Bispos sobre Reforma Agrária

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 11 meses 3 dias atrás.

[Fonte: nochurch Site (sic!)

Que diferença para os dias correntes…]

Dom Sigaud, Dom Mayer e Plínio Corrêa a João Goulart

Dom Sigaud, Dom Mayer e Plínio Corrêa a João Goulart

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

32 thoughts on “Bispos sobre Reforma Agrária

  1. João de Barros

    Caro Francisco:

    Desculpe-me a franqueza, mas sua última mensagem chegou aqui com um forte cheiro de protestantismo.

    A situação da Itália e do mundo em 1870 era radicalmente diferente da de 1920. Na década de 1920, era plenamente possível assinar o Acordo de Latrão de maneira honrosa para a Igreja. A assinatura de acordo semelhante, 50 anos antes, teria péssimos efeitos.

    Papas evidentemente não são infalíveis em matéria de política internacional, mas achar que Pio IX não sabia o que estava fazendo é um tanto pretensioso, não? Tanto quanto eu saiba, a atitude de Pio IX (considerou-se prisioneiro no Vaticano e recusou-se a reconhecer o novo governo italiano) foi muito elogiada pelos católicos da época.

    Além disso, Pio IX não é um papa qualquer. Pio IX foi o papa que mais tempo esteve à frente da Igreja. Quando se deu o esbulho dos Estados Pontifícios, ele já tinha mais de 20 anos de pontificado. Pio IX foi beatificado e menos de 100 anos após sua morte três outros grandes papas optaram por continuar seu nome: São Pio X, Pio XI e Pio XII.

    Mas deixe-me tentar entender seu raciocínio.

    Segundo você, Pio IX deveria ter permitido que os Estados Pontifícios fossem roubados. Certo? Muito bem. Então, você é contra a posse de territórios e riquezas pela Igreja? É isso?

  2. Pingback: Festival de hipocrisias e mentiras religiosas « BLOG da UNA