E os padres pedófilos?

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 3 meses 5 dias atrás.

Um corajoso anônimo resolveu abrir a Boca do Inferno para tentar denegrir a imagem da Igreja Católica por meio da exposição das dolorosas faltas – graves! – daqueles que deviam ser os seus mais sinceros e intransigentes seguidores: os sacerdotes. Após o Joe falar na pedofilia entre o clero, recebi quatro comentários do falecido poeta barroco trazendo notícias sobre sacerdotes que haviam sido condenados por crimes de pedofilia.

Não há sentido algum em se discutir os problemas morais de uma parte do clero com pessoas cujo único intuito é atacar a Santa Igreja por meio da ignorância deliberada e sistemática de Seus incontáveis membros santos, ao mesmo tempo em que lançam cínicos holofotes sobre meia dúzia de gatos pingados que não souberam honrar a vocação que receberam. No entanto, uma coisa dá para fazer: desmascarar o expediente cretino e encerrar de vez as tantas alusões aos “padres pedófilos” que são feitas em discussões sobre temas quaisquer que sejam, como se a Igreja fosse composta por pedófilos ou como se os erros de uns tantos privassem a todos do direito de falar o que é certo.

Já devo ter dito isso antes aqui, mas repito. Chesterton dizia que um ser humano nunca age como um animal: ou age muito melhor do que ele, quando se comporta como homem, ou muito pior, quando “se esquece” da sua humanidade e passa a agir como se fosse bicho. Da mesma forma, um sacerdote do Deus Altíssimo nunca age como um homem normal: ou age de maneira muito superior, quando se esforça para viver o seu sacerdócio, ou de maneira muito pior, quando se esquece daquilo que é para se comportar como se não fosse consagrado ao Todo-Poderoso. Quanto mais, então, quando resolve cometer gravíssimos pecados contra a pureza, como é o caso da pedofilia!

Os pecados dos membros do clero são uma dolorosa chaga, sem dúvidas. É uma ferida pela qual toda a Igreja oferece sem cessar as Suas súplicas ao Altíssimo, a fim de que tenha misericórdia de todos os envolvidos em tão grave pecado, e que possa conceder – no que for possível – paz aos agredidos e conversão aos agressores. Correndo o risco de fazer o discurso do óbvio, enfatizo que pedófilos não podem ser sacerdotes, sendo uma traição à Igreja e um ultraje a Nosso Senhor que membros do clero cometam falhas morais desta magnitude. Um único caso de pedofilia no clero já seria de uma gravidade que os anti-clericais nem sequer são capazes de imaginar. No entanto, o Sacramento da Ordem mantém a natureza humana dos sacerdotes, natureza passível de erros que, embora – claro – não justifique, ao menos explica como é possível que a Igreja Santa carregue em Seu seio membros pecadores. Fazemos parte de uma Igreja indefectivelmente Santa, e não de uma Igreja de santos indefectíveis. É fundamental não confundir as duas coisas.

Sem entrar em absolutamente nenhuma discussão sobre as causas desta infâmia, as formas de saná-la, a potestade de jurisdição da Igreja sobre os Seus sacerdotes e tantos outros temas a ela relacionados, tenciono aqui simplesmente pôr a descoberto o expediente desonesto (já acima mencionado) da aplicação de lentes de aumento – às vezes, de microscópios de varredura eletrônica… – aos pecados do clero, passando assim a falsa impressão de que o problema apresenta uma magnitude que está infinitamente além da real. O método vai ser muito simples: coleta de notícias sobre sacerdotes condenados [acusados não vale] por pedofilia no Brasil nos últimos dez anos, para que, ao final, fique clara qual a proporção que estes ocupam entre tantos sacerdotes que, em maior ou menor medida, esforçam-se por serem fiéis ao ministério para o qual foram escolhidos.

O sr. “Gregório de Matos” trouxe três (as datas são da notícia, e não da condenação e nem do crime):

  1. pe. Geraldo da Consolação Machado, 2005 – homossexual.
  2. pe. Edson Alves dos Santos, 2008 – homossexual.
  3. pe. Avelino Backes, 2008.
  4. pe. Alfieri Eduardo Bompani, 2004 – homossexual.
  5. frei Tarcísio Tadeu Spricigo, 2005 – homossexual.
  6. pe. Félix Barbosa Carreiro, 2008 [cabe recurso] – homossexual.
  7. pe. Ângelo Schiarelli, 2009 [flagrante].

Temos até agora [atualizado em 23 de junho de 2009], portanto, sete casos. Vamos ver quantos mais os vândalos que não sabem fazer outra coisa a não ser aludir aos “padres pedófilos” vão conseguir trazer.

E que a Virgem Santíssima, Refúgio dos Pecadores, possa interceder pelos sacerdotes do Seu Filho que se mancharam de maneira tão grave.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

69 thoughts on “E os padres pedófilos?

  1. Lima, Humberto

    Amigos, vocês que discutem sobre a pedofilia envolvendo padres, pastores etc, Vale a pena discutir isso? Vocês já pararam para pensar no que a Bíblia diz, que cada dará contas a Deus, de todos os seus atos?
    Pensem nisto: o importante agora é todos reconhceram que são pecadores e precisam portanto do perdão que o Pai oferece através de Cristo Jesus. Amigos arrependam-se dos seus pecados, confessem todos esses pecados para o Senhor Jesus (Não a sacerdotes, seja qual for). Peça a Jesus lhes perdoe os pecados e Recebam a Jesus com único Salvador. Deixem de ficar discutindo besteira de homens que não temem a Deus e tratem de se preparar para o grande dia do arrebatamento dos salvos, ou seja, daqueles que reconhcem o Senhorio de Cristo em suas e
    amam ao Senhor de Verdade. Pense nisto: Jesus é o caminho, a VERDADE e a vida; ninguém vem ao Pai a não ser por Jesus. Esqueça essa briga de religião A, religião B etc. Religião não salva ninguém. QUEM SALVA O HOMEM DA CONDENAÇÃO ETERNA É SÓ JESUS! Meditem nessas palavras e tomem a melhor decisão: Ser discípulo de Jesus.
    Que Deus seja própício a vocês.

  2. Jorge Augusto

    Existem pedófilos católicos ? existem .
    Existem , mas a igreja deixa bem claro sua posição sobre isso . A SANTA IGREJA É EXTREMAMENTE CONTRA !!!
    Você nunca vai ver um grupo de pedófilos católicos se juntarem para tentar legalizar a pedofilia . Grupos como NAMBLA , RENÉ GYON , CHILD LOVE , TOM O CARROL . Nunca veremos grupos de católicos querendo a legalização da pedofilia porque 99,9 % dos católicos repudiam e condenação essa prática maléfica , e a igreja é bem claro .
    A IGREJA É EXTREMAMENTE CONTRA A PEDOFILIA !!!

  3. Leniéverson Azeredo

    Jorge Augusto, boa tarde para você, eu não sei se vc é católico ou protestante, mas eu vou te dar a paz de Cristo.Eu concordo plenamente com vc, os católicos não são a favor da pedofilia e, vou muito mais além, a pedofilia na igreja é ínfima, muito pequena se nós vermos os casos de pastores protestantes, juízes, médicos, advogados, dentre outros que são pedófilos.Além disso, como eu disse em outro post, não se pode associar o celibato com a pedofilia na Igreja Católica, porque se fosse assim, como explicaria o fato de homens e mulheres casados estarem envolvidos com a pedofilia e o tráfico internacional de menores, sobretudo adolescentes para fins sexuais?O que me diria, Jorge Augusto?Como vc me responderia essas perguntas?

    Saudações!

  4. Carlos

    [CENSURADO] Haroldo Galves vítima de covardia e inocente? Não sei. Mas o que isso tem a ver com o assunto discutido no tópico?

  5. thiago

    Eu fico indignado quando vejo os fiéis católicos defenderem a sua igreja dessas práticas abomináveis! os que deveriam ser os primeiros a se indignar e cobrar atitudes do Vaticano, são os que tentam amenizar as barbaridades da igreja.

    E não pensem que me refiro aos abusos cometidos por padres pedófilos. Refiro-me ao encobertamento criminoso e hediondo que a igreja oferece a esses criminosos. A igreja não pode ser culpada pelo que cada sacerdote faz, mas é culpada pelo que ela não faz com esses sacerdotes criminosos. E o que ela não faz, e nunca fez, foi denunciá-los á polícia.

    Como deveriam saber, é parte da política OFICIAL da ICAR, ignorar os abusos e condenar todos os envolvidos (criminosos, vítimas e testemunhas) ao silêncio, sob pena de excomunhão. Ou será que nunca ouviram falar do documento chamado Crimen Sollicitationis? Pra quem não sabe, trata-se de um documento de 1962 que dizia aos membros da Igreja como lidar com os padres que “solicitavam ou provocavam a penitência com relação a questões impuras e obscenas”.

    Pra piorar as coisas, no final do texto, o autor faz questão de especular acerca da orientação sexual dos padres condenados, ficando clara a intenção de associar pedofilia á homossexualidade. Isso demonstra não só um total desconhecimento do assunto, como uma extrema má-fé.

    Estudos sérios e aprofundados já provaram, mais de uma vez, que não existe NENHUMA relação entre homossexualidade e pedofilia. Na verdade, a maioria dos pedófilos, proporcionalmente, levam uma vida de heterossexual. Mas acontece que pedófilos costumam ter preferências por crianças, independente do sexo. Mesmo pq crianças não desenvolveram caracteres sexuais secundários e, portanto, seus corpos são quase idênticos.

    Além disso, sabemos que meninas não costumam ser coroinhas e é óbvio que os padres abusadores vão pegar quem lhes é acessível: os meninos. Ou, até mesmo, homens pedófilos, sabendo dessa proximidade de crianças confiada aos padres, escolheram ser sacerdotes para ter como dar vazão aos seus desejos doentios. E mais: com a proteção da dita “santa” igreja que, no máximo, os mudam de paróquia quando o circo começa a pegar fogo.

    Hipocrisia, fanatismo religiosos e preconceito são trigêmeos. Viva a hipocrisia cristã!

  6. Dagmar Marie

    Falam tanto da Igreja Católica, na qual a pedofilia é punida, e esquecem do islamismo, que se intitula religião, no qual a pedofilia é legalizada, por que? Sem dúvida os pedófilos muçulmanos estão por trás dessas difamações. A verdade é que onde os muçulmanos se infiltram, seja no Continente Africano, Asiático, Americano ou Europeu, inclusive na Oceania, a pedofilia aumenta, assim como aumentou no Brasil. Islamismo não é uma religião, como alegam, mas uma Seita Pedófílica e política, na qual a pedofilia é legalizada por lei do ISLÃ. Aiatolá Khomeini, o líder “religioso” dos islâmicos, antes de morrer, abaixou a idade, para o “casamento” das meninas de 9 (nove) anos, para 8 (oito) anos de idade. Assim, qualquer muçulmano jovem ou velho, pode se deliciar em orgias pedofílicas, sem ser punido. Acordem para a realidade, e se informem ! E, viva a NOVA ORDEM DOS TEMPLÁRIOS, que varrerá do planeta Terra, a chaga denominada islamismo, e suas aberrações sexuais: a pedofilia