Sobre Catolicismo e Protestantismo – pe. Leonel Franca

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 4 meses 10 dias atrás.

Que o Salvador tivesse conferido ao Colégio apostólico a mesma plenitude de poderes que a Pedro, já o sabíamos; não é novidade descoberta pelo Sr. ERNESTO que à p. 27 da IRC [N.E.: “Igreja, Reforma e Civilização”, livro anterior do jesuíta] poderia ler como “não há nenhuma incompatibilidade entre estas duas verdades. Um soberano diz a um general: “General, confio-te todo o meu exército. Tens plenos poderes para dirigir energicamente a campanha e levar a pátria à vitória. Tudo o que fizeres para defender a nação desde já o sanciono como se por mim fôra feito”. Dias depois fala o mesmo soberano ao estado-maior no meio do qual se acha o generalíssimo escolhido: “Confio-vos o meu exército. Tendes plenos poderes para dirigir energicamente a campanha, etc.” Que hermeneuta sofista haverá aí que pretenda inferir das últimas palavras do soberano que já não há generalíssimo no exército e que a plenitude do comando foi estendida a cada um dos oficiais presentes? Quem poderá sustentar sensatamente haver incompatibilidade entre os poderes do Estado-Maior e a chefia de um só? Ninguém. Ambas as expressões são, não só conciliáveis, mas apresentam juridicamente tôda a exatidão desejável. Diz-se em rigor de direito que um corpo moral possui todos os poderes de que se acha investido o seu chefe. Por que esquecer esta regra de senso comum quando se trata de interpretar o Evangelho para fantasiar contradições que não existem”, etc., etc. Como se vê, Sr. ERNESTO, a sua objeçãozinha já havia sido considerada e resolvida. Por que repeti-la teimosamente como se nada se houvera dito? É isto discussão sincera? desejo real de conhecer a verdade ou obstinação de preconceitos irredutíveis?

Não, tratemos a palavra de Deus com mais submissão e reverência. Em S. MATEUS, c. 16, diz Cristo só a Pedro: “tudo o que ligares na terra será ligado no céu…” Logo, Pedro só tem a plenitude dos poderes na Igreja de Deus. Em S. MATEUS, c. 18, diz Cristo aos seus apóstolos com Pedro: “tudo o que ligar[d]es na terra será ligado nos céus…” Logo, no Colégio apostólico com Pedro, reside também a plenitude dos poderes eclesiásticos. Eis o Evangelho. E o catolicismo ensina que no Papa só, sucessor de S. Pedro, reside a plenitude dos poderes, e que no corpo episcopal em união com o Papa – sucessão do Colégio apostólico com Pedro – se acha igualmente a mesma plenitude de jurisdição [N.E.: registro que isto foi escrito mais de dez anos antes da Lumen Gentium…]. Eis a Igreja Católica. Entre a palavra de Cristo e a constituição de sua Igreja fiel, a equação é perfeita. Que fizeram os protestantes das duas grandes palavras do Senhor? Atiraram uma contra a outra e destruíram ambas. No protestantismo não há nem uma pessoa nem um corpo moral com plenitude de poderes delegada por Cristo para ligar e desligar. Evidentemente, não nos achamos em face da Igreja fundada pelo Salvador.

[Pe. Leonel Franca, “Catolicismo e Protestantismo”, p. 31. 43-45. Ed. Agir, Rio de Janeiro, 1952]

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

24 thoughts on “Sobre Catolicismo e Protestantismo – pe. Leonel Franca

  1. Paulo

    Interpretação católico romana conhecida por todos dos únicos versículo que justificativam a sucessão de Pedro, fato este nunca mais mencionado na bíblia, somente existente na tradição católica…

    Qual o objetivo dessa matéria? Exaurir esta mensagem tão simplória comparada à mensagem da cruz, mensagem da salvação de Cristo?

    O que é mais importante, seguir as centenas de mensagens e orientações voltadas à santificação e vida cristã para alcançar a salvação de nossas almas ou simplesmente discutir quem é detentor da “plenitude de poderes” delegada por Cristo? Enxergar as centenas de milhares de pessoas que tiveram suas vidas transformadas pela graça de Deus, sejam católicas ou protestantes e dar continuidade a este trabalho, ou “bloquear” protestantes porque pensamos que eles não seguem uma doutrina baseada em pura vaidade humana?

  2. Jorge Ferraz Post author

    Paulo,

    1. Esta mensagem não é “simplória”, é fundamental, porque se Nosso Senhor fundou uma Igreja com um Pastor Supremo apascentar todas as Suas ovelhas, quem não está sob este cajado não pertence ao redil das ovelhas de Nosso Senhor.

    2. Pelo motivo acima exposto, é completamente impossível batalhar pela “salvação das almas” antes de decidir se é ou não necessário a esta salvação que as almas façam parte da Igreja fundada por Nosso Senhor.

    3. As doutrinas baseadas “em pura vaidade humana” e que, por isso, levam as almas para o inferno são as doutrinas inventadas pelos “Reformadores” do século XVI! Decida: é para a gente se preocupar com a salvação das almas (e, portanto, desmascarar o protestantismo) ou não?

    Abraços,
    Jorge

  3. Jorge Ferraz Post author

    Ah!

    4. É simplesmente falso que o primado de Pedro esteja baseado somente neste versículo. O Novo Testamento inteiro dá testemunha incontestável deste Primado.

    Abraços,
    Jorge

  4. Paulo

    Jorge

    Em Gl 2:1-14, Paulo deixa claro que sua autoridade não é inferior a dos outros apóstolos, inclusive Pedro.

    Sidney

    Li as 50 “provas” com atenção, mas todas elas são apenas implícitas, e se utilizar a mesma regra para classificar os feitos de Paulo que são de mesma maneira únicos se comparados aos de Pedro, poderíamos entrar em uma discussão de quais feitos são mais ou menos importantes. Claro que essa discussão seria completamente contraprodutiva e ninguém sairia vencedor unânime, senão pelas suas próprias “convicções”.

    Quando falamos de religião, assuntos como esse entram como “tabu”, e a simples menção de uma opinião contrária já parece suficiente para “excomungar” o herege que pensou assim. Mas não é assim que funciona, principalmente porque a causa a se defender, por não ser a fonte da nossa fé cristã, nunca pode ser colocada como mais importante do que os ensinamentos do próprio Jesus, e estando o cristão em acordo com o que Ele pregou certamente não seremos nós que vamos desclassificar ou classificar algum cristão, seja católico ou protestante.

  5. Jorge Ferraz Post author

    Paulo,

    Muito pelo contrário, caríssimo. A passagem da carta de São Paulo aos Gálatas dá um eloqüente testemunho em favor da autoridade de São Pedro. “Quem tiver ouvidos…”

    E ninguém aqui está falando em “fatos únicos”, mas sim numa primazia implícita e explícita concedida por Nosso Senhor a São Pedro.

    E isto é um dos ensinamentos de Nosso Senhor. Insisto num ponto que pareces não ter percebido: saber se a Igreja por Ele fundada possui um Pastor visível é condição para que se possa discutir qualquer outra coisa.

    Afinal, se não existe o primado de Pedro, eu estou em franca desobediência a Nosso Senhor. Se existe, os protestantes estão fora do rebanho de Cristo. Tu não percebes a importância capital desta discussão?

    Abraços,
    Jorge

  6. Paulo

    Jorge

    Sua clareza e franqueza realmente surpreendem, por isso não consigo deixar de acessar o seu site diariamente, por perceber a sua sincera devoção à esta causa, quisera eu ter metade dessa garra para defender as minhas próprias.

    Voltando ao assunto de nossa conversa, saiba que eu realmente entendo o teor da discussão, e a severidade da situação se de fato um de nós estiver certo e outro errado com relação a este tópico.

    Agora com relação à autoridade que Jesus tenha oferecida a Pedro segundo a interpretação, de qualquer forma não pode ser a base de nossa fé. A nossa fé não pode estar baseada em homens, pecadores, e sim somente em Cristo nosso Senhor e salvador. Mesmo que haja católicos no “rebanho de Pedro” e protestantes “fora do rebanho”, sei que o rebanho mais importante é o rebanho de Cristo, e é nesse rebanho que eu espero estar dentro, do qual até bandidos, prostitutas e publicanos foram aceitos em situações que muitos de nós certamente os deixaria para trás.

    Opto por engrandecer o Criador em detrimento da criatura, e por buscar a santidade e perfeição, que nunca alcançarei nesta vida, mas que com a graça de Cristo um dia terei no céu ao Seu lado, se nesta causa permanecer “fiel até a morte”.

  7. Sidnei

    Pois é Paulo, só que entre os ensinamentos de CRISTO, está também o primado de Pedro, ou se leva a sério todos os ensinamentos de CRISTO, ou seremos uns meros relativistas que só pinçam da Bíblia aquilo que mais vai ao encontro do que queremos e não o que quer o SENHOR, e quanto as 50 provas do primado de Pedro afirmar que não significam nada para você, tudo bem, somente alguém com tamanha teimosia para não enxergar o óbvio de que São Pedro era sempre o primeiro em tudo e que tinha preeminência sobre os demais apóstolos, porém sua opinião para nós católicos não conta em nada o que conta são estas 50 provas que dão mais razão a nós católicos do que o jogo de cintura que vocês protestantes fazem para contestar o óbvio.

  8. Candido Rubim Rios

    DEFENDO A IGREJA COM P. IZEL

    Nota do autor:

    Caro Leitor católico, o artigo abaixo é de apologética católica. Hoje existe uma carência muito grande de defesa da santa igreja contra os filhos de LUTERO.

    O NÚMERO DE LIVROS DA BÍBLIA PROTESTANTE E A PASSAGEM DE JOÃO 6, 66

    Jô 6,66 é o único versículo do NT que contem 666. É interessante a relação que existe entre esse número “666” e a Separação ou Divisão, ocorrida no seio do grupo, dos primeiros seguidores de Jesus , que formavam o EMBRIÃO da IGREJA.

    O versículo, Jo 6,66 fala dessa separação que ocorreu por que um a parte do grupo de discípulos não acreditou n a transformação do Pão e do vinho na Carne e Sangue de Jesus, pelo fato de não ter ocorrido uma transformação visual, Jo 6,60 “ . Mais tarde São João em sua primeira epístola 1Jo 2,18-19 define um nome para esses apóstatas de Jô 6,66 e seus descendentes 1517 anos depois, quando diz: “ Filhinhos, a última hora chegou. Vocês tem ouvido dizer que o Anticristo deve vir; e já agora tem surgido muitos anticristos: por aí reconhecemos que a última hora chegou. Eles saíram do nosso meio mas não eram dos nossos. Se fossem dos nossos teriam ficado conosco. De fato os discípulos citados em Jô 6,66 saíram do meio do grupo que seguia Jesus, mas eles não eram verdadeiros seguidores de Cristo, senão teriam ficado com Jesus e os doze. Esse passagem mostra a relação dos três números “6” do trecho de JO 6,66), e a separação entre os discípulos, que demarca a primeira DIVISÃO ocorrida na igreja que Jesus acabara de fundar. Observe com atenção, que o número de livros da bíblia protestante ( Criada por Lutero ), tem o mesmo número do versículo, que fala da divisão encabeçada pelos discípulos que negaram que o Pão Eucarístico após a bênção se transforma na carne de Jesus.

    No trecho JO 6,66 – o primeiro “ 6 “ é o seis do capítulo que contém três temas cruciais : A PROVA DA PRESENÇA REAL de JESUS NA EUCARISTIA (JO 6,51). A “NEGAÇÃO da EUCARISTIA“ JO 6,60. E JO 6,66 alguns discípulos negam as palavras de Jesus e se separam Dele. Esse grupo de discípulo seguia Jesus juntamente com os doze, mas se escandalizou e negou a transformação Eucarística: ” Desde então muitos de seus discípulos se separaram e não o seguia mais” . Essa negação e a Separação constituem uma blasfêmia imperdoável, pois esta Igreja também é obra do Espírito Santo. E finalmente quem dividiu a igreja e negou a eucaristia em 1517 também era um falso discípulo, como aqueles de Jo 6,66. Esse discípulo do século XVI alem de negar Jesus Eucarístico arrastou consigo, 1/3 parte da cristandade. Conseguiu colocar imperfeição na palavra de Deus escrita, excluindo desta sete livros para tornar seu número imperfeito. Os 66 Livros da bíblia protestante, surgiram após Lutero também se separar de Jesus em 1517. O número 66, de livros da bíblia protestante, coincide exatamente, com o número do versículo 66 do capítulo 6 do livro de São João, que fala de discípulos que se separaram de Jesus porque negaram ser o pão servido na Santa Ceia a Carne de Jesus.

    Importantíssimo para nos católicos saber que: até o ano de 1.500, a única Bíblia Cristã existente na face da terra era a Bíblia Católica! Foi Martinho Lutero, um ex-sacerdote, excomungado pela Igreja, que, ao criar a “sua” igreja, denominada de “Igreja Luterana”, forjou a “sua bíblia”, tomando a Bíblia Católica sem os SETE LIVROS citados anteriormente, que passou desde então a ser chamada de “bíblia protestante”. Aliás, a Bíblia que os Apóstolos e Evangelistas nos deixaram contém exatos 73 livros. Martinho Lutero, simplesmente tirou SETE LIVROS DA BÍBLIA CATÓLICA e “fez” assim a “sua bíblia protestante”, contendo 66 Livros. Ora, todos sabemos que o número de satanás é 6(Seis). Sabemos que é ele (satanás) quem causa divisão e discórdia no Povo de DEUS através da mentira e da acusação. Portanto, Martinho Lutero foi um instrumento que o maligno usou para tirar milhões de criaturas da presença (física) de Deus na Eucaristia, convencendo-os a nega-la. A negação da eucaristia é na verdade uma negação de Jesus. Concluindo: o número de Martinho Lutero é 6 (seis) e a “sua bíblia” tem 66 (sessenta e seis) livros, o que dá o número 666…… o que pensar diante disso?

  9. Sidnei

    “Agora com relação à autoridade que Jesus tenha oferecida a Pedro segundo a interpretação, de qualquer forma não pode ser a base de nossa fé. A nossa fé não pode estar baseada em homens, pecadores, e sim somente em Cristo nosso Senhor e salvador.”

    Mas a nossa fé está baseada em CRISTO por isto cremos no primado de Pedro, pois foi ELE, que constituiu Pedro pastor universal da Igreja, as 50 provas do primado de Pedro confirmam isto, o fato é que alguns querem tirar tal primado da fé em CRISTO, para transformar em algo puramente humano, isto é uma grande contradição, pois se cremos em CRISTO,tudo o que ELE fez e ensinou, devemos também crer que ELE deixou um pastor visível e universal a frente de sua Igreja, e demais pastores (apóstolos) auxiliares de Pedro, e Pedro foi sucedido por demais pastores o qual chamamos de Papa, porém é verídico, não é nenhuma interpretação pessoal e muito menos crença humana, mas está relacionado a tudo o que CRISTO fez , ensinou e deixou, ou seguimos tudo o que ELE ensinou e deixou, entre eles o primado petrino, ou seguiremos a CRISTO pela metade.

  10. Sidnei

    “Li as 50 “provas” com atenção, mas todas elas são apenas implícitas, e se utilizar a mesma regra para classificar os feitos de Paulo que são de mesma maneira únicos se comparados aos de Pedro”

    São Paulo sempre foi juntamente com São Pedro considerado as duas colunas da Igreja, porém as 50 provas do Primado Petrino, indicam que São Pedro sempre foi o primeiro em tudo, São Paulo venho depois, se muitas das ações de São Paulo foram semelhantes as de São Pedro isto não invalida em nada o primado de São Pedro, pois o que se entende por primado, quer dizer sempre o primeiro, e isto é atestado veridicamente pelas Sagradas Escrituras.

  11. Paulo

    Cândido

    Esse texto é famoso na internet, mas a pregação de Jesus, como muitas outras feitas por Ele, incluem “metáforas”, as quais a poucas pessoas se davam entender, e inclusive hoje ainda há muitos que não compreendem.

    Leia:

    João 6:63 – O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.

  12. Paulo

    Sidney

    Não acho que sigo a Cristo “pela metade”, muito pelo contrário, sigo somente as palavras dEle, e deixo interpretações de lado, pois só Ele é o “caminho a verdade e a vida”, e ninguém vai ao Pai senão por Ele.

    Pedro foi apóstolo, Paulo foi apóstolo, assim como os demais 10, que tiveram uma missão especial e única de iniciar a Igreja pela fé em Cristo e pela experiência de vida que tiveram ao lado dEle. Porém são todos homens e certamente terão galardão segundo sua fé e obras, assim como nós teremos segundo nossa fé e obras, se seguirmos os mesmos passos. Nada além disso foi pregado por Cristo, nada além disso importa para que sejamos salvos.

  13. Sidnei

    “Não acho que sigo a Cristo “pela metade”, muito pelo contrário, sigo somente as palavras dEle, e deixo interpretações de lado, pois só Ele é o “caminho a verdade e a vida”, e ninguém vai ao Pai senão por Ele.”

    Paulo, ótimo que sigas a CRISTO, caminho, verdade e vida, porém se você deixa interpretações de lado, pode ser que você sigas CRISTO de qualquer jeito, o que não é nosso caso de católicos, seguimos CRISTO tudo aquilo que ELE nos ensinou e sobre tudo na obediência a Igreja o qual disse: “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou.” (Lc. 10,16) e o qual também São Pulo disse que a Igreja é a coluna e sustentáculo da Verdade (1º Tim. 3,15b) portanto buscamos o verdadeiros ensinamentos de CRISTO naquilo que ELE instituiu como forma de se saber o que verdadeiramente devemos seguir, isto é, a Igreja e o magistério apostólico, o qual nos dá a verdadeira interpretação da Bíblia pois caso contrário se cada um pode livremente interpretar a Bíblia tudo vira um caos, e cada um vai interpretar de qualquer jeito, e se isto não redunda em condenação seria melhor seguir um conselho de São Pedro que disse: “ Reconhecei que a longa paciência de nosso Senhor vos é salutar, como também vosso caríssimo irmão Paulo vos escreveu, segundo o dom de sabedoria que lhe foi dado. É o que ele faz em todas as suas cartas, nas quais fala nestes assuntos. Nelas há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido os espíritos ignorantes ou pouco fortalecidos deturpam, para a sua própria ruína, como o fazem também com as demais Escrituras. Vós, pois, caríssimos, advertidos de antemão, tomai cuidado para que não caiais da vossa firmeza, levados pelo erro destes homens ímpios.” (1º Pedro 3, 15-17).

    “Pedro foi apóstolo, Paulo foi apóstolo, assim como os demais 10, que tiveram uma missão especial e única de iniciar a Igreja pela fé em Cristo e pela experiência de vida que tiveram ao lado dEle. Porém são todos homens e certamente terão galardão segundo sua fé e obras, assim como nós teremos segundo nossa fé e obras, se seguirmos os mesmos passos. Nada além disso foi pregado por Cristo, nada além disso importa para que sejamos salvos.

    Mas você ainda não admite a primazia de Pedro sobre a Igreja e os demais apóstolos ainda vem com essa de que não importa para nossa salvação reconhecer esta primazia, para nós importa é muito, pois nos foi revelado pelo SENHOR, está aí puro e cristalino, se implícito ou explicito, não importa, o que importa, mais de uma vez, é que as Sagradas Escrituras afirmam isto, se não querer ver isto, paciência, mas nós graças a DEUS vimos e atendemos, e seguimos, pois tudo isto vem do SENHOR, pois se fosse de um homem qualquer aí sim não importaria, mas vindo do SENHOR, não tem jeito, ou eu aceito ou não aceito, e não aceitando ou estarei rejeitando ao SENHOR, ou estarei O seguindo pela metade.

    “Esse texto é famoso na internet, mas a pregação de Jesus, como muitas outras feitas por Ele, incluem “metáforas”, as quais a poucas pessoas se davam entender, e inclusive hoje ainda há muitos que não compreendem.
    Leia:
    João 6:63 – O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.

    Nesta passagem de João 6, tanto que é por isto que ELE termina dizendo: “ O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.”, portanto se fosse um homem qualquer a dizer que é ELE o pão vivo descido dos céus e que nos daria como alimento, aí sim, não se deveria dar crédito, porém vindo de JESUS, o qual tem o ESÍRITO, e o qual derramou sobre sua Igreja, aí sim temos o dever de crer em sua palavra que são espírito e vida, porém querer acreditar que neste contexto JESUS esta se referindo o Pão como sendo sua palavras, esquece de João 6, 51 o qual JESUS disse: Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão, que eu hei de dar, é a minha carne para a salvação do mundo.”, pois se fosse a Palavra que seria o pão neste caso, JESUS não teria remetido ao futuro que ELE iria dar, pois a Palavra ELE já estava dando naquele momento, mas todo o contexto converge para a sua carne, e por tanto, a Eucaristia.

  14. Paulo

    Sidney, à partir do momento que a resposta é “nos foi revelado pelo Senhor”, já não posso mais discutir, pois não tenho como provar o contrário e nem você que isto é uma verdade absoluta, só acho estranho que a conclusão referente à primazia de Pedro, e por conseguinte a sucessão do Papa, que seria seu substituto, considera coisas complexas e obviamente inverídicas como “infalibilidade papal” e coisas do tipo, aonde vemos claramente que ele não é infalível, é falível e muito, seja para atitudes como homem ou como Papa, tanto que na própria igreja católica há diversas linhas que aceitam parte dos dogmas e ensinos que vieram dele, e outras que simplesmente ridicularizam a maior parte das atitudes dele seja como papa ou como ratzinger (leia a última carta que o Jorge publicou hoje mesmo). E nem falo só do papa atual, os dados históricos, que podem ter alguns equívocos mas obviamente grande parte é verdade demonstram isso, nao consigo entender como vocês não enxergam isso Sidney.

    “porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam”

  15. Sidnei

    Paulo, quem está com os olhos vedados para não entender nada qui é você.

    “Sidney, à partir do momento que a resposta é “nos foi revelado pelo Senhor”, já não posso mais discutir, pois não tenho como provar o contrário e nem você que isto é uma verdade absoluta,”

    A verdade absoluta é CRISTO e sua Igreja, e ELE prontificou a Pedro de ser o Pastor de suas ovelhas (João 21, 15-17), somente um teimoso e obstinado não enxerga isto, então, paciência.

    “e por conseguinte a sucessão do Papa, que seria seu substituto, considera coisas complexas e obviamente inverídicas como “infalibilidade papal” e coisas do tipo, aonde vemos claramente que ele não é infalível, é falível e muito, seja para atitudes como homem ou como Papa, ”

    A velha lenga, lenga protestante de confundir a infabilidade papal, ou seja, o Papa como representante do pastor supremo da Igreja, JESUS CRISTO NOSSO SENHOR, guiado pelo ESPÍRITO SANTO, quando nos ensina matérias de fé e moral não erra, isto não significa impecabilidade, porque pecados até o Papa tem e os confessa até a um outro presbítero, custa entender isto?.

    “tanto que na própria igreja católica há diversas linhas que aceitam parte dos dogmas e ensinos que vieram dele, e outras que simplesmente ridicularizam a maior parte das atitudes dele seja como papa ou como ratzinger (leia a última carta que o Jorge publicou hoje mesmo). ”

    Quem ridiculariza o Papa e ainda se diz que é católico, ou é um sínico ou um idiota

  16. Jorge Ferraz Post author

    Paulo,

    A questão aqui é muito simples: se Cristo ensinou o primado de Pedro e nós o negamos, então Cristo não é a base da nossa Fé, porque nós rejeitamos um Seu ensinamento explícito.

    Se Cristo ensinou o primado de Pedro e ensinou que Pedro seria o Pastor de todo o seu rebanho, então quem está contra Pedro está fora do rebanho de Cristo.

    Tu ainda não percebeste a importância capital de se saber isso com certeza absoluta?

    Abraços,
    Jorge

  17. Amy

    DEFENDO A IGREJA COM P. IZEL

    Nota do autor:

    Caro Leitor católico, o artigo abaixo é de apologética católica. Hoje existe uma carência muito grande de defesa da santa igreja contra os filhos de LUTERO.

    O NÚMERO DE LIVROS DA BÍBLIA PROTESTANTE E A PASSAGEM DE JOÃO 6, 66

    Jô 6,66 é o único versículo do NT que contem 666. É interessante a relação que existe entre esse número “666” e a Separação ou Divisão, ocorrida no seio do grupo, dos primeiros seguidores de Jesus , que formavam o EMBRIÃO da IGREJA.

    O versículo, Jo 6,66 fala dessa separação que ocorreu por que um a parte do grupo de discípulos não acreditou n a transformação do Pão e do vinho na Carne e Sangue de Jesus, pelo fato de não ter ocorrido uma transformação visual, Jo 6,60 “ . Mais tarde São João em sua primeira epístola 1Jo 2,18-19 define um nome para esses apóstatas de Jô 6,66 e seus descendentes 1517 anos depois, quando diz: “ Filhinhos, a última hora chegou. Vocês tem ouvido dizer que o Anticristo deve vir; e já agora tem surgido muitos anticristos: por aí reconhecemos que a última hora chegou. Eles saíram do nosso meio mas não eram dos nossos. Se fossem dos nossos teriam ficado conosco. De fato os discípulos citados em Jô 6,66 saíram do meio do grupo que seguia Jesus, mas eles não eram verdadeiros seguidores de Cristo, senão teriam ficado com Jesus e os doze. Esse passagem mostra a relação dos três números “6” do trecho de JO 6,66), e a separação entre os discípulos, que demarca a primeira DIVISÃO ocorrida na igreja que Jesus acabara de fundar. Observe com atenção, que o número de livros da bíblia protestante ( Criada por Lutero ), tem o mesmo número do versículo, que fala da divisão encabeçada pelos discípulos que negaram que o Pão Eucarístico após a bênção se transforma na carne de Jesus.

    No trecho JO 6,66 – o primeiro “ 6 “ é o seis do capítulo que contém três temas cruciais : A PROVA DA PRESENÇA REAL de JESUS NA EUCARISTIA (JO 6,51). A “NEGAÇÃO da EUCARISTIA“ JO 6,60. E JO 6,66 alguns discípulos negam as palavras de Jesus e se separam Dele. Esse grupo de discípulo seguia Jesus juntamente com os doze, mas se escandalizou e negou a transformação Eucarística: ” Desde então muitos de seus discípulos se separaram e não o seguia mais” . Essa negação e a Separação constituem uma blasfêmia imperdoável, pois esta Igreja também é obra do Espírito Santo. E finalmente quem dividiu a igreja e negou a eucaristia em 1517 também era um falso discípulo, como aqueles de Jo 6,66. Esse discípulo do século XVI alem de negar Jesus Eucarístico arrastou consigo, 1/3 parte da cristandade. Conseguiu colocar imperfeição na palavra de Deus escrita, excluindo desta sete livros para tornar seu número imperfeito. Os 66 Livros da bíblia protestante, surgiram após Lutero também se separar de Jesus em 1517. O número 66, de livros da bíblia protestante, coincide exatamente, com o número do versículo 66 do capítulo 6 do livro de São João, que fala de discípulos que se separaram de Jesus porque negaram ser o pão servido na Santa Ceia a Carne de Jesus.

    Importantíssimo para nos católicos saber que: até o ano de 1.500, a única Bíblia Cristã existente na face da terra era a Bíblia Católica! Foi Martinho Lutero, um ex-sacerdote, excomungado pela Igreja, que, ao criar a “sua” igreja, denominada de “Igreja Luterana”, forjou a “sua bíblia”, tomando a Bíblia Católica sem os SETE LIVROS citados anteriormente, que passou desde então a ser chamada de “bíblia protestante”. Aliás, a Bíblia que os Apóstolos e Evangelistas nos deixaram contém exatos 73 livros. Martinho Lutero, simplesmente tirou SETE LIVROS DA BÍBLIA CATÓLICA e “fez” assim a “sua bíblia protestante”, contendo 66 Livros. Ora, todos sabemos que o número de satanás é 6(Seis). Sabemos que é ele (satanás) quem causa divisão e discórdia no Povo de DEUS através da mentira e da acusação. Portanto, Martinho Lutero foi um instrumento que o maligno usou para tirar milhões de criaturas da presença (física) de Deus na Eucaristia, convencendo-os a nega-la. A negação da eucaristia é na verdade uma negação de Jesus. Concluindo: o número de Martinho Lutero é 6 (seis) e a “sua bíblia” tem 66 (sessenta e seis) livros, o que dá o número 666…… o que pensar diante disso?

  18. Alien

    Jorge, partindo desta lógica a Igreja Católica, quando condenou Galileu por heresia (por dizer que a Terra girava em torno do Sol e não o contrário): quem condenou Galileu foi o Papa, certo? E Galileu estava errado??? Se não estava errado, a Igreja Católica (e o Papa, então) estava errada???
    Aliás: SE eu estiver falando besteira me corrijam: essa da condenação de Galileu por heresia procede??? Foi assim mesmo???

  19. Sidnei

    Alien, não sei o que o Jorge vai responder, mas se me permite de minha parte, pelo que eu entendo, a cúpula da Igreja (aqui inclui o Papa, cardeais e a Inquisição) erraram no caso de Galileu, pois foi uma coisa fora daquilo que a Igreja está imune ao erro, segundo o dogma da infabilidade papal, que quando o Papa ao nos ensinar algo sobre a verdade de fé e de moral, assistido pelo ESPÍRITO SANTO, não erra, mas no caso de Galileu a coisa foi bem diferente, aí não entrava assunto de fé ou moral, mas de ciência, embora se acreditava até aquela época que era o sol e demais planetas e constelações que giravam em torno da terra e não o contrário, pois isto se fundamentava em algumas passagens bíblicas e também do conhecimento cientifico que havia na época, no entanto, isto nunca foi dogma da Igreja Católica acreditar ou não que isto era verdade ou não, porém, se a Bíblia informava isto e o conhecimento cientifico na época também, corria o risco de Galileu com sua teoria heliocêntrica querer afirmar que a Bíblia estava errada, e como na época a Igreja Católica estava sendo atacada constantemente pelos protestantes de a Igreja adulterar, manipular e distorcer a interpretação das Sagradas Escrituras, se a Igreja desse ouvido a Galileu, seria um prato cheio para os protestantes atacarem a Igreja Católica, e além do mais, Galileu não conseguiu de alguma forma, e sem deixar dúvida, afirmar realmente era a terra e os demais planetas de nosso sistema solar que giravam em torno do sol e não o contrário do que sempre se havia acreditado, portanto, o caso Galileu foi sempre mais complexo do que se imaginava, e isto merece um bom e aprofundado estudo e não somente ouvir as balelas que os anti-católicos vem repetindo a anos contra a Igreja Católica.

  20. Michele Madalena Silva de Oliveira

    Alien,
    a condenação de Galileu não foi por ele dizer que a terra gira em torno do Sol, e sim por ele negar a transubstanciação.
    Aliás, essa teoria da Terra girar em torno do Sol já era bem antiga na época de Galileu. O que ele defendia cientificamente falando era que o movimento rotacional da Terra era responsável por causar as marés, coisa logicamente falsa.
    Galileu nem mesmo foi condenado a morte por heresia, e sim ficou em prisão domiciliar. Ele morreu velho deitado em uma cama.
    Salve Maria!!!

  21. Jorge Ferraz Post author

    Alien,

    Lembra como é chamado o sistema segundo o qual a Terra e os demais planetas giram em torno do sol?

    Não é “sistema galileiano”. É sistema copernicano. E Copérnico nasceu quase cem anos antes de Galileu. E Copérnico era monge. E não foi queimado pela Inquisição, nem trancafiado nem nada parecido.

    O problema de Galileu, em um resumo bem resumido, era que ele queria que a sua intuição do sistema heliocêntrico (Galileu não conseguiu provar que a Terra girava em torno do Sol) fosse aceita como verdade pela “comunidade científica” da época e – pior ainda – pela Igreja, exigindo uma revisão na interpretação de algumas passagens bíblicas. Daí se aproveitou até mesmo de sua amizade pessoal com o Papa para fazer valer “na força” as suas idéias – e, daí, deu no que deu. Mas Galileu morreu de velho e morreu católico.

    Sim, objetivamente falando, o Tribunal do Santo Ofício que julgou Galileu errou, mas errou “cientificamente”, e a Igreja não tem infalibilidade científica. Além do quê, mesmo do ponto de vista científico, a tese de Galileu à época não havia sido provada, e o modelo de Ptolomeu tinha séculos, de modo que se compreende a posição tomada pelas autoridades de então.

    Sobre o assunto, vale muito a pena ler alguns textos de D. Estêvão na “Pergunte e Responderemos”, entre os quais:

    http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=ESTEVAO&id=deb0634

    http://www.cleofas.com.br/virtual/texto.php?doc=ESTEVAO&id=deb0033

    Abraços,
    Jorge

  22. Tatiana De Almeida Santos

    Foi ate bom ler pq eu tinha que fazer um trabalho sobre esse ai , neim sabia se nao fosse a minha professora nao ia olha , por isso que os estudo esta acima de mesmo ele ensina oque vc nao ia aprender sozinho ….ate ais foi bom olhar avolto sempre..