Exorcismos e exorcismos

closeAtenção, este artigo foi publicado 7 anos 2 meses 21 dias atrás.

Inacreditável! Seguem, abaixo, diversos vídeos de “exorcismos” pentecostais tupiniquins, cada um mais esdrúxulo do que o outro. Acho que é o mesmo “pastor” em todos eles – este homem deve ser o verdadeiro terror do Inferno!

Naquele livro do Thomas Allen, “Exorcismo” (infelizmente não disponível no Submarino no momento – mas acho que pode ser encomendado), que é a mesma história que deu origem ao filme “O Exorcista” clássico e a um outro mais recente e menos conhecido, “Possuído pelo Demônio”, é contado como a família procurou primeiro a ajuda de um “pastor” protestante. Após improfícuas tentativas de aliviar o sofrimento do menino atormentado, o pastor manda a família procurar a Igreja Católica:

A essa altura, [o pastor] Schulze percebeu que tudo o que já tentara fazer não era suficientemente forte para interromper a agonia de Robbie. A força que o atormentava a princípio vinha de fora. Mas agora parecia estar dentro dele, manifestando-se ao emergir de seu corpo através de riscos de sangue. Possuindo-o. Schulze admitiu sua derrota. Segundo a lembrança de um dos genitores de Robbie, o pastor lhes disse com toda a calma: “Vocês devem procurar um padre católico. Os católicos entendem dessas coisas”.

Allen, Thomas B.
Exorcismo – Uma história verdadeira, p. 22
Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1994

E, enquanto os protestantes sérios americanos têm a hombridade de encaminhar um caso de possessão verdadeira para quem tem a devida competência, o pastor Marcos (acho que é este o nome dele), ilustre representante do protestantismo brasileiro, fica brincando com cigarros, crucifixos e “bang-bang” espiritual! A sorte dele é que possessões são realmente raras. Se Satanás resolvesse fazer uma “participação especial” no teatro do pastor, duvido que as coisas terminassem bem. Seguem os vídeos:

1. O demônio do crucifixo: Satanás dizendo “a cruz é minha” (!).

2. O demônio do cigarro: “o demônio entra na pessoa, a pessoa fuma um cigarro”.

3. Tudo é culpa do Exu Caveira! Destaque para o seguinte singelo diálogo: “- Tu gosta do pastor Marcos? – Odeio. – Também não gosto de tu”.

4. Entrevista com o Diabo.

5. Last, but not least: bang-bang espiritual (e o título “EXORCISMO INCRÍVEL”, em maiúsculas).

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

37 thoughts on “Exorcismos e exorcismos

  1. Rafael

    Alex, perdão. Me equivoquei um pouco com a sua opinião particular a partir desse trecho: “Provavelmente os carismáticos são mais abertos a certas verdades da fé, como a existência de espirítos malignos e sua influência na vida das pessoas.” Reafirmo a minha posição: os carismáticos tem muitos problemas (como as músicas sentimentais e o neopentecostalismo), mas também tem seus méritos, como essa abertura para o transcendente acima da média atual dentro e fora da Igreja.
    O reconhecimento pontifício da Canção Nova, por exemplo, tem claramente esse objetivo na minha opinião, tanto é que se for ver uma Missa da CN de alguns anos atrás e a de hoje, já melhorou um bom tanto. Li uma vez na blogosfera que o documento de reconhecimento pontifício (não tenho certeza do nome técnico, nem fui verificar a veracidade da informação) não é aberto, e que incluiria cláusulas a serem cumpridas pela CN para obterem tal reconhecimento.
    De qualquer forma eles possuem sim uma profunda espiritualidade que se bem trabalhada pode gerar frutos preciosos para a Santa Igreja.