“O Vaticano não é rico”

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 7 meses 12 dias atrás.

Sobre as finanças do Vaticano: ‘‘O Vaticano não é rico” – Entrevista com John L. Allen Jr. O vaticanista, para quem não conhece, é o correspondente da NCR e autor do livro “Opus Dei: os mitos e a realidade”. Alguns dados retirados da entrevista:

  • o orçamento anual do Vaticano é de US$ 300 milhões;
  • 50% deste orçamento vem de doações;
  • a avaliação das propriedades do Vaticano deveria se aproximar dos US$ 500 milhões;
  • nos Estados Unidos, a Universidade de Notre Dame – que é a maior universidade católica do país – tem um orçamento operativo de mais de US$ 1 bilhão – isto é, pode financiar o Vaticano três vezes.

É um texto interessante para quem gosta de esbravejar contra a riqueza e o fausto nos quais vive a Igreja Católica, enquanto o mundo passa fome. Em particular, é relevante a seguinte informação, que aliás tenho a impressão de já ter reproduzido aqui: “Desde o final da década de 70 até o começo dos 90, eles estavam com números vermelhos quase todos os anos. Depois, chegou um cardeal norte-americano de Detroit encarregado da operação financeira, que era conhecido por ser alguém habilidoso com o dinheiro. Ele corrigiu o déficit, e eles obtiveram números azuis por vários anos. A partir daí, veio uma crise financeira, e voltaram a ter números vermelhos, mesmo que o déficit não tenha sido muito grande. Em geral, a Igreja não obtém excedentes significativos”.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

21 thoughts on ““O Vaticano não é rico”

  1. Pingback: Tweets that mention Deus lo Vult! » “O Vaticano não é rico” -- Topsy.com

  2. Emerson

    Vejam que interessante notícia!

    Apesar de que se o Vaticano fosse rico, não faria a menor diferença, não é isso que importa, o que importa é que o Vaticano é a casa de Pedro, a casa do papa é a nossa casa. Aliás eu até gostaria que ele fosse rico, assim poderia ajudar melhor a todos os pobres.

    Mas para esse mundo materialista, que olha o clero no Vaticano como a “classe” opressora contra os pobres fiéis do mundo. É uma bela resposta.

  3. Blog Mallmal

    “o orçamento anual do Vaticano é de US$ 300 milhões”

    de EUROS, ou seja, quase 1 BILHÃO de reais…

    “a avaliação das propriedades do Vaticano deveria se aproximar dos US$ 500 milhões”

    HAHAHAHAHAHAHA!!! Boa, Jorge! Conta a do papagaio agora!

  4. Francisco Castro

    O que importa e que deveria ficar bem claro para os católicos é a divulgação das obras sociais feitas pelo Vaticano. Crise financeira não é e nunca foi sinônimo de pobreza. Se ficou no vermelho foi por que gastou em alguma coisa. Qual o servido, usado por bispos, cardeais congregações no Vaticano? Como é prestado contas dos gastos? A quem? Ainda lembro que por ocasião do ultimo conclave que elegeu o Cardeal Ratazinger Papa Bento XVI, certa revista publicou que os mesmos tomavam vinhos finíssimos e fumavam charutos cubanos…(Não sei ate onde isso pé verdade mas que eu li, li) quanto a comparação com São Pedro, se um papa atual quisesse exercer a primazia apostólica tal como são Pedro, não admitiria ser soberano de um Estado do mundo; não tenho a menor duvida quanto a isso…São Pedro não precisou de poder material para divulgar a palavra de Deus até Roma. Não estou defendendo que o papa vá morar numa favela ou viva como um pedinte. Coloco apenas a questão: até que ponto o Vaticano precisa aparecer em tudo tal e qual um Estado secular? Até que ponto gasta em comida e luxo tal e qual gasta o mundo? por aparece caviar, licores finos, lagostas etc etc… Fica a reflexão…E um alerta: uma coisa é o poder material dos papas. Outra coisa é a Primazia de poder concedida a São Pedro e seus sucessores. A Igreja nunca vai depender do Vaticano para continuar subsistindo. Jesus prometeu perenidade a Igreja. Não ao Vaticano.

  5. Messias

    É interessante notar o preconceito anti-católico de muitas pessoas quando se toca no assunto.
    O que muita gente não sabe é que muitas coisas que se encontram sob o poder da Igreja, principalmente obras de arte de grandes artistas não a pertence, e sim, à humanidade. É patrimônio tombado e a Igreja não pode vendê-las para dar aos pobres, como muitos já disseram.
    Muito pelo contrário, a Igreja gasta uma nota para manter essas obras e até já propôs para o governo italiano ficar com elas, o que foi negado.
    Outra coisa: os chamados livros secretos. Os entusistas de teorias conspiratórias adoram dizer que existem livros e documentos que a Igreja esconde, porque comprometeriam seus dogmas e sua estrutura. É engraçado: são os livros mais inacessíveis do mundo e que todos sabem seu conteúdo. De fato, muitos documentos e livros que se encontram no Vaticano são praticamente inacessíveis. São manuscritos antiquíssimos que necessitam de condições especiais controladas para durarem: temperatura, luminosidade, umidade, etc. São coisas que se um desavisado ao menos respirar por perto, põe tudo a perder.
    Mas, como o sensacionalismo de teorias da conspiração mexem com o imaginário e o emocional de pessoas que se consideram esclarecidas (ver O Nome da Rosa, O Código da Vinci, etc) acabam ganhando mais credibilidade.

  6. Jorge Ferraz Post author

    Mallmal,

    de EUROS, ou seja, quase 1 BILHÃO de reais…

    US$ é “dólares”, o que dá perto de 500 milhões reais.

    HAHAHAHAHAHAHA!!! Boa, Jorge! Conta a do papagaio agora!

    Escreva à fonte, Mallmal. Não a mim.

    jallen@natcath.org.

    Abraços,
    Jorge

  7. Sidnei

    De fato a Igreja não precisa do Vaticano quanto estado mas precisa do Vaticano quanto sede da Igreja o qual lá reside o Papa que se mantém longe da influência de governos que como no passado tentaram influenciar a vida da Igreja e nas decisões dos Papas, algo semelhante acontece com o Dalai Lama que não só deveria ser o líder espiritual dos budistas mas também chefe de estado do Tibet, mas que o governo comunista chinês tomou tudo que era do Dalai Lama o qual este se viu obrigado a viver no exílio até hoje,e quanto as comidas e vinhos finos que a imprensa noticia que o Papa e cardeais degustam todos os dias no Vaticano, nunca estive lá para ver se é isso mesmo, portanto, não vou atrás da mídia que muitas vezes é anti-católica até os dentes.

  8. Francisco Castro

    Acredito que façam boas refeições de primeira qualidade. Mas tudo ficaria esclarecido se fosse publicado não só a receita como as despesas e com que, como afirmei antes. O Vaticano possui um jornal oficial que muito bem poderia servir para publicação de suas despesas…tenho conhecimento que a Igreja na Alemanha Através de uma organização ajuda muitas paróquias pobres mas nunca ate hoje ouvi nos de padres sobre uma ajuda para determinada paróquia pobre vinda diretamente do Vaticano. Se Alguém tiver seria bom publicar aqui ou indicar a fonte. Essa justificativa de patrimônio material da humanidade é diversas repetidas. Creio que interessa para o povo e principalmente os inimigos da Igreja é saber como e com o que é gasto o dinheiro que entra no Estado do Vaticano seja pouco ou muito, questão da comida foi apenas um exemplo demasiadamente evidente. (pois se pode comer bem se gastar tanto…no caso de se gastar com o mais caro neste apecto)

  9. Pedro M

    “de EUROS, ou seja, quase 1 BILHÃO de reais…”

    US$ é “dólares”, o que dá perto de 500 milhões reais.

    Caramba, vai dizer que você não percebeu que o montante foi expresso em dólar? É muita pressa ou muita burrice.

    Mesmo se fosse 1 bilhão de reais, não seria nem um vigésimo do que o governo federal brasileiro gasta só com pessoal.

    Quanto às propriedades, é preciso ver o que John Allen considerou propriedade (ou, no caso, o contador que fez o levantamento). Já foi dito um milhão de vezes que basílicas e obras renascentistas não podem ser considerados ativos financeiros com liquidez. Seria equivalente a considerar as Pirâmides parte do patrimônio do governo egípcio, e exigir dele que as vendesse para combater a fome no mundo…

  10. karina

    (Continuando a fala do Pedro M):
    e ainda que o Governo brasileiro vendesse todas as obras de Aleijadinho, os monumentos históricos, o Cristo Redentor e outras coisinhas mais para arrecar dinheiro para o fome zero.

  11. Emerson

    O Vaticano realmente é rico, aliás é riquíssimo. Como pode o lugar onde mora o vigário de Cristo na terra ser pobre?

    Quem tem cabeça de lata não entende as coisas do céu.

  12. Pedro M

    Ouvi no rádio hoje: o governo de Joaquim Roriz, que recuso comentar, gastou R$1,3 bilhões em 4 anos só em serviço de informática para o governo do DF. Daria para conectar todas as escolas públicas do Distrito Federal com internet sem-fio wimax (o que, claro, não aconteceu).

    São gastos que equivalem a dois anos e meio de todo o orçamento do Vaticano.

  13. Francisco Castro

    “O Vaticano realmente é rico, aliás é riquíssimo. Como pode o lugar onde mora o vigário de Cristo na terra ser pobre?

    Quem tem cabeça de lata não entende as coisas do céu.” Esse tipo de argumentação não leva a nada. Que comparação sem nexo entender o Vaticano como coisa do céu. A Igreja sobreviveu até o século V sem ser dona de um Estado. Só com a queda do Império romano que o Bispo de Roma foi ampliando os bens materiais de Igreja e formou-se o Estados Pontifícios dos quais só restou o Vaticano depois do Tratado de Latrão assinado com Mussoloni. O Vaticano não é a Igreja e seria ate bom mesmo que deixasse de ser um Estado. As propriedades particulares da Igreja pertenceriam a Igreja com todas as concessões possíveis pelo governo onde morasse o papa agora esse historia de um pais como honras de chefe de Estado tudo isso nada tem a ver com as coisas do ceú… quanto a ser rico por ser o vigário de Jesus Cristo, sinceramente olhe como viveu Jesus Cristo e verá que o mesmo disse que não tinha em onde reclinar a cabeça e que os que vestiam roupas finas e luxuosas viviam nos palácios dos reis…mas se Vaticano por enquanto é um mal necessário deixemos pra lá que a Igreja é mais. Pra mim o que importa é a Igreja esta nunca acabará até a volta de Cristo.

  14. Daniel Volpato

    Jorge,

    Acho que conheço esse artigo, hein?! rs
    Fico feliz em encontrá-lo aqui também!

    Abraços, meu caro.
    In corde Iesu!

  15. Emerson

    Quando, no ano da Redenção de 1566, o Cardeal Ghislieri foi elevado ao trono pontifício com o nome de Pio V, a situação da Cristandade era angustiante. Com efeito, fazia aproximadamente um século que os turcos avançavam sobre a Europa, por mar e através dos Bálcãs, no intuito insolente de sujeitar à lei de Mafoma as nações católicas, e sobretudo de chegar até Roma, onde um de seus sultões queria entrar a cavalo na Basílica de São Pedro. (A Batalha do Lepando)

    Prezado Fransisco.

    Cristo quis receber dos Reis um tributo de mirra (símbolo da dor e do sacrifício) incenso (símbolo da adoração) e ouro (símbolo da riqueza). Então, os gibelinos, protestantes e modernistas erraram ao dizer que a Igreja tinha que ser pobre, sem ter nada de riqueza, porque Cristo aceitou riquezas dos reis, tinha bolsa durante sua pregação na Terra, e possuía uma túnica tão rica — por ser inconsútil — que os soldados sortearam-na e não a dividiram como haviam feito com suas outras roupas.

    Para Deus o melhor. O cálice de ouro mais puro. As igrejas mais belas. O melhor que a gente possa – para Deus.

    Você se equivoca. Somos seres humanos e tudo o que é humano ao mesmo tempo é material e espiritual.

    Cristo – Deus e homem ao mesmo tempo – fundou não uma Igreja pneumática (espiritual) e sim uma Igreja visível, que tem estruturas materiais e que é reconhcível pelos homens. Por isso, ele compara a sua Igreja a um edifício, e coloca para ela uma pedra fundamental – que é Pedro, representante visível de Cristo na História.

    Então a Igreja, reino dos Céus na terra, não é um Reino deste mundo, mas vive neste mundo. Luta neste mundo. Luta contra o mundo, no mundo e precisa de um lugar.

    A Igreja venceu o império romano, Pedro foi martirizado em Roma e quando olho para o Vaticano lembro-me dessas coisas – penso no céu – olhando para o Vaticano, onde está o túmulo de Pedro e lá se escreveu: “Pedro está aqui.” (=Petros Eni)

    Recusar à Igreja o seu direito de ser também um Estado, é uma maneira de melhor dominá-la, para depois destruí-la.

    Viva o Vaticano!
    Viva Cristo Rei!

  16. Francisco Castro

    No entanto acho que você esta de acordo que não é o Vaticano que sustenta a Igreja mas Igreja que sustenta o Vaticano.

  17. Emerson

    Prezado Francisco.

    Sem dúvida foi a santa mãe Igreja, que por providência divina escolheu e sustenta o Vaticano é Dela que vem o seu brilho, e se a Igreja escolheu, eu aceito de todo o meu coração.

    Um abraço
    Emerson

  18. Sidnei

    Pelo que eu saiba Brasília capital na nação tem grande parte de seu sustendo vindo dos impostos pagos pelos brasileiros o qual que podemos dizer que Brasília é sustentada pelo Brasil e temos que ter uma capital nacional par ser a sede do governo brasileiro, nada mais lógico, e se tratando da Igreja Católica ela também terá que ter uma sede, mesmo que esta sede seja um peque país, para lá exercer o governo da Igreja longe de qualquer influência de algum governante qualquer.

  19. Mike

    Vaticano,Edir Macedo, RR Soares e Malafaia nao sao ricos…. sao pobres mendigos ke vivem numa casa de papelão na rua…..

  20. Sidnei

    As vezes eu penso, o que adiantaria morar no Vaticano como o Papa e demais cardeais que lá trabalham, são todos idosos já no limiar da vida, sabendo que em breve irão morrer todos, e não poder usufruir daquela “riqueza” toda, se fosse para pensar de forma mundana, isto é, de acordo com o mundo, quem quer viver na riqueza quer usufruir de toda esta riqueza, quer se divertir, quer sair pelo mundo afora, frequentar grandes festas, bailes, praias, andar de iates, andar de Ferrari ao lado de lindas mulheres,e por aí vai, e eu pergunto, e o Papa e aqueles cardeais todos fazem isto?, eles podem se divertir, de poderem sair pelo mundo afora, frequentar grandes festas, bailes, praias, andar de iates, andar de Ferrari ao lado de lindas mulheres?, há, poderiam me perguntar, e será que não fazem?, bom aí seria um juízo temerário, se um e outro faz, não tenho certeza, se todos fazem, aí é julgar um ou alguns por todos aí já se está cometendo injustiça, porém mesmo que viesse a fazer, a imprensa saberia e iria cair de pau em cima da Igreja, portanto creio que não fazem e aí reside aquilo que apontei acima, o Papa e aqueles cardeais estão lá não para usufrui das riquezas do Vaticano mas em serviço da Igreja, eu prefiro viver em minha casa que é modesta e comer um frango assado da padaria mas viver de forma mais livre, é claro, sem prejudicar os outros, do que viver preso ao Vaticano, servir a Igreja e ainda ser esculhambado por meio mundo, não é a toa que CRISTO disse certa vez, quando São Pedro fez a seguinte pergunta: “Eis que deixamos tudo e te seguimos.” Respondeu-lhe Jesus. “Em verdade vos digo: ninguém há que tenha deixado casa ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras por causa de mim e por causa do Evangelho que não receba, já neste século, cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras, com perseguições e no século vindouro a vida eterna.” (Mc. 10,28-30)