PT, Partido Socialista

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 10 meses 16 dias atrás.

Eu acho uma coisa muito difícil convencer um católico de que ele não pode votar no PT por ser este um partido socialista, e dado que a Igreja condena o socialismo. O silogismo elaborado pelo Veritatis Splendor já há algum tempo – A Igreja condenou o socialismo; ora, o PT é socialista; logo, o PT deve ser rejeitado por quem se considera fiel à Igreja -, a despeito de estar logicamente primoroso, escapa completamente à compreensão do católico brasileiro mediano.

E isso é uma coisa que, sinceramente, me angustia. Conversava sobre isso com um amigo agora à hora do almoço; parece-me sinceramente que, entre “conhecer” o PT da forma superficial que a maior parte das pessoas o conhece e chegar à formulação do juízo “o PT é socialista”, vai um longo caminho. Que não é imediato, e que a maior parte das pessoas não parece disposta a percorrer.

O Estatuto do Partido dos Trabalhadores tem quarenta e cinco páginas. Além deste (e conforme está expresso no próprio estatuto), valem também “seus Manifesto, Programa, demais documentos aprovados na Convenção Nacional de 1981, nos Encontros Nacionais e Congressos, nos quais estão expressos seus objetivos” (Estatuto do PT, art. 3º). Para se formular um juízo objetivo, julgo eu que também devem ser levadas em consideração a história do PT e a sua práxis. Obviamente, também é necessário conhecer um mínimo que seja a Doutrina Social da Igreja. Trocando em miúdos, é muita coisa. Parece-me completamente irreal esperar que todo católico tenha acesso a esta quantidade gigantesca de informação e saiba interpretá-la corretamente.

Santo Tomás de Aquino fala, não me recordo exatamente onde, que aprouve a Deus revelar até mesmo algumas verdades que, em si, eram acessíveis à Razão; isso porque o trabalho exigido para que se chegasse a tais verdades por vias exclusivamente especulativas era grande e árduo, e a maior parte das pessoas simplesmente não tinha tempo para empreendê-lo, dado que tinham as suas vidas para viverem. Sinto falta de alguma coisa análoga referente ao cenário político nacional, porque a situação é a mesma: obviamente, a maior parte das pessoas não tem condições de conhecer o PT e a DSI na profundidade exigida para perceber que são duas coisas incompatíveis.

Julgo ser necessário, em suma, responder à seguinte pergunta: o PT se encaixa na condenação da Quadragesimo Anno? Diz a famosa encíclica: “O socialismo quer se considere como doutrina, quer como facto histórico, ou como «acção», se é verdadeiro socialismo, mesmo depois de se aproximar da verdade e da justiça nos pontos sobreditos, não pode conciliar-se com a doutrina católica; pois concebe a sociedade de modo completamente avesso à verdade cristã”. Ou, de modo ainda mais sucinto: é o PT “verdadeiro socialismo” no sentido em que o entendia Pio XI setenta anos atrás? Esta é a pergunta que resolveria toda a problemática acima expressa.

O problema que permanece, contudo, é: a quem formulá-la? Em tempos minimamente decentes, as autoridades religiosas responsáveis por guardar as muralhas da cidade de Deus é que deveriam ser consultadas. Elas deveriam tomar sobre seus ombros o duro encargo de estudar toda a questão em toda a sua amplitude e responder positiva ou negativamente à pergunta acima enunciada, justificando o seu parecer para quem quisesse se aprofundar no assunto. Mas, na triste situação em que nos encontramos hoje em dia, o que se pode fazer? Quem deveria condenar o erro não o faz e, se nós próprios, leigos, o fizermos, é evidente que nossa explanação, por didática e bem embasada que venha a estar, não terá o mesmo efeito que teria a resposta dada pela autoridade competente. Em suma, não consigo vislumbrar solução alguma para o problema, e isso me angustia. E, enquanto isso, o maior país católico do mundo segue aplaudindo e apoiando o desgoverno dos que já foram há muito condenados pela Igreja.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on “PT, Partido Socialista

  1. Luís Guilherme

    “Seus Manifesto, Programa…” está correto. Seus concorda com “manifesto, programa, demais” que é plural. Tira o [sic] daí ;)

  2. Lampedusa

    Jorge,

    Na verdade, essa dúvida de se as doutrinas pregadas por alguns partidos no Brasil são ou não “verdadeiro socialismo” como o entendia Pio XI se estende não só ao PT, mas, também, ao PSB,PPS, PV, etc

    Talvez fosse um bom começo saber o que Pio XI entendia como socialismo setenta atrás.

  3. Marcelo

    Jorge,
    acho que se dizer socialista é o menor dos problemas do PT. Os fundadores do partido que tinham capacidade intelectual para definir ideologicamente o partido, conhecendo as diferenças entre socialismo, comunismo e social-democracia, já há muito deixaram suas fileiras. Quem domina o PT hoje é um grupo autoritário muito mais preocupado em se manter no poder e se locupletar financeiramente. E disposto a usar qualquer meio para atingir seus fins.
    Para mim, quem ainda se diz petista ou é néscio ou quer tirar sua lasquinha. Tertium non datur.
    Sds.,
    de Marcelo.

  4. Felipe

    Jorge, pode ser que você não goste da minha idéia, mas minha sugestão é consultar um padre da FSSPX… Certa vez tinha algumas dúvidas e enviei um e-mail a eles. Fiquei encantado com a resposta que recebi do Pe. Anibal.

  5. Pe. Mateus Maria, FMDJ

    Caro Jorge, a paz!

    Se o PT é socialista ou não, para mim não importa muito, pois só o fato de ser um partido Anti-Cristão, que não comunga em nada com a ética da vida, sendo a favor do aborto, do homosexualismo e etc…, já me dá a total liberdade de dizer que um católico em sã consciência, se é petista não pode comungar o Corpo de Cristo, pois está sendo conivente com o pecado, está sendo conivente com a filosofia de morte petista, está na verdade contra Cristo e a Igreja!

    Que o Senhor nos livre desta ‘maldição politica petista’, como também da sua criadora, a ‘maldita teologia da libertação’.

    Um fraterno abraço!
    Que Deus abençoe sempre este belo trabalho em defesa da fé!
    Te quero bem!
    Pe. Mateus Maria

  6. Carlos

    Caro Jorge,
    Dizer que o PT é socialista é pouco. É comunista mesmo.
    Por que isso não entra na cabeça dos católicos? Porque grande parte dos padres apoia esse partido maldito. Quem deveria ensinar isso claramente, inclusive nas homilias, era o clero. Mas a CNBB é a maior bajuladora do PT (vide a recente nomeação de um petista abortista e gayzista para o STF, como foi comemorada por autoridades da referida conferência traidora).
    O negócio é tão terrível que em pleno escândalo do mensalão conversava eu com um padre, o qual eu considerava e ainda considero dos mais conservadores aqui de Brasília. Comecei a atacar o PT e fiquei pasmo quando ele me disse que até já tinha se aproximado do PT, mas ficou frustrado porque viu que a “estrutura interna” desse partido é igual à dos demais, isto é, corrupta. Não resisti e disse a ele que esse não era o pior problema do PT, mas sim o de ser comunista, abortista, gayzista, enfim, completamente anticristão. Pelo menos ele ficou calado e não ousou insistir.
    Mas eu fiquei decepcionadíssimo.
    Um abraço.
    Carlos.

  7. Portal União

    Carlos, infelizmente 90% dos católicos não sabem o que é o PT!

    Pergunta ao Pe. Mateus Maria: Se o Sr. um dia chegar a Bispo, o sr vai fazer parte do “Comitê Nacional dos Bispos do Brasil?” Afinal de contas o Sr. é contra o PT mais a CNBB é um ninho petista!

    O que o Sr. nos diz?

  8. Roberto

    Mas qual a diferenca do PT e dos outros partidos?
    Leu os estatutos dos outros partidos tambem?
    E tudo a mesma coisa, sempre foi,e,sempre sera.
    Ja que temos que engolir o estado laico, sou pelo estado minimo.
    Vote nulo!

  9. Pe. Mateus Maria, FMDJ

    Caro Carlos, a paz!!!

    Esta foi boa! Risos… eu bispo!?, Deus não faria esta locura, pois a CNBB entraria em crise…risos…ou me matariam…risos….
    Esta pretensão eu não tenho, desejo sim ser pastor de almas, um simples padre, desejo apenas dar a minha vida pela Igreja, por amor a ela.
    Mas petista, não sou, não seria, e não me venderia a esta máfia! Amo a Igreja e não o status. Na vida, ou servimos a Deus, ou ao demônio.

    Um fraterno abraço!
    Pe. Mateus Maria
    [email protected]

  10. Portal União

    Pe. Mateus,

    Quem fêz a pergunta fui eu. Eu apenas respondia ao Carlos. Gostei muito de sua resposta padre, parabéns!

    A única cor vermelha que o Sr. e todos os católicos devem adorar é a do Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo!

    Lisardo

    “Ainda que os Católicos fiéis a Tradição se reduzam a um punhado, são eles a Verdadeira Igreja de Jesus Cristo…” – (Santo Atanásio).

  11. Carlos

    Caro Padre Mateus, peço sua bênção!
    A exemplo do Portal União, também lhe dou os parabéns pela sua resposta, repassada de humildade e de protestos de amor à Igreja de Cristo. Essa é a resposta de um padre de verdade. Pena que haja tão poucos como o senhor, Padre. Se houvessem mais, o Brasil estaria bem melhor. Reze por mim, Padre.
    Um abraço filial.
    Carlos.

  12. Marta Ordoñez

    Caro Jorge,

    Parabéns pelo seu blog. Que bom termos um espaço democrático para expormos nossas opiniões!

    Estava eu aqui no meu tempinho de folga e, vendo os assuntos gerais do seu blog, me deparei com este texto do final do ano passado. Quisera eu ter lido antes, mas tudo bem.

    Você diz que está angustiado, pois não entende por que muitos católicos votam no PT.

    Por que essa angústia, Jorge? O mundo é diverso. As pessoas são diferentes, possuem histórias diferentes ou se tornam diferentes, mesmo vivendo num mesmo contexto histórico/social.

    Por exemplo: Eu pretendo, este ano, votar no PT. Eu já votei no PSDB? Já, muitas vezes, mas fiquei decepcionada com este partido, visto que eu esperava investimentos em Educação, em Saúde, em Transportes, em Urbanização, etc.
    Não houve nada disso, ainda que a economia no Brasil tenha se estabilizado.

    O PT, pelo menos, investiu na parte social. Isso não é uma atitude cristã? Claro que é.

    Agora, o fato de eu e outras pessoas votarem num partido
    considerado de esquerda não nos faz menos católicos.

    Os índios, por uma questão cultural, não agridem a natureza. Eis aí uma atitude genuinamente cristã, ainda que eles (ou parte deles, talvez) não conheçam a fundo os dogmas do catolicismo.

    A própria Igreja Católica explica, em documentos, que mesmo uma pessoa que nunca teve contato com as ideias cristãs e, mesmo assim, age como um cristão, ela é considerada por Deus um cristão.

    Por que deveríamos considerar, equivocadamente, que membros do PT não podem ser cristãos?

    Um grande abraço!

  13. Karina

    Marta, você deve conhecer a história de Pilatos, que não matou Jesus, mas lavou às mãos quanto ao sangue por Ele derramado.

    A partir do momento que aceitamos o PT, apoiamos com nosso voto esse partido, estamos lavando as nossas mãos, dizendo: “eu sou cristão, mas não tenho nada a ver se o PT – ou outro partido qualquer- quer descriminalizar o aborto”.

    Ou então: “eu sou cristão, mas nãe vejo nada demais do Governo do PT querer equiparar o casamento homossexual à família tradicional cristã”.

    Ou ainda: “eu sou cristão, mas não vejo problema do Governo do PT querer decidir a educação sexual dos meus filhos”.

    Dá para ser cristão desse jeito? Esse mesmo cristão vai acreditar piamente que a Igreja deve se adaptar ao mundo moderno, e “deixe de hipocrisia” em temas como aborto e homossexualidade, como se a dignidade da vida humana e a castidade fossem coisas mutáveis pela lei divina. Isso pegando só dois exemplos de ideologias anti-cristãs que o PT (e muitos outros partidos) pregam.

    Infelizmente, não só o Brasil, mas o mundo todo carece de políticos VERDADEIRAMENTE cristãos. Cedo ou tarde eles dançam conforme a música do mundo, e esquecem que a Lei de Deus não muda.

  14. Marta Ordoñez

    Karina: Logo, logo eu farei comentários sobre o que você tratou. Um grande abraço!

  15. Marta Ordoñez

    Olá, Karina!

    Como já disseram Santo Agostinho e São Tomás de Aquino, a temperança é uma das virtudes cardeais e é sempre bom aplicá-las em tudo na vida.

    Nós reconhecemos o mal como mal, mas em se tratando de política, devemos escolher o menor dos males num todo. Quantos entre nós não escolhem seus candidatos por exclusão?

    É mais importante para um país como o nosso – recém-saído de uma crise econômica que vinha de décadas – a estabilidade da economia, a educação, a saúde, a habitação. É este todo que norteia o voto; eleição é o resultado final de uma avaliação que o eleitor faz do candidato.

    O eleitor escolhe o melhor candidato a um cargo público de forma comparativa; a única forma de fazer isso é analisar o conjunto de virtudes e defeitos de cada candidato.

    A Igreja Católica defende a perfeição, o ideal das situações, por outro lado nenhum de nós é perfeito. Nenhum governante ou nenhum candidato a um cargo é perfeito.

    Qual é a saída para nossa sociedade? Votar nulo? Isso não é prudente. Votar num partido é estar em paz com a nossa consciência.

    Um abraço.

    Abaixo cito um trecho da segunda carta de S. Pedro:

    II Pedro

    “1 Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo:
    2 Graça e paz vos sejam multiplicadas no pleno conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor;
    3 Assim como o seu divino poder nos tem dado tudo o que diz respeito à vida e à piedade, pelo pleno conhecimento daquele que nos chamou por sua própria glória e virtude;
    4 pelas quais ele nos tem dado as suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas vos torneis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.
    5 E por isso mesmo vós, empregando toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência,
    6 e à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade,
    7 e à piedade a amizade fraterna, e à amizade fraterna o amor.”

  16. Pingback: Deus lo Vult! » Votar no PT: filtrar um mosquito, engolir um camelo

  17. Alexandre Magno

    Maria Ordoñez escreveu:

    Os índios, por uma questão cultural, não agridem a natureza. Eis aí uma atitude genuinamente cristã, ainda que eles (ou parte deles, talvez) não conheçam a fundo os dogmas do catolicismo.

    Não é necessário colocar isso como “uma atitude genuinamente cristã”. Daqui a pouco vão acusar os cristãos – mais uma vez – de quererem cristianizar toda ação que for boa. Naquele ponto os índios ouviram a razão natural; aliás, um ateu pode fazer isso também. E penso que as motivações do ateu (e do índio) nos impedem de classificar propriamente suas ações como “cristãs”. Apesar de que, por outro lado, voltar-se para o Bem é voltar-se para Cristo.

    Maria Ordoñez escreveu:

    A própria Igreja Católica explica, em documentos, que mesmo uma pessoa que nunca teve contato com as ideias cristãs e, mesmo assim, age como um cristão, ela é considerada por Deus um cristão.

    As coisas não são colocadas assim nos documentos da Igreja. Acredito que não. Pois penso que não se trata daquelas pessoas serem consideradas por Deus como “cristãs”; trata-se de Deus considerar os seus méritos, trata-se delas se orientarem para Ele de algum modo, para a Verdade.

  18. anderson

    Claro que a igreja católica é contra o socialismo… o que esperar de uma igreja que é dona de meio mundo de terra?, igreja exploradora e que tem um passado perverso e sujo. e o PT, só pra constar, não é socialista…