A pior das escolhas

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 2 meses 26 dias atrás.

O padre Alberto Cutié – aqui citado no início do mês como um exemplo de por que é importante um criterioso discernimento vocacional – anunciou a sua saída da Igreja Católica e a sua passagem para a Igreja Episcopal. Abandonou a Barca de Pedro para se unir à primeira seita herética que o aceitou; rompeu a unidade com a Igreja de Nosso Senhor para fazer parte da primeira “qualquer coisa” que aceitasse um sacerdote que não foi capaz de cumprir as promessas feitas no dia de sua ordenação.

“[Q]ue aceitasse um sacerdote que não foi capaz de cumprir as promessas feitas no dia de sua ordenação” – digo mal. O pe. Cutié não queria uma Igreja que aceitasse um padre pecador penitente, pois pecadores somos todos, e os sacerdotes não estão excluídos da maldição dos filhos de Adão. A Igreja que aceita os pecadores penitentes é a Igreja Católica que está sempre – sempre! – de braços abertos para acolher os Seus filhos que voltam arrependidos. O que o pe. Cutié quer é a primeira igrejola que não chame o seu pecado de pecado, que passe a mão na sua cabeça e diga que está tudo muito bem, que ele não precisa se preocupar nem fazer violência contra si próprio para ganhar o Reino dos Céus.

Ninguém disse que a vida sacerdotal seria uma coisa fácil. Ao contrário, as palavras de Nosso Senhor são muito duras quando Ele diz que, se alguém quiser segui-Lo, deve renunciar a si mesmo e tomar a sua cruz todo dia. Acredito que o padre Cutié tenha lido esta passagem por diversas vezes. No entanto, após ser flagrado em uma praia aos beijos com uma mulher, após virar capa de revista de fofoca, após provocar escândalo entre o povo fiel e envergonhar a Igreja Católica no mundo inteiro, parece que Sua Reverendíssima não está nem um pouco arrependido!

Ainda pior do que o desrespeito ao celibato e o escândalo do povo de Deus é a impenitência. Ainda pior do que um pecador público é um pecador empedernido. Muito pior, portanto, para o pe. Cutié do que ter sido flagrado em Miami Beach foi ter abandonado a Esposa de Cristo para ficar, ao mesmo tempo, com a amante e o [exercício ilícito do] ministério sacerdotal. Muito pior do que ter quebrado a promessa de guardar a continência perfeita até o fim da vida foi não ter sido capaz de dobrar os joelhos no chão, chorar amargamente e dirigir-se a Deus dizendo “meu Senhor, eu pequei, tende misericórdia de mim”.

Desgraçadamente, o pe. Cutié não parece ter noção da gravidade de sua falta, porque a despeito de ter publicado uma nota pedindo “perdão caso suas ações tenham provocado dor e tristeza” quando o escândalo aconteceu, não quer deixar a amante para se dedicar a uma vida penitente e santa de sacerdote católico, e nem quer pedir dispensa do sacerdócio para se dedicar a uma vida penitente e santa de pai de família. Entre a amante e o sacerdócio, ele faz a pior das escolhas: larga a Igreja! Que Deus tenha misericórdia dele.

Quem está de pé, cuide para que não caia, diz São Paulo. São Luís de Montfort queixa-se, no seu Tratado da Verdadeira Devoção, dizendo: “[a]h, quantos cedros do Líbano, quantas estrelas do firmamento se têm visto cair miseravelmente, perdendo em pouco tempo toda a sua altivez e claridade” [T.V.D. 88]. O lamentável desfecho do caso do padre Alberto Cutié vem ser mais um triste e eloqüente exemplo da extensão da miséria e da ingratidão humanas. Que a Virgem Santíssima interceda por este sacerdote! E que Ela nos guarde a todos nós, a fim de que perseveremos até o fim; porque, menos do que isso, não adianta nada…

P.S.: Pe. Cutié abandonou seus fiéis, mas a Igreja não os abandona.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 thoughts on “A pior das escolhas

  1. Mike

    Meu caro Jorge… você não tem moral pra falar de heresia.. afinal.. vossa “igreja” comete inúmeras heresias…

    Razões para os Católicos seguirem somente a Bíblia
    Autor : Prof. João Flávio Martinez Publicado em : Quarta, 25/04/2007

    1ª Razão: Só ela é a verdade. O filho de Deus, Jesus Cristo, certa vez disse: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Jo. 8:32). Mas muitos como Pilatos querem saber “o que é a verdade” Deixemos o próprio Jesus responder “A tua palavra é a verdade” (Jo. 17:17). Veja que a Bíblia é a verdade que liberta da ignorância e superstição das muitas filosofias inventadas pelo homem.

    2º Razão: É luz para nossos caminhos. “Lâmpadas para meus pés é a tua palavra e luz para meus caminhos” (Sl.119:105). Ela é a luz que nos guia nas trevas. Hoje, enquanto muitos dizem possuir a verdade final, Deus nos orienta a procurarmos sua palavra.

    3ª Razão: Não devemos ignorá-la. “Errais não conhecendo as escrituras nem o poder de Deus” (Mat. 22:29). As pessoas geralmente erram porque lhes faltam examinar com cuidado o que crêem e porque crêem. Jesus nos insta a conhecermos a Bíblia.

    Amigo católico, os três motivos acima mostram-nos a importância da palavra de Deus na vida do cristão. E nada pode ser mais importante do que a Bíblia. Certa vez alguns religiosos estavam querendo modificar a palavra de Deus por misturá-la com ensinamentos humanos. Jesus logo os censurou dizendo: “Vós deixais o mandamento de Deus, e vos apegais à tradição dos homens”.(leia Mc. 7:8) Esse incidente mostra-nos o quanto o ser humano gosta de seguir seu próprio caminho ao invés do caminho traçado por Deus. Diante disso devemos perguntar a nós mesmos; será que minha religião está de acordo com a palavra de Deus? Ora, Deus mesmo disse que não deveríamos tirar ou acrescentar nada à sua palavra “Tudo o que eu te ordeno, observarás; nada lhe acrescentarás nem diminuirás”.(leia Deuteronômio 12:32) Pois bem, gostaria que você raciocinasse comigo; se a igreja católica é a igreja verdadeira como dizem os padres, porque então que ela tem desobedecido estes mandamentos de Deus. Veja:

    1. Porque na IC os padres não casam se a Bíblia diz que os bispos precisam casar-se? (Leia I Timóteo 3:2; 4:3)

    2. Porque na IC o padre só da o pão (hóstia) e nunca dá o vinho ao comungante, se na Bíblia Jesus mandou dar os dois símbolos aos fieis? (leia Mat. 26:26-27).

    3. Porque na IC deixa-se usar imagens se na Bíblia Deus proibiu fazer imagens para culto? (leia Ex. 20:4).

    4. Porque na IC o padre ensina que há um terceiro lugar no além chamado purgatório se na Bíblia Jesus ensinou que há apenas dois lugares; céu e inferno? (Leia Lc. 16: 19-31).

    5. Porque na IC se batiza bebês se a Bíblia ordena o batismo somente para os que ouvem o evangelho e crêem Nele. Certamente bebês não têm a capacidade de tomar essa decisão. (leia Mat. 19:14)

    Existem muitos outros pontos que gostaríamos de mostrar a você, mas não o fazemos para não perecer que estamos atacando a religião de outrem. O que queremos que você saiba é que por mais importante, grande ou antiga que seja uma religião, ela não pode jamais contradizer a palavra de Deus. Caso contrário estaria ensinando tradições de homens e não a palavra de Deus. Leia a Bíblia com um coração aberto e veja se as tradições que você tem acreditado até hoje condizem com o que ensina a Palavra de Deus.

  2. André

    Parabéns ao padre Alberto Cutié, que abandonou a heresia de Roma e seus ditadores para ser um homem de verdade e se casar com a mulher que ama. É muito mais cômodo aos covardes terem seus “casos” e depois alegarem para as mulheres que usam que não podem se casar porque são padres.

    Esse está de parabéns, agora conhecerá as belezas e preocupações de homens de verdade, e com a benção de Deus em breve será agraciado com o dom da paternidade, paternidade verdadeira, não a de falastrões que nada nada sabem sobre o assunto mas se fingem de conhecedores dos mistérios do céu e da terra.

    I Timóteo, 3

    2.Porque o bispo tem o dever de ser irrepreensível, casado uma só vez, sóbrio, prudente, regrado no seu proceder, hospitaleiro, capaz de ensinar.

    4.deve saber governar bem a sua casa, educar os seus filhos na obediência e na castidade.

    5.Pois quem não sabe governar a sua própria casa, como terá cuidado da Igreja de Deus?

    12.Os diáconos não sejam casados senão uma vez, e saibam governar os filhos e a casa.

    É da Biblia Ave-Maria mesmo.

  3. Alexandre Magno

    Jorge Ferraz: “[Pe. Alberto Cuité] não quer deixar a amante para se dedicar a uma vida penitente e santa de sacerdote católico, e nem quer pedir dispensa do sacerdócio para se dedicar a uma vida penitente e santa de pai de família.”

    Uma dúvida que eu venho carregando comigo: um sacerdote católico que pediu e recebeu dispensa pode licitamente contrair matrimônio?

    Eu sei que aparentemente uma resposta já está incluída na fala de Jorge Ferraz reproduzida acima, mas tal resposta me soou “estranha” e eu gostaria de conhecer mais detalhes do assunto.

  4. Alexandre Magno

    Ao Mike.

    “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus.” (São João 1,1)

    “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade.” (São João 1,14)

    “Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se fossem escritas uma por uma, penso que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que se deveriam escrever.” (São João 21,25)

    FONTE: bibliacatolica.com.br – Bíblia Ave Maria

    A própria Bíblia nos diz que ela sozinha não contém TODA a Verdade, pois anuncia um “subconjunto” desta.

  5. Alexandre Magno

    André: “É muito mais cômodo aos covardes terem seus ‘casos’ e depois alegarem para as mulheres que usam que não podem se casar porque são padres.”

    Exatamente com as palavras acima eu concordo. Mas, vejamos…

    André: “[Pe. Alberto Cuité] está de parabéns, agora conhecerá as belezas e preocupações de homens de verdade”

    Quer dizer que Jesus não conheceu as belezas e as preocupações de um “homem de verdade”? Ele não teria sido um “homem de verdade”? Ele teria sido um “falastrão”? Para não ir muito longe: e Paulo?

  6. Alexandre Magno

    “[Dom John C. Favalora, arcebispo de Miami (EUA)] expressa a ferida ao ecumenismo provocada pelo bispo episcopaliano da Flórida, ao ter feito da repentina mudança do sacerdote um caso da mídia, algo que a Igreja Católica nesse estado americano sempre evitou em caso de conversão de pastores episcopalianos ao catolicismo.”

    Extraído da fonte referenciada no post scriptum do artigo de Jorge.

  7. Jorge Ferraz Post author

    Prezado Alexandre Magno,

    Sim. Um sacerdote validamente ordenado que pediu e recebeu dispensa pode contrair matrimônio válida e licitamente. Há que se enfatizar que tal dispensa só é concedida pela Igreja, no caso de sacerdotes, “por motivos gravíssimos” (cf. CDC 290, n.3). No caso de bispos nunca é concedida, e a do presidente do Paraguai é um caso inaudito.

    Vale lembrar também que uma coisa é a “perda do estado clerical” (cf. CDC 290) e outra coisa é a “dispensa da obrigação do celibato” (cf. CDC 291), de tal modo que a primeira não implica necessariamente na última (cf. id. ibid.) – a dispensa da obrigação do celibato só pode ser concedida pelo Romano Pontífice.

    Vale a pena ler também a Sacerdotalis Caelibatus, da qual destaco:

    III. DESERÇÕES DOLOROSAS

    83. Neste momento, o nosso coração volta-se com amor paterno, com ansiedade e grande mágoa para aqueles infelizes, mas sempre muito queridos e saudosos irmãos no sacerdócio, que, mantendo impresso na alma o caráter sagrado que lhes foi conferido na ordenação sacerdotal, foram ou são desgraçadamente infiéis às obrigações assumidas quando se consagraram ao serviço do Senhor.

    […]

    85. As dispensas que vêm a ser concedidas, numa percentagem verdadeiramente mínima em relação ao grande número de sacerdotes sãos e dignos, ao mesmo tempo que provêem com justiça à saúde espiritual dos indivíduos, demonstram também a solicitude da Igreja pela defesa do celibato e pela fidelidade integral de todos os seus ministros.

    Ao fazer isto, a Igreja procede sempre com amargura no coração, especialmente nos casos particularmente dolorosos nos quais a recusa de levar dignamente o suave jugo de Cristo se deve a uma crise de fé ou a fraquezas morais, e é por isso, muitas vezes, responsável e escandalosa.

    86. Oh, se estes sacerdotes soubessem quanta dor, quanta desonra, quanta perturbação causam à santa Igreja de Deus, se refletissem na solenidade e beleza dos compromissos assumidos, e nos perigos que enfrentarão nesta vida e na futura, seriam mais cautelosos e reflexivos ao tomar suas decisões, mais solícitos na oração e mais lógicos e corajosos em prevenir as causas do seu colapso espiritual e moral.

    […]

    88. No caso em que ele demonstrasse ser irrecuperável para o sacerdócio, mas apresentasse ainda algumas boas e sérias disposições para viver cristãmente como leigo, a Sé Apostólica, estudadas todas as circunstâncias de acordo com o Ordinário ou o Superior Religioso, deixando ao amor vencer a dor, satisfaz algumas vezes os pedidos de dispensa, mas não sem acompanhá-la da imposição de obras de piedade e de reparação, a fim de que permaneça no filho, infeliz mas sempre caro, um sinal salutar da dor maternal da Igreja e uma lembrança mais viva da necessidade comum da divina misericórdia.

    – Paulo VI

    Abraços,
    Jorge Ferraz

  8. Pedro

    A Igreja Anglicana (Episcopal) está numa decadência terrível, como os luteranos e calvinistas na europa, e por isso quer fazer alarde desse caso, para se promover.

  9. Jorge Ferraz Post author

    Ah, Mike e André,

    Nosso Senhor Jesus Cristo, quando esteve nesta terra, edificou Sua Igreja sobre Pedro e prometeu que as portas do Inferno não prevaleceriam contra Ela [cf. Mt 16,18]. É sempre bom lembrar isso, contra protestantes que adoram chamar Nosso Senhor de mentiroso ao mesmo tempo em que cinicamente reclamam exclusividade na fidelidade às Escrituras Sagradas.

    De que a Bíblia é verdade, é luz para os nossos caminhos e não podemos ignorá-la, ninguém discorda. O que rejeitamos é a falsa doutrina protestante da Sola Scriptura. O que repudiamos como erro anti-bíblico [é bom frisar] é a idéia de que a Bíblia contenha toda a Verdade; esta afirmação, ironicamente, não está na Bíblia.

    Quanto às perguntas:

    1. Nosso Senhor não Se casou, e os padres católicos são chamados à imitação d’Ele.

    2. O celebrante sempre comunga o Corpo e o Sangue. Aos fiéis às vezes é distribuído o Sangue, mas na maioria dos casos é somente o Corpo, porque em todo Sacramento está Nosso Senhor inteiro com o Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, de modo que os fiéis sempre comungam o Corpo e o Sangue. Aliás, registro mais uma mentira anti-bíblica dos paladinos do zelo para com a Escritura Sagrada: onde está escrito que o Pão e o Vinho são “símbolos”?

    3. Deus mandou fazer imagens em diversas ocasiões, tendo proibido a idolatria e não as imagens em si. O próprio Templo de Salomão era repleto de imagens; aliás, por que as igrejas protestantes são anti-bíblicas, não possuindo imagens, quando o Templo as possuía?

    4. São Paulo falou que algumas pessoas salvar-se-iam “passando pelo fogo”, Nosso Senhor falou em servos que seriam chicoteados e em prisões das quais não se sai “enquanto não pagar o último centavo”. O purgatório, portanto, está na Bíblia, apenas não com este nome, sendo mais uma das doutrinas bíblicas rejeitadas pelos hereges protestantes. Registro aliás que só existem dois destinos finais mesmo, Céu ou Inferno – o Purgatório é intermediário e é para quem vai para o Céu.

    5. A Bíblia relata diversos batismos de famílias inteiras, que freqüentemente possuíam bebês, que sem dúvidas eram batizados. Aliás, o Batismo é para a Nova Aliança aquilo que a circuncisão era para a Antiga. Os bebês eram circuncidados. Por qual motivo não seriam batizados? Onde é que está escrito que as crianças não podem ser batizadas?

    Abraços,
    Jorge

  10. Pedro

    Fico imaginando se a intenção verdadeira do Sr. Cutié (que me parece um terrível exibicionista) não será a de, daqui a alguns anos, obter sua “reconversão” à condição de padre católico e levar a esposa junto, como conseguiram alguns pastores anglicanos.

  11. Dionisio Lisbôa

    Jorge

    Este padre é um herege, e assumiu a carapuça ao se mancomunar com os hereges anglicanos!

    Por sinal a igreja anglicana está uma decadência só! Soube que seus templos estão se tornando pizzarias e mesquitas na Inglaterra (sua pátria natal) e nos Estados Unidos, onde são conhecidos como epsicopalianos… Mas, fazer o que? é mais uma destas correntes heréticas que permitem o casamento de homossexuais e a ordenação de mulheres… Aliás, um ramo seco que brotou dos dsesejos imundos de um rei (Henrique VIII)…

    A Igreja Católica Pós-Conciliar também não vai ótima das pernas, somente se mantendo mais ou menos bem na América Latina e África, sendo que na Europa os católicos tradicionalistas ganham cada vez mais adeptos e crescem geometricamente (cada família de católicos tradicionais possuem entre 04 a 08 filhos)!

    Por fim, jorge, sei do seu zelo em combater a ignorância dos hereges que postaram acima, mas sequer adianta postar o besteirol que eles digitam neste blog que é católico. Eles não querem discutir educadamente conosco, mas apenas polemizar! E o pior, eles sequer se dão ao trabalho de estudar de forma séria e imparcial a Doutrina Católica, acredito que por preguiça mental ou porque têm medo de, ao estudarem o tema, se convertam e sejam desmascarados de sua falácias…

    A Paz de Cristo!

  12. Martinho

    “3. Deus mandou fazer imagens em diversas ocasiões, tendo proibido a idolatria e não as imagens em si. O próprio Templo de Salomão era repleto de imagens; aliás, por que as igrejas protestantes são anti-bíblicas, não possuindo imagens, quando o Templo as possuía?”

    Jorge, podes por favor citar a parte da Bíblia onde fala que o Templo de Salomão possuía imagens? Confesso que não me lembro mesmo dessa passagem… e naquela época seriam imagens de que, ou de quem?

  13. Renato Lima

    Dionisio Lisbôa, não se esqueça que a seita anglicana (e muitas outras seitas protestantes) a poucos anos atrás escândalizou os Estados Unidos com vários casos envolvendo padres anglicanos pedófilos (estes podem casar!).

  14. Alexandre Magno

    Dionisio Lisbôa comentou: “Por fim, jorge, sei do seu zelo em combater a ignorância dos hereges que postaram acima, mas sequer adianta postar o besteirol que eles digitam neste blog que é católico. Eles não querem discutir educadamente conosco, mas apenas polemizar! E o pior, eles sequer se dão ao trabalho de estudar de forma séria e imparcial a Doutrina Católica, acredito que por preguiça mental ou porque têm medo de, ao estudarem o tema, se convertam e sejam desmascarados de sua falácias…”

    Há poucos dias eu comentei algo relacionado a isso no post “Comentários a ‘Anjos e Demônios’ – o filme”, do blog Exsurge Domine (Erguei-vos, Senhor).

  15. Jorge Ferraz Post author

    Martinho,

    Jorge, podes por favor citar a parte da Bíblia onde fala que o Templo de Salomão possuía imagens? Confesso que não me lembro mesmo dessa passagem… e naquela época seriam imagens de que, ou de quem?

    Posso sim, caríssimo. Está no primeiro livro dos Reis, capítulos 6 e 7:

    O templo que o rei Salomão edificou ao Senhor tinha sessenta côvados de comprimento, vinte de largura e trinta de altura.

    Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura.

    Mandou esculpir em relevo em todas as paredes da casa, ao redor, no santuário como no templo, querubins, palmas e flores abertas. Nos dois batentes de pau de oliveira mandou esculpir querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu-as de ouro; cobriu de ouro tanto os querubins como as palmas.

    Hirão levantou as colunas no pórtico do templo; a coluna direita, que chamou Jaquin, e a esquerda, que chamou Boaz. Por cima das colunas pôs um trabalho em forma de lírio. E assim foi acabada a obra das colunas. Hirão fez também o mar de bronze, que tinha dez côvados de uma borda à outra, perfeitamente redondo, e com altura de cinco côvados; sua circunferência media-se com um fio de trinta côvados. Por baixo de sua borda havia coloquíntidas em número de dez por côvado; elas rodeavam o mar, dispostas em duas ordens, formando com o mar uma só peça. Este apoiava-se sobre doze bois, dos quais três olhavam para o norte, três para o ocidente, três para o sul e três para o oriente. O mar repousava sobre eles, e suas ancas estavam para o lado de dentro.

    Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões.

    1Rs 6, 2. 23-26. 29. 32; 7, 12-25. 29

    As imagens eram, portanto, pelo menos de querubins, palmas e flores, bois e leões.

    Aliás, há um versículo mutilado nesta brincadeira: é o versículo 36 do capítulo 7 do primeiro Livro dos Reis. A Vulgata de São Jerônimo fala (na bíblia do pe. Matos Soares, grifo meu):

    “Lavrou também nas superfícies, que eram de bronze, e nos cantos, querubins, leões, palmas, apresentando como que a figura de um homem em pé, e com tal arte que não pareciam gravados, mas sobrepostos ao redor”.

    Isso não tem na Ave-Maria:

    “Nas placas dos seus esteios e dos painéis assim como no espaço livre entre estas, esculpiu querubins, leões, palmas e grinaldas circulares”.

    A Bíblia de Jerusalém, incrivelmente, coloca RETICÊNCIAS NO TEXTO sem pôr nenhuma nota explicativa:

    “Sobre os painés das travessas e sobre as molduras mandou gravar querubins, leões e palmas… (sic) e volutas ao redor”.

    Na Nova Vulgata esse versículo também foi mutilado, por qual motivo eu não sei:

    “Scalpsit quoque in tabulatis illis, fulcris eius et super limbos eius cherubim et leones et palmas secundum vacuum singulorum, et coronas per circuitum”.

    E eis aqui o texto em latim de São Jerônimo (grifos meus):

    “scalpsit quoque in tabulatis illis quæ erant ex ære et in angulis cherubin et leones et palmas quasi in similitudinem stantis hominis ut non celata sed adposita per circuitum viderentur”.

    Abraços,
    Jorge

  16. Artur

    Estimados protestantes. Bem, é fato que a bíblia não é nem pode ser a única fonte, primeiramente porque a mesma em passagem nenhuma diz isso, o que de fato contradiz o vosso discurso. E em segundo lugar pelo fato de a interpretação da bíblia poder ser feita de diversas maneiras, o que certamente causaria muitas contradições. Portanto é necessário um magistério que interprete de forma correta tudo o que está escrito. Senão vira zona, como é nas diversas denominações protestantes. É só pensar um pouquinho cara.
    Cristo não viria ao mundo para criar dúvidas, mas para esclarecer as coisas e por uma ordem, além de obviamente pagar com seu corpo e seu sangue as infinitas dívidas que o povo limitado não tinha como pagar. Cristo já morreu uma vez, e para que o efeito de sua entrega tivesse validade até os dias de hoje, o mesmo criou o sacramento da comunhão. Portanto de acordo com Cristo e com seu sagrado magistério, o pão e o vinho se transformam em verdadeiro corpo e verdadeiro sangue de Cristo. Resumindo, o sacramento da comunhão tem o poder de apagar as penas do ser humano. Se assim não fosse, não haveria lógica em Cristo morrer na Cruz. Só se paga um pecado cometido, não futuro. Quem garante que a tua interpretação é correta? O teu pastor? Poxa, cada pastor pode falar uma coisa diferente. O magistério da santa Igreja de Cristo sim, garante que a minha interpretação é a correta. Entendeu? O resto, Jorge(Joelho) esclareceu bem aí. Caros amigos protestantes. Voltem à barca de Pedro, a verdadeira Igreja fundada por Cristo. Um abraço!

  17. Renato Lima

    ”Na Nova Vulgata esse versículo também foi mutilado, por qual motivo eu não sei”

    Jorge, será que essas mutilações !? é devido aos tempos ecumênicos que nós vivvemos?

    Sim, pois para não desagradar os inimigos (protestantes) da Santa Igreja Católica (que muitos modernistas chamam da ”irmãos separados”) que nos atacam, é que eu acredito que já passou da hora do Santo Papa, não importa qual seja, termine com estes ”diálogos inter-religiosos” ou ”diálogos ecumênicos”.

  18. Artur

    Renato, essa radicalidade é burra. O ecumenismo e o diálogo inter-religioso são válidos sim. Uma vez que precisamos trazer de volta as pessoas das outras religiões. Todos têm o direito a conhecer o verdadeiro caminho da salvação. Obviamente, o ecumenismo não pode ser feito da maneira que muita gente faz. Fazendo misturebas de religiões. E certamente o nosso Papa não faz isso.

  19. Jorge Ferraz Post author

    Renato,

    Não acredito que a mutilação tenha sido feita para “agradar protestantes”. Embora nunca tenha procurado a fundo, acho que é um problema de divergência entre os códices grego e hebraico do Velho Testamento.

    No entanto, o que me deixa irritado é o desprezo à Vulgata! O texto estava lá daquele jeito desde o século IV, há dezesseis séculos, traduzido por um santo que, à sua época, certamente tinha acesso a manuscritos mais antigos do que os mais antigos manuscritos que temos hoje, que fez todo o trabalho “histórico-crítico” de comparar as divergências entre eles e dar forma ao texto que passou desde então a ser canônico, e aí de repente, a mil e seiscentos anos de distância, algumas pessoas fazem uma “nova vulgata” que mutila a de São Jerônimo! Isso não tem justificativa.

    Abraços,
    Jorge

  20. Alexandre Magno

    Jorge,

    Eu tinha ficado satisfeito com sua resposta, e provavelmente ela está correta. Só que meu entendimento foi “perturbado” quando li “Não há automatismo na demissão do Estado Clerical”.

    Em seu comentário, você fala de “perda do estado clerical” e “dispensa da obrigação do celibato”. Este texto da ZENIT faz sinônimos “demissão do estado clerical” e “perda do estado clerical”, mas não menciona “dispensa da obrigação do celibato”. Eles não quiseram entrar nesse mértito…

    Mas só para confirmar: é após receber a “dispensa da obrigação do celibato” que um sacerdote pode contrair matrimônio válida e licitamente, não é? E uma curiosidade: em que casos isso pode acontecer? (Alguém tem um exemplo?)

    Alexandre Magno

  21. Jorge Ferraz Post author

    Alexandre,

    Sim, é só após conseguir a dispensa da obrigação do celibato que um sacerdote pode contrair matrimônio validamente. E esta dispensa só pode ser dada pelo Papa em pessoa.

    Sinceramente, não sei em quais casos isso pode acontecer e nem conheço exemplos para trazer.

    Abraços,
    Jorge