Aborto e Gayzismo

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 3 meses 10 dias atrás.

ABORTO no Brasil e no mundo:

No Mato Grosso do Sul, uma “médica” acusada de praticar mais de 10.000 abortos irá a Júri Popular. A dra. Neide Machado Mota é acusada de ser “responsável pela interrupção da gravidez de quase 10 mil mulheres”. Na enquete disponível no site da UOL – “Se participasse do júri, qual seria seu veredicto para médica dos 10 mil abortos?” -, no presente momento, 68,45% dos votantes disseram que ela é culpada. Sinceramente, eu tenho medo desses júris populares: não duvido que os abortistas manipulem-no a fim de que ele seja escolhido dentre os 31,55% restantes…

– Na Espanha, os espanhóis rechaçam a “barra libre” ao aborto que será imposta pelo governo. Segundo a pesquisa divulgada por HazteOir, 40,5 % dos espanhóis rechaça a reforma da lei do aborto contra 36,7% que a apóia; entre as mulheres a diferença é maior: 43,1% são contra, enquanto 34,3% são a favor. O que mostra – uma vez mais – que é mentira que as mulheres são as mais interessadas na defesa deste seu macabro pseudo-direito. Não obstante, a Espanha pretende legalizar o aborto: “[o] governo espanhol informou nesta quinta-feira [14 de maio] que enviará ao Congresso um projeto de lei que prevê o fim da proibição do aborto e propõe que meninas maiores de 16 anos possam abortar sem o consentimento dos responsáveis”. Que Deus proteja a Espanha!

GAYZISMO no Brasil:

Governo quer livro didático com temática homossexual; na área da educação, os nossos ilustres governantes querem que “sejam incluídos nos livros didáticos a temática de famílias compostas por lésbicas, gays, travestis e transexuais”. Mais um ataque à família brasileira, desta vez duplo: por meio da apresentação desta caricatura de família como se família fosse, e por meio da imposição de um ensino às crianças com o qual não necessariamente os seus pais concordam.

– Esta maravilha faz parte de um plano do governo voltado para os gayzistas. Foi lançado também nesta quinta-feira 14 de maio, em Brasília, e chama-se “Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT”. Entre as diretrizes que constam nesta depravação institucionalizada, estão a censura – “classificar como inadequadas para crianças e adolescentes” – de obras “que apresentem conteúdos homofóbicos” [a Bíblia, talvez?], a “[l]egalização do direito de adoção dos casais que vivem em parceria homoafetiva”, o encaminhamento “para o presídio feminino [de] mulheres transexuais e travestis”, a revisão “[d]a restrição existente para doação de sangue pela população LGBT”, a “[d]iferenciação dos conceitos de homofobia, lesbofobia e transfobia” [sic!], o “[c]ombate à homofobia institucional” [da Igreja, talvez?], o “[c]ombate à intolerância religiosa em relação à diversidade de orientação sexual e identidade de gênero” [sim! É da Igreja mesmo!], entre outras sandices. O documento completo de 45 páginas pode ser lido aqui.

– Enquanto isso, quase metade dos brasileiros assume ter preconceito contra homossexuais, segundo um estudo – feito pela Fundação Perseu Abramo – citado pelo Jornal do Commercio. E provavelmente “preconceito” significa exatamente acreditar que a família é composta por um pai e uma mãe, que as relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo são anti-naturais, que duplas de gays [ou lésbicas ou o que seja] não podem adotar crianças, que sodomia é pecado que brada aos céus vingança, que existem padrões mínimos de moralidade a serem observados nas sociedades para tornar possível a convivência, etc. Deus salve o Brasil!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

12 thoughts on “Aborto e Gayzismo

  1. Marcelo

    Jorge,

    indo um pouco além do choque que essas notícias me provocam: a quem aproveita a destruição moral da sociedade? Quem sai ganhando com a “morte de Deus”?
    Não sou adepto de teorias conspiratórios, mas parece haver uma sólida coordenação desses movimentos abrotista, secularista, gayzista e outros, ditos, “progressistas”. De novo: a quem aproveita?
    Sds.,
    de Marcelo.

  2. Rafaela

    Jorge,

    Hoje eu estou um pouco mais pessimista que o normal! Logo cedo em uma conversa aqui na empresa um amigo nos contou que a filha de 10 anos perguntou a ele o que era masturbação, ele ficou muito desconcertado com a pergunta e quis saber aonde ela ouviu sobre isso.

    Qual não foi a surpresa quando ela respondeu que tinha aprendido sobre isso na AULA de Ciências e que a professora ainda disse que isso fazia muito bem :(!

    Eu sinceramente não sei o que será de nós com toda essa destruição moral que nos cerca.

  3. Alien

    Os professores hoje estão numa situação cada vez mais difícil!
    SE eles falam isso, correm o risco de serem repreendidos por pais cristão!
    SE eles NÃO falam isso, correm o risco de ir contra uma possível grade curricular IMPOSTA A ELES pelo Estado, serão reprendidos por pais “não tão cristãos” e ainda poderão perder seus empregos (e sabemos como hoje em dia emprego está difícil)! Isso sem contar a educação cada vez mais deficiente que as crianças levam DE CASA para a escola… se lembram? Antigamente, um professor repreendia (justamente, sempre ressalto!) um aluno, e os pais aopiavam O PROFESSOR! Agora se umprofessor repreender um aluno, corre o risco de ser agredido VERBALMENTE E ATÉ FISICAMENTE pelo aluno, e ainda ser PROCESSADO PELOS PAIS???
    Que mundo é esse???

  4. Lucas

    Concordo que ensinar crianças sobre assuntos complexos é muito complicado.

    Agora quanto a proteger crianças e adolescente contra conteudos homofóbicos, concordo 100%. As crianças não precisam entrar em contato com esse tipo de lixo que ensina o odio e o preconceito.

    Claro que tem segmentos que tem interesse particulares em manter os homossexuais marginalizados e os criticam por lutar pelos seus direitos.

  5. Lampedusa

    Há uma imensa diferença entre ensinar às crianças o respeito pelos homossexuais – que pode passar por conteúdos livres de intolerância – e impor a elas a visão de que o modo de vida gay é equivalente ao heterossexual.

  6. Sue

    Alien,

    Respondendo à sua grave pergunta, “que mundo é esse?”, este é um mundo sem Deus.

    Tenho quase 20 anos de magistério nas costas, apesar de nunca ter dado aulas a crianças, e eu sempre fui límpida ao apresentar minhas convicções pessoais aos meus alunos. Sempre recebi de volta carinho e respeito. O ambiente ajudava, confesso.

    Ser correto hoje em dia requer coragem de mártir, infelizmente.

    Abraço fraternal

    Sue

  7. Júnio

    Uma boa notícia:

    Americanos contra aborto pela primeira vez em 15 anos

    [http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/eua_sociedade_aborto]

  8. Crusader

    Vendo espadas para cruzados católicos! Para quem está disposto a matar e reprimir em nome de Deus e da Nossa Senhora!

    Espadas raras, do século 16, vindas da Espanha, em ótimas condições, perfeitamente afiadas. Os pescoços dos infiéis e inimigos da Santa Igreja parecerão pães, de tão fácil que será cortá-los!

    São excelente espadas para cruzados dispostos a ir à Guerra Santa contra as nações inimigas da Igreja, cultuadoras de valores inimigos como homossexualidade, aborto e laicismo.

    À venda na igreja radical mais próxima de sua casa.

    Em breve, também venderemos lenha e estacas de madeira para montar fogueiras inquisitoriais! Vocês irão adorar!

  9. Alien

    Crusader, você vende também coletes e carros especiais para homens-bomba islâmicos?

  10. carlos

    Crusader,
    você que defende tanto o laicismo, o aborto e a HOMOSSEXUALIDADE, certamente saberá o que fazer com a lenha e com as estacas de madeira, caso não as venda… Bom proveito!

  11. Pingback: Deus lo Vult! » Mais homofobia