Curtas sobre pedofilia

closeAtenção, este artigo foi publicado 3 anos 10 meses 25 dias atrás.

- Olavo de Carvalho, oito anos atrás: Farsa monstruosa. “Por isso a imprensa mundial se cala, desviando as atenções do público para casos seletivamente escolhidos onde figure, como emblema do crime, a palavra ‘padre’. Afinal, a Igreja não existe para arcar, como o próprio Cristo, com os pecados do mundo?”. Ver também “Cem anos de pedofilia”.

* * *

- A versão mais recente deste fenômeno citado pelo Olavo é, creio, o caso de Roman Polanski. “Importantes diretores de filmes que competem no Festival de Cannes participaram de um abaixo-assinado solicitando que o governo suíço não dê andamento ao processo de extradição para os Estados Unidos do cineasta Roman Polanski, que se encontra em prisão domiciliar na Suíça. [...] Polanski foi preso por um caso de estupro que data de 33 anos atrás, ocorrido nos Estados Unidos. Após ter se declarado culpado, em 1978, de manter relações sexuais com uma garota de 13 anos, Polanski fugiu para sua França natal quando um juiz afirmou que não cumpriria um acordo para impor pena menor”.

* * *

- Enquanto isso, 100.000 pessoas por dia acessam sites de pedofilia “Apenas em 2009, a ONG [Telefono Arcobaleno] mapeou, em todo o mundo, 49.393 sites de conteúdo erótico infantil, o que representa um aumento de 16,5% em comparação ao ano de 2008, e o índice não para de crescer. Por dia, cerca de 135 novos sites de pedofilia pipocam na rede e o pior: fazem sucesso. Aproximadamente, 100 mil internautas acessam, diariamente, cada um desses portais de pornografia infantil”. O relatório original pode ser encontrado aqui.

* * *

- E por que a culpada é a Igreja? Responde com muita propriedade o João César das Neves: “A razão do paradoxo é clara. Cada época projecta na Igreja os seus próprios fantasmas. Ninguém atropelou mais o rigor científico que os iluministas. Ninguém foi mais sangrento que os jacobinos. Ninguém gerou maior pobreza que os marxistas. Ninguém tem mais desregramento sexual que o nosso tempo. O ataque à Igreja é uma constante histórica. A História muda. A Igreja permanece. Porque ela é Cristo. Dela é a nona bem-aventurança: ‘Bem-aventurados sereis quando vos insultarem e perseguirem’ (Mt 5, 11)”.

email