Panfleto da CNBB compara Lula a Herodes!

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 7 meses 1 dia atrás.

Recebi por email e, infelizmente, é assinado apenas pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB. Se alguém achar onde o mesmo está reproduzido no site da Conferência, eu agradeço.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page
Tagged on: , , , ,

45 thoughts on “Panfleto da CNBB compara Lula a Herodes!

  1. Sdnei

    A Igreja Católica também é Herodes quando proibe o uso de camisinha. Milhões de inocentes morrem todos os anos, vítimas das DST.

    E porque milhões morrem de DST e Igreja Católica é culpada?, DEUS mandou que o sexo só fosse realizado dentro de um casamento entre um homem e uma mulher fora disso: adultério, fornicação, prostituição e por aí afora estam fora dos planos de DEUS, o que a Igreja faz é transmitir isto, e a camisinha vai contra estes desígnios divinos, pois estimula tudo que vai contra o verdadeiro ato sexual querido por DEUS, portanto quem faz sexo fora ou antes do casamento com ou sem camisinha está pecando, é claro que isto é para nós católicos para os que são mundanos isto não faz diferença nenhuma pois seguem o mundo e não a DEUS.

    A Igreja Católica já foi Nero ao incendiar na fogueira inocentes que dela discordavam na Inquisição.
    A Igreja Católica já foi Hitler ao torturar e matar judeus na mesma Inquisição.

    Quem fala estas coisas não conhece a história da inquisição ou conhece pela boca dos inimigos da Igreja, mas se estudasse iria constatar que houve três períodos inquisitoriais, a medieval o qual surgiu na Idade Média para combater a heresia dos cátaros e albigenses, a Inquisição Régia que surgiu na Espanha e Portugal, esta sim para mim foi a mais injusta porque perseguiu os judeus na península Ibérica tudo para arrancar dinheiro para os governantes espanhóis e portugueses para financiar o descobrimento do novo mundo, porém esta inquisição esteve mais a serviço dos reis espanhóis e portugueses e não da Igreja, e por fim a inquisição romana o qual foi realizado em uma época muito difícil da Igreja após a propagação do protestantismo em que estes acusavam a Igreja Católica de não seguir as Sagradas Escrituras, e qualquer pessoa que se levantasse dizendo algo contraditório com as Sagradas Escrituras a Igreja através da Inquisição julgava se aquilo se tratava de heresia ou não, porém tudo isto tem que ser estudado despido de preconceitos e não na arrogância de achar que o mundo daquela época deveria ser como o de hoje porque lá atrás as coisas eram bem diferente, a fé sempre vinha em primeiro lugar, e qualquer um que colocasse em risco a fé das pessoas seria como alguém colocar em risco a vida de uma pessoa nos nossos dias.

    A Igreja Católica é autoritária e anti-democrática ao pregar intolerância aos homossexuais, ao proibir o ordenação de mulheres e ao obrigar seus padres ao celibato.
    A Igreja Católica não é anti-democrática porque ela não é uma democracia, ela é uma teocracia, seu governo é para DEUS e não para o povo, ela não prega a intolerância aos homossexuais, mas não aceita que relações homossexuais não sejam naturais, ela proibi a ordenação de mulheres porque JESUS só escolheu homens para seu ministério apostólico e estes também foram escolhendo somente homens em todo curso da história da Igreja se tem quem a reclamar vão reclamar com JESUS CRISTO então, e quanto ao celibato, a Igreja não obriga ninguém a ser padre porém quem quer ser já sabe que terá que ser celibatário, o que há é que ninguém entende que não é a Igreja que proibi os padres de se casarem é a Igreja que recruta entre aqueles que se fizeram eunuco por causa do reino dos céus a serem padres.

  2. Sdnei

    Carlos, estou rindo até agora pelo epíteto que destes ao José Serra de manequim de funerária, mas é isto aí, quem haja que vai votar no José Serra acreditando que ele é contra o aborto ao contrário da Dilma Rousseff vai quebrar a cara, só sei que estamos mal este ano para votar em alguém que seja 100% contra o aborto ou eu vou votar naquele que representa menos risco a fé e a moral da nossa Igreja, porém se não houver nenhum meu voto será branco ou nulo, só lamento que neste pais o voto seja obrigatório e não facultativo, pois nem colocaria meus pés na zona leitoral se fosse facultativo.

  3. Sidnei

    “E se o Lula quer um Brasil sem Deus, passo a ser Lula até morrer.”

    Quem quer um Brasil sem DEUS, vai ter que se desfazer daqueles que NELE creditam, portanto, talvez seja isto o intuito dos ateus e laicistas de plantão, mais tarde eles vão querer implantar o extermínio dos cristãos, virão dizendo, ou você abandona sua fé em DEUS ou morra, é claro, criarão meios de extermínio como campos de concentração, fuzilamento em massa, tudo para forçar os cristãos a abandonarem sua fé, algo semelhante ocorreu com os dirigentes comunistas ateus da extinta União Soviética que não titubeavam em enviar para a Sibéria quem ousasse discordar deles, sobre tudo com relação a liberdade religiosa, porém o que mais me intriga e ver um ateu apoiar abertamente um Brasil sem DEUS, e nunca vi nenhum católico dizendo apoiar um Brasil sem um ateu, mas vai que alguém venha dizer isto se logo não será taxado ele e toda a Igreja, de anti democrática, autoritária, medieval, inquisitorial, etc., etc.; etc.

  4. Jorge Ferraz Post author

    Tamy, eu disse “infelizmente” porque o documento recebe apenas a assinatura de uma comissão de um regional da CNBB; ou seja, é um subconjunto de um subconjunto da Conferência. Queria a assinatura do secretariado-geral, ou da presidência. Queria que fosse algo que tivesse o apoio da integridade da Conferência.

    A todos,

    Sugiro que entre em contato com a Regional Sul 1 da CNBB perguntando, como quem não quer nada, os contatos dos responsáveis pela Comissão em Defesa da Vida para parabenizar pelo corajoso panfleto distribuído. Abaixo:

    Quer entrar em contato com a CNBB SUL 1?

    CNBB – CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL – Regional Sul 1
    Presidente:
    D. Nelson Westrupp
    [email protected]
    Rua Prof. Sebastião S. de Faria, 57 5º andar
    São Paulo / SP CEP: 01317-010
    Fone/Fax: 0 (XX) 11 3253-6788

    Abraços,
    Jorge

  5. Leonardo

    Está faltando colocar tudo dentro da lógica. O neoliberalismo é o fundamentalismo da economia. Logo, a economia se sobreleva ao social e ao político enquanto, na ponta, já assassinou a moral. Nada pode limitar o mercado e nem o consumo. Muito menos a fé. O que não reverte em lucro ou em investimento é recusado. A iniciativa privada estratégica e alinhada, sob aparência de parceria, na verdade, determina como governar. Logo, incentivam e bancam o caixa 2, pois, ditam o conteúdo das leis aos gestores desde as campanhas eleitorais, anulando o núcleo legislativo da democracia. Há libertinagem quanto à moral, não se censura a imoralidade, mas há cassação da ampla informação que toca na motivação e há repressão contra a consciência por manipulação do consumo absurdamente imposto e tarifado. Assim, todo encargo social ao mercado (adquirente do governo) é odiado. Filhos sem pais são odiados, porquanto não representam contribuição nem a médio prazo, enquanto gays são amados, porque não fazem filhos, consomem por vaidade e são doidos para adotarem orfãos em um curto prazo. O aborto passa a ser exigência na medida em que o próprio governo investe na cultura do sexo para crescer sua poderosa e enorme cadeia de exploração na forma como o prazer é usado para vício de consumo. Conclusão: o neoliberalismo é a maior ilusão ou loucura histórica acerca da liberdade e da democracia. A democracia é vendida ao mercado e a liberdade é mera fachada para uma escravidão, pois apenas o mercado resta representado assim como o consumo é manietado e tributado com extremo abuso ao ponto de anular ou tornar ineficaz a dignidade humana. Não adiantam ideias se persistem vícios de consumo sem necessidade e por fuga do essencial individualmente custoso.

  6. Freitas

    Prezado Leonardo

    É bom termos uma posição crítica quanto ao neoliberalismo. No entanto, nessa crítica, é preciso precaver-se contra esquemas de pensamentos que não são os nossos. Penso, igualmente, que você está mirando no alvo errado. À ideologia neoliberal, conquanto mereça crítica, não pode ser imputado o Programa de “Direitos Humanos” do presidente Lula que, aliás, se apresenta como o superador do neoliberalismo no Brasil e é por isso saudado por seus partidários.

    Em verdade, se quisermos perquerir as raízes ideológicas do decreto 7037 do presidente Lula (este que oficializa a posição do governo no que tange à legalização do aborto e do casamento gay e à retirada dos crucifixos das repartições federais), temos que buscá-las no neossocialismo que atualmente assola a América Latina. Efetivamente, o referido decreto abortista também é crítico do neoliberalismo, como se depreende de seu texto. O que apenas prova que o inimigo de meu inimigo nem sempre é meu amigo.
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7037.htm

    É bom sempre lembrar que a defesa da legalização do aborto sempre esteve ligada ao socialismo. O primeiro país a legalizar o aborto foi a Rússia Soviética, em 1920. Até hoje a Rússia é o país onde mais se aborta no mundo:
    http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=10&id_news=260380

  7. Rodrigo P.

    A defesa da legalização do aborto e do homossexualismo está ligada ao socialismo porque este é contra a instituição da propriedade, a que está estreitamente ligada a instituição da família. De fato, se abstrairmos os preconceitos individualistas do liberalismo, veremos que a propriedade é mais da família do que do indivíduo — os bens materiais não são propriamente nossos: devemos conservar o legado que recebemos de nossos antepassados e devolvê-lo aumentado aos nossos descendentes. Não há como abolir a propriedade sem abolir a família. A coletivização dos “meios de reprodução” (as mulheres, tal como vistas pelo socialismo) é complemento indispensável da coletivização dos meios de produção. Tudo é de todos e ninguém é de ninguém! O socialismo é, portanto, uma utopia subversiva contra a família e a propriedade.

    Todavia, o socialismo é uma utopia regressiva, pois o progresso da sociedade consiste no contínuo fortalecimento de suas instituições fundamentais, e não na sua desintegração. No socialismo, a família e a propriedade seriam dissolvidas e desintegradas na horda primitiva, onde a posse das mulheres e dos bens era indiferenciada, como assinala o próprio Frederico Engels.

    O socialismo não representa progresso social, mas uma utopia atávica; é a regressão ao tribalismo.

  8. Carlos

    Caros Leonardo, Freitas e Rodrigo P.,
    Para mim, todos vocês estão corretos em suas análises. Não é à toa que a Igreja sempre condenou tanto o liberalismo quanto o socialismo. Ambos levam a uma sociedade sem Deus.
    O socialismo, claro, é muito pior do que o liberalismo, porque leva diretamente a uma economia comunista, que não passa de escravidão, fazendo do homem simples peça descartável de uma máquina burocrática e ineficiente.
    O liberalismo também não é bom, pois além de colocar o lucro acima da moral, não faz distinção entre bem e mal, verdade e mentira, beleza e feiúra, e assim permite a liberdade para tudo (liberdade de pensamento, de consciência, de religião, de divulgação, de propaganda etc).
    Ora, ao permitir a liberdade de tudo, o liberalismo cai na contradição de permitir a divulgação das ideias socialistas (que em tese são contrárias às ideias liberais). Assim, o liberalismo é a ponte pela qual se chega ao socialismo. Vejam como o governo neoliberal de FHC preparou o governo meio neoliberal, meio socialista de Lula, o qual vai preparando o governo puramente socialista de Dilma (libera nos Domine!). Assim, o liberalismo de Kerenski preparou o triunfo de Lênin na Rússia. O liberalismo de Frei preparou o socialismo de Allende no Chile. A história está cheia de exemplos desses governos de transição ideológica. Os próprios militares caíram nessa tentação liberal, pois perseguiam apenas as guerrilhas comunistas violentas, ao mesmo tempo em que entregavam à esquerda o monopólio intelectual (seja pela mídia, seja pelas universidades). Nunca empreenderam o combate à esquerda no campo das ideias, mas apenas no campo da violência. Como não há violência que dure para sempre, perderam. E a esquerda dominou tudo. O socialismo tem que ser combatido, primeiro de tudo, no campo intelectual, demonstrando, por exemplo, que a desigualdade não é um mal em si, mas que, pelo contrário, é de acordo com a natureza e com a vontade divina.
    Os militares, ademais, favoreceram enormemente a esquerda com a burocracia e a estatização socialista do estado. Criaram tudo o que quer um governo socialista: economia estatal e burocracia.
    Daí prepararam o triunfo do Lula, que agora só tem o trabalho de empreender a revolução cultural mediante essas leis abjetas. A instituição familiar, a prática da religião e o direito de propriedade, no Brasil, aparentemente estão com os dias contados.
    O que fazer? Rezar muito. E lutar, cada qual com as armas disponíveis, especialmente pela divulgação da verdade. O mais é de Deus, que é o principal agente da história e que pode mudar todo esse panorama num simples piscar de olhos. Ou pode permitir a tragédia como castigo merecido a um clero e a sociedade que pouco se importam com suas leis.
    Um abraço a todos.
    Carlos.

  9. Leonardo

    Amigos e irmãos, tenho uma pequena revelação a lhes fazer: depois que a China aderiu ao mercado, da revolução cultural marxista originada nos EUA e da queda do muro de Berlim, o liberalismo se uniu ao marxismo e viraram um só coquetel anti-católico. Foi mais ou menos como se os EUA tivessem dito que retirariam os limites morais e naturais em face do mercado se a propaganda marxista lutasse contra a moral cristã ao mesmo tempo que conduzisse à explosão do consumo em massa no mundo inteiro. Atualmente, há apenas dois lados, a Igreja e todos os outros juntos pelo mercado e contra a Igreja. Não se lembram que São Paulo disse que viveriam apenas pela diversão (com alta tecnologia) e que Deus permitiria um engano quase geral porque tantas vezes rejeitaram o caminho da Verdade?

  10. Leonardo

    O marketing contemporâneo é inteiramente marxista e da mesma forma que engana para receber votos engana para impor o consumo.

  11. Pedro M

    Essa do Isaac merece comentário:

    “não foram vocês que NASCERAM homossexuais, por isso convém escrever isso a vocês”

    Não, nasci pecador, assim como você. Logo, convém escrever sobre o pecado para que seja evitado. E o que você tem feito quanto a isso?

    Não sei se alguém te avisou, mas disseminar ódio — particularmente com base na mentira — não faz muito para combater o pecado. E você deve saber quem é o pai da mentira.

    Paz e bem.

  12. Renato

    Estimado Isaac,

    ninguém nasce homossexual. A homossexualidade é de dimensão psicológica e não biológica. Há vários estudos que podem te ajudar a compreender melhor esse tema.

    Forte abraço.

    Em Cristo,
    Renato.

  13. Pingback: Deus lo Vult! » Comissão Episcopal para a Vida e a Família contra o PNDH-3!