Existe santidade no protestantismo?

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 11 meses 25 dias atrás.

Acompanhando o debate entre o pe. Joãozinho e a Montfort (a última novidade são os versos do professor Orlando), sinto vontade de dizer algumas palavras para evitar os extremismos (aos quais parece estar fadada a interminável discussão).

Não recordo agora a fonte, mas lembro-me da frase: a Igreja Católica e Apostólica é aquela “fora da qual não existe nem salvação nem santidade”. Não sei se o pe. Joãozinho entende isso de modo católico, mas eu sempre estive convencido de que o prof. Orlando o entendia, sim. No entanto, no seu último desafio lançado ao padre Joãozinho, a Montfort omitiu uma parte do dogma que eu tenho certeza de que ela conhece, pois já falou sobre isso antes.

Trata-se da possibilidade de salvação para os não-católicos pela ignorância invencível. Em resumo bem resumido, diz-se que a ignorância de uma pessoa é invencível se ela, com todos os meios dos quais dispõe, busca sinceramente a Verdade e não A consegue encontrar. Diz-se de tal pessoa que “pertence à alma da Igreja”, ou que é “católica sem o saber”, ou outras expressões similares.

O problema óbvio com isso é que, como ninguém sonda as consciências, não dá para dizer quem está em ignorância invencível e quem não está. A solução mais óbvia para o problema é logicamente fazer apostolado com todo mundo e deixar que o próprio Deus julgue, dentre os que não aderiram à Igreja em vida, quais o fizeram culposamente e quais o fizeram sem culpa própria.

Voltando, portanto, à frase sem referência que citei acima: não há santidade fora da Igreja Católica como também fora d’Ela não há salvação; contudo, caso a pessoa seja salva por ignorância invencível, nesta pessoa há sem sombra de dúvidas santidade. O protestantismo em si considerado evidentemente não salva ninguém, mas um protestante que esteja em ignorância invencível pode ser salvo. E, se ele pode ser salvo, logicamente pode também ser santo. Acho importante repetir: não sei se é isso que o pe. Joãozinho está dizendo! Mas é isso que diz a boa Doutrina Católica. É uma pena que o reverendíssimo sacerdote prefira – aliás, de novo! – citar os documentos sem os explicar.

Não há santidade própria no protestantismo, mas  há santidade “na alma da Igreja” à qual pertencem os que, sem culpa própria, ignoram a plenitude da Revelação de Cristo. E nada impede que estes sejam protestantes, posto que “quem será tão arrogante que seja capaz de assinalar os limites desta ignorância, conforme a razão e a variedade de povos, regiões, caracteres e de tantas outras e tão numerosas circunstâncias?” (Pio IX, Alocução Singulari Quadam, 1854, Denzinger, 1647 apud Montfort).

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

42 thoughts on “Existe santidade no protestantismo?

  1. Claudiomar

    Gente, o tema é por demais complexo. Não se explica facilmente tais casos, fazendo uso de poucas linhas. Faz uns cinco anos que estudo a Ignorância Invencível. Vai um trecho de meu trabalho sobre a Ignorância invencível, que em breve estará publicado:

    Delimitando a mais Reta Aplicação da Ignorância Invencível
    Uma vertente de reflexão teológica pode aludir que, sendo o homem conhecedor da uma certa lei natural cravada por Deus em seu coração, ainda que não saiba coisas que se é obrigado a saber, certamente saberá onde buscá-las. Por certo que um delinqüente inveterado, que se enveredou pelo caminho do erro desde a mais tenra idade, pode ser apontado como sendo um potencial desconhecedor das coisas de Deus. Mas, mesmo não sabendo das coisas de Deus, ele sabe que se buscar a Igreja vai ouvir falar d’Ele, ao passo que, se mantiver apenas seus colóquios com seus companheiros de crime, sabe certamente que continuará ignorante. Tal ignorância é dita vencível, por que se tem meios de vencê-la por forças próprias.
    Mas, supõe-se ser possível haver casos em que não se consegue vencer a ignorância, o que a torna involuntária na pessoa. É em busca de parâmetros seguros para uma reta tomada de posicionamento em tais casos, que recorre-se aqui a Santo Tomás de Aquino, manifestamente o mais ágil aniquilador de dissensões em questões teológicas dentre todos os filósofos, que, pela metodologia de sua Summa, aponta margens seguras para a doutrina da ignorância invencível.
    É na Suma Teológica que se encontra o que se pode constituir como a abordagem mais aprofundada sobre a questão, donde se extrai:
    “A ignorância implica uma privação de ciência a saber, quando a alguém falta a ciência daquelas coisas que naturalmente deveria saber. Entre essas coisas há as que se é obrigado a saber, isto é, aquelas sem o conhecimento das quais não se pode fazer corretamente o que é devido. Assim, todos são obrigados a saber, em geral, as verdades de fé e os preceitos universais da lei. […]Evidentemente todo aquele que negligencia ter ou fazer o que é obrigado ter ou fazer, peca por omissão. Portanto, por causa de uma negligência, a ignorância das coisas que se devia saber é pecado. Mas não se pode imputar a alguém como negligência o não saber o que não se pode saber. Por isso, essa ignorância é chamada invencível, porque nenhum estudo a pode vencer.”
    Especificamente, São Tomás reconhece a existência da ignorância invencível nos casos em que se busca algo que, de todo, ainda é inacessível por ainda não se conseguir atingir através de estudo.
    Mas já se viu que o homem está submetido a uma lei natural que lhe exige na consciência que busque fazer o bem e evitar o mal. Em relação a tais preceitos, é certo que esse homem, sendo normalmente dotado das faculdades mentais, não pode ser um ignorante total. Ele, ao menos, possui determinado conhecimento infuso por Deus em seu coração. Santo Agostinho assim falou: “Os homens cumprem naturalmente o que a lei ordena. Os que não a cumprem, não cumprem devido ao seu pecado” . Se diz então que o mínimo que Deus nos pede é o seguimento a essa Lei Natural.
    O ensinamento do santo doutor expõe a verdade presente nos preceitos sólidos da doutrina da Igreja que evidencia a misericórdia de Deus sem detrimento de sua justiça, quando diz que: “Ninguém é responsável pelo que não recebeu. Contudo, é culpado, com justiça, se não fizer o que devia. Ora, é dever fazê-lo quem recebeu uma vontade livre e uma capacidade suficientemente grande para isso” . De fato, Jesus “ilumina todo ser humano que vem a este mundo” (Jo 1, 9).

    Ninguém deve pronunciar estas palavras temerárias, condenadas pelos Padres com anátema: é impossível ao homem justificado observar os preceitos de Deus. “Porque Deus não manda coisas impossíveis, mas quando manda, adverte que faças o que possas e peças o que não possas, e ajuda a poder”. Os seus mandamentos não são pesados (1 Jo 5, 3), o seu jugo é suave e o seu peso é leve (Mt 11, 30), pois os que são filhos de Deus, amam a Cristo, mas os que o amam guardam (como ele testifica) as suas palavras (Jo 14, 23), e podem seguramente executar isso com o auxílio de Deus.

    Então, por que uns abraçam a fé e seguem a lei natural enquanto outros a rejeitam? Não se pode simplesmente alegar que aquele que a rejeita é porque já esteja com a consciência deformada, pois que tal deformação advém de escolhas anteriores. É dado que no instante inicial de razão, a pessoa não tenha sua consciência corrompida.
    Em que se possa ainda configurar o real caso em que um justo, na iminência da morte, se encontre carente ainda de conhecer o que se deve crer, é mister acreditar que a infalível providência divina venha em seu socorro, ainda que sobrenaturalmente. O Catecismo da Igreja Católica aponta para esse desfecho: “Deus pode, por caminhos dele conhecidos, levar à fé todos os homens que sem culpa própria ignoram o Evangelho. Pois ‘sem a fé é impossível agradar-lhe’”. Ora, “por caminhos dele conhecidos” indica uma forma que o homem desconhece, uma forma sobrenatural.
    Evidentemente que, ao conceber tal possibilidade de haver um ignorante invencível justo, não se deve dispensar a ele a necessidade do Batismo, que deve estar contido nesta ação prodigiosa de Deus.

  2. Claudiomar

    A Ignorância Desejada
    Quando um ignorante procura de propósito não saber coisas para pecar mais livremente, ou quando, por causa de outras ocupações, negligencia em aprender o que lhe impediria de pecar, tal ignorância caracteriza-se como voluntária e é sempre pecado, uma vez que se refere ao que se deve saber ou que se pode saber.
    Se o ignorante invencível vive em justiça, obrigatoriamente ele se encaminha para a luz que ainda não vê. Deus o encaminha para a Igreja. A menos que, pelo meio do caminho, ele abandone de se deixar guiar pelos instrumentos da providência divina, e não chega ao seu fim exatamente porque ele, que até então cumpria os ditames da consciência, passou a achar “pesado” o que se tinha que trilhar a partir de certo ponto e, daí em diante, já não mais deve ser enquadrado como justo, pois foi negligente. A mensagem de João que diz que “quem pratica a verdade aproxima-se da luz” (Jo 3, 21) pode dar indício disso. Pode-se mesmo dizer que os malefícios da ignorância configuram, antes, punição do que propriamente pecado.
    Acontece que, na prática, é comum que se tenha certa dose exagerada e indevida de complacência para com todos os ignorantes, e mesmo aos ditos ignorantes invencíveis, não se concebe sua possibilidade de perdição, por não entender que, mesmo em sua condição, ele esteja obrigado a seguir a Lei Natural. Do apóstolo Paulo, se tem as seguintes palavras confirmadoras dessa reflexão conclusiva:

    Se o nosso Evangelho ainda estiver encoberto, está encoberto para aqueles que se perdem, para os incrédulos, cujas inteligências o deus deste mundo obcecou a tal ponto que não percebem a luz do Evangelho, onde resplandece a glória de Cristo, que é a imagem de Deus (2Cor 4,3-4).

    De tudo o que se viu, pode-se categoricamente dizer que, ordinariamente, o ignorante permanece ignorante por própria vontade e decisão. Epicteto proporciona um bom texto para o início de uma reflexão quanto ao porque de tal desejo funesto do ignorante:
    Um médico visita um enfermo e lhe diz: Tens febre; abstém-te por hoje de tomar qualquer alimento, e não bebas mais que água. O enfermo dá-lhe crédito, agradece-lhe e paga-lhe. Um filósofo diz a um ignorante: Os teus desejos são desenfreados, os teus temores são baixos e servis, professas falsas crenças. O ignorante enfurece-se e sente-se ferido no amor-próprio. De que nasce tal diferença? De o enfermo conhecer o seu mal, e o ignorante não.
    Um referencial para uma continuidade do estudo pode ser daí extraído: Não é justo absolver o ignorante de uma forma automática e simplista, sem avaliar a sua consciente conduta de vida. Ele não é condenado por seu estado de ignorância, o que, por certo, o faz passível de misericórdia. O ignorante não tem culpa no pecado de não crer, mas é justamente condenado pelos outros terríveis pecados cometidos enquanto ignorante, e que o mantém na ignorância. Quanto a Deus, Ele está de prontidão para socorrer os que querem sair da ignorância: “Amo os que me amam, e os que me procuram me encontrarão” (Pr 8, 17).

  3. Rodrigo

    Interessante o post do Claudiomar, é sempre seguro se basear em Santo Tomás de Aquino quando se tem a reta intenção de defender a doutrina católica, porque alguns tem a capacidade de deturpar as palavras do Doutor Angélico e usá-las em causas totalmente contrárias à Fé, mas isso é outra história.
    De fato não podemos passar a mão na cabeça dos ignorantes como se fossem coitadinhos, é verdade que muitos não sabem o que fazem, mas sabem porque não sabem o que fazem, é nesse ponto que a ignorância passa a ser beeeem vencível. Basta ver a maioria dos que defendem o tal Pe. Joãozinho que profere uma falácia atrás da outra para se defender do “monstro montfortiano”.

  4. Rui Ribeiro Machado

    Claudiomar,

    Excelente o seu estudo. Gostaria apenas de comentar um pequeno trecho do que você escreveu:

    “Evidentemente que, ao conceber tal possibilidade de haver um ignorante invencível justo, não se deve dispensar a ele a necessidade do Batismo, que deve estar contido nesta ação prodigiosa de Deus.”

    Até porque, se o homem pudesse, sem a ajuda da graça, observar toda a lei natural e resistir a todas as tentações graves, por um largo tempo, e deixasse essa vida sem pecados pessoais, não seria condenado às duras penas do inferno, mas também não ganharia o céu. Inocêncio III ensinou que as penas do inferno são um castigo a nossos pecados pessoais, enquanto a perda da visão beatífica apenas é castigo pelo pecado original.

    Rui

  5. Rui Ribeiro Machado

    O que a Igreja afirma, como se pode extrair da Carta do Santo Ofício ao Arcebispo de Boston, que condenou os erros do Pe. Feeney, é que quem se salva sem incorporação real à Igreja como membro, isto é, por desejo ou voto, salva-se da mesma forma que o católico. O texto é bem claro: exige-se as três virtudes teologais: fé, esperança e caridade. O cumprimento da lei natural é exigido na mesma medida em que é exigida de qualquer cristão batizado, com a ajuda da graça de Deus.

    De acordo com Santo Tomás, para se salvar, é necessário crer em algo com fé explícita (S. Th., IIa IIae, q.2, a.6), e dizia que isso é necessário em relação ao mistério de Cristo e à Trindade. Contudo, como deste modo não se salvariam muitos pagãos, muitos teólogos consideram que o objeto de fé necessáriamente explícita é a existência de Deus e a retribuição futura (donde se apóia a virtude da esperança).

  6. Pingback: Deus lo Vult! » A soteriologia e o apostolado

  7. Gustavo

    Novidades muito pertinentes sobre o assunto:

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/catecismo-acerca-do-protestantismo-de.html

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/diretorio-catequistico-de-1766-fora-da.html

    http://1.bp.blogspot.com/_rLBXcgLJLIU/SqzLy01DedI/AAAAAAAABqg/fUsrc-5EPVg/s1600-h/1787.bmp

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/e-agora-o-catecismo-de-trento-tambem.html

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/periodico-religioso-catolico-de-1862.html

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/papa-sao-pio-x-fora-da-igreja-nao-pode.html

    http://advhaereses.blogspot.com/2009/09/cardeal-newman-igreja-catolica-e-unica.html

  8. Marcia

    Mat 22:29 Errais, não conhecendo as escrituras, nem o poder de Deus.
    Apoc 3:15 a 20 Eu sei as tuas obras, que nem és frio, nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta, e não sabes que és desgraçado, e miserável e pobre, e cego, e nu, aconselho-te que de mim compres ouro refinado, para que te enriqueças, e vestidos brancos,para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrependa-te. Eis que estou à porta e bato; se alguém abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele comigo.Porque todo poder me foi dado no céu e na terra. Todo o poder me foi dado. Deus o Pai me exaltou sobre todas as coisas, Deus o Pai, e não você! me exaltou. Manifestado em carne, justificado em Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo e recebido na glória. Jesus, Eu sou o Rei da glória! À mim é dado o poder de salvar, não aos homens, não à uma determinada igreja,não a um determinado apóstolo; porque eu sou o filho de Deus e em mim não há pecado. E a vontade do Pai que me enviou é esta:que TODO aquele que vê o filho, e crê nEle, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Não sou mentiroso! Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim, e não na igreja! tem a vida eterna. João 6:47.

  9. Denis Rocha

    CATÓLICO QUER VIRAR PROTESTANTE ???
    Como escolher uma denominação protestante ? Qual das 50.000 denominações protestantes ?
    Os que guardam o sábado acusam de hereges aqueles que observam o domingo. E vice-versa.
    Os que não batizam acusam de hereges aqueles que batizam e vice-versa.
    Os que aceitam divórcios são massacrados por aqueles que são contrários.
    Pensemos, por exemplo, em uma denominação que abraça a teologia da prosperidade. Mas então outros protestantes nos dizem que estas denominações são heréticas. Dizem outros vários protestantes que tais organizações são consideradas como seitas. Dizem ainda que a Bíblia condena tal prática e que estes pregadores arderão no fogo do inferno.
    Então deixemos as seitas e nos concentremos nas denominações mais tradicionais que condenam a mesma teologia da prosperidade.
    Mas então vem uma outra situação. Ao ligar a TV, não é difícil encontrar um pastor dizendo que aqueles que não pregam tal teologia são trouxas.
    Outros ensinam ainda que como filhos do Rei, o crente deve ter tudo do bom e do melhor e portanto aqueles que pregam um evangelho de sacrifício não estão sintonizados com a palavra de DEUS.
    Se partirmos para a denominação dita “Universal” é praticamente certo uma avalanche de críticas vinda dos outros grupos protestantes.
    Vamos imaginar então um católico desligando a TV e procurando conselho no rádio de pilhas onde existem um grande número de programas protestantes.
    No rádio é possível encontrar pastores pregando uma tal de confissão positiva. Dizia um pastor que o crente que fica doente é porque não tem fé ou está possuído pelo demônio.
    Segundo este pregador, o protestante tem que determinar em nome de Jesus e seja lá qual for a doença esta mesma tem que bater em retirada. Triunfalista demais !
    Não é difícil encontrar um bom número de protestantes que condena esta abordagem.
    Mudando o rádio de estação é possível escutar um outro pregador dizendo que o protestante tem que tomar posição diante de DEUS e assumir sua condição de rei e sacerdote.
    Mas não foi exatamente isto que Judas Iscariotes fez ? Não foi Judas que tomou posição diante do DEUS vivo ?
    Confuso com tantas informações o católico vacilante querendo ser protestante resolve sair de casa. Passando pela rua nota um templo protestante próximo de onde reside. Percebe que o culto irá começar. Todos cantam e parecem bem felizes.
    Quando começa a pregação o pastor afirma que o problema do povo evangélico é que ele não toma posse de sua benção.Como assim ? Dizia este mesmo pregador que se o crente não exige de DEUS a sua vitória e posição no reino, este mesmo DEUS não pode agir do modo que se espera.
    O católico frágil em sua fé ficará ainda mais confuso. Este católico nunca tinha ouvido que DEUS “não pode” isto ou aquilo. Pensava que DEUS podia todas as coisas. E pode mesmo.
    Mas este mesmo católico pensa: “…deve estar na Bíblia. O pregador deve saber o que está falando.”
    Contudo, a dúvida ainda persiste. Cada pregador que este católico escuta condenava as teorias dos demais pregadores.
    Sabe o que o que o católico indeciso resolve fazer ?
    Radicalizar. Decide ser um cristão primitivo. Será Luterano. “Afinal de contas, se pergunta, não foi Lutero que começou tudo ?”
    Não dizem os protestantes que ele foi um homem de coragem e indispensável ? Imagina o católico que não deve existir protestantismo mais “puro” e autêntico do que o luteranismo.
    Mas aí um grande número de crentes lhe diz que os luteranos atuais traíram Lutero incorporando muitos dos ritos e costumes católicos.
    E agora ? O que este católico deve fazer ?
    Já lhe disseram que as teologias da prosperidade e confissão positiva são demoníacas. Os tradicionais foram rotulados de bobos. Os conservadores foram acusados de dogmáticos e os modernistas são chamados pelos outros grupos de hereges. As denominações carismáticas são chamados de seitas.
    Talvez ele possa ser Calvinista. Mas então um grupo lhe ensina que Calvino era um herege por acreditar na predestinação dos eleitos. Alguns protestantes chegam a dizer que o tal do Calvino teria traído o grande escolhido por DEUS que era Lutero.
    Faço uma pausa para uma reflexão. Nunca entendi. Se DEUS levantou Lutero, por que todos se dividem e continuam reformando a reforma que DEUS já “teria feito” ?
    Ou Lutero está certo ou Lutero está errado. Se DEUS o levantou para corrigir os “erros” do catolicismo, quem é tolo suficiente para afrontar a DEUS e separar-se do “ungido” do Senhor ?
    E se não foi Lutero levantado por DEUS, e não foi mesmo, o que faz o protestante fora da Igreja Católica ?
    O que você está dizendo Sr.Católico quase protestante ???
    Já existiam outros grupos antes de Lutero que pregavam Sola Scriptura ? Quais ? E não foram estes mesmos grupos condenados e chamados de hereges pela Igreja Católica de Lutero e pelo próprio heresiarca ?
    Por vezes me esqueço que estou falando do protestantismo, onde nada é exatamente o que deveria ser e nada precisa fazer sentido.
    Então Sr.Católico protestantizado, você ouviu dizer que a Igreja Católica é uma seita ou foi fundada por Constantino ??? Então me diga como um protestante abraça as teorias de Lutero que era membro de uma seita ou talvez ex sacerdote da Igreja de Constantino ? Está vendo Sr.Católico o que é o protestantismo ? Nada faz sentido. Vale apenas o que o protestante quer.
    Pensa então o católico em ser pentecostal e quando manifesta o seu desejo, os protestantes históricos lhe dizem que estes grupos carismáticos nada tem de protestantes e que estes mesmos copiaram doutrinas oriundas da América do Norte e todos seriam traídores dos princípios defendidos pelos grandes reformadores, especialmente Lutero e Calvino.
    Nesta hora, Lutero e Calvino voltam a ser amigos e todos os protestantes os tem por Inspiração. E assim, Constantino desaparece tão rápido como apareceu. Mas deixa pra lá ! Não vamos insistir em entender aquilo que é inexplicável por si só.
    Então acrescentam os Metodistas e Episcopais que os tais pentecostais praticam heresias de toda ordem.
    E os Mórmons, Testemunhas de Jeová e Adventistas ? O que dizer deles ? Todos os demais grupos lhes condenam e por sua vez estes três grupos se condenam entre si e os três condenam os demais grupos protestantes. Que Babel este protestantismo né ?
    O católico que já entendia pouco de catolicismo, menos ainda de protestantismo, parece alguém que navega em pleno mar revolto.
    Sabe de uma coisa ? O católico faz a opção de ouvir música Gospel.Pensa ele: “Quem sabe tenho alguma inspiração louvando a DEUS ?”
    Quando julga que terá alguns momentos de reflexão que lhe viabilizem tomar uma decisão adequada, eis que lhe vem um amigo da mesma Igreja Universal e lhe diz: “Estás louco ?”
    “Como assim ?” pergunta o católico. E responde o amigo “Você não sabia que 99% dos cantores Gospel estão com demônios ? Meu líder nos disse isto”
    Declina imediatamente da música Gospel e decide que irá conhecer a igreja anglicana. Pensa ele: “Deve ser boa ! Já me disseram que é uma benção.”
    Então começa a pesquisar em sites protestantes sobre a Igreja Anglicana e encontra mais contras do que prós. Lê inclusive que tudo começou porquê um rei desejava cometer adultério e não teria obtido a permissão da Igreja Católica para casar-se outra vez. E os protestantes da reforma e todos os demais que vieram depois condenavam como herética a dita Igreja Anglicana que segundo eles adota entre outras coisas muitos dos ritos do catolicismo.
    Bom, diante de tudo isto, pensa que só lhe resta ser neo pentecostal. Pensa que talvez deva aderir ao pastor que usa chapéu ou àquele que trata aos seus seguidores por patrocinadores.
    Quem sabe deva ele ingressar na tal da “igreja” da Lagoinha ? Soube este católico que lá tem um avivamento forte. Parece que tem uma tal de unção do Leão ! Leão ??? Logo lhe vem a mente: “Deve ser tremendo !”
    Nem preciso te dizer Senhor Católico o que todos os outros grupos protestantes disseram a respeito destes últimos líderes citados. Ou preciso ?
    E a unção do Zoológico ? “Dizem que nesta igreja a poder de DEUS se manifesta tremendamente.”
    Mas logo veio o vizinho batista para desistimula-lo. “Meu amigo, esta unção do Zoológico é obra de Satanás. A Bíblia não fala nada a respeito disto. Quando se viu tal manifestação entre os apóstolos ? “
    Católico, o que podemos tirar de tudo isto ? Você percebe meu caro católico vacilante e inconstante o que aconteceria com a Igreja Católica se fosse possível que ela abraçasse heresias e novidades e resolvesse optar pela “doutrina” de uma denominação protestante ?
    Ela ainda assim seria chamada de herege ou apóstata. Seria atacada por todos os lados, visto que só há concordância entre todas as denominações protestantes no que tange ao ódio e aversão ao próprio catolicismo. Abraçasse a doutrina que fosse, sempre os protestantes estariam prontos para dirigir a Santa Igreja toda a sorte de acusações e calúnias.
    Agora eu te pergunto católico contestador: A verdade misturada com a mentira torna-se o que ? Meia verdade ? E meia verdade é mais parecida com a mentira ou com a verdade ? Meia verdade é também meia mentira. A verdade católica não muda jamais e nem pode mudar. Se mudasse já não seria verdade.
    Minha mãe biológica sempre será minha mãe biológica. Mesmo que seja uma péssima mãe. Mesmo que ela não tenha me desejado. Mesmo que eu não a queira por mãe. Ela sempre será minha mãe biológica. Isto é verdade. Verdade que não envelhece e portanto é sempre atual.
    E então: Que denominação protestante um católico ignorante deveria procurar ? Que tal a Igreja das células ? Parece primitivo ! Pensa o católico: “A história da Igreja não começou assim com as comunidades reunidas em casas ?” Aliás, que igreja começou assim católica ? A Igreja de Constantino ? A de Lutero ? A de Calvino ? A Batista ? A Bola de Neve ou Cuspe de Cristo ? Deixa prá lá.
    Prossegue o católico: “Tem até patriarca esta Igreja em células !” Porém, mais uma vez, este católico perdido encontra todo o tipo de opinião sobre esta vertente no meio protestante. Encontra quem é a favor e quem é contra. Muito mais contrários do que favoráveis.
    E o evangelho judaizante ? Será que é bom ? Mais uma vez não é possível encontrar consenso entre os protestantes. Pode-se perceber partidários e opositores do evangelho judaizante em todos os cantos. O protestantismo é assim mesmo. Nada é o que parece ser. E tudo que parece ser não é.
    Finalmente, cansado de tanto procurar, o católico encontra o Movimento dos Sem Igreja.
    Trata-se de um movimento supostamente evangélico. Seriam cristãos sem templo. Eles dizem a este católico que igreja não serve para nada. Dizem ainda que todas as denominações evangélicas ou protestantes foram edificadas sobre homens. Afirmam também que estão fartos de tantas heresias no meio evangélico/protestante.
    Este grupo ensina que se deve olhar apenas para Jesus e não para o homem. Eles dizem que cada crente pode caminhar com as próprias pernas. Evidentemente que não servem pernas católicas. A máxima só vale para quem fez o favor de “aceitar” a Jesus em um templo protestante.
    Nisto os protestantes ainda que não saibam tem razão. Católico sem a Igreja não consegue caminhar mesmo.
    “Um homem Cristão é Católico enquanto vive no corpo; decepado deste, torna-se um herege. o Espírito não segue um membro amputado.(Santo Agostinho)”
    Mas pensando bem, em se tratando de protestantismo faz algum sentido. Todo mundo que levantou o dedo e um templo protestante e que disse aceitar Jesus já está “salvo”. Correto ?
    Todo mundo nos meios protestante/evangélico lê sua Bíblia contando com a assistência “infalível” do Espírito Santo. Correto ?
    Todos acusam uns aos outros de hereges. Correto ?
    O crente protestante deve conferir se aquilo que o pastor pregou na denominação está ou não de acordo com a palavra. Correto ?
    E de acordo com a tese da maior parte dos protestantes, uma vez salvo sempre salvo. Correto ?
    Ora, depois de se tornar protestante, se o convertido pode ser intérprete, se ele conta com a assistência do Espírito Santo, se todos são hereges, menos ele, se ele já está salvo e se a salvação não pode ser perdida, por que ele deveria se tornar membro de uma denominação evangélica ou protestante ? Por que deveria freqüenta-la ?
    Mas como assim intérprete da palavra de DEUS ?
    A Bíblia não condena a interpretação particular ? Tal condenação só deve existir na Bíblia católica. Deixa pra lá.
    Como assim assistência do Espírito Santo para ler a Bíblia ? Mas não é o protestantismo que condena a infalibilidade do papa ?
    Aliás, como é possível que alguém no protestantismo seja infalível na interpretação da Bíblia se todos condenam a infalibilidade ?
    E se todos discordam uns dos outros, isto não é prova que a infalibilidade de fato não está com o protestantismo ?
    Ah ! Entendi. Cada crente é “infalível” para si mesmo. Cada crente é uma espécie de Papa.
    Então este deve ser o principal motivo de tantas divisões. Quando discordam, logo surge uma nova denominação sob a regência de um novo papa “infalível”.
    Cada crente é apto para julgar todos os demais. Ele é quem decide sobre a doutrina que ele próprio deve seguir e pregar. Ele é quem determina quem é ou não herege, quem está salvo e quem está condenado. Ele decide quem é idólatra e quem é adorador. A únicas certezas que o “infalível” protestante tem é que ele está certo e salvo e que a Igreja Católica é a Babilônia.
    Assim, o cada protestante julga possuir capacidade para seguir ou rejeitar pastores ou denominações. É tudo a partir da leitura bíblica que cada crente faz. Mas deixa prá lá. Tá amarrado !
    Eu também não entendo outra coisa. Quando um protestante tem o direito de deixar a sua denominação para aderir a outra ou fundar a sua própria ?
    E aqueles que se mantiveram com o pregador ? Qual deles está salvo ?
    Aquele que deixou a denominação porque não concordou com a pregação a partir da leitura individual que fez ? Ou aquele que se mantém fiél a denominação ? Ou ainda aquele que fundou uma nova denominação ? Todos estão salvos ? Então por que brigam ?
    Deveriam estar comemorando a salvação de todos. A salvação do que ficou na denominação, daquele que saiu da denominação e daquele que fundou uma nova denominação.
    Quantas vezes o crente pode mudar de denominação ? Naturalmente, a Bíblia explica tudo isto. Não é o protestante que diz “Só a Bíblia” ?
    Então deve estar tudo lá Bíblia. Visões dos pastores, revelações de “ungidos”, Lutero, Calvino, Macedo, Soares, as denominações, a definição do Canon, os livros inspirados e a própria definição bíblica de que a Bíblia seria a única fonte de revelação. E a Bíblia deles provavelmente deve dizer que tudo deve ser consultado na Bíblia protestante. E deve dizer ainda que só serve Biblia protestante traduzida por João Ferreira de Almeida.
    Ou não ? O problema é que como católico eu “não” leio a Bíblia. Quando me tornar protestante tudo será diferente.
    Com 06 meses de Bíblia poderei contestar a Igreja Católica de 2000 anos, todos seus concílios, toda a sua doutrina e todos os seus duzentos e tantos papas.
    E também poderei contestar meus próprios pares protestantes. Serei teólogo de mim mesmo e poderei fundar uma nova denominação.
    Nem me importa se pregarei certo ou errado, pois possivelmente meus seguidores serão menos “sábios” do que eu. Provavelmente serei idolatrado e quando os críticos me atacarem, logo um dos meus adoradores dirá sem pesquisar:
    “Não toca no ungido do Senhor”
    “Deixa que ele está fazendo a Obra de DEUS”.
    “Ai de quem tocar no servo de DEUS !”
    E o melhor de tudo é que bastará tão e somente eu dizer que eu tive uma visão para fundar uma denominação e todos sem exceção acreditarão na minha fábula.
    Isso tem de bom no meio protestante. Justiça seja feita. Todo protestante prima pela coerência.
    Eles não aceitam o papa, mas aceitam a “visão” de qualquer pastor.
    Eles rejeitam o magistério da Igreja com seus 2000 anos e sua infalibilidade, mas crêem em si próprios como mestres “infalíveis”.
    Eles não crêem nos concílios católicos que ocorrem a cada 50 ou 100 anos e que são ministrados não por um só homem, mas se alimentam de literatura e mídia produzida por homens e depois é só dizer que estes mesmos são “ungidos” e “bênçãos”.
    Eles não crêem nos milagres católicos comprovados pela ciência e atestados até mesmo por protestantes, mas crêem nos milagres exibidos na TV ou naqueles com dia e hora marcados e que ninguém comprova.
    “PARA AQUELES QUE CRÊEM, NENHUMA EXPLICAÇÃO É NECESSÁRIA; E PARA AQUELES QUE NÃO CRÊEM, NENHUMA EXPLICAÇÃO É POSSÍVEL. (SANTO INÁCIO DE LOYOLA).”

    Pensa o católico no que deve fazer depois de tanta confusão vista na Babel protestante:

    1)Devo estudar os textos, livros e escritos de Santo Agostinho ou escutar os gritos do vendedor de Bíblia da prosperidade ?
    “A Lei foi dada para que se implore a graça; a graça foi dada para que se observe a lei(Santo Agostinho).”
    2)Devo estudar São Tomás de Aquino ou escutar o pregador do patrocínio ?
    “Enquanto o amor humano tende a apossar-se do bem que encontra no seu objeto, o amor divino cria o bem na criatura amada” (Tomás de Aquino).”
    3)São Francisco de Assis ou o pregador do trízimo ?
    “Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível(São Francisco de Assis).”
    4)Santo Padre Pio ou o tal de “patriarca” do evangelho judaizante ?
    “O meu passado, Senhor, à Tua misericórdia. O meu Presente, ao Teu amor. O meu futuro, à Tua Providência.” (Padre Pio)
    5)Santa Teresinha ou Leões e Lagoas ?
    “Deus não poderia me inspirar desejos irrealizáveis, portanto, posso, apesar da minha pequenez, aspirar à santidade”(Santa Teresinha).
    6)São João Maria Vianney ou quem ensina a adoração da Arca da Aliança ?
    “Com nossos instintos a luta é raramente de igual para igual: ou nossos instintos nos governam ou nós governamos nossos instintos. Como é triste se deixar levar pêlos instintos! Um cristão é um nobre; ele deve, como um grande senhor, mandar em seus vassalos.(São João Maria Vianney)”
    7)Santo Irineu ou os “bispos” dos carnês e débitos automáticos ?
    Santo Ireneu (140´202): “Com efeito é à própria Igreja que foi confiado o Dom de Deus. É nela que foi depositada a comunhão com Cristo, isto é, o Espírito Santo, penhor da incorruptibilidade, confirmação da nossa fé e medida da nossa ascensão para Deus. Pois lá onde está a Igreja, alí está também o Espírito de Deus; e lá onde está o Espirito de Deus, alí está a Igreja e toda a graça.”
    8)Santo Ambrósio ou os pastores das fogueiras “santas” e campanhas financeiras ?
    “Toda verdade, dita por quem quer que seja, é do espirito santo.(Santo Ambrósio)”
    9)O Papa Leão XIII ou os pregadores do evangelho triunfalista onde ninguém precisa carregar sua cruz ?
    ”O cristão nasceu para a luta, e quanto mais encarniçada se apresenta, tanto mais segura há de ser a vitória com o auxílio de Deus” (Leão XIII, Encíclica Sapientiae Christianae, 19).
    Devo recorrer ao passado recente ??? Madre Teresa de Calcutá ou a profetiza que disse Jesus voltaria em 2007 ?
    “Ninguém daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso.”
    A quem se deve escutar católico ? João Paulo II ou o pregador do aborto ?
    “Deus se deixa conquistar pelo humilde e recusa a arrogância do orgulhoso.(João Paulo II)”
    “A Igreja é a carícia do amor de Deus ao mundo.(João Paulo II)”
    “Por isso, América: se queres a paz, trabalha pela justiça. Se queres a justiça, defende a vida. Se queres a vida, abraça a verdade, a verdade revelada por Deus.(João Paulo II)”
    “Quando o homem se põe como medida de todas as coisas, converte-se em escravo de sua própria finitude.(João Paulo II)”
    Talvez olhar para o presente seja melhor. E então católico ? Padres e Bispos católicos devidamente ordenados ou homens que se fazem “apóstolos”, “bispos” e “missionários” ?
    O teólogo Joseph Ratingzer, sua santidade o Papa Bento XVI, respeitado e reverenciado pelos protestantes históricos ou a igrejola aberta por qualquer desconhecido ?
    “Nós estamos caminhando para uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e tem como valor máximo o ego e os desejos individuais(Bento XVI)”
    “Vai-se constituindo uma ditadura do relativismo que não reconhece nada como definitivo e que usa como critério último apenas o próprio “eu” e as suas vontades.(Bento XVI ainda cardeal na missa na basílica de São Pedro antes do conclave.)
    E você católico inseguro ? O que irá fazer ? Abraçará a auto suficiência protestante ?
    Não se engane. Quem diz que não precisa de padre para confessar os seus pecados está apenas demonstrando sua arrogância. Se Jesus deu aos apóstolos o poder de reter ou perdoar pecados, é evidente ser indispensável que alguém lhes confesse os pecados.
    São Leão Magno (400-461), Papa e doutor da Igreja:“Quem se aparta da confissão da verdade, muda de caminho e o percurso inteiro se torna afastamento. Tanto mais próximo da morte estará quanto mais distante da luz católica.”
    Católico, não entre nesta falsa humildade protestante “só me confesso a DEUS”.
    “A Igreja é o mundo reconciliado”. (Santo Agostinho – Sermão 96,7,9)“Quem não crer que a Igreja lhe perdoa os pecados, a esses não lhe serão perdoados os pecados”.
    Só há salvação na Igreja que detém a confissão e a penitência. A Igreja que cuida da alma e dos pecados de seus filhos.
    “Sabe porque os consultórios de psiquiatras estão cheios porque os Confessionários estão vazios.” [João Paulo II].
    E nós pertencemos a esta Igreja.
    “Portanto, a Igreja Católica é a única que retém o verdadeiro culto. Esta é a fonte da verdade; esta, o domicílio da fé; o templo de DEUS. Quem quer que não entre nela ou não saia daqui é um alienado em termos de esperança de vida e salvação… Porque, , ao contrário disso, todos os vários grupos de hereges têm confiança de que são os Cristãos, e pensam que a Igreja Católica é deles. Que se saiba que a verdadeira Igreja é na qual há confissão e penitência, e que cuida de maneira salutar dos pecados e das mágoas aos quais os fracos na carne estão sujeitos.
    Lactantius, As Instituições Divinas, 304 A.D..
    E eu te pergunto meu caro amigo católico que me lê, pode haver maior contradição do que esta ? Os protestantes que dizem que religião não serve para nada, quando acuados dizem em alto em bom som: “estamos sendo vítimas de perseguição religiosa”. Tudo no protestantismo é contraditório. E qual a sua origem afinal ?
    O vírus que Lutero dissiminou do orgulho não teve origem nele próprio. Lutero contestou a Igreja e a autoridade do papa. Hoje seus filhos contestam uns aos outros e todos contestam o catolicismo. Calvino contestou Lutero. Outros contestaram Calvino.
    O vírus da auto suficiência não coexiste com explicação de qualquer ordem e nem permite que os ouvidos estejam abertos para a instrução. Pode-se ver apenas o que se deseja e troca-se o meditar pelo falar.
    O “Super Papa” Martinho Lutero, ídolo protestante, resumiu o pensamento que iria contaminar seus filhos:
    “Quem não crê como eu é destinado ao inferno. Minha doutrina e a doutrina de Deus são a mesma. Meu juízo é o juízo de Deus” (Weimar, X, 2 Abt, 107)
    Por isto os protestantes são intérpretes da Bíblia e não aceitam instrução de qualquer tipo.
    “As pessoas costumam amar a verdade quando esta as ilumina, porém tendem a odiá-la quando as confrontam(Santo Agostinho).”
    Por isto fundam denominações e se dividem e cada crente é mestre de sua doutrina e “infalível” em sua interpretação pessoal.
    Desejar seguir Jesus é uma coisa e encontra-lo é outra. Muitos seguramente querem. Mas quem pode nos apresentar Jesus ? O cego da Bíblia fez esta pergunta. Ela ainda é atual.
    Julgas católico que podes conhecer o DEUS verdadeiro a partir de tua leitura bíblica ? Acaso não sabes que DEUS é muito maior do que a Bíblia e incompreensível para qualquer um de nós ?
    Hoje em dia muitos “Jesuses” são apresentados por aí. A Bíblia nos diz que muitos cristos falsos seriam “vistos”.
    Tem o Jesus do aborto, tem o Jesus do divórcio, tem o Jesus do dízimo, tem o Jesus do carnê, tem até Jesus do Trízimo. Tem Jesus da Arca da Aliança, tem Jesus do evangelho judaizante, tem Jesus que batiza e tem Jesus que não batiza. Tem Jesus patrocinador. Que Jesus você deseja conhecer e seguir ?
    Quem pode te apresentar o Jesus verdadeiro se não a Igreja que é coluna e sustentáculo da verdade ?
    Você acha que é assim católico ? Depois de ter demonstrado tão grande amor a ponto de entregar sua vida por nós na cruz, o nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou por conta própria ?
    Sou eu quem devo interpretar a Bíblia ? Sou eu quem devo me virar e encontrar a Igreja certa ? Eu que sou homem e falho é quem devo julgar quem interpreta certo e quem interpreta errado ? Devo escolher uma denominação protestante a partir da minha leitura individual ? Devo estudar a Bíblia para saber qual a denominação protestante é mais adequada ?
    Na prática o que está nos dizendo cada protestante ? Ora, depois de tudo que Jesus fez na cruz e sabendo que é seu desejo que nenhum de nós se perca, agora este mesmo Jesus diz:
    “Se vira. Eu já fiz a minha parte morrendo na cruz. Leia a Bíblia. Interprete por conta própria. Julgue você próprio o que é ou não heresia. Escolha uma Igreja. Fique atento aos falsos profetas. Compreenda por si mesmo qual é a minha vontade. Se perceber algo errado mude de denominação. Se não encontrar denominação alguma que pregue um evangelho “puro” funde uma nova “igreja”. Salva-se quem puder. E danem-se os ignorantes, deficientes, analfabetos. E não se esqueça de levantar o dedo em uma denominação protestante e diga que me aceita como senhor e salvador”
    Você acha mesmo que Jesus é assim Sr.Católico ? Você acha que Jesus Cristo realmente se importa ou não com a salvação do homem ?
    Ora católico, você sabe que Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente. O amor que ele demonstrou na cruz nunca mudou. Ele nos deixou a Santa Igreja para que ela nos guiasse. Isto tudo por amor. Ele sabe que somos confusos, arrogantes, soberbos, inconstantes e muitas vezes auto suficientes. O apóstolo Paulo nos ensina que os julgamentos humanos são parciais, portanto duvidosos.
    Assim sendo, cumpre a Igreja a tarefa de ensinar e interpretar as sagradas escrituras. Os meios de salvação como os sacramentos estão disponíveis somente na Igreja. Não é possível acessa-los estando fora dela.
    Através da Igreja e não deixando o homem por conta própria, a salvação também foi possível aos ignorantes, pobres, doentes, analfabetos e deficientes.
    Não foi para estes que Jesus veio ? Ou ele veio somente para aqueles que “poderiam” teoricamente interpretar a lei ? Isto já faziam os fariseus.
    Meu irmão católico, os cristãos dos primeiros séculos não dispunham de Bíblias. Mas tinham Igreja. Isto é o amor de Jesus que não podemos medir ! Ele instituiu a Igreja para que nenhum de nós se perca.
    E se a Igreja errar ? Se tal fosse possível, pois não é, seria Jesus quem deve responder por ela e não Lutero. A Igreja nunca erra, embora seus filhos sejam pecadores. A Igreja nunca ensina errado, muito embora seus filhos distorçam eventualmente os ensinamentos corretos que lhes são passados.
    Lutero não foi autorizado a “consertar” a Igreja Católica e por via de conseqüência seus filhos que continuam reformando Lutero estão em verdade falando ao vento ou esvaziando o oceano com um balde.
    Mas fiquem tranqüilos. O mesmo Jesus disse: “as portas do inferno jamais prevalecerão contra minha igreja”.
    E disse ainda: “eis que estarei convosco até o fim dos tempos”.
    Não caia na armadilha orgulhosa do protestantismo e nem faça de Jesus um mentiroso ao imaginar que DEUS precisou de Lutero para alguma coisa. Jesus não mente e você não é protestante para escolher o que pretende seguir ou não do evangelho.
    “SE VOCÊ ACREDITA NO QUE LHE AGRADA NOS EVANGELHOS E REJEITA O QUE NÃO GOSTA, NÃO É NOS EVANGELHOS QUE VOCÊ CRÊ, MAS EM VOCÊ.(SANTO AGOSTINHO)”
    Tem hora que o protestante é literal e tem hora que não é. Tem hora que ele admite que determinada disposição pode estar subentendida e tem hora que tem que ser “clara”.
    Tudo depende do que ele queira seguir. Depende do que ele quer praticar e do que ele deseja condenar nos outros. Tem hora que usam o grego. Usam o grego, por exemplo, para dizer que Pedro não era a Pedra. Mas sabemos que Jesus falava aramaico. Depois favorecem o aramaico ou hebraico para justificarem outros costumes e crenças que praticam.
    Quando é interessante retomam a interpretação literal suprimindo inclusive versículos. É o caso da mediação de Jesus Cristo onde o protestante não lê o restante do texto e assim confunde mediação com intercessão.
    E depois de tudo isto, o protestante diz ainda que qualquer um pode ler e interpretar a Bíblia. Qualquer um ?
    Todos os protestantes conhecem as doutrinas de integrais de Lutero ou Calvino ? Todos os protestantes lêem, escrevem e traduzem grego, aramaico e hebraico ?
    Pergunte a um protestante se ele conhece os pecados contra o Espírito Santo ? Ele não conhece. Sabe por que ? Porque a Bíblia não os define. A Bíblia só fala em blasfêmia. Mas não explica.
    Mas fique certo Sr.Católico que a tua Santa Madre Igreja te ensina quais são estes pecados de modo que você possa evita-los.
    Não é mais seguro ser católico ? Como um protestante saberá se incorreu ou se está incorrendo em algum pecado contra o Espírito Santo ?
    Mas o fato concreto é que mesmo não entendendo nada, é infinitamente mais seguro ser católico.
    Quer ver Sr.Católico ? Se os protestantes estivessem certos e basta “crer” para ser salvo, mesmo sendo católico eu já estaria salvo porque também creio.
    E o “bom” deste lamentável equívoco é que o crer protestante é um crer genérico. Basta crer em qualquer Jesus de qualquer denominação protestante que prega qualquer doutrina.
    Todos, sem exceção se dizem salvos. É verdade que todos que se dizem salvos em contrapartida dizem que alguns outros não estão. Mas em compensação quando algum protestante é acusado por outro neste sentido, basta tão e somente dizer: “Não aceito julgamento de homens. É DEUS quem vai me julgar.”
    Aliás, se todos que creram estão salvos, então até os demônios estariam salvos, porquanto eles também crêem. E diferente dos protestantes os demônios tremem.
    Mas pense Sr.Católico indeciso. E se a Igreja estiver certa ? E olha que está. É mais fácil que ela esteja certa com seus 2000 anos do que você.
    Já pensou se a porta for estreita e não tão larga quanto é no Protestantismo onde basta levantar o dedo para ser salvo ? A Bíblia nos ensina que os homens não suportando mais a sã doutrina ajustariam mestres para si. Não é o que assistimos no protestantismo ?
    E se a Igreja for fundamental para a salvação do homem ? E se houver um julgamento para vivos e mortos ? E se ninguém estiver salvo de véspera ? E se as obras forem de fato indispensáveis ?
    Afinal foi Jesus Cristo quem disse: “…tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber…” Não foi Jesus Cristo quem também disse “A verdadeira religião é visitar órfãos e viúvas” ?
    O que você justificará como protestante ? Só poderá dizer que leu e não entendeu. Mas como não entendeu se você dizia contar com a assistência do Espírito Santo ?
    Se você disser que leu estará confessando que entre outras coisas conheceu: “interpretação alguma é de caráter individual.” E se você confessar que leu terá que admitir que sabia: “…a igreja é coluna e sustentáculo da verdade”.
    Mas existem protestantes que são mais tementes a DEUS do que católicos ? Certamente. E existem protestantes que levam vidas mais sadias do que católicos ? Sem dúvida.
    Mesmo com uma leitura deficiente da Bíblia não é difícil superar um católico não praticante ou infiel que resolve dar as costas para a Santa Igreja.
    E se é certo que existem protestantes sinceros e cujas vidas são pautadas por honra e temor a DEUS, também é verdade que existem não cristãos que aos olhos humanos são ainda melhores do que católicos e protestantes. E agora ?
    O que você irá fazer católico indeciso ? Quem são os santos protestantes ? Quais são as suas obras ? Quem são seus expoentes e referências ? Qual das 50.000 igrejas protestantes você irá escolher ? Qual delas retém a sã doutrina ?
    A quem você irá escutar ? A Igreja de 2000 anos construtora da civilização, mestra por excelência ou vai escutar a si mesmo a partir de tua própria leitura individual da Bíblia ?
    Ora, a fé em pelo ouvido e não pela leitura. O protestante faz o contrário. Lê para “entender” ao invés de ouvir.
    Não foi o eunuco da Bíblia que pediu por alguém que lhe ensinasse aquilo que não podia ele próprio compreender ?
    Se fosse fácil ele mesmo poderia ler e interpretar. A Bíblia nos adverte sobre o perigo que é a palavra de DEUS sendo manipulada por ignorantes. Nunca lestes que a letra mata, mas o espírito vivifica ? Pois é. A letra matou o protestante.
    Católico não entre nesta espiral de rejeição às autoridades constituídas por DEUS. Para entrar no reino dos céus é preciso recebe-lo como crianças. Esvazie-se a si mesmo e por certo encontrarás a verdade na Igreja Católica.
    Amigo católico, pense bem quando alguém te convidar para um culto protestante ou te abordar na rua com um folheto. O abandono consciente da Igreja Católica será trágico para você meu amigo católico.
    “Os heréticos condenam-se a si mesmos já que por própria opção abandonam a Igreja, um abandono que, sendo consciente, torna-se sua condenação .”São Jerônimo Comentários acerca de Titus, 3,10 386 A.D.
    Se você ainda está em dúvida, não faça como os protestantes que nunca leram as obras de Lutero. Procure por elas e veja a pessoa do fundador do protestantismo.
    Fundador do protestantismo: Lutero
    “Cristo cometeu adultério pela primeira vez com a mulher da fonte, de que nos fala São João. Não se murmurava em torno dele: “Que fez, então, com ela?”, depois com Madalena, depois com a mulher adúltera, que ele absolveu tão levianamente. Assim Cristo, tão piedoso, também teve de fornicar antes de morrer.” (Tischreden, nº 1472, ed. Weimer, 11, 107)”.
    “Eu estou, da manhã à noite, desocupado e bêbado. Você me pergunta por que eu bebo tanto, por que eu falo tão galhardamente e por que eu como tão freqüentemente? É para pregar uma peça ao diabo que se pôs a me atormentar”. É bebendo, comendo, rindo, nessa situação, e cada vez mais, e até mesmo cometendo algum pecado, à guisa de desafio e desprezo por Satanás, procurando tirar os pensamentos sugeridos pelo diabo com o auxílio de outros pensamentos, como, por exemplo, pensando numa linda moça, na avareza ou na embriaguês, caso contrário ficarei muito raivoso.” (Lutero). (Marie Carré, Jai choisi lunité – D.P.F., 1973, apud Lex Orandi: La Nouvelle Messe et la Foi , Daniel Raffard de Brienne 1983).”
    O que dizem os defensores da fé católica sobre a Igreja ?
    S. Cipriano (+258): “Julga conservar a fé aquele que não conserva esta unidade recomendada por Paulo? Confia estar na Igreja aquele que abandona a cátedra de Pedro sobre a qual está fundada a Igreja?” (Sobre a Unidade da Igreja cap. 4).
    “S. Cipriano: se alguém tivesse escapado (do dilúvio) fora da arca de Noé, então poderíamos admitir que quem abandona a Igreja pode escapar da condenação.”
    Orígenes escrevia: “…se alguém quer salvar-se, venha a esta casa, para que possa consegui-lo… Que ninguém se engane a si mesmo: fora desta casa, isto é, fora da Igreja, ninguém se salva.”
    Papa Inocencio III (1198-1216):
    “Com nossos corações cremos e com nossos lábios confessamos só uma Igreja, não aquela dos hereges, senão a Santa Igreja Católica Apostolica e Romana, fora da qual achamos que não há salvação “(Denzinger 792).
    Quarto Concilio de Letrán (1215):
    “Há só uma Igreja Universal dos fiéis, fora da qual ninguém esta a salvo.”
    Papa Bonifacio VIII, Bula Unam Sanctam (1302):
    “Nós declaramos, dizemos, definimos e pronunciamos que é absolutamente necessário para a salvação de toda criatura humana o estar submetida ao Romano Pontífice.”
    “Assim como há um só Deus, um só Cristo, um só Espírito Santo, assim também há uma só verdade divinamente revelada; uma só Fé divina que é o princípio da salvação do homem e o fundamento de toda a justificação, a Fé pela qual o justo vive e sem a qual é impossível agradar a Deus e chegar à comunhão dos Seus filhos. Há uma só Igreja una, verdadeira, santa e católica que é a Igreja Apostólica Romana. Há uma só cátedra fundada sobre Pedro pela palavra do Senhor, fora da qual não podemos encontrar nem a verdadeira Fé, nem a salvação eterna. Todo aquele que não tiver a Igreja como mãe não pode ter a Deus como pai, e quem quer que abandone a cátedra de Pedro sobre a qual a Igreja foi fundada confia falsamente que está na Igreja de Cristo. Na verdade, não pode haver crime maior e mancha mais repugnante do que se opor a Cristo, do que dividir a Igreja gerada e comprada pelo Seu Sangue, do que esquecer o amor evangélico e combater com o furor da discórdia hostil a harmonia do povo de Deus.”
    (Pio IX, Singulari Quidem)
    Católico, tenha amor por sua Igreja. Ela é temida por seus inimigos.
    Voltaire – inimigo confesso de Cristo e da Igreja, parabenizado sobre a destruíção que promoveu de um templo católico:“Que ninguém se engane. A Igreja não está morta. O fogo da fé está somente em brasa, mas não extinto. A fé católica é fogo inextinguível.”
    “A Igreja é Santa, a Única Igreja, a Verdadeira Igreja, a Igreja Católica, lutando sempre contra todas as heresias. Ela pode lutar, mas não pode ser derrotada. Todas as heresias são expulsas por Ela, como os galhos pendentes são arrancados de uma vinha. Ela permanece presa à sua raiz, em Sua vinha, em Seu amor. As portas do inferno não prevalecerão contra ela”Santo Agostinho de Hipona, Sermão aos Catecúmenos sobre o Credo, 6,14, 395 D.C.
    Católico não fuja à perseguição e combata o bom combate.
    Santo Hilário de Poitiers (367):”Foi sempre privilégio da Igreja vencer quando é ferida, progredir quando é abandonada, crescer em ciência quando é atacada”.
    Católico, nunca deixe de defender a Santa Igreja, os santos e a Virgem Maria.
    ”ONDE ESTIVER O BISPO, ESTEJA O POVO, ASSIM COMO ONDE ESTÁ JESUS CRISTO, ESTÁ A IGREJA CATÓLICA”. (SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA, CARTA AOS ESMIRNENSES, 8, ANO 106 D.C.).
    Não se envergonhe de sua fé e nem se intimide com os adeptos da religião do livro.
    “Toma cuidado com o homem de um só livro(São Tomás de Aquino).”
    Ora, nosso DEUS não está restrito a tinta ou ao papel, mas é a palavra viva e encarnada.
    Quem são os nossos santos e expoentes ?
    “Espero nunca ter ensinado nenhuma verdade que não tenha aprendido de Vós. Se, por ignorância, fiz o contrário, revogo tudo e submeto todos meus escritos ao julgamento da Santa Igreja Romana(São Tomás de Aquino).
    ” Não é igreja que precisa de mim, sou eu que preciso da Igreja”( São Pio de Pietrelcina).
    “Se não podes entender, crê para que entendas. A fé precede, o intelecto segue(Santo Agostinho).”
    São João da Cruz pediu e acabou recebendo de Deus: Primeiro, força para o trabalho e para sofrer muito; Segundo: não o fazer sair deste mundo como superior de uma comunidade; Terceiro: deixá-lo morrer desprezado e escarnecido pelos homens. Pregador, místico, escritor e poeta, João da Cruz faleceu após uma penosíssima enfermidade, em 1591 com 49 anos de idade. Declarado como Doutor da Igreja pelo Papa Pio XI.
    “O amor, para ser verdadeiro, tem de doer. Não basta dar o supérfluo a quem necessita, é preciso dar até que isso nos machuque(Madre Teresa de Calcutá).”
    “Dê ao mundo o melhor de você. Mas isso pode não ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo. Veja você que, no final das contas, é tudo entre VOCÊ e DEUS. Nunca foi entre você e os outros.(Madre Teresa de Calcutá)”
    “Jesus é a Ponte entre Aquele que tudo pode e as criaturas que de tudo precisam. Seja você também uma ponte que liga os que tem de sobra, com aqueles que sentem falta de tanta coisa.(Santa Clara de Assis)”
    “A castidade duma alma é de um preço aos olhos de Deus maior que a dos anjos, pois que os cristãos só podem adquirir esta virtude pelos combates, enquanto que os anjos a têm por natureza.” (Sermão sobre a Pureza).”(Santo Ambrósio).
    “Ou nos afastamos do mal por medo do castigo, estando assim na posição do escravo; ou buscamos o atrativo de recompensa, assemelhando-nos aos mercenários; ou é pelo bem em si e por amor de quem manda que nós obedecemos… e estaremos então na posição de filhos”.(São Basílio Magno)
    O que é a Igreja Católica ?
    “A Igreja Católica é a única coisa que salva o homem da degradante escravidão de ser um filho de sua época(Chesterton)”.
    São Cipriano (†258) – Bispo de Cartago:“A Esposa de Cristo não pode adulterar, é fiel e casta. Aquele que se separa dela saiba que se junta com uma adúltera, e que as promessas da Igreja já não o alcança. Aquele que abandona a Igreja não espere que Jesus Cristo o recompense, é um estranho, um proscrito, um inimigo. Não pode ter Deus por Pai no céu quem não tem a Igreja por mãe na terra”.
    São João Crisóstomo (350-407), doutor da Igreja; Patriarca de Constantinopla:“Não te afaste da Igreja: Nada é mais forte do que ela. Ela é a tua esperança, o teu refúgio. Ela é mais alta que o céu e mais vasta que a terra. Ela nunca envelhece”.
    Contemplando este mistério da Igreja, São Pio X dizia:
    “Os reinos e os impérios desmontaram; os povos que a glória de seus nomes assim como sua civilização os havia tornado célebres, desapareceram. Viram–se nações que, atingidas pela decrepitude, se desagregaram por si mesmas. A igreja, porém, é imortal por natureza, jamais o laço que a une ao seu celeste Esposo se romperá e, em conseqüência, a velhice não pode atingi-la; ela permanece exuberante da juventude, sempre transbordante dessa força com a qual ela nasceu do coração transpassado de Cristo morto sobre a Cruz”. (Encíclica Iucunda Sane).
    Católico nós sabemos que existem pessoas sinceras em denominações protestantes, muito embora o ciclo vicioso do protestantismo sempre os leve ao orgulho. Não tem jeito. Necessariamente o livre exame da Bíblia instituído por Lutero transforma todo e qualquer crente em uma espécie de papa e juíz de todas as coisas.
    Sabemos ainda ou temos pelo menos a expectativa de que a grande maioria é séria e honesta. Mas o Senhor Jesus também nos advertiu que devemos temer não quem mata o corpo, mas quem mata alma. Em outras palavras, tenhamos receio ainda maior das heresias que andam por aí. São elas que podem levar o homem para o inferno
    Como entender tudo isto ? O que pretendeu nos ensinar Jesus a este respeito ?
    Ora, mesmo os sinceros e honestos uma vez que não recebem a devida instrução que só é possível na Igreja Católica, tornam-se ainda que de boa-fé introdutores de heresias e doutrinas espúrias. No mínimo, ensinam uma doutrina incompleta calcada em suas próprias interpretações pessoais ou em interpretações meramente humanas.
    Meu amigo, se os bons podem nos levar para o inferno, imagine então que nos fariam os maus ?
    Católico, teu porto seguro encontra-se na Santa Igreja Catóilca Apóstolica Romana.
    João: “Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos.”
    Pedro: “Ora, assim como entre o povo houve falsos profetas, do mesmo modo haverá entre vós falsos doutores, que introduzirão seitas de perdição e renegarão aquele Senhor que os resgatou, atraindo sobre si mesmos uma pronta ruína. Muitos seguirão as suas dissoluções, por causa dos quais será blasfemado o caminho da verdade, e, por avareza, com palavras fingidas, farão negócio de vós, mas a sua condenação já desde há muito não repousa e a sua perdição não dorme”. (II Ped. 2, 1-3).”
    Reconheço que é direito de todo ser humano aderir à fé ou crença que lhe pareça mais adequada. Acredito que o exercício da fé deve compreender, entre outras coisas, o respeito pelas escolhas alheias e deve primar pela liberdade sem embaraços para com o próximo que não compartilha da mesma crença ou credo.
    Não é minha pretensão determinar ou qualificar a fé de quem quer que seja. Não concordo com aqueles que promovem ataques a dignidade e honra das pessoas que não professam suas religiões ou credos. Respeito todas as religiões e pretendo receber o mesmo respeito. Assim, considero salutar a liberdade religiosa que prevalece em nosso país.
    Com humildade, finalizo o presente texto fazendo das palavras do Santo Padre Pio as minhas:
    “Em tudo me sujeito ao que professa a Santa Igreja Católica Romana, em cuja fé vivo, afirmo viver e prometo viver e morrer”.(PADRE PIO)
    Autor: A Silva com a colaboração de V.De Carvalho.

  10. Pingback: Hoje a Igreja celebra os protestantes que estão no Céu | Deus lo Vult!