Buona Pasqua, Dolce Cristo in Terra!

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 4 meses 15 dias atrás.

Buona Pasqua, Padre Santo! Buona Pasqua, Dolce Cristo in terra! La Chiesa è con te!

Meu italiano não é bom o suficiente para que eu me arrisque a uma tradução completa do aúdio. Mas o vídeo é bem bonito, de modo que vale a pena vê-lo mesmo que não se entenda perfeitamente o italiano. Saiu também na VEJA.

Repito – é bonito o vídeo! O semblante cansado do Papa, as palavras ditas pelo cardeal, o sorriso do sucessor de Pedro quando ele se levanta, ao final, para cumprimentar o purpurado. “Nesta festa solene da Páscoa, a liturgia da Igreja nos convida a uma santa alegria” – começa o cardeal. E, naquela “histórica praça”, com o sol resplandecendo sobre “os nossos corações”, o cardeal Angelo Sodano chama o Papa de “sucessor de Pedro, Bispo de Roma, rocha indefectível da Santa Igreja de Cristo”, e diz que os cristãos lá estão reunidos para cantarem com ele “o aleluia da Fé e da Esperança cristãs”. Agradece pela “fortaleza de ânimo” e pela “coragem apostólica” com as quais o Papa anuncia o Evangelho de Cristo. Cita o Vaticano II – a Gaudium et Spes – e diz que toda a Igreja, por meio dele, deseja dizer-lhe “boa páscoa, amado Santo Padre. Boa Páscoa! A Igreja está com o senhor”.

“Com o senhor estamos os cardeais, seus colaborares na Cúria Romana. Com o senhor estão os irmãos bispos espalhados pelo mundo, que guiam as 3.000 circunscrições eclesiásticas do planeta. Estão particularmente com o senhor nestes dias os 400.000 sacerdotes que servem generosamente o povo de Deus, nas paróquias, nos oratórios, nas escolas, nas hospedarias, nas Forças Armadas e em numerosos outros ambientes, como os curas nas missões nas partes mais remotas do mundo. Padre Santo, está com o senhor o povo de Deus, que não se deixa impressionar com o burburinho [?] do momento”.

“No mundo haveis de ter tribulações” – lembra o Cardeal das palavras de Nosso Senhor – “mas, coragem! Eu venci o mundo!”; lembrança extremamente apropriada para o momento que hoje atravessa a Igreja. Bonito o gesto do cardeal Sodano. Faço minhas as suas palavras. Gostaria de também manifestar, publicamente, a minha completa adesão ao Vigário de Cristo.

“Santo Padre! (…) Nesta solenidade pascal, nós rezaremos pelo senhor, para que o Senhor, bom Pastor, continue a sustentá-lo na sua missão, a serviço da Igreja e do próprio mundo. Feliz Páscoa, Santo Padre! Feliz Páscoa, Doce Cristo na Terra! A Igreja está contigo!” Assim termina o purpurado. E nós, rezemos pelo Papa. Para que o Senhor o possa guardar e fortalecer, e lhe dar felicidade na terra, e não o entregar nas mãos de seus inimigos. Feliz Páscoa, Doce Cristo na terra!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

49 thoughts on “Buona Pasqua, Dolce Cristo in Terra!

  1. Paulo

    Não posso responder, minhas mensagens estão sendo moderadas. Engraçado como agressões explícitas que convêm ao proprietário do site são apresentadas. Aceito e entendo ser moderado por respostas “grosseiras”, mas o problema é a regra do “dois pesos e duas medidas” que impera por aqui. De qualquer forma não perco mais meu tempo nesse site.

  2. Jorge Ferraz Post author

    Sr. Paulo,

    Perdoe-me pela demora na liberação dos comentários do senhor. Considere, no entanto, que não estou na frente do computador o dia inteiro.

    Abraços,
    Jorge

  3. Paulo

    Desculpe Jorge, acho que me exaltei na ânsia de responder e ver que havia uma resposta minha anterior que ainda estava bloqueada.

    Sidney, não trocaria nem uma vírgula do que você escreveu, concordo plenamente que a tradição é uma ferramenta realmente utilizada por todos, até para alinhamento nas interpretações, só acho que ela deve ser utilizada de forma a não gerar contradições com a palavra escrita, ou se sobrepor a ela, pois mesmo que Jesus tenha feito e falado muitas outras coisas que não foram registradas certamente não são conflitantes com as que ficaram escritas.

    Com relação às contradições em interpretações, pra mim é claro que estas existem, não somente entre protestantes mas também entre católicos (ortodoxos, romanos, carismáticos, etc.).

    Sei que a posição defendida é que a opinião católica Romana é correta, porém dentro da própria instituição há conflitos internos com relação à interpretação, tanto entre modernistas e tradicionalistas como entre estes próprios há linhas conflitantes.

    De qualquer forma essa discussão não terá fim se formos tentar classificar ou desclassificar alguém, uns acreditam na fé e outros na Fé. Eu acredito em Jesus Cristo, e busco seguir os Seus passos.

  4. Candido Rubim Rios

    O que semeia a boa semente é o filho do homem. O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino.O joio são os filhos do maligno.O inimigo que semeia,é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos…Aquele que tem ouvidos, ouça.-Mateus 13,36—-
    Jesus entrou no templo e expulsou dali todos aqueles que se entregavam ao comércio. Derrubou as mesas dos cambistas e os bancos dos negociantes de pomba…Mt.21,12
    Amarás o senhor teu Deus de todo teu coração,de toda tua alma e de todo teu espírito…MT.22,35
    Erro sim, posso incorrer em paradoxos mas jamais renunciarei a minha fé fundamentada em Jesus Cristo, doa a quem doer. Abraços a todos.

  5. Sidnei

    Paulo, a Sagrada Tradição na Igreja Católica que tem o mesmo peso de revelação que as Sagradas Escrituras não está em uma situação de contradição com a Palavra escrita e muito menos está em situação de se impor sobre Ela, muito pelo contrário, ambas se complementam, como por exemplo sobre a intercessão do Santos, segundo a Sagrada Tradição há possibilidade de nosso irmãos no céu de interceder por nós, esta fé na comunhão dos Santos é complementada se não de forma explicita mas implícita em algumas passagens, sobretudo por São Paulo em 1º Cor. 12, quando compara a Igreja como o corpo de CRISTO sendo CRISTO a cabeça da Igreja e nós os seus membros o qual devemos cuidar uns dos outros e dependermos uns dos outros sem excluir ninguém, e como nossos irmãos nos céus estão unidos junto a nós em JESUS CRISTO, mediante de tal união, poderão orar por nós como nós aqui neste mundo podemos orar uns pelos outros, isto é só um exemplo de como as Sagradas Escrituras complementa aquilo que diz a Sagrada Tradição e o que a Sagrada Tradição complementa o que diz as Sagradas Escrituras, e poderíamos citar outros tantos exemplos mas fiquemos só neste, e quando haver divergências doutrinárias dentro da Igreja Católica, somente daqueles que teimam em desafiar a Sã doutrina, o depósito da Fé que CRISTO confiou a Igreja que guardasse, querendo infiltrar doutrinas mundanas que nada tem haver com a revelação trazida por CRISTO, como por exemplo a Teologia da Libertação que quer misturar o marxismo, comunismo com o cristianismo, quando sabemos que é incompatível a união entre a ideologia marxista comunista com o cristianismo, estes podem até se consideram fora da comunhão coma Igreja Católica embora se rotulam de católicos, o mesmo acontecem com as falsas “católicas” do direito de decidir, e quanto aos carismáticos, embora tenham certas influências protestantes, principalmente nos cultos, porém, eles se dizem alinhados com a Igreja e com o Papa, até a onde eu saiba, porque se eles começarem a desafiar a unidade da Igreja e querer introduzir (se já não estão tentando) graves erros doutrinários, também serão chamados a atenção ou até convidados de se retirarem, mas como ninguém do magistério da Igreja, ainda não viu nada de errado com este movimento, vou crer no magistério da Igreja o qual tem a ultima palavra em assuntos de fé e moral.

  6. Candido Rubim Rios

    Como diz o ditado os cães latem a a caravana passa.
    Apesar de quase não assisir tv. Acabei de ver agora pouco o Guilherme de Pádua que foi ao programa do Ratinho para contar a sua verdade, chegou a irritar o apresentador porque não respondeu a pergunta que o povo mais quer saber: Porque você matou a Daniela Peres? Ele alegou tantos motivos e não falou. Agora vem a parte do cinismo, Ratinho perguntou , porque todo criminoso se torna protestante? Alguém sabe a resposta? O Ratinho ainda acrescentou, porque eu nunca vi um ex-criminoso católico.

  7. vanderley

    “O Ratinho ainda acrescentou, porque eu nunca vi um ex-criminoso católico”.

    A reposta que aprendi (de um amigo) é bastante

    provocativa e polêmica.

    Diz assim:

    O Senhor faz a poda na sua vinha e joga os “galhos secos”
    (é uma outra palavra)

    para o quintal protestante.

  8. Sidnei

    Acredito que todos devem ter uma segunda chance neste vida após ter feito alguma barbaridade como a de um assassinato e até de abuso sexual, porém que é estranho este pessoal que fez estas coisas virarem evangélicos é?, para mim não precisa mudar de religião, igreja ou qualquer outra coisa para apagar o passado, alguém que cometeu algum crime e se converteu deveria ficar no seu canto, calado e convertido, fazendo o bem sem olhar a quem e feliz da vida por DEUS o ter perdoado, agora o que mais é intrigante nesta história toda e com relação aos ataques que a Igreja sofreu nestes últimos dias pelos escândalos dos padres que cometeram abusos sexuais contra menores, e aí vem um monte de evangélicos acusar, agredir, ofender a Igreja Católica, o Papa e a nós católicos em termos gerais, que apoiamos os pedófilos, e aquelas velhas agressões de sempre, que somo idólatras, que somos assassinos, por causa da inquisição, cruzadas, etc. etc. e etc., porém estes mesmos velhacos que dizem isto tudo, se um padre pedófilo após cumprir suas penas na cadeia e viessem a se converter em alguma igreja protestante, eles dariam glórias a DEUS, e fariam a maior propaganda em cima do cara, ou seja, pode se converter podem, desde que na igreja deles, porque se converter e continuar na Igreja Católica, está fadado ao inferno.

  9. Paulo

    Sidney, não questiono a tradição, mas não é estranho questionarmos a doutrina espírita de conversar com os mortos sendo que nós mesmos conversamos? Aí você fala que estes não estão mortos, e sim “vivos” por serem considerados santos pela igreja, mas então os espíritas podem conversar com os santos se quiserem, mas não com os não-santos?

    Sei que você tem uma resposta pra isso, mas o ser humano é muito criativo, pra qualquer questionamento ele pode dar uma “justificativa” plausível, mesmo que baseada em até a mais sutil das informações implícitas em algum registro, mas como ele acredita ele defende como se aquilo fosse suficiente, mesmo que para grande parte a justificativa “plausível” seja insuficiente. E já dizia um professor meu que as “desculpas são âncoras que carregamos na nossa vida”, e as vezes acho que buscamos justificar os detalhes mais ínfimos, sendo que o que verdadeiramente importa é a mensagem de salvação do evangelho e a conversão das almas à Jesus Cristo.

    Ontem estava no drive-thru to mc donalds, aguardando meu lanche, vi um mendigo na esquina e quando ele passou perto do meu carro dei o lanche a ele e fui embora. Chegando em casa pensei que aquele mendigo, que estava praticamente bêbado, precisava de alimento, mas como a mulher adúltera que Jesus ofereceu uma “água que se ela bebesse nunca mais teria sede”, será que era mais importante eu dar o alimento pra ele ou parar e conversar com ele, entender seus problemas, passar a mensagem da salvação? Talvez as duas coisas, não sei.

  10. Candido Rubim Rios

    Mas não se trata de conversão nenhuma, o cinismo é de estarrecer, a frieza então. Eu não sei o que faria se fosse a minha filha assassinada covardemente e com requintes de crueldade, tudo planejado e o pior é que ele ainda foi na delegacia para ajudar nas investigações. Eles vão para essa seita que são na sua maioria picaretas, porque sabem que lá estarão no seu reduto. É por isso que eu não ataco religião nenhuma exceto os protestantes, depois diz que sou preconceituoso, que se danem os assassinos, quem perdoa não sou eu e sim Deus, não tenho essa capacidade e volto a repetir erros todos cometem mas desvios de conduta nem todos.

  11. Sidnei

    “Sidney, não questiono a tradição, mas não é estranho questionarmos a doutrina espírita de conversar com os mortos sendo que nós mesmos conversamos? Aí você fala que estes não estão mortos, e sim “vivos” por serem considerados santos pela igreja, mas então os espíritas podem conversar com os santos se quiserem, mas não com os não-santos?”

    Vou lhe dar uma resposta que não tem nada haver com criatividade, mas sim tem a ver com a fé que nós católicos professamos, não há nenhuma relação entre a prática espírita de evocar os mortos, e a prática católica de pedirmos que nossos irmãos os Santos que estão nos céus orem por nós, ele só podem fazer isto porque sim, estão vivos em DEUS,mas também porque estão unidos a nós em JESUS CRISTO, e NELE que todos nós formamos um só corpo que é a Igreja, e nem a morte pode desfazer tal união, portanto nossa fé é bem fundamentada nas Sagradas Escrituras e na Sagrada Tradição sobre este assunto, para nós católicos comparar a doutrina espírita de evocar os mortos com a doutrina católica da Comunhão dos Santos, o qual dentro desta comunhão possa haver a intercessão de uns pelos outros, inclusive pelos nossos irmãos que estão no céus junto de DEUS e de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, há um diferença abissal.

  12. Sidnei

    “as vezes acho que buscamos justificar os detalhes mais ínfimos, sendo que o que verdadeiramente importa é a mensagem de salvação do evangelho e a conversão das almas à Jesus Cristo.”

    Em nenhum momento a doutrina da Comunhão dos Santos vai contra a mensagem do evangelho e a conversão das almas a JESUS CRISTO, muito pelo contrário, a Comunhão dos Santos só é possivel pela Salvação de CRISTO, é uma consequência das obras de CRISTO, pois deriva da Caridade exercida pelos cristãos que provém do SENHOR, como diz São Paulo em sua carta aos Efésios 2,10: “Somos obra sua, criados em Jesus Cristo para as boas ações, que Deus de antemão preparou para que nós as praticássemos.” e acaridade como diz São Paulo em 1º Cor. 13,8a. jamais acabará.

  13. Jorge Ferraz Post author

    Caros,

    E só lembrando, não existe “conversão a Cristo” possível que não passe pela Igreja que Ele próprio fundou.

    Abraços,
    Jorge

  14. Alien

    O último post do vanderley me trouxe à tona uma dúvida que tenho a muito tempo: por que a maioria dos ex-criminosos, ex-drogados, ex-prostitutas, ex-artistas “exagerados” (pornô entre outros) quendo querem larga a antiga vida viram evangélicos e não retornam então para a fé católica? Vide Carla Perez, Mara Maravilha, etc. (sintam-se a vontade para usarem outros exemplos)…

  15. Renato Lima

    Alien, talvez porque o católico não se julga já estar salvo!

    Repare que todas essas pessoas no exemplo que você deu, quando entram para uma seita protestante, elas já se julgam salvas porque (segundo elas) terem “encontrado Jesus”!

    Acontece que a falsa fé dessas pessoas só está levando-as cada vez mais ao buraco e ao inferno.

    Aparências é do que essas pessoas vivem.

    Eu particulamente conheço pessoas que se diziam católicos e quando entraram para uma seitinha protestante, diziam que suas vidas mudaram pra melhor. Mais quando se conhecia realmente a vida dessas pessoas,… MEU DEUS era um desespero que só!

    Muitoas dessas pessoas vivem de aparência, e para não reconhecerem o erro de não terem seguido corretamente a Doutrina Católica de Cristo Jesus, para elas é mais fácil colocar a culpa em outros (no caso específico, na Santa Igreja). Mas essas mesmas pessoas – contaminadas de relativismos -, irão sempre achar alguém para culpar pelos seus pecados e erros.

  16. vanderley

    Meu caro, Alien , os próprios pseudo evangélicos, andam

    reclamando dessas “conversões”.

    Dizem que estão trazendo problemas.

    Na verdade essas pessoas buscam um escapismo, uma

    alternativa mais fácil, o caminho “largo”.

    Não precisa confessar, cada um faz o que quer , se

    discordar vai para outra “igreja” ou então “funda” uma

    para si.

    Cada um interpreta a Bíblia e faz o seu “livre exame”.

    E tem ainda “livre inspiração” , “unção” de tudo quanto

    é tipo.

    Você tem a doutrina e a “igreja” que se encaixe naquilo

    que quer e pense.

    Self-service é a prática do protestantismo atual.

    Por isso que “vende” bem !!

  17. Carlos

    Como diz o Padre Leonel Franca no estupendo livro “A Igreja, a Reforma e a Civilização”, o protestantismo é o esgoto do catolicismo. Todo católico que não presta vai parar no protestantismo. A minha tese é que existem três tipos de católicos: os bons (que viram santos) os maus (que somos nós) e os péssimos (que não estudam, não praticam e são amicíssimos do mundo). Estes últimos são católicos só pelo batismo e, mais cedo ou mais tarde, vão virar pastor ou pastora de uma espelunca qualquer.

  18. Paulo

    Estimados

    Com relação ao “problema” de pessoas que tiveram uma vida “errada” ou “suja” se converterem vai de encontro com a pregação do próprio Cristo. Acho que as vezes queremos tanto que nossa “verdade” seja absoluta e esquecemos dos ensinamentos mais básicos, que são o fundamento da nossa fé cristã.

    Mateus 21:31-32 “Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram eles: O segundo. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus. Pois João veio a vós no caminho da justiça, e não lhe deste crédito, mas os publicanos e as meretrizes lho deram; vós, porém, vendo isto, nem depois vos arrependestes para crerdes nele.”

    Agora, julgar essas pessoas como se na verdade isso não “se trate de conversão nenhuma”, creio que ninguém aqui está apto a julgar, caso contrário “que atire a primeira pedra”.

  19. Paulo

    “E só lembrando, não existe “conversão a Cristo” possível que não passe pela Igreja que Ele próprio fundou.”

    Jorge, dou graças a Deus que somente Ele pode julgar as pessoas e as suas “verdadeiras conversões”, porque se dependesse de alguns “cristãos” que colocam a posição da sua “Igreja” acima do amor e perdão pregado pelo próprio Cristo, acho que o inferno teria que passar por uma reforma para pelo menos dobrar de tamanho, e eu e muitos outros (católicos, protestantes, meretrizes e publicanos) estaríamos fadados ao fogo eterno.