOLHERIA viver assim?

    Muito bonito dizer que uma criança não pode ser um prêmio de consolação para pais carentes, também acho isso, MAS O QUE SE FAZ COM OS ÓVULOS FECUNDADOS – CRIANÇAS TANTO QUANTO A QUE EFETIVAMENTE NASCEU DA FECUNDAÇÃO IN VITRO – QUE VIVEM CONGELADAS NUM GULAG MAIS CRUEL QUE O DE SOLJENITSIN, ESPERANDO QUE SEU DESTINO SEJA O LIXO OU O LABORATÓRIO?

    Não confunda caridade cristã com políticamente correto, POR FAVOR. Eu sigo o que falo na prática, sim senhor. Como eu não sou casada, e na minha prática (se SUA PRÁXIS é outra, isto é outro questionamento) isto me INVALIDA como mãe adotiva. Entendeu?

    Quanto aos problemas alheios, VOCÊ está dentro do problema, i.e., tem filhos adotados, tem problemas de fertilidade, já fez fertilização in vitro? Você TEM filhos de qualquer espécie? Por

  10. Assunção Medeiros

    Quanto aos problemas alheios, VOCÊ está dentro do problema, i.e., tem filhos adotados, tem problemas de fertilidade, já fez fertilização in vitro? Você TEM filhos de qualquer espécie? Porque seu argumento vale para os dois lados, não vale?

    Paz e Bem

    Sue

  11. Lucas


    O que cada um faz com seu dinheiro é de foro íntimo, com certeza. O que se faz com as gerações futuras é problema da sociedade inteira, mesmo dos que não têm filhos, como eu, mas que vão ter de enfrentar o futuro que está sendo semeado.

    Se é IMPOSSÍVEL para o casal ter filhos naturalmente, está se evitando qual ciclo da vida??? A própria realidade desta impossibilidade não é demonstração da vontade divina? Em que olhar em volta e enxergar é arrogância?

    Olha, tenho certeza que se seu amigo tivesse um bom pai junto desta boa mãe – e eu tenho certeza de que ela tentou ser a melhor mãe possível, já que você mesmo diz que seu amigo é feliz e sem traumas – a vida dele seria MELHOR. Isso porque eu dou todo crédito a você quando diz que ele NÃO tem traumas ou carências profundas por conta disto. Já conversou francamente com ele a respeito?

    Certamente ele teria problemas se vivesse toda a vida em uma instituição, outros ou os mesmos em maior intensidade, não se sabe. Também poderia ultrapassá-los ou se deixar dominar por eles, como todas as pessoas que enfrentam problemas. Mas algo sempre fica faltando. Por isso EU não escolheria trazer um filho para um ambiente sem equilíbrio, sem pai. FAZ FALTA, mesmo que se aprenda a compensar a mesma. Tem gente que vive muito feliz sem as pernas ou sem os braços. Você ESCOLHERIA viver assim?

    Muito bonito dizer que uma criança não pode ser um prêmio de consolação para pais carentes, também acho isso, MAS O QUE SE FAZ COM OS ÓVULOS FECUNDADOS – CRIANÇAS TANTO QUANTO A QUE EFETIVAMENTE NASCEU DA FECUNDAÇÃO IN VITRO – QUE VIVEM CONGELADAS NUM GULAG MAIS CRUEL QUE O DE SOLJENITSIN, ESPERANDO QUE SEU DESTINO SEJA O LIXO OU O LABORATÓRIO?

    Não confunda caridade cristã com políticamente correto, POR FAVOR. Eu sigo o que falo na prática, sim senhor. Como eu não sou casada, e na minha prática (se SUA PRÁXIS é outra, isto é outro questionamento) isto me INVALIDA como mãe adotiva. Entendeu?

    Quanto aos problemas alheios, VOCÊ está dentro do problema, i.e., tem filhos adotados, tem problemas de fertilidade, já fez fertilização in vitro? Você TEM filhos de qualquer espécie? Por

    Você tem um pensamento muito simplista de Deus. Pela sua lógica, tudo que acontece tanto de bom quanto de ruin para alguém é a vontade divina.
    Ta com cancer é a vontade de Deus, não pode engravidar é a vontade de Deus.
    Se um homem tem um problema em que seus espermatozoides não se locomovem, só poderá ter filhos com fecundação artificial. Mas não pode fazer isso porque Deus não quer? Eu considero toda a cura de uma doença, todo o tramentos modernos pró-vidas algo divino.
    Meus amigo não tem trauma nenhum em ter sido criado só por uma mãe, apenas não gostava quando alguém ficava com dó dele por isso.
    Eu preferia muito mais ter sido criado por só um pai ou uma mãe do que viver jogado numa instituição.
    Agora a sua metafora de viver sem as pernas ou braços não tem nem pé nem cabeça …
    Não entendo o fato de você não ser casada a invalidar como mãe. Você se julga incapaz de amar uma criança incondicionalmenta?
    Minha mulher e eu estamos esperando ela acabar a faculdade pra termos nosso primeiro bebê. Além disso estou envolvido no assunto porque meu sobrinho foi fruto de uma inseminação in vitro. Taí o ciclo da vida, mesmo você achando que ele não devia existir.

  12. Alien

    Lucas, e o seu sobrinho deve ser uma criança sadia e muito amada, não é? É isso que vale!!! :)

  13. Sue

    Lucas,

    Tudo o que acontece É SIM fruto da Vontade Divina. O que o homem faz com o que acontece é que é fruto de nosso

    livre-arbítrio, e taí a causa da bagunça que enfrentamos todos os dias. Separar uma coisa da outra, concordo,

    muitas vezes é complicado. Mas dizer que um homem com prolema de fertilidade SÓ pode ter filhos através de

    inseminação contradiz o que você mesmo fala. Pai adotivo não é pai? Afinal, a mãe de seu amigo adotivo é ou não é

    mãe dele? Ela podia ter procurado um doador de esperma – com ou sem o conhecimento do mesmo – e ter feito a

    chamada “Produção Independente”. Mas ela escolheu dar amor a quem precisava dele, sem pensar numa suposta

    perpetuação genética, né? É ISSO que é caridade cristã.

    Infertilidade não é doença, é uma condição do organismo. Quando é doença tem tratamento. Já foi dito aqui, em

    outros posts,que não ha nada errado em tratar a fertilidade para que a criança venha pelos meios naturais. O que

    complica é quando o homem quer mexer no funcionamento da natureza e deixa seu habitual rastro de destruição para

    trás. Mas Você está me deixando confusa… afinal o casal deve fazer fecundação in vitro ou adotar? Pelo que eu

    me lembro, quem sugeriu que a adoção era a melhor opção fui eu… porque a adoção não tem os terríveis efeitos

    colaterais que a fecundação in vitro tem.

    A metáfora da falta de braço ou perna é simples de explicar, eu desenho para você. Simplesmente significa que é

    possível viver com partes de nosso corpo, ou partes de nosso coração, machucados ou amputados. Isto não significa

    que esta é uma situação desejável. Seu amigo ficou melhor sozinho com a mãe que numa instituição? Acredito que

    sim, mas as outras opções para a vida dele nós não saberemos nunca. Para fins de argumentação vou repetir apenas

    que eu não faria o que ela fez, por motivos de convicção pessoal. O que me invalida de ser mãe adotiva não é

    minha (in)capacidade de amar, é meu desejo de receber uma criança em minha casa apenas da forma que acho correta.

    Bom, então temos o mesmo envolvimento com o problema, porque eu tenho pessoas próximas de mim que fizeram inseminação in vitro. Uma delas não conseguiu engravidar nem após três tentativas, com o desperdício de sabe lá quantos óvulos fecundados – que são tào crianças quanto a criança que ela terminou por adotar. A outra tem um filho da primeira inseminação, mas dois dos três óvulos fecundados que foram inseridos no seu útero morreram, sem contar os que foram, ahn, descartados, segundo o jargão médico. Você consegue perceber o rastro de mortes que aconteceram para que surgisse UMA vida?

    Não sou eu que tenho ou não de achar que seu sobrinho deveria nascer. Só tenho de perguntar a você o que torna ESTE seu sobrinho tào especial que justifique a morte destes outros sobrinhos todos cuja a existência você não reconhece.

    Paz e Bem

    Sue

  14. Pedro

    Só queria fazer mais um acréscimo a respeito do assunto nazismo, para esclarecer o comentário feito por Argo:
    No III Reich não houve estatização em massa de indústrias, em face do princípio de Hitler de que “Não nacionalizaria a economia, mas nacionalizaria o povo” (seg. John Lucaks, em “O Hitler da História”). Contudo, toda a economia, embora predominantemente em mãos privadas, ficou submetida a um estreito dirigismo estatal, sob a égide do Plano Quadrienal, comandado pelo Marechal Hermann Göring, número 2 do regime nazista. Além disso, houve uma pesada ação direta do estado nazista na economia, através da estatal “Hermann-Göring-Werke”, das paraestatais Frente Alemã de Trabalho e Organizações Fritz Todt, e do aparato industrial subordinado às SS.
    À propósito, exceto por um período muito breve de tempo, não houve no comunismo entrega de fábricas aos operários, nem mesmo na União Soviética. Na URSS e em outras países comunistas, as fábricas não pertencem aos operários (ainda que isso possa ser dito pela propaganda oficial), mas sim ao Estado, comandado pelo partido único comunista.

  15. Alien

    Olhando por este prisma, uma mulher que tenta várias vezes engravidar e não consegue por abortar espontaneamente, por xemplo, também não deveria adotar uma criança e fazer uma laqueadura de trompas, para evitar que outros óvulos fecundados (mas que não conseguem se fixar corretamente no útero dela, por exemplo) não morram? Ou o correto seria não ter mais relações sexuais depois de adotar a criança para evitar mais abortos??? Falo isso no caso do problema dela ser irreversível a as únicas opções possíveis serem a inseminação artificial (proibido pela Igreja Católica) ou engravidar e abortar seguidamente??? Porque nem sempre a “tabelinha” funciona a contento, não é???

    Sem ir contra as opiniões de ningu-em – apenas estou curioso mesmo!!! Qual a posição da I. Católica nesses casos???

  16. Sue

    Alien,

    O problema a que você se refere é chamado clinicamente de Flacidez do Colo do Útero, e minha mãe sofria deste problema. Há 50 anos atrás a solução era que ela ficasse em repouso absoluto, deitada, sem se mexer, durante o tempo da gravidez. Assim – e seguindo a tabela – ela teve quatro filhos naturais, um dos quais morreu ainda na maternidade por erro médico, além dos três que foram abortados espontâneamente até que o problema fosse diagnosticado.

    Hoje existe um procedimento chamado cerclagem, em que é feita uma sutura na passagem do útero para a vagina, impedindo que a criança seja abortada e permitindo uma liberdade de movimentos relativa para a mulher, que ainda deve manter repouso e cuidados extremos para avitar o aborto. Neste caso não há necessidade de fazer uso de nenhum procedimento radical.

    Não há necessidade do envolvimento da Igreja neste caso, é uma situação em que o próprio obstetra resolve o problema. A posição da Igreja Católica é a mesma sempre: a vida humana é sagrada em todos os seus estágios de desenvolvimento e deve ser tratada de acordo.

    Paz e Bem

    Sue

  17. carlos

    Argorrogante,

    Como sempre, você raciocina como uma ameba. Para você, comunismo é entregar as fábricas aos operários. As únicas coisas que os comunistas entregam
    aos trabalhadores são as ferramentas para o trabalho escravo e a ração magra para não morrerem de inanição. Deixe de arrogância e estude mais. Muito mais.
    Carlos.

  18. carlos

    Caro Pedro,
    Obrigado pelas ótimas informações que você nos traz e que desmascaram por completo esse sofista boboca chamado Argo, que pelo jeito nunca abriu um livro na vida.
    Um abraço,
    Carlos.