O aborto, a CNBB e o Planalto

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 6 meses 23 dias atrás.

Ainda não havia tido tempo de comentar aqui sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3) aprovado pelo presidente Lula no final do ano passado. Leiam o DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009; neste link, consta o decreto do sr. Presidente da República e, em anexo, o PNDH-3.

Com este decreto, “[a]poiar a aprovação do projeto de lei que descriminaliza o aborto, considerando a autonomia das mulheres para decidir sobre seus corpos” passa a ser, oficialmente, um objetivo estratégico do Governo. Não se trata mais somente nem da posição particular de um político concreto, nem da orientação de um partido político que admite a pluralidade de opiniões, e nem da imposição de um determinado partido que expulsa do seu grêmio os que pensam diferente. Não; com o Programa Nacional de “Direitos Humanos”, apoiar a descriminalização do aborto é uma diretriz de governo que inclusive transcende os partidos políticos.

Fica cada vez mais evidente aquilo que outras pessoas vivem dizendo: o estrago que o PT vem fazendo nas instituições brasileiras agiganta-se a olhos vistos, e torna-se difícil vislumbrar, no horizonte, a possibilidade de um cenário político onde as seqüelas da gestão atual não se façam dolorosamente presentes.

Vi hoje, no entanto, uma notícia interessante na Folha: Igreja também critica plano de direitos humanos de Lula. Os movimentos pró-vida brasileiros estão levando a sério esta nova investida do PT. Duas coisas chamam a atenção (os itálicos são citações):

  1. O problema do PNDH-3 não se resume à questão do aborto. Os itens propõem ações coordenadas de governo para apoiar “a aprovação do projeto de lei que descriminaliza o aborto”, “mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos”, “a união civil entre pessoas do mesmo sexo” e “o direito de adoção por casais homoafetivos”.
  2. O objetivo de d. José [responsável pelo Comitê de Defesa da Vida do Regional Sul-1 da CNBB] é conseguir uma declaração da CNBB sobre o tema, mas há bispos, mesmo entre aqueles que compartilham de sua indignação, que preferem não bater de frente com o Planalto. Vários religiosos e setores da igreja são aliados tradicionais da esquerda e do PT em outras causas defendidas no documento.

Ou seja: existe um decreto do presidente da república que transforma em política oficial do Governo desvios morais gravíssimos, frontalmente contrários à Lei Natural, e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil prefere não bater de frente com o Planalto! Prefere, então, a CNBB bater de frente com Nosso Senhor? Prefere cruzar os braços e deixar o Planalto promover o assassinato de inocentes?

É isto mesmo, senhores bispos do Brasil?

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

24 thoughts on “O aborto, a CNBB e o Planalto

  1. Demerval Jr.

    É… os canalhas aninhados na CNBB não baterão mesmo de frente com o “Planalto”.

    Mas UM DIA vão trombar feio com o dedão do pé de Nosso Senhor.

    Nem que tarde, esse dia chegará…

    [SAFADOS!]

  2. Pingback: Tweets that mention Deus lo Vult! » O aborto, a CNBB e o Planalto -- Topsy.com

  3. Gustavo

    Além do “objetivo estratégico VI”, letra “c”:

    “Desenvolver mecanismos para impedir a ostentação de símbolos religiosos em estabelecimentos públicos da União”.

    Todos nós sabemos a qual símbolo eles se referem, ao Cristo Crucificado que a todos deve ser anunciado. Este é não só um decreto de cunho político, mas um verdadeiro credo laicista, que propugna o sepultamento de nossa herança cristã.

  4. Eduardo Araújo

    Esse decreto é uma peça das mais horrorosas, puro ardil de pensamento totalitário.

    Como não poderia deixar de ser, possui um viés frontalmente anti-religioso, declarado nas proposições abortistas e gayzistas, e ainda naquela que visa eliminar a “ostentação de símbolos religiosos” em dependências da União. Falando nisso, nunca esse termo foi tão impróprio, porquanto esquerdistas fomentam é a DESUNIÃO.

    O decreto, assinado pelo “inocente” Lula que – para variar – de nada sabia e nem o leu (um chefe de estado afirmando assinar documentos oficiais sem prévio conhecimento do assunto e nem mesmo leitura do seu conteúdo ….!!!), atenta contra a religião, a manifestação religiosa, a liberdade de expressão, o direito à opinião contrária, a propriedade privada. Institui o controle estatal ideologizado sobre a imprensa, a patrulha de pensamento, e dá margem à criação de mecanismos repressores e punitivos como nunca antes na história desse país …

    Voltando aos assuntos diretamente afetos á Igreja, é um meio sorrateiro de impor goela adentro o aborto, o gayzismo e o ateísmo de estado, sob a doce forma de políticas públicas. Para tanto, ainda prevê dispositivos que driblem a apreciação dessas iniciativas pelo Congresso Nacional, substituído por “movimentos populares”. Tudo para “atender aos anseios do povo”, no dizer cínico de um dos seus principais mentores, o sr. Paulo Vanucchi.

    Há motivos mais que de sobra para a manifestação enérgica da CNBB e de todos os setores da Igreja! Uma vez implantado esse regime comunista dissimulado, não haverá voz nem vez para reclamações, haverá, isto sim, cadeia e ostracismo.

  5. Julie Maria

    Queria pedir ao Senhor que viesse fogo e matasse aqueles que são SEUS e O renegam… mas Ele, assim comos os discípulos, me diz que que devo esperar. Mas que é uma vergonha nacional para a Esposa de Cristo não ter bispos que sejam audaciosos – para o Bem – como estes lobos do Planalto são para o mau, isto é.

    Pax

    JM

  6. profeta do profano

    Jorge:
    “existe um decreto do presidente da república que transforma em política oficial do Governo desvios morais gravíssimos, frontalmente contrários à Lei Natural[...]”

    E os desvios morais daqueles que se dizem representantes de teu Deus, Jorge? Se a Igreja não é exatamente um exemplo de moral, nem ela, nem os padres, nem o sr podem exigir dos outros que o façam.
    Que “lei natural”, Jorge? A “lei natural” dos padres e dos dogmas da Igreja não são nada naturais.

  7. Francisco Júnior

    Salve Maria,

    “Vários religiosos e setores da igreja são aliados tradicionais da esquerda e do PT em outras causas defendidas no documento.”

    Estes acima são canalhas, desgraçados, são o câncer da Igreja. Se não forem extirpados da Igreja contaminarão outros tantos.

    Felizmente, eu não vejo tais ações nos padres da Tradição, estes sim, são sacerdótes dignos da igreja de Cristo.

    Francisco.

  8. Alien

    profeta do profano: por curiosidade, qual a sua opinião sobre esse decreto? E sobre o Lula?

  9. Francisco Campos

    O que se percebe é que o meio termo já não é mais possível: setores da Igreja, da política nacional e da imprensa agora estão encostados na parede e precisam tomar uma decisão. Joio e trigo misturados: chegou a hora da separação! Portanto, essa lenta tirada de máscara do PT abre imensas possibilidades de uma forte reação!

  10. Laurie

    Secretaria de Direitos Humanos defende plano atacado por militares, latifundiários e católicos

    09/01/2010

    Olha só o que eles dizem, é de arrepiar:

    “A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR) esclarece alguns pontos do Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH-3):

    14. Ao apoiar projeto de lei que dispõe sobre a união civil entre pessoas do mesmo sexo e ao prever ações voltadas à garantia do direito de adoção por casais homoafetivos, o PNDH-3 tem como premissa o artigo 5º da Constituição (Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade). Considera ainda as resoluções da 1ª Conferência Nacional LGBT, realizada em junho de 2008, marco histórico no tema. O programa também está em consonância com tendência recente da própria jurisprudência, que vem reconhecendo o direito de adoção por casais homoparentais.

    …Inviolabilidade do direito à vida? Dois pesos e duas medidas?

  11. Pingback: Indenização por gravidez indesejada « O Possível e O Extraordinário

  12. Alien

    Jorge, desculpe o “off-topic”, mas estás recebendo os e-mails que estou te enviando?

  13. Pedro M

    Alien, não dê atenção pro pateta do profano, é apenas um troll.

    Se não fosse, teria ao menos tentado refutar o que foi dito neste e em outros posts, ao invés de fingir que não foi desmascarado e vir falar besteira aqui.

  14. Michele Madalena Silva de Oliveira

    Pedro M,
    profeta do profano(hahahahahahahahaha, esse nick é hilário) é um troll, entre muitos, que assolam esse blog. O jeito é ignorá-lo.Ele aprenderá muito mais apenas lendo e ficando à parte das discussões, como se fosse um “café-com-leite”.

  15. Renato

    Só o Jorge parece não ter percebido que esse satanista do ”profeta” do profano não quer falar sério!

    Mas como o Jorge quer dar uma de ”democrático”, vai ficar o tempo todo falando com os Mallmals e ”profetas” do profano.

    O jeito é parar de colocar os comentários do satanista e do ateu Mallmal, e deixar que eles leiam os artigos. Assim eles aprenderão muito mais!

  16. Rodrigo

    Renato,

    Não creio que devemos julgar as intenções do Jorge dessa forma. Creio que seja melhor deixar esses indivíduos se manifestarem para que os outros percebam o quão ridículas são as críticas contra a Santa Igreja e que só mesmo uma postura de má fé e alienação fanática podem sustentar essas opiniões. É bem curioso aliás que eles nos chamem de fanáticos. Estariam projetando os próprios defeitos em nós? Vai saber…

  17. karina

    Laurie, você já viu o nível dos argumentos dessas pessoas favoráveis a qualquer coisa que vá contra a moral e a ética?

    Para os homossexuais, eles clamam o direito à diversidade, dizem que somos todos diferentes, blá,blá,blá, um discurso “lindo”.

    Mas, por exemplo, um bebê no ventre, caso seja detectada alguma deficiência, vira um alvo de guerra, deve ser eliminado, é uma tortura ter um filho deficiente…

    O que você disse não é uma pergunta, eles DE FATO trabalham com dois pesos e duas medidas.

  18. karina

    Quanto à posição dos bispos da CNBB, não dá nem pra comentar… É de chorar.

  19. George

    Não adianta discutir com quem está raciocinando torto (pois isso é também um sinal do fim dos tempos). O Brasil deve se unir para dar um não bem grande a todos os abortistas. A união é necessária para defender a vida.

  20. Pingback: Programa de Direitos Humanos contra os direitos humanos « Ecclesia Una

  21. Pingback: Deus lo Vult! » Histórico: CNBB e PNDH-3

  22. Miriam

    Ás vezes é até dificil pensar diante de uma decisão como esta, existem tantas formas de prevenção de uma gravidez e no entanto há ainda pessoas que não às conhece…. O que é pior, o maior problema do Brasil, ninguém resolve “A EDUCAÇÃO”, se as pessoas tivessem educação de qualidade nunca teriamos que nos deparar com problemas como este, talvez um ou outro mas não tanto como se vê falar…. ABORTO É CRIME SIM, onde já se viu, nenhuma mulher que tem amor próprio de verdade conseguiria ter paz pro resto da sua vida depois de tirar a vida do seu próprio filho(a). Se não queria, não fizesse, mas se tornar assassina… Fico indgnada…

Deixe um comentário: