Anjos e Demônios

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 3 meses 9 dias atrás.

[ATENÇÃO! CONTÉM REVELAÇÕES SOBRE O ENREDO (SPOILERS)!]

angels_demonsMais pernicioso do que “O Código da Vinci”, porque mais sutil: foi a opinião com a qual saí ontem da sessão de cinema onde fui para ver Anjos e Demônios. Comentava com um amigo no caminho de volta – aliás, leiam as considerações dele sobre a película – que, neste filme – ao contrário do Código da Vinci que intenta “revolucionar” tudo o que se sabe sobre o Cristianismo -, a cantilena é a mesma do início ao fim: a Igreja Católica é inimiga da Ciência. A repetição da tese ad nauseam, das mais variadas formas ao longo do enredo, aliada ao já conhecido e amplamente disseminado preconceito histórico contra a Igreja adotado por grande parte das pessoas, faz com que o espectador saia do cinema, sim, com uma visão negativa e equivocada da Igreja.

O personagem do Tom Hanks ajuda. O seu ar de superioridade, a ironia com a qual ele trata – muito “apropriadamente”, dentro do enredo – todas as coisas referentes à Igreja, a sua mania de comentar en passant assuntos que ele “conhece muito bem” (as “informações enciclopédicas” das quais fala o Cardoso) e todos os demais ignoram, etc: a receita faz com que o público seja cativado pelo prof. Langdon – e, por conseguinte, pelas suas opiniões. Logo no início do filme, falando sobre a “célebre” cena de Pio IX com um martelo e um cinzel na mão, atravessando às pressas os corredores vaticanos para “castrar” as estátuas renascentistas… oras, nunca ouvi falar de semelhante coisa na vida. As estátuas renascentistas são imorais e a “cobertura” dos órgãos sexuais com folhas é posterior às obras; isso todo mundo sabe. No entanto, acho bem pouco provável que, por todos os séculos compreendidos entre o Renascimento e Pio IX, as estátuas tenham ficado indecorosamente expostas sem que ninguém parecesse se preocupar com elas; e, ainda que isso tenha acontecido, a cena do Papa quebrando-as pessoalmente raia o inverossímil.

A mesma coisa com La Purga. La Purga! “Vocês não lêem nem a sua própria história?”, pergunta com aquele jeito arrogante o prof. Langdon aos – se minha memória não me falha – membros da Guarda Suíça. “A Igreja mandou marcar a ferro quatro cientistas porque as suas conclusões científicas discordavam das do Vaticano, o que fez com que os Illuminati passassem a ser violentos”. A culpa – de novo! – é da Igreja Católica. Esqueceu-se o sr. Langdon de fornecer mais detalhes sobre estas pobres vítimas da violência vaticana. Quem são eles? Quando isso aconteceu? Onde? Mas o Dan Brown não pode fornecer essas informações, porque senão a invenção dele seria mais facilmente desmascarada.

Continua o prof. Langdon com as suas bobagens: os “altares da Ciência” construídos em igrejas de Roma, Galileo e Bernini como Illuminati, o “caminho da iluminação” que devia ser percorrido pelos que quisessem ser admitidos à sociedade secreta, o Diagramma Veritatis escrito por Galileo que ensina como chegar a este caminho… a Igreja sempre retratada como obscurantista, inimiga da ciência, e os cientistas em guerra constante contra Ela, zombando d’Ela ao se reunírem às barbas dos cardeais no Castelo Sant’Angelo, colocando nas igrejas d’Ela as pistas a serem descobertas por quem quisesse ser um Iluminado.

Mas a figura do camerlengo é uma das piores. Aparentemente colocado para ser uma contraposição ao ceticismo do prof. Langdon, e depois revelado como o responsável – de alguma maneira mirabolante – pelo roubo da anti-matéria, seqüestro dos cardeais e elaboração de um plano infalível para salvar a Cidade do Vaticano da bomba que ele próprio armou e, por conseguinte, ser aclamado Papa graças ao heroísmo de sua atitude, a Igreja está muito mal representada por este jovem sacerdote. Todo o seu discurso inflamado em favor da Igreja, proferido ao colégio cardinalício, está enviesado pela mesmíssima falsa oposição Igreja x Ciência do prof. Langdon. Se até mesmo o personagem “católico” da trama concorda plenamente com o simbologista, então – é o que facilmente conclui o espectador – a Igreja é mesmo responsável por todas essas barbaridades contra a Ciência perpetradas ao longo dos séculos. Nem mesmo a reviravolta final que o mostra como responsável por toda a tragédia ao invés de paladino salvador é o suficiente para macular por completo todas as suas atitudes ao longo do filme. Permanece, por exemplo, um nobre ideal a ser buscado a idéia dele de “mudar” a Igreja e fazê-la “não ser mais” (!) inimiga da Ciência. E as pessoas que tenham “simpatia” pela Igreja são, diante do filme, “empurradas” a terem exatamente esta posição: ah, os erros pertencem ao passado e vamos construir uma Igreja que “não seja mais” inimiga da Ciência. Propositalmente, não existe uma posição que seja simpática à Igreja, não existe alternativa ao erro de fundo da falsa oposição existente entre fé e ciência: os inimigos da Igreja tratam-Na no máximo com indiferença porque Ela não é amiga da Ciência, e os amigos da Igreja querem que Ela mude para que seja amiga da Ciência…

Retomando, para terminar, uma crítica que já ouvi em outros lugares: diante de todas as mentiras do filme, pode-se objetar dizendo “ah, mas isso tudo é ficção, é como X-MEN, e não dá para exigir que as obras de ficção sejam verdadeiras”. As obras de ficção não precisam ser verdadeiras, é claro, mas também não podem apresentar informações falsas como se fossem verdadeiras. E Anjos e Demônios faz exatamente isso. Afinal, no meio de um monte de coisas verdadeiras (com algumas falhas aqui ou ali, mas em substância verdadeiras) como a Igreja, o Papa, o camerlengo, o colégio cardinalício, o Conclave, os arquivos vaticanos, Galileo, Bernini, o êxtase de Santa Teresa, o Castelo Sant’Angelo… quem é que vai saber se a história da castração das estátuas de Pio IX é mentira ou verdade? Ou se a existência de cientistas Illuminati é mentira ou verdade? Ou se La Purga é mentira ou verdade? O filme tenciona, sim, confundir e consegue. Como já falei no início (e é, a meu ver, a pior coisa da obra), a visão da “Igreja inimiga da Ciência” – a mentira repetida do início ao fim, em todas as partes da trama – impregna-se fortemente em quem assiste Anjos e Demônios. Agora ouse dizer a alguém que isso é ficção…

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

24 thoughts on “Anjos e Demônios

  1. Laerte Rodrigues

    Eu ainda não sei se vou assistir este filme. Tinha feito o propósito de não dar minha atenção a nada que, de alguma forma, afrontasse à Santa Igreja e a nossa fé católica. Enfim… só sinto pelos milhares de pessoas que mais uma vez beberão do veneno da mentira e da calúnia contra a Esposa de Cristo. Que Deus os abençõe!!!

  2. tht

    Puxa, Jorge! Tu pagaste ingresso pra ver isso? :P

    Farei como o Código, verei-o na TV quando a voz do Tom Hanks for dublada pelo cara que apresenta documentários na TV Escola rs***

    Em todo caso, vou colocar esse teu texto no Pastoralis e sem aviso de spoiler !

    Pax,

  3. Alien

    the:

    para comentar sobre o inimigo, tem que se conhecer ele…

    “mantenha os amigos por perto, e os inimigos mais ainda”… não tem um ditado + – assim?

  4. Pedro

    O curioso é a desculpa do “É tudo ficção” não valeu para o filme “A Vida é Bela”, de Roberto Benigni, que foi massacrado por críticos brasileiros que se auto-arvoraram em paladinos do politicamente correto e do povo judeu. Esse argumento só parece valer para falar mal do catolicismo.

  5. Midori

    Olá Vizinho!

    Eu soube do seu blog e vim visitar! Gostei dos seus posts e da sua preocupação em defender a Igreja Católica. Realmente eu devo concordar que a trama do Dan Brown confunde a cabeça das pessoas e penso: realmente o cara é um gênio. A forma sutil como ele consegue mesclar ficção e realidade só mostra a sua genialidade.

    É claro que você faz algo formidável mostrando à sociedade coisas do filme que são verdades e outras que são inverdades. Mas para quem leu o livro, sabe que no filme faltaram informações importantes para compreender melhor o todo. E eu acredito que não foram colocadas nas big telas do cinema, pois iriam provocar reações ainda maiores dos católicos.

    Ponto crucial: o carmelengo era filho do papa com a sua mãe, que haviam se apaixonado enquanto o papa ainda era padre. Para não ferir os preceitos da Santa Igreja ele foi concebido por meio da inseminação artificial, coisa que o carmelengo não sabia. O fato dele ser filho do papa o deixa transtornado e faz como que ele o mate em noma da menutenção dos valores da Igreja. Saber sobre a produção da antimatéria faz com que ele articule toda aquela trama.

    Tem alguns outros detalhes da vida do carmelengo que não é revelado no filme, que mostra o motivo pelo qual ele tem tanto ódio da ciência. Não me recordo se ele chega a saber sobre a inseminação artificial. Mas me recordo que tem algo com relação à morte de sua mãe… Não me lembro bem, já tem mais de um ano que li o livro.

    Mas creio que esses detalhes absurdos poderiam contribuir para que a obra fosse vista como mera ficção. E é. Absolutamente. Realmente pensar em um papa como um louco cortando as partes das estátuas é cômico. E nas telas eles deram muita ênfase nisso. O que passa quase despercebido ao ler a obra!!

    Não acho que devemos por a culpa no Tom Hanks por ser um ótimo ator e interpretar tão bem o Dr. Langdom, nem tampouco criticar o Dan Brown, mas porque não pensar em toda a equipe que estava por trás da realização do filme? O diretor, o que ele queria dando ênfase em alguns pontos e omitindo outros?? E muitos outros.

    De fato as big telas do cinema impressionam – toda a questão da produção da antimatéria naqueles tubos de aparencia verossímil, bem como toda a começão com a morte do papa – muito similar ao que vivemos há alguns anos.

    Fazemos parte da história. Muito do que nos é passado em livros didáticos não passa de equívocos que são repetidos e tidos como verdade. Devemos ficar sempre atentos para não reproduzirmos os erros. E eles existem e estão por toda a parte. Não podemos simplesmente fechar os olhos ao que está acontecendo.

    Adorei como vc escreveu e gostaria só de deixar aqui minha opinião em relação ao assunto.

    Um beijão!! Acho que vou ser assidua aqui!!

    PS: Eu tenho fé na igreja e na ciência, mas tenho medo dos homens e especialmente da ausência de moral que acomete nossa sociedade.

  6. Marcos Tadeu

    Laerte Rodrigues, Veneno da Calunia e mentira e comumente dado pelas Igrejas, não pela Ciencia

  7. Lampedusa

    “Para não ferir os preceitos da Santa Igreja ele foi concebido por meio da inseminação artificial”

    O livro diz isso?

    Se sim, é mais uma prova da ignorância desse autor sobre a doutrina católica…

  8. Ronaldo

    Tudo bem que nao podemos dar creditos ao que o livro/filme diz, mas dizer que a “santa igreja catolica” eh tao santa assim e tem boa relacao com a ciencia, eh fechar os olhos para a historia. Esqueceram da santa inquisicao espanhola? e mais recente, eh so olhar a posicao da igreja (catolica) quanto ao uso da camisinha e das pesquisas com celulas troncos. Uma instituicao que foi formada por civilizacoes pagas (Roma) com proposito politico, pois o cristianismo (verdadeiro)crescia cada vez mais entre a populacao devido ao evangelismo de Paulo, e que atrasou durante seculos e continua atrasando, porem em menor escala, o progresso da Ciencia nao pode ser levada tao a serio, assim como a Obra de Dan Brown.

    Eh apenas uma opiniao, espero que a publique e nao faca um “santo oficio” (santa inquisicao) aqui no seu blog. =) Um Abraco…

  9. Jorge Ferraz Post author

    Senhor Ronaldo,

    Já que o senhor citou a Inquisição Espanhola, deve saber que ela foi um instrumento régio (e não eclesiástico) de manutenção de poder político – portanto, que ela agiu muitas vezes à revelia da Igreja Católica.

    Quanto ao uso da camisinha, note por gentileza que a prática de sexo com preservativos não pode ser classificada como “ciência”, nem existe nenhum avanço científico que possa ser obtido por meio da utilização do látex durante o ato sexual, de modo que não se entende como a condenação da Igreja a esta prática seja indício de não possuir “boa relacao com a ciencia”.

    Quanto à destruição de embriões humanos em pesquisas científicas, é algo imoral. A ciência não pode avançar por meio da utilização de seres humanos em pesquisas. Não foi correcto o Dr. Mengele avançar a medicina alemã por meio de experimentos com judeus – mesmo que estes judeus fossem ser “descartados” depois de qualquer maneira.

    A tua avaliação histórica sobre o “proposito politico” da Igreja em oposição ao “cristianismo (verdadeiro)” que crescia “entre a populacao” é uma interpretação preconceituosa da história, e não História em si. São coisas assim que, como a obra de Dan Brown, não devem ser levadas a sério.

    Abraços,
    Jorge

  10. jonny

    seu bando de otarios fanatico
    que idolatra um papa tirano e falso
    segem uma igreja que matava quem os questionava
    vcs não saben nada da sua historia seus
    ipocritas !!

  11. Pedro M

    Puxa, Jonny, então nos ensine! Mostre por que você diz que papa é tirano e falso e conte como a Igreja matavam quem a questionava!

    Se eu não sei de história, pelo que você disse, você deve saber muito mais do que eu… então me ensine.

  12. Pedro M

    Ah, esqueci: antes de ensinar história, comece escrevendo certo. A disciplina da História é basicamente descritiva e isso requer bom português. Pra começar, “hipócritas” se escreve com “h”, de “história”.

    Abs

  13. Jonas

    Esse jonny não sabe sequer expressar-se em português, vai saber história? Deve conhecer história tanto quanto conhece a própria língua…

    Um ignorante presunçoso que não sabe vazar o próprio pensamento em linguagem clara e correta não é digno de tanta atenção.

  14. Marcio Caldas

    Pensar que essa prática é uma coisa nova na Igreja Católica, é fechar os olhos para o que a Santa Igreja Católica representa no mundo.
    Voltando no tempo, na época da inquisição, vimos a Igreja Católica praticar atos barbários contra a humanidade…
    Voltando mais ainda, na época do Império Romano, após a morte de Cristo, a Igreja se associou aos poderosos do império com medo de retaliações…
    Na queda do império Romano, mais uma vez a Igreja Católica foi protagonitas dos maiores acordões com os imperadores acuados, protegendo-os em troca de terras , dinheiro, riquezas das mais variadas…

    Mas voltando na época da inquisição!!!! Essa foi a mais devastadora fase da Igreja Católica, pois nessa época parte da História foi retida em calabolsos dos seus monges beneditinos, onde só eles, tinham acesso a escrita, a livros.. Parte da cultura do mundo foi retida pela igreja, julgamdo àqueles que faziam uso da escrita, como hereges , bruxos, sendo queimados , decaptados, enforcados pela ordem inquisirora da Igreja.
    Parte da História ocorrida naquela época, encontra-se no Vaticano, onde ninguém tem acesso, guardada a sete chaves, privando a humanidade de saber de fato, acontecimentos ricos que mudariam o rumo hoje da História mal contada em muitos livros históricos.
    Mas fatos como esse dentro da Igreja Católica, de pedofilia, homessexualismo, isso é um fato curriqueiro dentro da Igreja Católica, sempre foi e aconteceu, mas dentro dos tribunais de justiça e da mídia, a Própria Igreja manipula às informações contrárias e, que venham a atingir sua imagem. Essa é a verdade da igreja Católica no Brasil e no mundo.
    Vários artigos em nossa constituição devem ser revistos contra essas instituições, que se postulam em nome de Deus, de Cristo, como casas íntegras, mas que na verdade, vivem no luxo e na riqueza, isentas dos impostos que são livre de pagar, e muitas delas, servem com fachadas para lavagem de dinheiro e, usurpar o povo que acreditam que ali, vão salvar suas vidas e livrar suas almas dos pecados.

    Marcio RJ

  15. Sidnei

    “Parte da História ocorrida naquela época, encontra-se no Vaticano, onde ninguém tem acesso, guardada a sete chaves, privando a humanidade de saber de fato, acontecimentos ricos que mudariam o rumo hoje da História mal contada em muitos livros históricos.”

    Burra da Igreja se fizer isto, porque quem comete um crime deve desfazer das pistas destes crimes e não guardar, mesmo que a sete chaves.

    “Mas voltando na época da inquisição!!!! Essa foi a mais devastadora fase da Igreja Católica, pois nessa época parte da História foi retida em calabolsos dos seus monges beneditinos, onde só eles, tinham acesso a escrita, a livros.. ”

    E a Igreja tem culpa que depois da queda do Império Romano ela foi a única instituição a ficar de pé?, ainda bem que tivemos os monges beneditinos que preservaram muitos escritos antigos, das mãos dos bárbaros que poderiam destruir tudo juntamente com o Império Romano, e não só preservaram estes escritos como a Igreja converteu estes mesmos bárbaros em cristãos, e a Igreja colaborou e muito com a cultura do povo sobre tudo através de fundações de escolas, universidades, hiospitais, etc. somente um cego, arrogante e preconceituoso é que não vê isto.

    “Parte da cultura do mundo foi retida pela igreja, julgamdo àqueles que faziam uso da escrita, como hereges , bruxos, sendo queimados , decaptados, enforcados pela ordem inquisirora da Igreja.”

    Poderiam me trazer a lista dos que faziam uso da escrita e julgados pela igreja como bruxos, que foram queimados e decaptados e enforcados pela ordem inquisidora da Igreja, se tem esta lista traga-os para nós, porque jogar palavras ao vento para acusar a Igreja isto é calúnia e difamação, se não tem provas cala-se se tem traga-os, mas por favor, quero o nome de todos os que foram executados pela Igreja, e não me venham com esta história que a Igreja destruiu todas as provas ou que ela guarda a sete chaves porque não cola, pois se a Igreja fez isto ou não fez isto será mera suposições as coisas devem ser atendidas por provas documentais e existenciais, o resto será um diz que me diz que não será levado a sério.

  16. Enrique

    incrivel como um site podi gastar tempo fazendo uma critica sobre um filme que critica a maior impresa do mundo (a igreja catolica)minha vo como freguentadora me levo para ve como os padres agem sabe oque o padre me disse ¨a igreja catolica é uma impresa que fas circurla milhõeas por ano se vc for procurar vai ver uma igreja no meio da africa com aguns moveis feitos de ouro OURO na africa? imves da @#$% da igreja ajuda as crianças e idosos tem moveis de ouro no filme o o guarda suiço fala ¨minha igreja salva os pobres e morimbundos e a sua oque fas ¨ acreditem ñ so ateu nem nd asim mais ñ freguento igrega alguma mais minha igreja ñ roba dinhero do velinhos usamdo a discupa de doar a deus sabe como eu doaria a deus ajudando que presisa ajudando instituisões de caridade o filme so mostra a realidade so mostra corupsão que a na igreja a comosão e fragilidade que tds tds nos temo que quando em situasõe difises pedimos para deus ajuda e usam o nome dele para ganha dinheiro a violenta crianças e iso fas que os tradicionais catolicos procurarem criticas mais se vc fose realmente fose ver a igreja por dentro vc ficaria mt mt decepcionados com a igreja , com a igreja ñ com deus nem jesuis eu acredito em deu a odorei anjos e demonios mais eu ñ acredito

  17. Jorge Ferraz Post author

    Enrique, pois é. Bem faria você se gastasse um mínimo de tempo que fosse para criticar o site que criticou o filme…

    – Jorge

  18. Flávio

    É verdade, nós catolicos preferimos que as crianças continuem cadeirantes, que pessoas morram e que velinhos sofram devido a suas incapacidades apenas para respeitar regras que foram impostas a mais de 1000 anos.Concordo com o fato da Inquisição Espanhol(não foi tão negro assim)O Uso da camisinha vai de cada um.

    O Vaticano perseguiu quem o questionanava.Isso é passado, e os Illuminati não eram agressivos muitissimo menos uma sociedade secreta.Eram filosofos fissicos e matematicos.Com a sua logica e razão, eles conseguiram derrubar o poder da Igreja.

    A questão de ciencia vc religião é ridicula

    No filme o padre diz”O mundo precisa das duas” e eu acrescento que precisa tambem de senso critico, para desvendar o que é falso e o que é verdadeiro.