O assassinato em Jaboatão dos Guararapes e as autoridades eclesiásticas

closeAtenção, este artigo foi publicado 4 anos 6 meses 9 dias atrás.

Esta bomba explodiu enquanto eu estava viajando. Soube do fato, porque fui informado por telefone; não tenho tempo para fazer considerações mais aprofundadas agora porque, senão, perco a visita às igrejas que estava planejando. Por enquanto, só dois documentos e um comentário.

Os documentos: a entrevista publicada no Diário de Pernambuco, da qual destaco:

Se a menina corre risco de vida, o aborto poderia ser uma opção?

Essa decisão é médica, muito mais do que eclesial.

Mas teria apoio do senhor ou o senhor condenaria essa decisão?

Depende do parecer médico, da situação. Não pode radicalizar também as coisas. Às vezes você faz um ato para defender a vida de uma pessoa, então tem sentido.

Então se a criança grávida corre risco de morrer, o aborto deve ser uma opção a ser pensada para preservar a vida da criança?

Depende dos fundamentos. Se houver um consenso médico, de que o caso é comprovadamente necessário, então claro que aí tem que se pensar. Mas em casos onde é possível levar a gestação adiante, se deve preservar as duas vidas.

O outro documento é uma carta, presumivelmente pública (já que está circulando por emails desde o início da semana), que o coordenador-executivo do Comitê Pernambucano da Cidadania pela Vida – Brasil sem Aborto enviou a Sua Excelência. Transcrevo-a na íntegra, abaixo. E, para nossa maior vergonha, o Iraponan nem católico é…

O comentário: um amigo de Recife comentou em outro post que “o que Dom Fernando falou foi bem diferente do que foi publicado (e replicado) nos jornais/sites”. Segundo ele, “[p]arecem estar fazendo com ele o mesmo que fizeram com seu antecessor, editar e distorcer suas palavras para transmitir o que o jornalista/jornal quer, muitas vezes contrário ao que o entrevistado disse”. Ainda não vi os vídeos, mas a hipótese é verossímil e, portanto, é necessário conceder o beneplácito da dúvida. Escrevam a Sua Excelência, sim ([email protected]), mas façam-no com caridade. Por doloroso que seja, não se esqueçam de que estão falando com um Sucessor dos Apóstolos.

Peço orações por Olinda e Recife. Estamos precisando.

A carta de Iraponan Arruda segue abaixo.

* * *

Carta Informal

Att. Dom Fernando Saburido

Querido Irmão em Cristo Jesus, Dom Fernando, hoje escrevo com tristeza para falar do caso da criança de 10 anos que foi estuprada pelo padrasto e engravidou , na cidade de Jaboatão-PE, e nos posicionarmos enquanto Comitê pernambucano da Cidadania Pela Vida – Brasil sem aborto.

Lamentamos que fato desta natureza venha tomando corpo em nosso Estado, sem que se tome providências no sentido da prevenção. Quando o caso aparece só se enxerga um caminho: Assassinar a criança em gestação dentro da outra criança. Mas parece que seja este o único caminho, Dom Fernando Saburido? Nosso código autoriza o assassinato no caso do estupro, mas é certo a Igreja concordar com a legislação assassina? Não seria o ABORTO um ato de TORTURA e ASSASSINATO, e o nosso código penal afrontador dos princípios da moral CRISTÃ?

Meu caro sacerdote, se o real representante de Jesus se colocar contra os princípios apregoados por Ele, para onde irá tal igreja? Um reino que briga entre si não sobreviverá, disse Jesus. Como defender os princípios da vida se nossos líderes silenciam.

Sem a sua ajuda, meu nobre representante da Santa Igreja, o movimento contra a legalização do aborto em nosso Estado e no Brasil perde o equilíbrio. Grupos como Sim à Vida, da Pastoral Familiar, Associação Jamais Abortar, Grupo Celebre a Vida, Pastoral da Criança, CIRCAPE, AME-EPE, Javé são algumas das mais de 30 instituições formadoras do Comitê Pernambucano da Cidadania Pela Vida – Brasil sem Aborto. Todos nós contamos com a postura Cristã, dos nossos representantes e líderes da Igreja.

Não quero aqui ser inoportuno nem indelicado ao comentar a opinião do nobre irmão a cerca do caso acima citado, mas deixo a mensagem bíblica falar em nome dos cristãos de Pernambuco:

O que diz a Sagrada escritura a cerca do ABORTO:

-  Jeremias 1:5 “Antes que eu te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da mãe te santifiquei; às nações te dei por profeta.”

- O mandamento de Deus proíbe tirar a vida em Êxodo 20:13 “Não matarás.”

- Jó 31.15 diz: “Aquele que me formou no ventre materno, não os fez também a eles? Ou não é o mesmo que nos formou na madre?”

- Em Jó 10.8,11 lemos: “As tuas mãos me plasmaram e me aperfeiçoaram… De pele e carne me vestiste e de ossos e tendões me entreteceste”.

- O Salmo 78.5-6 revela o cuidado de Deus com os “filhos que ainda hão de nascer”.

- O Salmo 139.13-16 afirma: “Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no seio de minha mãe. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste… Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos me viram a substância ainda informe”.

Lucas 1 (39 à 44):

E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá,
E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre.
E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?
Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre.

CONCLUSÃO:

Todos esses textos bíblicos acima Dom Saburido, e muitos outros, indicam que Deus não faz distinção entre vida em potencial e vida real, ou em delinear estágios do ser – ou seja, entre uma criança ainda não nascida no ventre materno em qualquer que seja o estágio e um recém-nascido ou uma criança. As Escrituras pressupõem reiteradamente a continuidade de uma pessoa, desde a concepção até o ser adulto. Aliás, não há qualquer palavra especial utilizada exclusivamente para descrever o ainda não nascido que permita distingui-lo de um recém-nascido, no tocante a ser e com referência ao seu valor pessoal.

Esses textos bíblicos Dom Fernando revelam os pronomes pessoais que são utilizados para descrever o relacionamento entre Deus e os que estão no ventre materno, claro que tudo isso o Senhor já sabe.

Esses versículos e outros (Jeremias 1.5; Gálatas 1.15, 16; Isaías 49.1,5) demonstram que Deus enxerga os que ainda não nasceram e se encontram no ventre materno como pessoas. “Não há nada nas Escrituras que possa sugerir, ainda que remotamente, Dom Fernando, que uma criança ainda não nascida seja qualquer coisa menos que uma pessoa humana, a partir do momento da concepção”

À luz do acima exposto, precisamos concluir com muito zelo e carinho meu caro Pastor Católico, que esses textos das Escrituras demonstram a vida humana pertencendo a Deus, e não a nós, e que, por isso, proíbem o aborto. A Bíblia ensina que, em última análise, as pessoas pertencem a Deus porque todos os homens foram criados por Ele. Desta forma, não cabe a um representante cristão dar suas opiniões pessoais quando o assunto é de ordem divina, entende?

Que Deus, meu Irmão Fernando, em sua Santa Misericórdia, continue encontrando espaço no teu coração para fazer brotar, cada dia, a sabedoria, a paz, o amor e fraternidade real.

Paz e Vida!!!!

Iraponan Chaves de Arruda Coordenador Executivo
Comitê Pernambucano da Cidadania Pela Vida- Brasil Sem Aborto

“Na luta em defesa da vida, só temo o silêncio dos bons”

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

22 comentários em “O assassinato em Jaboatão dos Guararapes e as autoridades eclesiásticas

  1. Maria das Mercedes

    Iraponan não tentou salvar a vida desse bebê no ventre materno por quê? Circulou em todos os jornais e ele, que estava aí em Pernambuco, sentou-se, dormiu, comeu (talvez estivesse num churrasco no sábado quando fizeram o aborto) e, depois, fala? Ele é o presidente de uma comissão contra o aborto! Que [CENSURADO] ele fez?

    Movimento pró-vida está cheio de gente inútil que só fala, fala, fala, ou chora pelo leite derramado tanto da Igreja Católica quanto dos Centros Espíritas.

  2. Pingback: Outra menina, outro aborto, outro bispo « Vida sim, aborto não!

  3. Artur

    É importante nós não nos igualarmos aos hereges do grupo ´´Igreja Nova´´. Devemos sempre manter o devido respeito com o nosso arcebispo e não escandalizar a sua imagem.

  4. William Murat

    Jorge:

    As respostas de D. Saburido que constam no site do jornal e que vc deu destaque são um completo desastre.

    Contudo, é estranho que as partes polêmicas não apareçam no vídeo. Conhecendo o histórico de desinformação do referido jornal, fiquei com a pulga atrás da orelha.

    Seria muito bom que D. Fernando Saburido confirmasse ou não as respostas que foram dadas e que não aparecem no vídeo.

    Apesar de revoltado com o que li e até achar difícil que um jornal coloque palavras na boca de um bispo de forma tão explícita, ainda quero dar o benefício da dúvida para o bispo.

    Mas mesmo esta dúvida tem um limite, pois já se passaram 3 dias da publicação da reportagem e não se tem informação de qualquer desmentido por parte do bispo. Se alguém tiver tal informação, faria muito bem em trazê-la.

    []’s

  5. vanderley

    Que horror !!!

    Se as palavras do Bispo foram deturpadas ele deveria exigir,urgentemente, o mesmo espaço para que não pairassem dúvidas sobre as suas opiniões.

  6. Captare

    Caríssimos no Cristo, Laudetur Dominus!

    Não podemos esquecer que devemos antes respeito a Deus do que aos homens. Não sei se repararam, mas D. Fernando usou um método típico dos modernistas: deu voltas, enrolou, embromou e mesmo assim, os conceitos mais escandalosos ficaram expressos por palavras dúbias.

    Algumas pessoas precisam deixar de lado essa ilusão infantil de que respeito é a mesma coisa que omissão. A obediência e reverência que devemos a um bispo é justamente por ele ser o guardião da fé e da moral cristãs. Quando ele não o é, quase nada resta de sua dignidade episcopal.

    Pax et Salutis

  7. karina

    Houve uma época em que eu era a favor do aborto em caso de estupro. Oh, ainda mais nessa situação, uma criança-mãe!!!

    Mas aí, quando eu engravidei, numa circunstância que não foi um estupro, mas também não foi o ato mais lindo de amor entre um casal, eu vi que uma criança no ventre não deixa a gente nem lembrar como ela foi concebida.

    Claro, conceber um filho num ato conjugal repleto de amor e respeito deve ser infinitamente melhor.

    A criança concebida era tão vítima quanto a menina, e foi condenada a morte, sem direito de defesa, enquanto o estuprador (se for pego) terá direito à ampla defesa e pegará alguns anos de prisão, podendo até ser liberado antes. Grande meleca de justiça é feita nesse caso! Tenho vergonha desse senso de justiça barata.

    Recomendo a todos que leiam o texto “Vítor, o menino que venceu José Serra”, disponível no sítio http://www.providaanapolis.org.br pelo link Aborto e Estupro.

    Se o bispo ficou com “medinho” de ser taxado de louco como Dom Odilo, oh dó!

  8. Anderson Macena

    Eu, sinceramente, gostaria muito de duvidar dessa entrevista, mas, no ano passado na entreevista que o arcebispo deu antes de sua posse no Mosteiro de Sao Bento eu escutei com meus proprios ouvidos que ele disse que caso acontecesse isso com ele, ele seria mais pastoral.
    Fiz de conta que nao entendi o nivel de pastoralidade ao quaol se referiu nosso arcebispo, mas, infelizmente pouco mais de um ano apos o caso Alagoinha somos deparados com o mesmo caso e com o uma declaração dessa do Arcebispo.Que saudades do leao de Olinda.

  9. Wilson

    Carissimos

    Dom Fernando foi muito feliz e é essa a posição da igreja, pena que tantos NÃO católicos não sejam esclarecidos.
    A Igreja Católica Apostólica Romana é sempre a favor da vida. Em caso de risco real de morte da mãe e se o aborto possibilitar salvar sua vida, então própria mãe (se estiver consciente) ou seu responsável e (na ausência destes ou emergência imediata) a autoridade médica, pode decidir pelo aborto que neste caso sequer seria pecado mas obra de salvação.
    Se o parecer médico for falsificado para justificar o crime, ao médico ou ao falsificador seja imputado o pecado.

  10. Pedro

    Acho importante ressaltar que nesses casos a única preocupação da imprensa vem sendo de deixar mal a Igreja; ninguém pede a punição do sujeito que violou a menor. No caso de Alagoinha foi a mesma. Ninguém sabe o concubino da mãe dela está preso ou se responde a processo.

  11. manoel carlos

    O comnetário acima é errado: a Igreja não admite o aborto em ocasião alguma!
    matar um inocente é crime perante Deus! Nenhum Santo nunca admitiu isso. A opinião do desinformoado acima padece de leituras católicas. Acho que só vive lendo os livrinhos de Boff e fri beto. Que miséria para um pseudo catolico.

  12. Maria das Mercedes

    O que os abortistas fazem? Induzem pessoas simples a fazerem abortos, mesmo contra sua vontade através da mentira: dizendo que a menina corre risco iminente de morte.

    O que os pró-vida fazem? Descobrem o caso. Leem os jornais. Ficam sentados esperando o aborto ser realizado: “com a boca aberta, esperando a moooooorte chegar”.

    Depois:

    -Lamentam-se pela vida perdida do bebê no ventre materno;

    -Observam as declarações dos que deveriam ser fiéis à instituição que pertencem;

    -Falam também suas opiniões, criticando as bobagens ditas.

    Resultado de tudo: discurso, palavras vazias.

    Realidade: todos são um bando de acomodados que só servem para dar palestras (vazias de ação), ou fazer passeatas, ou festas (para se aparecer), ou iêiêê…

    Tentar salvar a vida da criança no ventre materno? Nem passa pela cabeça das lideranças pró-vida. Eles assistem o caos e se conformam em fazer discursos (vazios). Quantas vidas o Sr. Iraponan salvou? Quantas vezes tentou intervir nesses casos delicados? Não… Isso, definitivamente, não é sua função, sua função é discursar, eventualmente, pode ser que ele receba uma mensagem do além da criança que foi abortada (para os espíritas crianças nascituras sabem ler e eles escrevem tudo o que elas dizem), então, ele pode se colocar no lugar dessa criança e MAIS UMA VEZ: lamentar, chorar pelo leite derramado e, no seu caso, esperar para encontrar com ela numa próxima reencarnação. Como todos podem ver, tudo isso é super útil.

  13. Laerte Rodrgues

    Seria bom que Wilson dissesse em quais documentos da Igreja ele apóia suas afirmações. Pelo que sei o aborto diretamente provocado é sempre pecado mortal, punido com excomunhão automática para todos que participaram do crime. Nem mãe, nem responsável, nem autoridade médica, nem ninguém tem autoridade para permitir ou executar um aborto. Diferente é o caso de um aborto ocorrer indiretamente (não foi provocado, nem desejado!) por causa de um processo de tratamento da mãe.

  14. karina

    Maria, quem disse que as lideranças pró vida não agem? Aqui no Estado, o grupo pró vida conseguiu que uma mãe abrisse mão do “direito” de matar o filho anencéfalo.

    Dom Cardoso (eu troquei o nome sem querer no post lá em cima) lutou muito pela vida dos gêmeos de Alagoinhas.

    Padre Lodi, esse nem se fala. Se for preciso, ele mesmo faz o enxoval do bebê.

    Esse caso ainda não sei como foi a atuação do grupo pró vida nesse caso.

    Infelizmente, muitas vezes os filhos das trevas têm uma “esperteza” que os filhos da luz não tem. Uma esperteza para o mal.

    Isso significa que o lobby deles é maior, eles conseguem fazer mais pressão simplesmente porque o governo e a mídia estão do lado deles. Aí fica difícil.

    E, sim, o que resta é os pró vida chorarem, sim, pela morte do bebê, e tentarem alertar a sociedade. Só que a mídia faz questão de colocá-los como um bando de desalmados sem coração, que não pensam no bem estar da menina.

  15. Maria das Mercedes

    Karina,

    Temos um caso de grande projeção da mídia. Vocês que são apaixonados por aparências (bispos e padres com belos discursos, espíritas que dão lição de moral com belos discursos, etc, etc, etc) não percebem a essencia. Que diferença faria um bispo que lavou as mãos ante um caso escandaloso que saiu em toda a mídia dizer que “excomunga os aborteiros”? Com isso, ele ganharia tempo para salvar a vida da criança no ventre materno? Não: porque ele só avisaria da excomunhão depois do crime consumado.

    Talvez deixasse o pessoal das aparências felizes com tal declaração. Mas o importante nesse caso era tentar salvar a vida da criança no ventre materno. Ganhar tempo para salvá-la. E enfim, salvá-la, fazer o possível.

    Discursos não servem para nada. Precisamos de ação. As lideranças pró-vida do Movimento Brasil sem Aborto, formado por maioria espírita, nunca tomam atitude nenhuma. Atitudes assim são tomadas esporadicamente por uma pessoa ou outra (como o incrível caso de D. José Cardoso Sobrinho, que ainda não foi hábil).

    A posição do bispo atual de Pernambuco foi certeira desde quando ele não moveu um dedo para tentar salvar a vida do bebê. O que ele vai dizer depois, se é deprimente ou não, já não importa também. Ele já disse a que veio com suas atitudes zero.

    Mas se é aparência do que você gosta, ou qualquer um que não percebe o óbvio: peça bons discursos e boa aparência que, definitivamente, não mudam a realidade.

    A Atitude desse espírita é de vomitar. Se ele não percebe que é um roto falando do rasgado, é outra tristeza, porque está feliz em dar lição de moral vazia em um bispo. Realizou-se o espírita e a leva dos “boa aparência”.

    Infelizmente, muitas pessoas “filhas da luz”, são muito acomodadas.

  16. Sérgio

    Mais uma vez, eu escrevo: por mais que a gente não queira dar o braço a torcer, é por isso que a Igreja mostra que sexo só depois do casamento e casamento é sacramento eterno.

    Essa mulherada casa de qualquer jeito, e separa de qualquer jeito (e muitas vezes por pura frescura), depois quan do a fome aperta e elas não sabem fazer coisa alguma(ou não querem saber), escolhe qualquer um para lhe sustentar e sustentar seus filhos.

    Como é qualquer um, pode ser um tramendo estuprador, mas e dai, ele faz o serviço na mãe e na filha. Se engravidar, é culpa da filha que quis rivalizar com ela: ou expulsa a menina de casa ou procura uns hereges boca-mole para fazer o aborto.

    Se nasce a criança, é mais um filho de Deus a sofrer com as burradas dos adultos. Rezo a Deus que nos livremos desse mundo tão cruel e hedonista.

  17. karina

    Sérgio, e ainda tem gente que acha que esse negócio de casamento é besteira, que separar e casar de novo não faz mal nenhum, que a criança aceita bem esse negócio de dois “pais”, duas “mães”… Deus tenha misericórdia!

  18. karina

    Maria, você conhece o caso de Alagoinhas? Dom José Cardoso Sobrinho não lavou as mãos e apareceu só depois dos bebês serem abortados, não!

    Você não conhece a história toda, você é que está deixando se levar apenas pelo que saiu na mídia. Vá ao site do Padre Lodi e leia a história completa, sem “aparências midiáticas”.

    Como eu disse, infelizmente os lobbys aborteiros são grandes e agéis, e agem na surdina. Porém, nada é oculto para Deus.

  19. Pingback: Deus lo Vult! » Nota de Esclarecimento – Dom Fernando Saburido

  20. Maria das Mercedes

    Karina,

    Eu sei da história toda. Sei de tudo o que v. está falando. Você sabe quantas histórias de aborto acontecem cada dia?

    Não é só uma. Se você for atrás, vai saber de dezenas. Uma história não muda as outras. Tem-se de continuar lutando diante das outras histórias. É uma coisa que não tem fim.

    Saber de muitas histórias. Ficar lendo histórias, comentando blogs, é tudo isso muito confortável. É sempre mais confortável assistir a vida (ou a morte) passar. Difícil é levantar-se e tentar fazer alguma diferença prática.

    Você sabe quantos movimentos pró-vida existem no nordeste? Quase nenhum, só uns gatos-pingados. Você sabe quantos movimentos abortistas existe só no Recife? Dezenas. Você sabe quanto é pesadamente financiado esses movimentos? Com milhares de dólares por ano. Você sabe o que fazem os católicos, os menos ruins? Reclamam da lei. Sabe quantos desses tentam salvar a vida das crianças? Uns gatos-pingados.

    Reclamar, elogiar, nada disso muda a realidade. O que mudaria era salvar a vida das crianças, fazer o possível para isso.

    Porque a Letra Mata, o Espírito é que Fortifica.

  21. Amy

    Mais uma vez, eu escrevo: por mais que a gente não queira dar o braço a torcer, é por isso que a Igreja mostra que sexo só depois do casamento e casamento é sacramento eterno.

    Essa mulherada casa de qualquer jeito, e separa de qualquer jeito (e muitas vezes por pura frescura), depois quan do a fome aperta e elas não sabem fazer coisa alguma(ou não querem saber), escolhe qualquer um para lhe sustentar e sustentar seus filhos.

    Como é qualquer um, pode ser um tramendo estuprador, mas e dai, ele faz o serviço na mãe e na filha. Se engravidar, é culpa da filha que quis rivalizar com ela: ou expulsa a menina de casa ou procura uns hereges boca-mole para fazer o aborto.

    Se nasce a criança, é mais um filho de Deus a sofrer com as burradas dos adultos. Rezo a Deus que nos livremos desse mundo tão cruel e hedonista.

  22. Iraponan Arruda

    Está em curso uma estratégia internacional, liderada pelos Estados Unidos e ONU, que visa a diminuição da população POBRE da América Latina, para que esta não ameace a vida do cidadão dos países ricos, devido a futura falta de água e comida no Planeta. A idéia é diminuir a população mundial em 50% até o ano 2050. Uma das formas econômicas e rentáveis de se fazer isso é através da legalização do ABORTO em países pobres e de predominância NEGRA. O Brasil também é alvo prioritário por ser um mercado financeiramente promissor para as indústrias do ABORTO, que vem investindo milhões para que esse INFANTICÍDIO seja legalizado no País. (Veja sites sobre RELATÓRIO KISSINGER).
    Com este pensamento, está tramitando em Brasília, para ser votado pelos Deputados e Senadores, o Projeto de Lei nº 1.135/91, cuja idéia é autorizar o assassinato de crianças ainda na barriga da mãe até o nono mês, por qualquer motivo, sem nenhum respeito à MULHER nem a vida iniciada.
    Os organismos internacionais usam, entre outros argumentos, “que é melhor legalizar o ABORTO no Brasil do que criar RATOS nas favelas”, uma referência explícita de que a idéia é diminuir a população brasileira, matando aqueles que são considerados “um problema”: o filho do POBRE, de maioria NEGRA e dos que eles consideram MISERÁVEIS MORADORES DAS FAVELAS.
    O Movimento Nacional da Cidadania Pela Vida – Brasil Sem Aborto, preocupado com a tramitação da PL 1.135/91, lança em Pernambuco, através do Comitê Pernambucano da Cidadania Pela Vida (CPV-PE), a campanha permanente: “A VIDA DEPENDE DO SEU VOTO”
    É uma campanha de natureza suprapartidária, que nasceu da compreensão de que está na hora de nós Pernambucanos, seguindo o curso de nossa história vanguardeira de luta, dar um basta nessa idéia de autorizar no Brasil a morte de nossas crianças ainda na barriga da mãe. É a hora adequada para construirmos na Assembléia Legislativa do Estado e no Congresso Nacional, uma maioria de Parlamentares que digam NÃO ao ABORTO e a esse projeto que não respeita nem mesmo a Sagrada Maternidade, e que discrimina a maioria do povo brasileiro, que é de origem negra, pobre, de classe operária, mas de uma dignidade e criatividade tal que nenhum país do mundo pode superar.
    Portanto, nas PROXIMAS ELEIÇÕES, além dos critérios de honestidade, ética, competência, e compromisso com a melhoria de vida do povo, vamos também acrescentar mais este importante critério na escolha dos nossos candidato (as), que é a “DEFESA DA VIDA”.
    Entre no site ( http://www.brasilsemaborto.com.br ) e veja os candidatos que disseram SIM à VIDA.

    “Ele (eles) vem para Roubar, Matar e Destruir. Eu venho para que todos tenham vida, e vida em abundância.” (Jesus)
    Por ser um dom de Deus, a vida pede respeito.
    A VIDA DEPENDE DO SEU VOTO!

    Iraponan Arruda
    Coordenador Executivo
    Brasil Sem Aborto – Pernambuco

Deixe um comentário: