A Igreja Católica: construtora da civilização

closeAtenção, este artigo foi publicado 8 anos 1 dia atrás.

A quantidade de material relevante produzido no exterior e traduzido para o português é extremamente limitada. Há muita coisa que faz muita falta. É por isso que fiquei bastante feliz ao encontrar a tradução da “The Catholic Church: Builder of Civilization”, série do EWTN apresentada pelo Thomas Woods. Ainda não está completa, mas vale muito a pena ficar acompanhando. O vídeo abaixo é a primeira parte do primeiro programa.

Quem está postando os vídeos no youtube é o kandungus (acompanhem os próximos lá). A dica eu recebi via Tubo de Ensaio e Acarajé Conservador.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

13 thoughts on “A Igreja Católica: construtora da civilização

  1. Francisco Silva de Castro

    Maravilha. Gostaria de ver o documentário completo e gravar até…Os professores de Historia assassinam a Idade Media e ojerizam a Igreja. Pra maioria na Idade Media ela foi apenas a Infame Voltarie.

  2. Renato Lima

    23
    AgoMEU AMIGO RAFAEL ESTARÁ COM UM PROGRAMA DE RÁDIO EM NOSSA PARÓQUIA
    Posted by Adversus Haereses

    A RPS FM 104,7 a sua rádio católica

    CONVIDA VOCÊ, CARO AMIGO, A PRESTIGIAR O NOVO PROGRAMA
    “A BÍBLIA EM MINHA VIDA”

    TODAS AS QUARTAS DAS 20:00 HS AS 21:00 HS.

    UM PROGRAMA QUE VAI TRAZER MUITA FORMAÇÃO DOUTRINÁRIA E ESPIRITUAL

    APRESENTAÇÃO DO PROF. RAFAEL QUEIROZ

    VOCÊ PODE NOS OUVIR PELA INTERNET NO ENDEREÇO:

    http://rpsfm.com

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/08/meu-amigo-rafael-estara-com-um-programa.html

  3. Carlos

    No blog Ecclesia Una há outros vídeos de Thomas E. Woods, mostrando que a Igreja Católica é a instituição que mais colaborou com as ciências em geral, mais do que todas as universidades do mundo juntas.
    O mesmo fato pode ser comprovado em seu livro “Como a Igreja Católica Constuiu a Civilização Ocidental”, que pode ser encontrado na Quadrante: http://www.quadrante.com.br/…/loja_detalhes.asp?id...
    Carlos.

  4. Julie Maria

    Pois é, faz falta muitos programas da abençoada EWTN. Tive a graça de participar de um aniversário deles em São Francisco-USA em 2006 e ver de perto esta maravilha. Volta e meia estou me acostumando a olhar o programa deles (pela internet que é o mesmo que a TV aberta de lá) e olha, é uma mega aula, uma atrás de outra. Já seja em inspiração para rezar (como foi a Missa passada ontem, soleníssima. Meu Deus… que abismo de diferença com o que estamos vivendo aqui…) ou com sólida, bem sólida doutrina católica. Para dar pouquíssimos exemplos:

    Hoje mesmo vi uma entrevista no Faith and Culture com um expert de “Controle Populacional”. Como podemos, em tão pouco tempo aprender tanto? É assim que sinto cada vez que ligo a EWTN: privilegiada por poder aprender a nossa fé.

    Ontem o famoso professor e convertido Scott Hann falando sobre seu último livro. E fico ao mesmo tempo rezando e trabalhando para que tenhamos em breve uma “EWTN Brasileira”, pois o nosso povo perece em Pastor em se tratando de mídia católica.

    E para terminar (a lista seria imensa!!) vi um filml-documentário da St. Gianna. Tenho o filme em mãos em italiano, mas como foi passado em inglês pude aproveitar cada segundo. Ah, que vontade que todos os católicos tivessem oportunidade de ver isso e muito mais!

    Rezemos!!!

    Pax

    JM

  5. Blog Mallmal

    Olha, perdi meu tempo para assistir o supracitado vídeo. Os primeiros dois minutos foram excelentes (com críticas absolutamnte NÃO-RESPONDIDAS). O resto é puro subir no caixote de maçãs no meio da praça e pregar. Não há UMA sequer evidência de que a ICAR contribuiu para algo de bom no mundo. Infelizmente, isso é uma pena, porque até mesmo eu (ateu – judas!, queimem-no!) sei que a ICAR fez alguma coisa em prol das ciências (desde – é claro – que no momento lhe fosse propício!), mas que fez, fez. É impossível negar o papel dos monges copistas e dos arquivários, MAS! Mas, como negar também o papel de uma religião que se presumiu no direito de declarar centenas de livros indgnos e de queimá-los ou escondê-los? Será que isso vai aparecer nesses vídeos? :)

    e impo

  6. Jorge Ferraz Post author

    Mallmal,

    A série tem (se não me engano) doze episódios, e isto é só a primeira parte do primeiro. As evidências não podem ser todas apresentadas na introdução da introdução, meu caro.

    Abraços,
    Jorge

  7. André Serrano

    Jorge, acabo de assistir aos três vídeos disponíveis da série “The Catholic Church: Builder of Civilization”, conforme você menciona no post. É uma maravilha! Estou lendo o livro de Thomas Woods, o qual também devemos recomendar fortemente.

  8. Tamyres

    Muito bom! Já há algum tempo ouvi falar de Thomas Woods e pretendo ver todos os vídeos e ler seu livro.

    Gostaria de destacar que tive conhecimento desse autor através do Prof Felipe Aquino da Canção Nova. Nossas emissoras de tv católicas precisam melhorar muito, mas estamos caminhando.

  9. Messias

    Blog Mallmal says:

    August 24th, 2009 at 12:15 am

    (…) como negar também o papel de uma religião que se presumiu no direito de declarar centenas de livros indgnos e de queimá-los ou escondê-los? Será que isso vai aparecer nesses vídeos? :)

    O blog Mallmal disse que no vídeo não foram respondidas as acusações contra a Igreja.

    E ele prova a acusação que ele mesmo fez?
    Cadê a prova de que a Igreja queimava livros e os esconderam?

  10. Blog Mallmal

    Torquemada?
    Servetus?
    Papa Gregório IX?
    Papa Inocente IV?
    Papa Clemente IV?
    Papa João XXII?
    Papa Paulo IV?
    Papa Pio V?
    Papa Clemente VIII?
    Queima de Bíblias luteranas por ordem papal na Alemanha em 1624?
    Queima de livros luteranos em 1731 pelo Arcebispo de Salzburg?

    Precisa mais?

  11. Alexandre Magno

    “É… eles querem reescrever a história.”

    Em destaque, pérola de um parágrafo “conclusivo”:

    Existe, obviamente, uma grande e interminável discussão teórica, que deveria, em algum grau, estar presente nos próprios livros didáticos. O fato ( se ainda é lícito falar em fato ) é que, pela diversidade de interpretação hoje à disposição de alunos e de professores, ficou mais fácil começar a entender história. Existe aqui um pouco do que Hegel chamou de dialética.

    O texto não faz relação direta com história da Igreja, mas, se o lermos com atenção, perceberemos o que pelo menos um autor influente, de livros didáticos de história para o ensino médio, quer.