Notícia ruim, Notícia boa

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 11 meses 4 dias atrás.

U.N. Report Advocates Teaching Masturbation to 5-Year-Olds. No material, “crianças de cinco a oito anos de idade aprenderão que ‘tocar e esfregar [rubbing] os próprios genitais é chamado de mastrbação’, e que ‘é possível obter prazer quando se tocam’ as partes íntimas”. Pois é. Criança, Esperança.

Enquanto isso, existe na Espanha a REDMADRE. Fundação “criada em 2007, com o propósito de ativar uma Rede solidária de apoio, assessoria e ajuda à mulher para superar qualquer conflito surgido ante uma gravidez imprevista, em toda a Espanha”.

Não precisamos das porcarias da UNESCO. Entregues à depravada visão de mundo das Nações Unidas, não há esperança para as crianças. Precisamos é de iniciativas como esta da Espanha. Que, infelizmente, não é abraçada pela Rede Globo.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

14 thoughts on “Notícia ruim, Notícia boa

  1. Captare

    Caro Jorge, Laudetur Dominus!

    E nem será abraçada pela Globo, porque ela é um dos principais instrumentos a serviço do globalismo da ONU no Brasil.

    Além do mais, seria contradizer a opinião que o globalismo e o esquerdismo em geral propagam com todas as forças, a de que “uma gravidez não planejada seja um mal terrível a se evitar, pois que não há remédio para ele a não ser o aborto”. Você sabe, estas mentiras são frágeis e só se sustentam se toda opinião distoante for banida dos olhos do público.

    Pax et Salutis

  2. PedroM

    Putz.

    A única pergunta é: para quê?

    Esses tais especialistas são tão especialistas que não conseguem distinguir a curiosidade infantil (sobre o próprio corpo) do desejo sexual. Nem Freud, quando falava de sexualidade, fez essa confusão.

    Aliás, não conseguem olhar para as próprias experiências, quando eram crianças. Duvido (e desculpem a crueza) que algum deles olhava para o próprio genital da mesma forma aos 5 e aos 15 anos de idade.

    Abs.

  3. Francisco Ademir Bruni Júnior

    Salve Maria,

    Os senhores acreditam que tem padre capaz de colaborar com o Criança Esperança?

    É sabido que a Igreja orienta a não ajudarmos tal “empreendimento” e mesmo assim …

    Só poderia ser o tal Fábio de Melo, mais uma vez.

    Enfim, já passou da hora para que este “cantor” saia da Igreja e funde sua seita. Já sugiro alguns nomes, se não existirem:

    Igreja Humana Demais,
    Igreja do Doce Amor,
    Igreja do Mel Celeste.
    Igreja do Amor Relativo, e por ai vai.

    Paciência.

    Francisco.

  4. DANIELA

    Fiquei abismada com que as crianças estão apredendo tão precocemente essas coisas absurdas que aliás para a Igreja a mastubação é pecado grave.

    Francisco larga mão e pará de ficar criticando a vida do Padre Fabio.Deus concedeu a ele uma forma diferente de evangelizar os coraçoes.De vez vc ficar o julgando pq vc nao reza por ele?!!!

    “QUEM JULGA NAO TEM TEMPO PARA AMAR.”

  5. karina

    Pedro, você falou e disse!! Seguindo as orientação das Nações Unidas para o Fim da Moral e Decência, ao ver meu filho de 10 meses tocando os genitais eu devo entender como masturbação, e incentivá-lo a fazer isso, porque aí ele aprende desde cedo a sentir prazer de uma forma “responsável”…

    Fala sério, esses cara não tem mais o que fazer a não ser dizer para as crianças que elas não conseguem viver sem sexo? Alardeiam uma gravidez precoce, mas ao mesmo tempo dizem para os jovens que “sim, sexo é bom, quanto mais cedo melhor”.

    Alardeiam a AIDS e a camisinha, mas esquecem de falar aos jovens que seus corpos são templos sagrados, e que sexualidade e sexo são duas coisas totalmente diferentes, e que sexo requer maturidade, responsabilidade e amor CONJUGAL.

    Eu penso da seguinte forma: se todo mundo começa a falar de um filme que você ainda não viu, você fica curioso pra ver logo, certo? Quanto mais se fala de sexo para a criança, mas ela vai ter curiosidade de saber como é.

    O que não significa que os pais devem contar a história da cegonha quando seus pequenos vierem perguntar de onde vêm os bebês, mas a criança também não precisa, no dia seguinte, receber o Kama Sutra de presente.

    Quero ver se a filhinha de 5 anos de um desses senhores respeitáveis da UNESCO chega em casa falando que se masturbou e que está pensando em ficar com um dos coleguinhas, se eles vão achar natural.

  6. Eduardo Araújo

    Karina:

    “Quero ver se a filhinha de 5 anos de um desses senhores respeitáveis da UNESCO chega em casa falando que se masturbou e que está pensando em ficar com um dos coleguinhas, se eles vão achar natural.”

    O pior, Karina, é que não seria surpreendente se eles, sim, achassem natural e até incentivassem.

  7. Francisco Silva de Castro

    Reconhecer os abusos e conduta inconvenientes do Pe. Fábio de Melo é sim, um gesto de amor, por que ele com suas declarações contrarias doutrina da Igreja tem feitos muito mal aos católicos. E julgar não é ficar cego perante os erros não. É apontar o caminho certo. Não se está dando uma sentença definitiva ao padre, pois isto pertence a Deus, mas só não ver que ele extrapolando quem não quer, só por uma questão de sentimentalismo pessoal. E que frase boba esta. “Quem julga não tem tempo pra amar” Que tipo de amor estão querendo? Vamos apoiar o erro por que te amamos bem? É isto. Jesus teve tempo de dar, isto sim uma boas chicotadas nos vendilhões do Templo e como muito amor, tenha certeza disso.

  8. Francisco Ademir Bruni Júnior

    Prezada Daniela,

    Salve Maria,

    Vou lhe explicar algo, que por sinal, o tal Padre não conseguiu.

    Suponha que eu seja um policial e num confronto com bandidos, eu, sem intenção, acerte um projétil em uma pessoa inocente. Donde:

    Dizer que eu errei o tiro e como conseqüência tirei a vida de um inocente é UM FATO, e ao afirmar meu erro (não intencional), NÃO SE ESTÁ JULGANDO NINGUÉM.

    Por outro lado, se algum parente da vítima, sem nenhuma evidência ou justificativa, afirmar que eu atirei propositalmente na pessoa inocente, ELA ESTÁ ME JULGANDO, pois não conhece se minhas intenções eram boas ou não

    Entendeste a diferença entre: FAZER UMA AFIRMAÇÃO SOBRE UM FATO e JULGAR A INTENÇÃO DE UMA PESSOA? Espero que sim.

    Mas, não fique preocupada, pois o problema no entendimento não é seu, mas dele que, como você disse “Deus concedeu a ele uma forma diferente de evangelizar os coraçoes.” É uma forma tão diferente, que realmente ninguém entende, nem você.

    A forma com a qual ele “evangeliza” o distancia tanto da doutrina Católica, que eu tenho dúvida se foi realmente Deus que a concedeu. Deus não ensina heresias.

    Daniela, deixe de lado o sentimentalismo e avalie os argumentos lógicos de vários blogs Católicos contra as práticas inadequadas deste padre, veja bem, contra as práticas dele e não contra ele, pelo qual devemos rezar.

    Observe: Você considerou que o autor do texto JULGOU a UNESCO, a ONU e a Rede Globo? Claro que não, tanto que você nem “deu bola”. Por outro lado, quando fiz uma crítica ao tal padre, devido a ele ter ido ao programa “criança esperança”, parece que o mundo ia acabar?

    Por fim, peço que não me julgueis, pois você escreveu: ‘De vez vc ficar o julgando pq vc nao reza por ele?!!!”. Como você sabe se eu rezo ou não por ele? Você tem aqueles surtos de “revelação divina” muito comuns em ambientes da RCC?

    Prezado Francisco Silva de Castro,

    Salva Maria,

    Seu texto já era suficiente para responder as colocações da Daniela, mas como o sentimentalismo relativista (auto-ajuda) do tal Padre parece cegar seus “seguidores”, achei melhor se bem didático, quem sabe, assim eles, enxerguem o óbvio.

    Grato pelo apoio. Deus lhe pague.

    Francisco Ademir Bruni Júnior

  9. Francisco Silva de Castro

    Ótimos esclarecimentos sobre a diferença entre julgar a denunciar o erro. Eu sou que agradeço e peço como vosso consentimento para guardar o texto.

  10. Pedro

    Eu não ajudo o “Criança Esperança” nem o assisto, porque acho terrivelmente chato, mas queria saber em que documento ou pronunciamento oficial a Igreja proíbe doações ou participação no palco daquele evento. Tal proibição existe de forma expressa ou é interpretação extensiva de alguém (do tipo: a Unesco defende o aborto, por isso não se pode apoiar uma campanha patrocinada por ela, mesmo que não tal campanha não se apresente como voltada para fins moralemnte condenáveis)?

  11. karina

    “Eduardo Araújo says:

    September 16th, 2009 at 6:29 pm

    Karina:

    “Quero ver se a filhinha de 5 anos de um desses senhores respeitáveis da UNESCO chega em casa falando que se masturbou e que está pensando em ficar com um dos coleguinhas, se eles vão achar natural.”

    O pior, Karina, é que não seria surpreendente se eles, sim, achassem natural e até incentivassem.”

    Realmente, Eduardo, é de arrepiar, mas não seria de surpreender. Até porque, quando chegasse a fase fértil da menina, eles já tem todas as respostas prontas: pílulas desde a mais tenra idade, camisinhas e, claro, o aborto.

    Deus nos livre e guarde, as famílias cristãs não podem nem devem achar isso uma coisa “normal”.

  12. DANIELA

    Francisco Ademir,vc está certissimo em algumas coisas sim,que as vzs são erros que o Padre Fabio faz que nós que admiramos o seu trabalho tentamos tapar o sol com a peneira.Obrigada pelos esclarecimentos que foram excelentes,mas de forma alguma eu vou deixar de amar e de admirar o Padre Fabio,nao que eu seja uma sentimentalista,mas pq eu sou membro da Igreja e sendo tenho que respeitar os sacerdotes que são os filhos prediletos de Nossa Senhora.Pq será que o Papa deus-nos o Ano Sacerdotal????Para que possamos acolher mais os Padres e rezarmos por eles.Francisco Ademir e Francisco Silva eu nao to julgando vcs nao,quem sou eu para julgar?E quem falou que a frase “QUEM JULGA NAO TEM TEMPO PARA AMAR”,é uma frase boba demais,quero dizer que essa frase é de Madre Tereza de Calcutá!!!

  13. Francisco Ademir Bruni Júnior

    Prezada irmazinha Daniela,

    Salve Maria,

    Reconhecer nossas falhas ou erros é uma virtude grandiosa, belíssima, e isto é claro, vale para todos nós.

    Graças a Deus você não interpretou minhas palavaras como uma ofensa pessoal, mas como a busca da verdade.

    Lutemos juntos pela santificação de nosso clero (e nossa também), seja pelas nossas orações, seja pela correção dos erros ou falhas.

    Reze por mim, um abraço.

    Francisco Ademir Bruni Júnior.