Curtas

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 8 meses 26 dias atrás.

Austríaco é achado morto diante de TV ligada; óbito foi há cerca de 6 meses. “[N]esse período, nenhum vizinho sentiu a falta do homem (…). O corpo do austríaco só foi descoberto porque a Administração do condomínio ligou para a polícia após estranhar o longo sumiço do morador”.

Pulseira do sexo (se for verdadeiro, é estarrecedor). A nova “brincadeira” é procurar arrebentar as pulseirinhas coloridas usadas pelos [pré-]adolescentes. “«A amarela é a melhor porque significa que só se tem de abraçar um rapaz. A laranja significa uma ‘dentadinha de amor’ e a roxa já dá direito a um beijo com língua», explica uma menina de 12 anos ao jornal The Sun. Todavia, à medida que a paleta de cores avança, o nível de intimidade também é maior: «se um rapaz arrebentar uma pulseira cor-de-rosa, a rapariga tem de lhe mostrar o peito, se for vermelha tem de lhe fazer uma lap dance e azul é sexo oral», continua”. E ainda há mais cores… e pensar que eu, quando criança, já achava “tô no poço” (pera, uva, maçã ou salada mista) uma brincadeira depravada…

Direito ao aborto não existe na maioria dos países do mundo. Notícia boa: “[n]a maioria dos países em desenvolvimento, o aborto é rigidamente proibido”. No entanto, “[i]sso tudo acontece apesar das fundamentais decisões tomadas na Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento de 1994, promovida pela ONU no Cairo”.

Técnica: não se prova inexistência. “Quem já atuou com auditoria e já forneceu relatórios de inexistência de gaps em um cenário sabe que a afirmação é impraticável. Tecnicamente, podemos observar existência ou inexistência de um dado fator em análise em qualquer cenário. O que pode DIFICULTAR é a AMPLITUDE de um cenário. Mas isso é um encargo a ser tratado pelo PROPONENTE da alegação, e não a audiência”.

Carta aos sacerdotes sobre a obediência. “Num tempo como o nosso, fortemente marcado pelo relativismo e pelo democratismo, com vários autonomismos e libertarismos, parece ser sempre mais incompreensível uma tal promessa de obediência. […] Só em um contexto de ‘respeito filial’ é que se torna possível uma autêntica obediência, que não será apenas formal, mera execução de ordens, mas apaixonada, completa, atenta e capaz de gerar frutos de conversão e de ‘vida nova’ naquele que a vive”.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

8 thoughts on “Curtas

  1. karina

    Que existência é essa de uma pessoa que só faz falta porque deixou acumular lixo em frente de casa? E que sociedade é essa que não conhece os vizinhos? Eu não estou falando só dos austríacos não, nós estamos caminhando para isso também. Muito triste isso, e ainda acham que isso é “modernidade”. Para mim, isso é egoísmo e medo.

    Hoje me abstenho de comentar sobre o aborto… estou meio sem estômago essa semana.

  2. Blog Mallmal

    Citar o Luciano é o fim da linha, Jorge!

    Além do quê, ele é completamente pinel!

  3. profeta do profano

    “Tecnicamente, podemos observar existência ou inexistência de um dado fator em análise em qualquer cenário. O que pode DIFICULTAR é a AMPLITUDE de um cenário. Mas isso é um encargo a ser tratado pelo PROPONENTE da alegação, e não a audiência”.

    na amplitude do cenário, o fator/dado Deus não foi provado pelo seu proponente.

    “Portanto, se alguém quiser afirmar inexistência de qualquer objeto sob análise, a pessoa pode fazer, mas apenas deve estar CIENTE de que o nível de dificuldade AUMENTA de acordo com a amplitude do cenário”.

    mais ainda quando no cenário existem diversos atores/personagens encenando o mesmo papel, mas não com o mesmo roteiro.

  4. Jorge Ferraz Post author

    Mallmal,

    Bom, não sei, e não vem ao caso. O que interessa é o texto, onde ele dá exemplos de provas de inexistência. Se quiser largar o ad hominem para refutar o texto, será mais edificante.

    Abraços,
    Jorge

  5. hugo

    Não cortaram a energia????
    Ah ta. A conta, estava no débito automático, tal do modernismo…

  6. Lucio

    Regredindo, Jorge? Citando um manipulador em teu blog, como se fosse uma autoridade em filosofia? Só por ele enfeitar o texto, forçar uma interpretação igual a sua? Um cara desonesto que, além de tudo, manipula até os horários de seu blog para se arvorar como todo-sabichão(dentre outras torpezas). Quando o Rerrison o encurralou, pela incongruencia nesse texto que tu tanto endeusaste, ele simplesmente apagou o comentário. Deste comentarista e de outros e outros. E modificou, até, o horário:

    A pergunta foi feita às 12:30 a.m, do dia 30. A resposta já havia sido dada às 10:01!!! Impressionante, não?

    http://img268.imageshack.us/img268/558/lucianohorario.jpg

    Quer dizer, pelo que podem conferir na foto, ele é um deus, não é verdade? Posta uma resposta antes da pergunta. Ou, então, é um doente, um candidato ao manicômio.

    Uma pergunta, Jorge: Estás também a necessitar de aplausos, é? Antes, voce citava intelectuais do porte de um Cardeal Ratzinger. Agora, qualquer ladrão intelectual. Quem te viu, quem te vê.

  7. Blogueiro

    Lucio,
    se vc soubesse quantos comentários vao parar na caixa de spans, acho que diminuiria a culpa do cara lá.
    Dependendo da quantidade de comentarios da mesma pessoa, é bem provável que o sistema interprete como spam.

    De qualquer forma, é só um palpite. Nao conheço o tal site e nem testemunhei nada.