Dois ligeiros comentários!

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 3 meses 29 dias atrás.

1. Dilma acaba com o monoteísmo na Igreja Católica. Também no Fratres in Unum:

DILMA – Olha, eu acredito numa força superior que a gente pode chamar de Deus. Eu acredito e… E acredito, mais do que nessa força, se ocê me permitir, acredito na força dessa deusa mulher que é Nossa Senhora.

2. Sobre o Card. Hoyos e a jurisdição da Igreja, apud Fratres in Unum:

“A Igreja é uma sociedade perfeita, gozando, portanto, das três funções de qualquer sociedade perfeita (a capacidade de legislar, a capacidade de aplicar suas leis e a capacidade de julgar segundo o seu próprio direito). Por conseguinte, o direito canônico sempre reivindicou um privilégio dos clérigos de depender da justiça canônica e não da justiça temporal. Na situação atual das relações entre  a Igreja e os Estados, este privilégio quase não é  mais aplicado. Isso significa simplesmente que, para evitar um mal maior ou favorecer um bem (como as relações harmoniosas com o Estado), a Igreja deixou de reivindicar este direito. Mas isso não impede, absolutamente, que esta isenção permaneça a regra. É isso que o Cardeal Castrillon Hoyos escreveu a Monsenhor Pican”.

Palavras de Vini Ganimara, editor do blog Osservatore Vaticano, citado na matéria de Golias contra o Cardeal Castrillón

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

6 thoughts on “Dois ligeiros comentários!

  1. Wagner Moura

    Olha, chega a ser muito cômico. Não me contive com tamanha desonestidade publicitária da Dilma que logo o Datena sacou… Tenho certeza: Dilma vai perder até o caminho de volta pra casa depois dessa eleição.

  2. João de Barros

    Caro Jorge:

    Dom Pierre Pican, o bispo francês elogiado pelo Cardeal Hoyos e acusado de acobertamento, encaminhou o padre pedófilo para um tribunal eclesiástico?

    Não! Aparentemente, tudo o que Dom Pican fez foi transferi-lo de paróquia.

    O Cardeal Hoyos reivindica o direito dos padres serem julgados por tribunais eclesiásticos. Ótimo!

    Mas onde estão esses tribunais que, tanto quanto eu saiba, nunca julgaram ninguém nos últimos 50 anos?

  3. karina

    Não dá pra chamar Dilma nem de católica não praticante. Os que se dizem assim ainda vão à Missa, pelo menos, no Natal e na Páscoa.

  4. Jorge Ferraz Post author

    João de Barros,

    Não sei o que o bispo francês fez com o sacerdote pedófilo.

    Após o Sacramentorum Sanctitatis Tutela, o Tribunal Eclesiástico que julga os casos de pedofilia é a Congregação para a Doutrina da Fé. Que, até onde me conste, tem julgado estes casos sim. Antes de 2001, eu não sei como as coisas funcionavam.

    Abraços,
    Jorge