A Irlanda e a difamação (ou “A endemia abusiva irlandesa”)

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 1 mês 5 dias atrás.

Um amigo falou-me de manhã sobre a Irlanda. Disse que tinha visto a reportagem do Jornal Nacional de ontem à noite, sobre os casos de abusos infantis lá ocorridos. Questionou a forma como a notícia fora apresentada no horário nobre da Globo, e trouxe a notícia reproduzida pela Folha de São Paulo (que encontrei online no Diário do Noroeste) sobre o mesmo assunto. Permito-me reproduzir aqui em linhas gerais os seus principais questionamentos, salientando que não assisti ao Jornal Nacional e pedindo a quem o fez que possa confirmar ou negar as seguintes informações:

1. O período ao longo do qual ocorreram os abusos foi superior a 60 anos (da década de 30 até os anos 90), coisa que não teria ficado claro nas reportagens televisivas.

2. Tampouco havia ficado claro na televisão que não se tratavam de escolas “normais”, e sim de espécies de “reformatórios”.

3. Os abusos não eram de natureza exclusivamente sexual, coisa que – mais uma vez – não fora deixada clara na Globo.

Passo, agora, aos meus comentários.

Prato cheio para os inimigos da Igreja de todas as matizes! Uma endemia de maus tratos infantis e de abusos sexuais de crianças perpetrados por padres e freiras, ao longo de seis décadas! Sim, é doloroso, e ninguém o nega. É revoltante, sem sombra de dúvidas. No entanto, são também revoltantes as atitudes de uma certa mídia sensacionalista e descomprometida com a exatidão dos fatos, manipulando as tragédias alheias para semear o ódio e a revolta contra a Igreja de Nosso Senhor.

Repito que os inimigos da Igreja não conseguirão jamais ter uma idéia da dimensão da gravidade dos erros dos sacerdotes do Deus Altíssimo. Lembro-me de que um padre meu amigo mostrava-me, outro dia, um antigo livrinho de meditações para sacerdotes, e a parte que ele lia falava exatamente sobre isso. Citando de memória, era alguma coisa como “repara naquelas atitudes que nos outros são apenas pequenas falhas mas, em ti, são pecados gravíssimos”. Ora, se as pequenas coisas – que podem ser feitas pelas pessoas “normais” sem que isso lhes acarrete grande culpas – mancham gravemente os sacerdotes, quanto mais não os mancharão aquelas coisas que até mesmo entre pessoas sem fé são gravíssimas?

A pedofilia entre os sacerdotes é uma coisa gravíssima, e os não-católicos não têm dimensão do quanto o é. Mas não encontro justificativa para que se manipulem os fatos a ponto de que eles pareçam piores do que já são. Tomo a manchete da notícia para ilustrar o que eu digo: Irlanda teve “abuso endêmico” cometido por padres e freiras, diz comissão. Note-se que a reportagem não traz números (a não ser 200 instituições que teriam recebido 30.000 pessoas durante as seis décadas e meia). Note-se também que há um “detalhe” citado bem en passant na reportagem, que diz que “[q]uando autoridades [do Estado] eram alertadas sobre os problemas, ‘mantinham-se em silêncio'”. Por que motivo a manchete não é alguma coisa como “Governo Irlandês acoberta durante sessenta anos casos de pedofilia”? Note-se também que a reportagem critica os superiores eclesiásticos que transferiam os acusados para outros locais, mas não diz qual seria a outra alternativa já que o Estado, segundo a mesmíssima reportagem, “mantinha-se em silêncio” quando era acionado. Note-se ainda que a reportagem não cita as situações dos outros reformatórios que não eram administrados pelas ordens religiosas, para que seja possível uma comparação.

Enfim, há tanta coisa a ser notada, mas não vou continuar. Para os católicos não importa tanto, porque nada disso tira a gravidade dos fatos e o mal provocado a toda a Igreja por estes membros do clero; nada disso justifica os maus procedimentos de sacerdotes do Deus Altíssimo ou de religiosos consagrados à via da perfeição. Nada justifica. Choremos aos pés da Virgem pelas iniqüidades dos sacerdotes do Seu Filho. Ofereçamos a Deus orações e mortificações em reparação pelos pecados do clero. Que Ele tenha misericórdia de nós todos, e digne-Se conceder-nos santos sacerdotes.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

25 thoughts on “A Irlanda e a difamação (ou “A endemia abusiva irlandesa”)

  1. Rafael Cresci

    Jorge,

    Outra coisa que não se mencionou nas reportagens é que a congregação que era responsável pela maioria dos reformatórios masculinos não tem clérigos (diáconos e padres). São apenas irmãos leigos com votos de castidade, obediência e pobreza.

  2. Classic

    Unica e exclusiva Igreja de Cristo ?
    só há salvação nessa igreja ?

  3. Sidnei

    Realmente, diante de tais notícias tem que ter muita fé e convicção na doutrina da Igreja para não pegar nojo de padres e freiras pois se alguma coisa dessas tivesse acontecido comigo não iria a justiça buscar soluções eu faria minha própria justiça acertando a acara desses [CENSURADO] e freiras carrancudas e mau amadas, porque somente pessoas que tem um espírito de porco para usar hábito e agir dessa forma, se algum dia algum padre ou freira levantar a voz comigo não hesitarei em abaixar o braço, se não estão contentes com sua vocação que larguem a batina ou o hábito que vão se refastelar com algum homem ou mulher mas não espancando ou abusando crianças, é uma pena que nenhuma padreco ou freira mau amada não vão ser condenados na Irlanda, garanto que a justiça dos homens eles escaparam, mas de DEUS não, se muitos destes estão mortos devem estar ardendo nos infernos estas horas. Desculpe Jorge Ferraz pelo desabafo, mas diante de tais notícias fica até desanimador defender a Igreja se por um lado tem um monte de [CENSURADO] e freiras dando mau exemplo, somente uma força divina para não deixar naufragar esta Igreja que é tão linda mas que tem em seu seio membros que já beiram a gangrena, pecados cometidos por estes [CENSURADO] e freiras para mim são piores que de um adultero, sodomita ou fornicador, pois os padres investido pela missão que couberam de emprestar todo seu ser a CRISTO para que JESUS presente na pessoa do padre poça trazer até nós tornando presente seu santo sacrifício nos altares, dando de seu corpo e sangue na Santa Missa, transmitindo o perdão de nosso pecados na Confissão, fazem algo desta magnitude, para mim é um pecado que abranda os céus, deveria haver no direito canônico precedentes que levantassem ex-comunhão para padre e freiras que agissem dessa forma, é, tem que ter muito estomago mesmo para não vomitar diante de padres e freiras, sei que não se deve generalizar ninguém, sei que muitos padres e freiras não podem ser responsabilizados pelo que estes religiosos fizeram na Irlanda, mas não tem como não associar a imagem dos padres e freiras em todo o mundo com a destes religiosos infames da Irlanda, tanto que daqui em diante muito pouco irei sorrir diante deles.

  4. Jorge Ferraz Post author

    “Classic”,

    Sim, só há salvação nesta Igreja, e isso é dogma.

    As pessoas que estão fora da Igreja salvam-se se (e SOMENTE SE), em Ignorância Invencível [i.e., estiverem impossibilitadas de conhecer a Igreja Católica], cumprirem a Lei Natural e tiverem ao menos implícito o Batismo de Desejo; neste caso, salvam-se também por meio da Igreja, à qual pertencem ainda que não saibam.

    Abraços,
    Jorge

  5. Sidnei

    Desculpe Jorge Ferraz, mas estes padres infame que fizeram isto na Iralanda como em outras partes do mundo são verdadeiros [CENSURADO].

  6. Sidnei

    Inclusive a estes padres que cometeram tais atrocidades?, que mancharam o sacerdócio de CRISTO o qual eles participam?, é de nós até pode ser que eles mereçam nossas orações para que se arrependam do que fizeram, porque se não se arrependerem vão enfrentar um juízo mais severo que qualquer prostituta ou homossexual, pois foi JESUS mesmo quem disse a respeito deste padres: “. 37 Bem-aventurados os servos a quem o senhor achar vigiando, quando vier! Em verdade vos digo: cingir-se-á, fá-los-á sentar à mesa e servi-los-á. 38 Se vier na segunda ou se vier na terceira vigília e os achar vigilantes, felizes daqueles servos! 39 Sabei, porém, isto: se o senhor soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria sem dúvida e não deixaria forçar a sua casa. 40 Estai, pois, preparados, porque, à hora em que não pensais, virá o Filho do Homem. 41 Disse-lhe Pedro: Senhor, propões esta parábola só a nós ou também a todos? 42 O Senhor replicou: Qual é o administrador sábio e fiel que o senhor estabelecerá sobre os seus operários para lhes dar a seu tempo a sua medida de trigo? 43 Feliz daquele servo que o senhor achar procedendo assim, quando vier! 44 Em verdade vos digo: confiar-lhe-á todos os seus bens. 45 Mas, se o tal administrador imaginar consigo: Meu senhor tardará a vir, e começar a espancar os servos e as servas, e a comer e a beber e a embriagar-se, 46 o senhor daquele servo virá no dia em que não o esperar e na hora em que ele não pensar, e o despedirá e o mandará ao destino dos infiéis. 47 O servo que, apesar de conhecer a vontade de seu senhor, nada preparou e lhe desobedeceu será açoitado com numerosos golpes. 48 Mas aquele que, ignorando a vontade de seu senhor, fizer coisas repreensíveis será açoitado com poucos golpes. Porque, a quem muito se deu, muito se exigirá. Quanto mais se confiar a alguém, dele mais se há de exigir.” (Lc. 12,37-48), resumindo em um dito bem popular, não quero estar no coro dessa gente.

  7. Jorge Ferraz Post author

    Sim, Sidnei. Inclusive ao pior dos padres.

    Mas tu estás correto, e é claro que, in die iudicii, eles serão julgados com muitíssimo mais severidade. Que Deus tenha misericórdia deles e de nós todos.

    Abraços,
    Jorge

  8. Marcelo

    Senhores,
    O Jorge e o Rafael já deram a dica: a notícia está mal posta. Não há acusação contra nenhum padre, nem freira. A grande maioria dos casos não era de conotação sexual (pedofilia). Parece que se tratava de um tipo de Febem. Nós bem sabemos as atrocidades que acontecem nesses locais. Certo, por estarem sob o comando da Igreja, isso não deveria ter acontecido lá. Mas não é como estão pintando. Tentei achar alguma coisa no site da BBC, mas não apareceu quase nada. Vou continuar fuçando e depois informo.
    Sds.,
    de Marcelo.

  9. joão

    Cara , você adora defender pedófilo, mais um da gangue que grita complô quando os seus são pegos, é o seguinte, os membros da igreja sabiam muito bem o que acontecia e deixaram rolar e quando muito transferiam os monstros de paróquia.

    Como você pode não ter vergonha de tentar suavizar a responsabilidade da igreja nesses casos, eu tenho nojo e vontade de vomitar quando vejo criaturas tão bitoladas que são capazes de esquecer o sofrimento das vítimas para defender uma instituição, quanto mais uma instituição tão hipócrita quanto essa, o seu papa deveria estar em cana por tudo que fez desde os tempos em que era cardeal para encobrir os casos de pedofilia.

    Rolei de rir de ver [CENSURADO] tendo que engolir o orgulho quando foi aos EUA, calou bem a boca ao invés de ficar papagaiando “complô” como fazia antes e de forma bem subserviente pediu desculpas, que de nada adiantam, mas pelo menos seria atitude mais decente a ser tomada desde o início.

    Existe sim um complô , para mascarar as imundices da igreja, a organização que esta há mais de um milênio no mercado enganando as pessoas , se encheu de dinheiro e influência. Mas para os caras-de-pau que até lembram disso na hora de falar da grandiosidade de sua instituição rapidamente falseiam isso e falam como se o Vatigangue fosse uma organização pobre e sem influência, uma verdadeira vítima, dos seus complôs imaginários.

    Sabe onde eu vejo bastante essa sua mentalidade? Em presídio, o bandido sempre acha que os errados são os outros, que é tudo um “complô”, embora tenham sido pegos com a boca na botija.

    Mais decência e menos papo- furado!

  10. Marcelo

    João, vc. é do clube do argo?
    Jorge e demais,

    ahcei, enfim, uma boa reportagem sobre o caso, no Times inglês. Vale a pena a leitura atenta. A questão gerou uma briga entre os arcebispos de Westminister e Dublin. Este anunciou que está sendo preparado um outro relatório, ainda mais duro sobre o caso. Também se lê que, ao contrário do que quadrúpedes como o joão acima, a Igreja pretende instalar um consistório especial para o caso e que o próprio papa Bento XVI quer cuidar diretamente disso. Leiam o texto:
    http://www.timesonline.co.uk/tol/comment/faith/article6344175.ece
    Sds.,
    de Marcelo.

  11. Lucio

    Considerando as informações interessantes trazidas (exceto a de pessoas estúpidas que preferem só papagaiar a versão mal-informada de grupos que tem interesse em mostrar reportagens da maneira mais polêmica possível, afinal não há qualquer interesse econômico nisso, certo?) temos que considerar também o seguinte:

    1 – Os “milhares” de casos não passam de casa de 2000. Ainda são terríveis, e ninguém discorda disso, mas vamos colocar em ordem: é mais chocante dizer milhares e permitir ao leitor imaginar quantos do que conceder o número correto.

    2 – Esses casos ocorreram num período de 60 anos, da década de 30 até a década de 90. Por mais terrível que essa verdade possa parecer, até os anos 70 (por Deus, até hoje em muitos lugares do mundo) o uso de educação através de castigos físicos foi usado. Ainda se pensando com a mentalidade da época, lembrem-se que são reformatórios, e não simples orfanatos de adoção – jovens em orfanatos não são os mais obedientes do mundo.

    3 – Na Irlanda, muitas pessoas comuns, que não sentiram realmente o chamado do celibato, entraram nos seminários como medida para evitar entrar no IRA. Isso fez com que também decaísse o nível dos padres ordenados na região, em alguns casos.

    4 – Esses casos são de ACUSAÇÃO. Pelo jeito, haverá uma investigação para ver quantos desses casos SÃO verdadeiros. Não conte com a sentença de “culpado” antes dos tempos, pois não é só injusto pela justiça dos homens aprovada pela ONU, mas é estupidez (mas, claro, como é a Igreja Católica, aparentemente desculpa-se esse comportamento…)

    5 – E ninguém se pergunta quantos casos ocorreram na FEBEM, em comparação com esses reformatórios irlandeses? Ou ninguém se preocupa que existem mais queixas anuais em, por exemplos, escolas americanas laicas do que existiram casos em 50 anos de sacerdócio católico nos EUA, que nem o Mathsu Cajaíba já postou em outro lugar? http://www.jornadacrista.org/?p=141

  12. Lucio

    6 – Em 60 anos recebendo essas queixas, o governo irlandês não se mexeu nem UMA vez? Algo cheira a podre no reino das notícias “imparciais”…

  13. carlos

    Caros amigos,
    em primeiro lugar, acho que o Sidnei que escreveu as mensagens acima não é o mesmo Sidnei que tem lutado ao nosso lado já há algum tempo (acredito que não). Pergunto isso porque em outros posts apareceu também um outro ‘carlos’ que ataca a Igreja, em vez de defendê-la, como faço eu (por favor não me confundam com aquele miserável ‘xará’).
    O joão bobão acima cai no mesmo erro dos outros trouxas e confunde a Igreja com os erros cometidos por alguns de seus membros, que na verdade são traidores.
    Quanto à mensagem do Lúcio, gostaria de saber se os fatos relatados se referem à Irlanda, ou à Irlanda do Norte. Pergunto isso porque, até onde eu saiba, o IRA só atua na Irlanda do Norte, de modo que se a notícia se refere à Irlanda (e não à Irlanda do Norte) não faria sentido sua informação de que os padres pedófilos entraram no seminário apenas para fugir do alistamento no referido grupo terrorista.
    Um abraço a todos.
    Carlos.

  14. Frederico

    Será que ninguém tem a decência de pedir justiça para os pedófilos e para as vítimas,sendo os primeiros encarcerados e os segundos compensados por danos?!
    Na realidade eu não temo a justiça divina mas sim a justiça dos homens que neste caso é vergonhosa não tendo a coragem de responsabilizar a organização e seu representante na figura do Papa.
    Que interessa às pobres crianças a justiça que irá ser feita no além, as pessoas abusadas sexualmente querem ver a justiça funcioar aqui e agora.

  15. carlos

    Jà não bastasse o João Bobão, agora apareceu também esse Frederico bobico. Ele quer que o Papa seja responsabilizado criminalmente pelos crimes dos padres pedófilos! Que lindo!!!
    Duvido que ele pede a prisão do líder da seitinha dele quando o pseudo-pastor pratica uma pefofilia lá naquele muquifo protestantoso que ele paga pra frequentar…
    Carlos.

  16. Alien

    Frederico, vamos ver outro exemplo: SE um ministro ou um membro do governo Lula for pego roubando, por exemplo, o Lula deveria ser responsabilizado também?

  17. Sidnei

    Sr. Carlos, sou eu mesmo que escrevi as mensagens acima, se não fosse eu não teria dito que a Igreja não naufragou mediante ao mau exemplo de padres e freiras e nem teria dito que nossa Igreja é linda e que os padres investidos pela missão que couberam de emprestar todo seu ser a CRISTO para que JESUS presente na pessoa do padre poça trazer até nós tornando presente seu santo sacrifício nos altares, dando de seu corpo e sangue na Santa Missa, e citei também Lc. 12,37-48 para demonstrar tão severo será o juízo de CRISTO diante destes que exercem o ofício sacerdotal mas que dirigem mal tal ofício abusando e violentando até as crianças, se escrevi a mensagem acima foi porque me revolta muito isto tudo, se por um lado vejo tanta gente defendendo, amando, dando até a vida por CRISTO e sua Igreja como é seu caso, do Jorge Ferraz e tantos outros, e aqui quero reparar uma injustiça, muitos padres, irmãs, religiosos, o Papa, Bispos que não medem esforços para defender a Igreja de CRISTO porém de outro lado há os que pelas suas atitudes só não chegam a manchar a Igreja por causa da Santidade de CRISTO e de muitos santos que não permitem que o pecado a manchem, mas que são verdadeiros servo de satanás e não de CRISTO infiltrado na Igreja isso para mim eles são, e não incluo só estes que estão envolvidos em escândalos sexuais não, aqui também cito os que ensinam doutrinas contrárias as da Igreja, o qual não citarei mas que muitos conhecem porque tanto um como outros são responsáveis em desviar os pequeninos e a este JESUS foi bem severo: “ Mas, se alguém fizer cair em pecado um destes pequenos que crêem em mim, melhor fora que lhe atassem ao pescoço a mó de um moinho e o lançassem no fundo do mar. Ai do mundo por causa dos escândalos! Eles são inevitáveis, mas ai do homem que os causa!” (MT. 18, 6-7).

  18. carlos

    Sr. Sidnei,
    Entendo sua revolta. Mas ainda estou na dúvida se é você mesmo ou se tem dois sidneis postando. Já sabemos que existem dois carlos, eu e o herege.
    Digo isso poque, se for o mesmo sidnei, seu tom mudou muito de uma hora para outra. O antigo Sidnei falava como um católico, o atual se expressa como um ateu…
    Um abraço.
    Carlos (o católico).

  19. Sidnei

    Sr. Carlos, com todo respeito, porém mais uma vez eu responto que quem postou as mensagens acima fui eu mesmo, e o Jorge Ferraz pode comprovar isto, e se por acaso eu tivesse postado algo como se fosse um ateu eu nem teria citado as Sagradas Escrituras e nem teria reconhecido algo de bom, Santo e Sagrado na Igreja, desculpe pela resposta mas é para deixar nenhuma dúvida.

  20. Jorge Ferraz Post author

    Prezados,

    Sim, o Sidnei que está escrevendo é o mesmo Sidnei, conferindo o email por ele informado [e que não fica disponível aqui para nenhuma de vocês, não sendo portanto passível de cópia].

    Aliás, aproveito para esclarecer que o termo censurado na primeira mensagem foi “somente” uma forma pejorativa de se referir aos sacerdotes, justificável sim diante da indignação provocada pelos escândalos, mas mesmo assim inadequada. Foi um desabafo, como ele mesmo disso, e a subseqüente troca de mensagens o esclarece, a meu ver, satisfatoriamente. O Sidnei não está se dirigindo contra a Igreja, e sim contra os maus sacerdotes.

    Outrossim, para evitar confusões com homônimos, eu sugiro enfaticamente a utilização do Google Friend Connect, inscrevendo-se no site na barra do lado direito e fazendo os comentários diretamente com a conta do google [por meio do botão de “Sign in” que tem na caixa de comentários]; deste modo, os comentários aparecem com o nome do autor identificado e não dá para se confundir quanto à autoria deles.

    Abraços,
    Jorge

  21. carlos

    Caro Sidnei,
    Peço perdão porque interpretei muito mal suas palavras.
    Relendo suas mensagens com calma, vejo que realmente não há nada de ateísmo ali.
    Mais uma vez peço que me perdoe. Acho que o que me levou a fazer essa confusão foi o fato de que apareceu um outro “Carlos”, herege protestante, atacando a Igreja. Como há dois “Carlos” aqui (eu e o outro), um defendendo e outro atacando a Igreja, pensei que também teria aparecido um outro “Sidnei” para atacar a Igreja e lançar confusão neste blog.
    Um sincero e fraternal abraço a você, a quem considero um irmão na fé.
    O pedido de perdão e o abraço fraternal são estendidos ao Jorge.
    Carlos.

  22. Sidnei

    Tudo bem Carlos, enganos acontecem, um abrçao fraternal para você também.

  23. Edu

    Você assistiu “Em nome de Deus” ? É um filme que fala sobre as Magdalena Sisters… se não viu, procura no google e veja as informações, a sinopse do filme, inclusive um documentário muito interessante chamado “sex in the cold climb” que fala sobre essas meninas que eram escravizadas por uma congregação religiosa feminina (congregação das irmãs das misericórdia) ….