Ligeiro apanhado de coisas pendentes

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 2 meses 19 dias atrás.

– Frei Betto: “Mercado da fé”. Mais do mesmo: o velho dominicano destila o seu veneno contra a Igreja Católica a Quem ele deveria servir, lamentando a crise pela qual passa o catolicismo, a falta de vocações, as “missas (…) desinteressantes”, os “sermões (…) vazios de conteúdo”, reclamando da “desconstrução do Concílio Vaticano II” (sic), enaltecendo as igrejas protestantes e as CEBs, criticando o “clericalismo”, a exigência de “virtudes heróicas, como o celibato”, etc. Não percebe [ou não quer perceber?] que as coisas defendidas por ele estão exatamente na raiz da crise e que a Igreja voltará a crescer, sim, sem dúvidas, quando Se desvencilhar de Bettos, Boffs et caterva. Esta gente sem Fé que caminha a passos largos para o Inferno parece querer, por alguma comichão diabólica, arrastar a Igreja para baixo junto com ela. Mas não adianta, porque portae inferi non praevalebunt.

– Era bom demais para ser verdade: recebi por email um discurso do 1º ministro australiano à comunidade muçulmana que continha tudo o que a gente gostaria de ouvir alguém dizendo aos muçulmanos. “A maior parte do Australianos crê em Deus. (…) Se Deus vos ofende, sugiro-vos então que encarem outra parte do mundo como o vosso país de acolhimento, porque Deus faz parte da nossa cultura”. “[S]e vocês tem muitas razões de queixa, se estão fartos da nossa bandeira, do nosso compromisso, das nossas crenças cristãs, ou do nosso estilo de vida, incentivo-os fortemente a tirarem partido de uma outra grande liberdade australiana: o direito de partir”. Lindo; mas infelizmente é hoax

– Reforço as três recomendações do Gustavo. Lei Natural, aborto, Teologia Moral. Leiam lá.

– Também recomendo o texto publicado no Tubo de Ensaio contendo os comentários de um amigo comum meu e do Marcio a um texto do Marcelo Gleiser do último domingo, sobre se a matemática é algo inventado ou descoberto. Leiam lá.

– Não tenho tempo de traduzir, mas serve a indicação: uma organização americana (NOW – National Organization for Women), após o assassinato do Dr. Tiller, está exigindo que o Departamento de Justiça e Segurança Nacional classifique os pró-vida como terroristas. O fato de todos os grupos pró-vida americanos terem condenado o crime não tem nenhuma importância para a citada organização. Aliás, foi publicado um editorial do Kansas City Star onde se diz que os pró-vida bem poderiam guardar para si próprios as suas manifestações de espanto e tristeza, porque estariam intimamente – privately – agradecidos pelo assassinato do dr. Tiller! Dá para acreditar que há jornais publicando este tipo de exercício de adivinhação difamatório?

Pandemia de Lucro, sobre os interesses econômicos por detrás da gripe suína. A pergunta final, à parte o viés esquerdista, é pertinente: “Pero si la gripe porcina es una pandemia tan terrible como anuncian los medios de comunicación… Si a la Organización Mundial de la Salud le preocupa tanto esta enfermedad, ¿por qué no la declara como un problema de salud pública mundial y autoriza la fabricación de medicamentos genéricos para combatirla?”.

– Vale uma visita ao Micro Book Studio, que contém diversas obras em inglês, português, espanhol, italiano e latim disponíves gratuitamente, de Garrigou-Lagrange (A Synthesis of Thomistic Thought), de Santo Tomás de Aquino (Comentários a Aristóteles), de René Muller (As Primeiras Missões Jesuítas). Aproveitem!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

10 thoughts on “Ligeiro apanhado de coisas pendentes

  1. Lampedusa

    Jorge,

    Desculpe-me a brincadeira, talvez de gosto duvidoso, mas não resisto: que tal sugerir para o Ministério da Saúde para que distribua camisinhas para prevenir a gripe suína? É só colocá-las no nariz e na boca…

  2. Jether

    Sobre a quinta “coisa”:

    “Logo após o assassinato a tiros do abortista George Tiller, o presidente Barack Obama enviou uma mensagem alertando que esta nação não tolerará ataques a militantes pró-vida ou a qualquer norte-americano por causa de sua religião ou crença.

    Haha! Brincadeirinha! Esta foi a principal manchete — com pequenas alterações — de um editorial do New York Times lançando um alerta sobre teoréticos crimes de ódio contra muçulmanos, que foi publicada oito meses após os atentados de 11/09/2001. Será que os pró-vidas poderão ver aprovada uma lei contra crimes de ódio e também páginas e páginas escritas para convencer aos norte-americanos que “a maioria dos pró-vidas são pacíficos”?

    Por anos temos ouvido falar sobre a grave ameaça de que os norte-americanos reajam desproporcionadamente a um ataque terrorista cometido por 19 muçulmanos bradando “Allahu akbar” enquanto guiavam aviões comerciais em direção a arranha-céus de New York. Isto seria o equivalente a 19 pró-vidas gritando “Cada aborto assassina um coração pulsante!” enquanto alvejassem milhares de cidadãos inocentes em Wichita, Kansas.

    Por que os esquerdistas não estão se apressando a nos assegurar desta vez que “a maioria dos pró-vidas são pacíficos?” Bem diferente dos muçulmanos, os pró-vidas verdadeiramente são pacíficos.

    De acordo com recentes pesquisas de opinião, a maioria dos norte-americanos se opõem ao aborto — o que é consistente com a histérica recusa dos esquerdistas em votar sobre tal assunto. Em um país com aproximadamente 150 milhões de pró-vidas, 5 abortistas foram mortos desde Roe x Wade.

    Durante os mesmos 36 anos, mais de 49 milhões de bebês foram assassinados por abortistas. Vamos rever o placar, torcedores: 49.000.000 a 5.

    Enquanto isto, perto de 2 milhões de muçulmanos vivem nos EUA, e, embora os muçulmanos sejam menos assassinos que abortistas, estou bem certa que eles mataram mais do que 5 pessoas nos EUA nos últimos 36 anos. Por alguma razão, o número “3.000″ fica aparecendo em minha mente.

    Então, em um país que é mais do que a metade pró-vida — e que 80% se opõem aos aborto de último trimestre, os do tipo que eram feitos por Tiller — apenas 5 abortistas foram assassinados. E em um país que é menos do que 0,5% muçulmano, algumas dúzias de muçulmanos mataram milhares de norte-americanos.

    Mas a morte de aproximadamente um abortista por década leva os esquerdistas a condenar todo o movimento pró-vida como “terroristas domésticos”. Pelo menos os esquerdistas finalmente encontraram alguns terroristas que eles gostariam de enviar para Guantanamo.”
    http://diasimdiatambem.wordpress.com/2009/06/04/a-defesa-do-aborto-e-a-defesa-do-assassinato/
    http://contra-o-aborto.blogspot.com/2009/06/49-milhoes-5-ann-coulter.html
    http://anncoulter.com

  3. Pedro

    Nessa história de enaltecer igrejas protestantes, o Frei Betto está copiando Hans Kung, que fez a mesma coisa numa entrevista lamentável à Istoé. Me espantou que o Dr. Kung, que goza na mídia da reputação de intelectual sofisticado, seja capaz de considerar os pastores pentecostais, cuja doutrinação se caracteriza em geral pelo primarismo e por uma leitura literalista e emprobrecedora da Bíblia, como modelo a ser seguido, porque “vivem junto do povo” (o próprio Jesus não vivia assim tão “junto do povo”, freqüentemente se afastava da multidão, e as vezes até se voltava contra ela). Será que a Igreja Católica, depois de uma caminhada tão longa, terá de passar a imitar os vendedores de milagres (aliás, os modernistas costumavam rejeitar a crença em milagres).

  4. Marcelo

    Gente,

    esse Beto diz tanta bobagem. Não é à toa que é petista de carteirinha. Pelos números que ele mesmo cita, o Brasil tem 73,8% de católicos romanos na população. E a besta dis que a Igreja “foi rainha…”. Os 73,8% negam a afirmação. O resto é ainda pior. Os protestantes tradicionais que ele tanto elogia pelo ensino da fé (até concordo) estão perdendo tanto ou mais fiéis que o catolicismo. As seitas evangélicas é que tem crescido rapidamente, o tal supermercado da fé via Embratel (TV). Aliás, o Beto devia tomar cuidado ao elogiar tanto o acesso dos evangélicos aos canais de TV. Em muitos casos isso é feito ao arrepio da lei das telecomunicações (vide caso da Universal).
    Além disso, ele é contraditório quando critica a estrutura hierarquizada e centralizada da Igreja. O partideco que ele fundou e o regime comunista que ele apregoa são hierarquizados e controlados pela elite burocrática. Ou ele vai dizer que não sabia?
    Viva O Papa! Viva Bento XVI!
    Sds.,
    de Marcelo.

  5. Alexandre Magno

    Jorge Ferraz: “Dá para acreditar que há jornais publicando este tipo de exercício de adivinhação difamatório?”

    Não entendi o ponto. Até imagino qual seja, mas prefiro não apostar.

  6. Genivaldo

    “esse Beto diz tanta bobagem. Não é à toa que é petista de carteirinha.”

    O que tem a ver uma coisa com outra?

  7. Jorge Ferraz Post author

    Alexandre Magno,

    Refiro-me ao editorial do Kansas City Star insinuando que as condolências pró-vida são hipócritas.

    Abraços,
    Jorge

  8. Alexandre Magno

    Jorge Ferraz escreveu:

    – Vale uma visita ao Micro Book Studio, que contém diversas obras em inglês, português, espanhol, italiano e latim disponíves gratuitamente, de Garrigou-Lagrange (A Synthesis of Thomistic Thought), de Santo Tomás de Aquino (Comentários a Aristóteles), de René Muller (As Primeiras Missões Jesuítas). Aproveitem!

    Jorge,

    Escrevo este comentário por que realmente acredito que ele não será tido como SPAM.

    Quero indicar o site livralivro.com.br. Esse site é muito legal! Já cadastrei vários livros de literatura lá, uns trinta, e já escolhi mais de cem para minha lista de “desejados”. Vamos lá!

    Cadastrem livros! Por que eu quero fazer trocas… ahaha

    Alexandre Magno