O Haiti e os castigos de Deus

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 7 meses 1 dia atrás.

Discute-se se o terremoto do Haiti foi um castigo de Deus. Dividem-se os opinantes: não, Deus não castiga; sim, é por causa do vodoo praticado pelo povo. Obviamente, há outras opiniões mais sensatas; estas duas, no entanto, são simplórias demais e, na minha opinião, devem ser desconsideradas.

Quanto à primeira, é óbvio que Deus castiga. As Escrituras estão repletas de exemplos: do Dilúvio passando pela destruição de Sodoma e Gomorra, até os egípcios morrendo afogados no Mar Vermelho e outros episódios menos conhecidos. Não é possível ao católico simplesmente dizer “Deus não castiga”, porque isso é contrário ao que se sabe ter ocorrido ao longo da história da Salvação.

Obviamente, o castigo de Deus não é um mal absoluto, porque Deus não pode querer o mal em si. Santo Tomás de Aquino explica isso na Summa, II-IIae, q. 19, a.1 (tradução livre):

Em verdade, de Deus pode-nos sobrevir o mal da pena [castigo], que não é mal absoluto, mas sim mal relativo e bem absoluto. Efetivamente, dado que o bem estabelece ordem para um fim e o mal consiste na privação desta ordem, é mal absoluto aquilo que exclui totalmente a ordem ao fim último, que é  o mal da culpa. O mal da pena, ao contrário, é certamente um mal, enquanto nos priva de um bem particular; mas em absoluto é bem, porque está ordenado ao fim último.

Deus, portanto, castiga sim, e o castigo de Deus é sempre um bem absoluto, porque está ordenado ao fim último do homem, que é Ele próprio. Como, por exemplo, um pai que castiga o filho para o educar.

Pode-se objetar que não pertence ao pátrio poder espancar um filho até a morte, e que bem pouco aprendizado alguém pode obter de uma experiência se não sobreviver a ela. Esta visão, no entanto, é puramente materialista e não serve para impugnar a visão católica segundo a qual os castigos divinos – quaisquer que sejam eles – estão ordenados ao fim último do ser humano. Ela – a visão materialista – parte de dois pressupostos que não são aceitos pelos católicos: o primeiro, que a vida é um bem absoluto e, o segundo, que o castigo deve servir sempre e somente para os indivíduos castigados. Nós, católicos, sabemos que o fim último ao qual deve almejar o ser humano não é a preservação da própria vida física, e sim a salvação da sua alma. Ninguém pode dizer o que se passa no íntimo de uma pessoa vitimada por uma tragédia nos seus instantes derradeiros e, portanto, não se pode afirmar que o mal relativo não tenha redundado em um bem absoluto – ao contrário, é exatamente por isso que rezamos. Igualmente, o mal sofrido pela parte pode, ainda que não redunde em bem para ela, servir ao todo: como a amputação de um membro gangrenado que, embora não cause bem ao membro amputado, provoca bem ao corpo, ou como aquela história do rei que perdeu um dedo numa caçada. Portanto, uma catástrofe qualquer não pode, a priori, ser excluída como castigo divino por conta de objeções naturalistas como as que são ordinariamente apresentadas.

Quanto à segunda opinião – a de que o terremoto foi, sim, castigo de Deus por conta do vodoo praticado pelo povo -, ela também não pode ser pressuposta assim, sem mais nem menos. Vale salientar que 80% da população do Haiti é católica, e o catolicismo é inclusive a religião oficial do Estado. Obviamente, Deus pode ter castigado a infidelidade de um povo que, honrando-o com os lábios – com a Constituição… -, não Lhe presta louvor verdadeiro com a própria vida. Sim, Deus pode ter feito isso, mas Deus pode igualmente não ter feito isso – ou não pode? Há incontáveis exemplos de ímpios que parecem ser imunes a tragédias, bem como de pessoas inocentes que são vitimadas por desgraças sem que mereçam. Não dá, também, para dizer a priori que Deus resolveu castigar o Haiti por conta da feitiçaria praticada pelo povo católico. Deus não “funciona” com o determinismo de causa-efeito de uma lei física.

Então, afinal, o que dá para dizer? Na verdade, não dá para dizer rigorosamente nada, porque ninguém conhece os desígnios do Altíssimo. Que os terremotos são causados pelos movimentos das placas tectônicas é simplesmente um detalhe técnico – aliás, evidente e incontestável – que não vem ao caso nesta discussão. Os fenômenos naturais, afinal de contas, estão sujeitos ao Autor das leis da natureza.

O que dá para saber com certeza é que Deus não permitiria o mal se, dele, não pudesse tirar um bem ainda maior – como diz Santo Agostinho. E, se um terremoto que deixou milhares e milhares de mortos, feridos e desabrigados é obviamente um mal, importa dar sentido ao sofrimento. Não faz diferença (e, aliás, nem é humanamente possível) saber com certeza se foi castigo divino ou fatalidade permitida pelo Onipotente. O que importa é unir as próprias dores àquelas sofridas pelo Homem das Dores. Como falou o Papa João Paulo II na Salvifici Doloris:

Todo o homem tem uma sua participação na Redenção. E cada um dos homens é também chamado a participar naquele sofrimento, por meio do qual se realizou a Redenção; é chamado a participar naquele sofrimento, por meio do qual foi redimido também todo o sofrimento humano. Realizando a Redenção mediante o sofrimento, Cristo elevou ao mesmo tempo o sofrimento humano ao nível de Redenção. Por isso, todos os homens, com o seu sofrimento, se podem tornar também participantes do sofrimento redentor de Cristo.

[SD, 19]

Que os sofrimentos humanos – em particular estes de memória tão recente – não sejam inúteis, é o que pedimos à Virgem Santíssima, Mater Dolorosa, Nossa Senhora das Dores, Aquela que tão perfeitamente soube unir os próprios sofrimentos aos de Seu Divino Filho.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on “O Haiti e os castigos de Deus

  1. Everth

    Perfeitas observações, Jorge.

    Hoje eu estava lendo umas notícias sobre a enchente que ocorreu em São Luiz de Paraitinga e só aí passei a considerar que essas catástrofes naturais podem, de fato, servir de castigos para os ímpios.

    Nunca é demais lembrar a diferenciação que Santo Agostinho faz, n’O Livre-Arbítrio do mal do pecado – a renúncia do bem – e dos males que Deus permite acontecer aos pecadores, para que se arrependam.

    Graça e paz.
    Salve Maria Santíssima!

  2. João C.

    Incompreensivel… Não façamos de Deus o “mauzinho da fita”… É como o culparmos por termos partido uma era porque íamos distraídos não vimos as escadas… Caímos devido à Lei da Gravidade (que Ele criou) e devido à nossa distração… Duvido que Deus dê “sinais” ou “castigos” desse género: Famílias mortas inúmeros feridos, um país destruído…

    Que bem pode vir daí? Que bem? Então para o que morreram, que bem lhes veio? Não consigo, de todo, perceber o “mal menor” que foi o sismo…

    Sismos sempre ocorreram, devido a causas naturais que todos conhecemos. E cujo conhecimento deve ser mais profundo para prevenir os danos e minimizar os estragos da tragédia.

    Mais importante agora é enterrar os mortos e rezar por eles e cuidar dos vivos. E nao culpabilizar Deus por estas oisas acontecerem. Estamos num planeta vivo! Temos é de aprener mais com estes fenómenos e mais acerca deles para os prevenirmos no futuro, ou pelo menos, minimizar os danos por eles provocados.

    Quanto ao “castigo”, à “lição” qu foi dada ao mundo com a destruiçao de um país inteiro… como ser humano, isso até me chega aos ouvidos como uma graça ou piada… Não consigo perceber, de todo, esta opinião.

    Um abraço de Portugal!

  3. Pingback: Tweets that mention Deus lo Vult! » O Haiti e os castigos de Deus -- Topsy.com

  4. Carlos Renê

    Amigo

    Acompanho seu blog com certa frequencia, e admiro a transparencia com que a doutrina catolica é apresentada nesse espaço

    No entanto permita-me discordar deste sua reflexão. Não sou um sábio estudioso como o amigo, mas tenho no coração duas certezas: 1º Deus é Amor 2º Se fosse por merito eu mereceria um castigo bem pior do que o povo do haiti (sou catolico romano ok?)

    Acho que as vezes as tragédias são mistérios que exigem silencio. Como vamos pregar ao mundo um Deus que é amor se colocamos a culpa do misterio do mal em suas costas?

    Não creio que os judeos que hitle matou deixou Deus feliz.

    Não creio que Deus tenha errado o calculo e matado por tabela Zilda Arns num castigo que não era pra ela.

    Não se coaduna com a minha Fé aquelas crianças inocentes de Belem sendo mortas por castigo de Deus.

    E você pode me perguntar; E os Castigos de Deus na Biblia?

    Certamente a exegese sempre viu no “castigo” o amor de Deus. O Castigo de Deus foi e sempre será Amor!

    Perdão se não entendi o que o amigo escreveu. Mais gostaria que se possivel o irmão apontasse um documento da igreja que falasse sobre o Deus que castiga como mencionastes no texto.

    Quero aprender.

    obg

  5. Everth

    João,

    “Que os terremotos são causados pelos movimentos das placas tectônicas é simplesmente um detalhe técnico – aliás, evidente e incontestável – que não vem ao caso nesta discussão. Os fenômenos naturais, afinal de contas, estão sujeitos ao Autor das leis da natureza.

    Graça e paz.
    Salve Maria Santíssima!

  6. profeta do profano

    Então o sr está confirmando que teu Deus é cruel, sádico, violento e sanguinário. Uma criança insegura, mimada e ciumenta que os Cristãos deveriam ter apostatado há tempos.

  7. Pedro Barros

    “Ninguém pode dizer o que se passa no íntimo de uma pessoa vitimada por uma tragédia nos seus instantes derradeiros e, portanto, não se pode afirmar que o mal relativo não tenha redundado em um bem absoluto – ao contrário, é exatamente por isso que rezamos.”

    Há casos que a morte é imediata. Num terremoto existem muitas assim. Nesses casos, há tempo para arrependimento?

  8. Luc

    O problema conosco(nós católicos) é que MUITAS VEZES,quase SEMPRE,nós somos uns HIPÓCRITAS E UMAS MULHERZINHAS.Nós vamos à igreja,rezamos ao Deus Crucificado,aquele que sendo TOTALMENTE inocente e sofreu uma morte dolorosa e injusta, e queremos que o sofrimento NUNCA bata a nossa porta.COMO CRER EM UM DEUS QUE SOFREU HORRORES PARA NOS SALVAR E NÃO QUERER QUALQUER SOFRIMENTO?POR ACASO JESUS DISSE EM ALGUM LUGAR QUE NOS SEREMOS PLENAMENTE FELIZES NESSE MUNDO?A verdade é que nós somos Hipocritas como os fariseus.Vemos Jesus Crucificado e não queremos sofrer.Não vemos razão nenhuma no sofrimento,do mesmo modo que os pagãos pensavam.Se Jesus que foi inocente teve essa morte,o que nós não mereceriamos se não fosse a misericordia do Pai?Deveriamos imitar Jesus no tribunal de Pilatos,sofrendo silenciosamente.E somos mulherzinhas porque nós NÃO AGUENTAMOS SOFRER.QUALQUER COISINHA É RAZÃO PARA DESESPERO,BLASFÊMIA,RESMUNGO ETC.Como é belo quando o sofrimento dos santos era usado como atos de desagravo pelos pecadores.Mas no fim,essa reclamação da dor é uma prova clara de falta de confiança na Providência.Nós remoemos as magóas do passado sem ver que Deus deixou isso acontecer.Sem ver que aquilo foi bom,apesar de eu não conseguir ver o porque(afinal,eu não consigo ver como seria a história se tal fatos ruins não tivessem ocorrido).Mas eu ACREDITO que meus piores momentos foram para o bem(porque eles ocorreram com a aprovação de Deus).Mas não,nós remoemos o passado e fantasiamos o futuro,e se qualquer coisinha não sai do jeito que a minha cabeça concedeu o futuro eu me entristeço,reclamo com Deus etc.MAS EU TENHO QUE ME CONVENCER QUE EU NÃO SOU O CRIADOR DO MUNDO.TENHO QUE PARAR DE EXIGIR DA VIDA O QUE É IMPOSSIVEL.TENHO QUE ME CONTENTAR COM QUE O DESTINO QUE DEUS ME DEU SEM RECLAMAR POIS A MINHA FELICIDADE NÃO SERÁ NESSE MUNDO MAS NO PROXIMO E NADA DESSE MUNDO PODERÁ ME DAR FELICIDADE PLENA.

    Ufa,taí o desabafo :).Jorge,se você achar o texto muito desconexo ou muito grande,por favor não publique.Acho que eu não estou apto a fazer esse julgamento ahhahahhah

  9. Sidnei

    Devo dizer que discordo um pouco do Jorge, não que acredite que DEUS não castigue ninguém, Hebreus 12, 5-11 explica também sobre esta matéria, assim como disse Santo Agostinho que Deus não permitiria o mal se, dele, não pudesse tirar um bem ainda maior, porém conceber que os desastres naturais como este terremoto que aconteceu no Haiti sejam os mesmo castigos que DEUS concedeu a Sodoma e Gomorra e aos povos da época do dilúvio demonstra mais crer na pedagogia que DEUS utilizava no A.T. antes da vinda de seu filho a terra que a pedagogia que DEUS usa agora no tempo da graças de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, se antes um população inteira era castigada pelos pecados de uma maioria ou até de uma minoria hoje cremos que só os que são praticantes de tais delitos é que são castigados, o que leva a Ezequiel 18, e ainda DEUS castiga não por prazer mas por ser um bom PAI que quer ver seus filhos evoluírem na fé e no conhecimento DELE próprio, e ainda creio que o castigo de DEUS vem de ELE permitir através de nosso livre arbítrio o qual fazemos escolhas erradas e no final acabamos se dando mal, seria como um pai que ao chamar a atenção de um filho desobediente diversas vezes acaba se calando até que em uma hora o filho se machuca vai ao encontro do colo do Pai chorando pela dor do machucado e o Pai o acolhe ao mesmo tempo que diz: “Esta vendo, se tivesse me escutado não teria acontecido isto, aprendesse a lição?”, esta é a visão que tenho de DEUS que se aproxima maos do DEUS manso e humilde de coração e que é só amor revelado por JESUS CRISTO, e este mesmo CRISTO que através de uma imagem sua que ficou de pé após um terremoto que quer mostrar que está sofrendo junto com aquele povo, o que me lembra o que São Paulo escreveu em 1º Cor. 13,26: “Se um membro sofre, todos os membros padecem com ele; e se um membro é tratado com carinho, todos os outros se congratulam por ele.” (Idem para as imagens destruídas em São Domingos do Paraitinga) , porém se a catolicidade do povo haitiano se não é 100% pois muitos haitiano misturam sua fé católica com crenças vodoo como acontece aqui no Brasil que muitos misturam sua fé católica com crenças vindas da África, o que me parece que falta é muita evangelização dessas pessoas para se livrarem desse sincretismo todo, ou eles são 100% católicos ou que sigam as religiões de matrizes afros como a umbanda ou candomblé, porém isto não vem o caso agora, o que vem o caso é que para mim tal terremoto não foi castigo de DEUS, pois como está escrito no profeta Ezequiel, 18, DEUS não tem prazer na morte do ímpio, para mim isto foi uma fatalidade pois houve um movimentos das placas tectônicas, que foi a uma pequena profundidade e que pior ainda, em uma região densamente povoada.

  10. lucio

    Salve Maria,

    Jorge, aprecio muito esse blog, o qual sou novo nos comentários, tenho notado sempre a participação desse pobre infeliz que se auto-denomina “profeta do profano”, e permita-me dizer umas coisas, esse mentecapto deve ser um adolescente metaleiro que se esconde atrás de um pseudonimo de integrante de banda de Black Metal, provavelmente é um jovenzinho mimado que não tem muito com o que se revoltar e se esconde atrás de pseudonimos e argumentos pouco inteligentes (burros mesmo), descarte os comentários do “profano”, a não ser que tenha muita gente se divertindo com as “profanisses” desse pobre.

    cuidado “profano”, Deus castiga.

    Cor Jesu sacratíssimum,
    Miserere Nobis.

  11. Pingback: Deus lo Vult! » Mais sobre os castigos temporais de Deus

  12. vanderley

    Não deixa de ser um assunto intrigante e estimulante .

    Talvez muito além do nosso entendimento.

    Recordo de 2 citações da Bíblia:

    Uma fala “o mundo todo jaz sob o maligno”

    e outra refere-se ao “principe deste mundo”

    Ele não tem poder também sobre a Natureza ??

    (sei que nada é feito sem o consentimento de Deus).

  13. Valderi da Silva

    Interessante observação. No entanto, temos que tomar cuidado ao tratar de “castigo divino”. É mais sensato tomar aquela idéia que o senhor mesmo expressaste de permissão de Deus as catástrofes naturais do que a de Deus como impulsionador das mesmas.
    Pax Christi

  14. Michele Madalena Silva de Oliveira

    Concordo com Lucio, acho que já está na hora de barrar os comentários do “profeta do profano”, para que ele passe por um intenso período de leitura e, principalmente,de reflexão acerca do que leu. Só depois desses processos, ele voltaria a comentar de novo.

  15. Pingback: Locuta » Deus e a tragédia no Haiti

  16. Leniéverson Azeredo Gomes

    Gente,eu “desarquivei” este post por julgar o espaço adequado para abordar a questão das enchentes.
    Olha só o que eu vi sobre a questão da burocracia para ajudar as vítimas das chuvas na Região Serrana e a perseguição do prefeito evagélico de Teresópolis a Igreja Católica.

    “(…)Distribuição de donativos

    A prefeitura de Teresópolis está sendo acusada de impedir a distribuição de donativos por parte da Igreja Católica. Segundo o padre Paulo Botas, integrantes da comunidade católica que foram até o estádio Pedrão ouviram de funcionários municipais que “nenhuma igreja católica de Teresópolis iria receber doações”. A prefeitura desmente a informação – diz que não passa de boato e que a religião dos desabrigados não é fator levado em consideração.

    “Falaram isso sem o menor constrangimento. O prefeito (Jorge Mário Sedlacek) é evangélico e não quer que a ajuda vá para os católicos. As pessoas se cadastraram, mas foram discriminadas. Nessa situação tão grave, não tem confissão religiosa, não pode ter essa competição ideológica. Isso é um pecado mortal, ainda mais vindo de pessoas cristãs”, disse o padre, da igreja do Sagrado Coração de Jesus de Barra do Imbuí, área bastante afetada pelas chuvas.

    Ele contou que foi alugado um galpão, na frente da igreja, para onde seriam levados roupas e alimentos que emissários recolheriam do montante estocado no Pedrão. A intenção era fazer do galpão um centro de distribuição para atendimento de moradores de bairros como Posse, Campo Grande e Espanhol, onde famílias inteiras morreram.

    Sem querer entrar em detalhes sobre a religião do prefeito, o padre Mario José Coutinho, decano da Diocese de Petrópolis, disse que a situação é de boicote à Igreja Católica. “É surreal, uma ofensa, uma vergonha, uma agressão à humanidade. Transformaram uma questão humanitária em religiosa”, criticou.

    Amanhã, antes de rezar uma missa de sétimo dia no Imbuí, o bispo de Petrópolis, dom Filippo Santoro, terá uma reunião com o prefeito para discutir o assunto. Dos 21 abrigos abertos em Teresópolis, metade foi providenciado em igrejas evangélicas.
    Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/rj/auxilio+a+vitimas+das+enchentes+enfrenta+burocracia/n1237957309410.html

    Que reflexão fazer desse fato?

  17. ALESSANDRO CANSI DA SILVA

    ACHO QUE O CASTIGO DE DEUS EXISTE SIM.NÃO SIGO RELIGIÃO NENHUMA,MAS ME CONSIDERO CRISTÃO DE TRADIÇÃO CATÓLICA ACREDITANDO NA VIRGEM MARIA, E JÁ FREQUENTEI E ÀS VEZES AINDA VOU EM UMA IGREJA EVANGÉLICA.NÃO HÁ RELIGIÃO PERFEITA,POIS DEUS NÃO CRIOU RELIGIÃO E SIM “IGREJA”,OU SEJA;O CRISTIANISMO(JESUS DISSE EU SOU A VERDADE E A VIDA E NINGUÉM VAI AO PAI SE NÃO POR MIM). O HAITI NÃO TEM 80% DE CATÓLICOS COMO MENSIONARAM,MAS SIM DE SINCRONISTAS RELIGIOSOS QUE MISTURARAM CEITAS AFRICANAS COM SANTOS CATÓLICOS.FALO ISSO PORQUE ENTENDO DE HISTÓRIA E NÃO DIGO ESSAS COISAS DA BOCA PRÁ FORA.NA INDONÉZIA TAMBÉM HÁ EXISTENCIA DE CENTENAS DE CEITAS E O ISLAMISMO.SERÁ QUE A TSUNAMI QUE HOUVE POR LÁ FOI CASTIGO?NO CHILE DIGO COM CERTEZA QUE A MAIORIA DA POPULÇÃO É CATÓLICA,MAS POR QUE HOUVE O TERREMOTO? BOM AMIGOS CRISTÃOS TENHO UM GRANDE CARINHO PELA IGREJA CATÓLICA,POIS NÃO É PORQUE VOU NA IGREJA EVANGÉLICA É QUE NÃO POSSO IR NO SANTÍSSIMO E FICAR EM INTIMIDADE COM DEUS!AGORA CONVENHAMOS…SERÁ QUE A IGREJA CATÓLICA NÃO ESTÁ PAGANDO UM PREÇO E SENDO CASTIGADA POR DEUS POR TANTOS CASOS DE PEDOFILIA?SERÁ QUE A IGREJA CATÓLICA NÃO ESTA PAGANDO O PREÇO POR VIRAR AS COSTAS PARA OS JUDEUS NA SEGUNDA GUERRA QUANDO O PAPA PIO DISSE:”OREMOS PARA QUE A ALEMANHA TRIUNFE LOGO,POIS ESSA GUERRA ESTA POR TIRA AINDA MAIS VIDAS”.SIMPLES:O PAPA PIO TEMEU QUE CATÓLICOS ALEMÃES VIRASSEM FIEIS DAS IGREJAS ANGLICANAS.VAMOS A UM FATO RECENTE:O LÍDER DOS PADRES EXORCISTAS GABRIELE AMORTH DEU A FACE A TAPA E FOI NA IMPRENSA ITALIANA E DENÚNCIOU:”O MAL VIVE NO VATICANO,POIS HÁ BISPOS E CARDEAIS QUE PRATICAM SATANISMO E OUTROS MEMBROS QUE NEM ACREDITAM QUE JESUS CRISTO EXISTIU,MAS O PAPA FAZ OQUE PODE E TEM CIENCIA DA SITUAÇÃO”.PADRE AMORTH É UM HONROSO HOMEM QUE JÁ PRATICOU MAIS DE SETENTA MIL EXORCISMOS TODOS ELES REGISTRADOS NO VATICANO.ESTAMOS CAMINHANDO PARA O ABISMO CINZA E QUE SEDO OU TARDE SERA DERRAMADO COR NESTE ABISMO.FIQUEM COM DEUS E A PAZ DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO E O ABRAÇO DE MATERNAL DE MARIA>