“Reparai na vossa dignidade, sacerdotes!”

Esta eu li no Evangelho Quotidiano de hoje. É da carta de São Francisco de Assis a toda a Ordem. Trago somente os trechos que mais me comoveram:

Reparai na vossa dignidade, irmãos sacerdotes, e sede santos porque Ele é santo (1P 1, 16) […] Grande miséria e miserável fraqueza se, tendo-O assim presente nas mãos, vos entreteis com qualquer outra coisa!

Que todo o homem tema, que o mundo inteiro trema, que o céu exulte quando Cristo, o Filho de Deus vivo, Se encontra sobre o altar, entre as mãos do sacerdote. Que grandeza admirável, que bondade extraordinária! Que humildade sublime! O Senhor do universo, Deus e Filho de Deus, humilha-Se pela nossa salvação, a ponto de Se ocultar numa pequena hóstia de pão.

Reparai na vossa dignidade, sacerdotes! Quem o diz é São Francisco, o poverello de Assis. Que diferença entre o verdadeiro santo e o “hippie medieval” que muitas vezes nos apresentam! Lembrei-me agora de Genésio Boff que, recentemente, declarou-se “católico apostólico franciscano”. Que diferença gritante entre o santo de Assis e o herege da Teologia da Libertação! Inspira-te o franciscanismo, Genésio? Olha, então, para o que diz São Francisco, e repara na tua dignidade sacerdotal!

Como não seria diferente o mundo de hoje, se os sacerdotes do Deus Altíssimo seguissem o sábio conselho franciscano e reparassem na própria dignidade. “Que todo o homem tema” quando Cristo é elevado na Santa Missa. “Que o mundo inteiro trema” neste momento terrível. E que o Altíssimo, elevado na Cruz do Calvário – e elevado pelo sacerdote no sacrifício quotidiano da Missa – tenha piedade de nós todos. E nos conceda piedosos sacerdotes, que tenham consciência da própria dignidade, e que se esforcem para ser santos como o Pai dos Céus é santo.

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

19 thoughts on ““Reparai na vossa dignidade, sacerdotes!”

  1. Pingback: Tweets that mention Deus lo Vult! » “Reparai na vossa dignidade, sacerdotes!” -- Topsy.com

  2. Karina

    São Francisco de Assis, há séculos atrás, nos chamava a atenção, sacerdotes ou não, para a profanação da liturgia, em especial da Eucaristia presente nos dias de hoje…

    É, céus e terra passam, mas as coisas de Deus não mudam.

  3. Karina

    P.S: não conhecia o site do Evangelho Cotidiano. Muito interessante! Obrigada, Jorge!

  4. Alex A. B.

    Quando leio as palavras de São Francisco, como as citadas a cima, vejo o quanto desconheço da autêntica personalidade de São Francisco e o quanto se compõe diante dos meus olhos uma caricatura de São Francisco; ainda que essa caricatura não chegue a transformar o “poverello” de Assis num “hippie medieval”. Mas infelizemente ,por diversas lendas ou ideologias, a identidade de santo católico em São Francisco foi sendo atenuada diante das vistas de muitos, com ou sem culpa.

    Em verdade, São Francisco pode nos ajudar muito a viver autenticamente a nossa fé católica.

    São Francisco, rogai por nós!

  5. Alex A. B.

    As palavras de São Fracisco citadas acima nos mostram que é ao sacerdote por excelência que cabe tocar no Sacramento da Eucaristia, na Hóstia Consagrada.

    Os leigos podem tocá-la na medida em que o permite a Santa Igreja, como através das normas litúrgicas.

    Vale a pena lembra da Instrução Redemptionis Sacrametum, números 154 a 160:

    1. O ministro extraordinário da Sagrada Comunhão

    [154.] Como já se tem lembrado, «só o sacerdote validamente ordenado é o ministro capaz de gerar o sacramento da Eucaristia, atuando in persona Christi».[254] Pois o nome de «ministro da Eucaristia» só se refere, propriamente, ao sacerdote. Também, em razão da sagrada Ordenação, os ministros ordinários da sagrada Comunhão são: o Bispo, o presbítero e o diácono,[255] aos que correspondem, portanto, administrar a sagrada Comunhão aos fiéis leigos, na celebração da santa Missa. Desta forma se manifesta adequada e plenamente sua tarefa ministerial na Igreja, e se realiza o sinal do sacramento.

    [155.] Além dos ministros ordinários, está o acólito instituído ritualmente, como ministro extraordinário da sagrada Comunhão, inclusive fora da celebração da Missa. Todavia, só o aconselham em razões de verdadeira necessidade, conforme às normas do direito,[256] o Bispo diocesano pode delegar também outro fiel leigo como ministro extraordinário, quer seja por um momento, quer seja por um tempo determinado, recebida na maneira devida a benção. Sem dúvida, este ato de designação não tem necessariamente uma forma litúrgica, nem de modo algum e lugar, possa-se imitar a sagrada Ordenação. Só em casos especiais e imprevistos, o sacerdote que preside a celebração eucarística pode dar um permissão ad actum.[257]

    [156.] Neste ministério, entendendo-se conforme o seu nome em sentido estrito, o ministro é um extraordinário da sagrada Comunhão, jamais um «ministro especial da sagrada Comunhão», nem «ministro extraordinário da Eucaristia», nem «ministro especial da Eucaristia»; com o uso destes nomes, amplia-se indevida e impropriamente o seu significado.

    [157.] Se habitualmente há número suficiente de ministros sagrados também para a distribuição da sagrada Comunhão, não se podem designar ministros extraordinários da sagrada Comunhão. Em tais circunstâncias, os que têm sido designados para este ministério, não o exerçam. Reprove-se o costume daqueles sacerdotes que, a pesar de estar presentes na celebração, abstém-se de distribuir a Comunhão, delegando esta tarefa a leigos.[258]

    [158.] O ministro extraordinário da sagrada Comunhão poderá administrar a Comunhão somente na ausência do sacerdote ou diácono, quando o sacerdote está impedido por enfermidade, idade avançada, ou por outra verdadeira causa, ou quando é tão grande o número dos fiéis que se reúnem à Comunhão, que a celebração da Missa se prolongaria demasiado.[259] Por isso, deve-se entender que uma breve prolongação seria uma causa absolutamente suportável, de acordo com a cultura e os costumes próprios do lugar.

    [159.] Ao ministro extraordinário da sagrada Comunhão nunca lhe está permitido delegar nenhum outro para administrar a Eucaristia, como, por exemplo, os pais, o esposo ou filho do enfermo que vai a comungar.

    [160.] O Bispo diocesano examine de novo a praxe nesta matéria durante os últimos anos e, se for conveniente, corrija-a ou a determine com maior clareza. Onde, por uma verdadeira necessidade, haja difundido a designação deste tipo de ministros extraordinários, é de responsabilidade do Bispo diocesano, tendo presente a tradição da Igreja, dar as diretrizes particulares que estabeleçam o exercício desta tarefa, de acordo com as normas do direito.

    http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/ccdds/documents/rc_con_ccdds_doc_20040423_redemptionis-sacramentum_po.html

  6. andrade

    No Diário Oficial de hoje, Seção 1:

    LEI No- 12.284, DE 5 DE JULHO DE 2010
    Inscreve o nome do Padre José de Anchieta
    no Livro dos Heróis da Pátria.
    O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício
    do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA
    Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono
    a seguinte Lei:
    Art. 1o Será inscrito no Livro dos Heróis da Pátria, que se
    encontra no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília,
    Distrito Federal, o nome do Padre José de Anchieta, herói jesuíta das
    causas indígenas, um dos fundadores de São Paulo de Piratininga,
    hoje cidade de São Paulo.
    Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
    Brasília, 5 de julho de 2010; 189o da Independência e 122o
    da República.
    JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA
    João Luiz Silva Ferreira

    O que diria disso o Beato Pe Anchieta? No Panteão da Liberdade e da Democracia (liberais), apenas um herói das causas indígenas… Homenageado por uma lei sancionada por um membro do partido da seita do Edir Macedo…

  7. Frei Cleiton Robson, OFMConv.

    O Texto completo da “Carta a toda a Ordem” é este:

    Carta a toda a Ordem

    “1. Em nome da suma Trindade e da santa Unidade, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.
    2. A todos os reverendos e muito amados frades: a Frei .A., ministro geral da religião dos frades menores, seu senhor, e aos outros ministros gerais, que serão depois dele; e a todos os ministros e custódios e sacerdotes da mesma fraternidade, humildes em Cristo, e a todos os frades simples e obedientes, primeiros e últimos.
    3. Frei Francisco, homem vil e caduco, vosso pequenino servozinho, [deseja] saúde naquele que nos remiu e lavou em seu precioso sangue (cfr. Ap 1,5),
    4. cujo nome, ao ouuví-lo, adorai-o com temor e reverência inclinados para a terra (cfr. 2Esdr 8,6), o Senhor Jesus Cristo, cujo nome é Filho do Altíssimo (cfr. Lc 1,32), que é bendito pelos séculos (Rm 1,25).
    5. Ouvi, senhores filhos e irmãos meus, e percebei com os ouvidos as minhas palavras (At 2,14).
    6. Inclinai o ouvido (Is 55,3) de vosso coração e obedecei à voz do Filho de Deus.
    7. Guardai em todo o vosso coração seus mandamentos e cumpri perfeitamente seus conselhos.
    8. Confessai-o porque é bom (Ps 135,1) e exaltai-o em vossas obras (Tb 13,6);
    9. porque por isso vos enviou (cfr. Tb 13, 4) ao mundo inteiro, para que por palavra e por obra deis testemunho de sua voz e façais saber a todos que não há onipotente senão Ele (cf Tob 13,4).
    10. Perseverai na disciplina e na obedi6encia santa (Hb 12,7) e o que prometestes com bom e firme propósito, cumpri-o.
    11. O Senhor Deus se oferece a nós como a filhos (Hb 12, 7).
    12. Por isso, rogo a todos vós, irmãos, com o beijo dos pés e com a caridade que posso, que manifesteis toda reverência e toda honra, tanto quanto puderdes, ao santíssimo corpo e sangue do Senhor nosso Jesus Cristo.
    13. em quem as coisas que estão no céu e as que há na terra foram pacificadas e reconciliadas com o Deus onipotente (cfr. Cl 1,20).
    14. Rogo também no Senhor a todos os meus irmãos sacerdotes, os que são e serão e desejam ser sacerdotes do Altíssimo, que todas as vezes que quiserem celebrar a missa, puros com pureza façam com reverência o verdadeiro sacrifício do santíssimo corpo e sangue do Senhor nosso Jesus Cristo, com intenção santa e limpa, não por alguma coisa terrana nem por temor ou amor de alguma pessoa, como para agradar aos homens (cfr. Ef 6,6; Cl 3,22);
    15. mas que toda a vontade, quanto ajuda a graça, seja dirigida a Deus, desejando agradar só ao próprio sumo Senhor, porque ali é Ele sozinho que age, como lhe agrada;
    16. porque, como Ele mesmo diz: Fazei isto em minha comemoração (Lc 22,19; 1Cor 11,24), se alguém o fizer de outra maneira, converte-se em Judas, o traidor, e se torna réu do corpo e do sangue do Senhor (cfr. 1Cor 11,27).
    17. Recordai, meus irmãos sacerdotes, o que está escrito na lei de Moisés, cujo transgressor, mesmo em coisas corporais, morria sem misericóordia alguma por sentença do Senhor (cfr. Hb l0,28).
    18. Quanto maiores e piores suplícios merece padecer quem conclucar o Filho de Deus e julgar poluído o sangue da aliança, em que foi santificado, e fizer um ultraje ao espírito da graça (Hb 10,29).
    19. Pois o homem despreza, polui e conculca o Cordeiro de Deus quando, como diz o Apóstolo, não distinguindo (1Cor 11,29) nem discernindo o santo pão de Cristo dos outros alimentos e obras, ou come-o sendo indigno ou mesmo, se fosse digno come-o de maneira vã e indigna,, quando o Senhor disse pelo profeta: Maldito o homem que faz a obra do Senhor fraudulentamente (cfr. Jr 48,10).
    20. E na verdade condena os sacerdotes que não querem por isso sobre seu coração, dizendo: Amaldiçoarei vossas bênçõas (Ml 2,2).
    21. Ouvi, irmãos meus: Se a bem-aventurada Virgem é assim honrada, como é digno, porque o carregou em seu santíssimo útero; se o Batista bem-aventurado estremeceu e não ousa tocar a santa cabeça de Deus; se o sepulcro em que esteve por algum tempo é venerado,
    22. como deve ser santo, justo e digno quem toca com as mãos, toma com o coração e com a boca e dá aos outros para tomar, aquele que já não há de morrer, mais vai viver para sempr e é glorificado, em quem os anjos querem olhar (1Pd 1,12)!
    23. Vede vossa dignidade, irmãos (cfr. 1Cor 1,26) sacerdotes, e sede santos, porque Ele é santo (cfr. Lv 19,2).
    24. E assim como o Senhor Deus os honrou acima de todos por causa desse ministério, assim também vós amai-o, reverenciai-o e honrai-o sobre todos.
    25. Grande miséria e miserável debilidade, quando o tendes tão presente e vós buscais alguma outra coisa em todo o mundo.
    26. Pasme o homem inteiro, estremeça todo o mundo e exxulte o céu quando, sobre o altar, na mão do sacerdote, está Cristo, Filho do Deus vivo (Jo 11,27);
    26. Ó admirável alteza e estupenda condescendência! Ó humildade sublime! Ó sublimidade humilde, pois o Senhor do Universo, Deus e Filho de Deus, de tal maneira se humilha que, por nossa salvação, se esconde sob uma pequena forma de pão!
    28. Vede, irmãos, a humildade de Deus e derramai diante dele os vossos corações (Sl 61,9); humilhai-vos também vós, para serdes exaltados por Ele (cfr. 1Pd 5,6; Tg 4,10).
    29. Por isso não retenhais nada de vós para vós mesmos, para que vos receba inteiros aquele que a vós se dá inteiro.
    30. Admoesto, por isso, e exorto no Senhor, que nos lugares em que os frades moram celebre-se apenas uma missa no dia, segundo a forma da santa Igreja.
    31. Mas se houver vários sacerdotes no lugar, fique contente cada um, por amor da caridade, de ouvir a celebração de outro sacerdote.
    32. Porque o Senhor Jesus Cristo preenche os presentes e os ausentes que são dignos dele.
    33. O qual, embora se veja que está em vários lugares, todavia permanece indivisível e não conhece detrimento algum, mas, sendo um em toda parte, age, como lhe agrada, com o Senhor Deus pai e o Espírito Santo Paráclito nos séculos dos séculos. Amém.
    34. E porque aquele que é de Deus ouve as palavras de Deus (cfr. Jo 8,47), por isso devemos nós, que mais especialmente estamos dedicados aos ofícios divinos, não só ouvir e fazer o que Deus diz mas também guardar os vasos e as outras coisas oficiais que contêm suas santas palavras, para insinuar em nós a alteza de nosso Criador e nossa submissão a Ele.
    35. Por isso admoesto a todos os meus frades e os conforto em Cristo para que, onde quer que encontrarem palavras divinas escritas, venerem como puderem
    36. e, no que diz respeito a eles, se elas não estiverem bem colocadas ou estiverem indecorosamente espalhadas em algum lugar, que as recolham e guardem, honrando ao Senhor nas palavras que disse (3Rs 2,4).
    37. Pois muitas coisas se santificam pelas palavras de Deus (cfr. 1Tm 4,5), e em virtude das palavras de Cristo realiza-se o sacramento do altar.
    38. Confesso, além disso, ao Senhor Deus Pai e Filho e Espírito Santo, à bem-aventurada Maria, Virgem perpétua, e a todos os santos no céu e na terra, a Frei H., ministro de nossa religião, como a venerável senhor meu, e aos saceerdotes de nossa Ordem e a todos os outros meus frades benditos todos os meus pecados.
    39. Em muitas coisas ofendi por minha grande culpa, especialmente porque não guardei a regra, que prometi ao Senhor, nem disse o ofício, como a regra prescreve, ou por negligência ou por ocasião de minha enfermidade, ou porque sou ignorante e iletrado.
    40. E por isso, por causa de todas essas coisas, rogo, como posso, a Frei H., meu senhor ministro geral, que faça com que a regra seja observada inviolavelmente por todos;
    41. e que os clérigos digam o ofício com devoção na presença de Deus, não atendendo à melodia da voz mas à consonância da mente, de forma que a voz concorde com a mente, e a mente concorde com Deus,
    42. para que possam pela pureza do coração aplacar a Deus e não recrear os ouvidos do povo pela sensualidade da voz.
    43. Pois eu prometo guardar firmemnte essas coisas, como Deus me der a graça; e transmitirei aos frades, que estão comigo, essas coisas, para que sejam observadas no ofício e nas outras constituições regulares.
    44. mas quaisquer dos frades que não quiserem observar estas coisas, não os tenho como católicos nem como frades meus; também não os quero ver nem falar com eles, até que façam penitência.
    45. Também digo isso de todos os outros que andam vagando, deixando de lado a disciplina da Regra;
    46. porque nosso Senhor Jesus Cristo deu sua vida para não perder a obediência de seu santíssimo Pai (cfr. Fl 2,8).
    47. Eu, Frei Francisco, homem inútil e indigna criatura do Senhor Deus, digo pelo Senhor Jesus Cristo a Frei H., ministro de toda a nossa religião, e a todos os ministros gerais, que o serão depois dele, e aos demais custódios e guardiães dos frades, que o são e serão, que tenham consigo este escrito, ponham-no em prática e o gaurdem cuidadosamente.
    48. E lhes suplico que, o que nele está escrito, guardem-no solicitamente e o façam observar mais diligentemente, segundo o beneplácito de Deus onipotente, agora e sempre, enquanto existir este mundo.
    49. Abençoados sejais pelo Senhor (Sl 113,13) os que fizerdes estas coisas, e o Senhor esteja convosco eternamente. Amém.
    [Oração]
    50. Onipotente, eterno, justo e misericordioso Deus, dá a nós, miseráveis, fazer, por ti mesmo, o que sabemos que tu queres, e sempre querer o que te apraz,
    51. para que, interiormente purificados, interiormente iluminados, e acesos no fogo do santo espírito, possamos seguir os vestígios de teu amado Filho, nosso Senhor Jesus Cristo,
    52. e chegar só por tua graça a ti, Altíssimo, que na Trindade perfeita e na Unidade simples vives e reinas e és glorificado, Deus onipotente, por todos os séculos dos séculos. Amém.”

    Ainda estou escrevendo a carta aberta, em réplica à ridícula entrevista do Leonardo Boff… que mancha toda a “raça franciscana”… “católico apostólico franciscano”… aff…como se uma coisa fosse díspare da outra… franciscano ele não é! São Francisco fez tudo o que fez, SOB a Igreja, EM OBEDIÊNCIA a ela e, muitas vezes, com o apoio direto dos Papas… e como uma criatura dessas se atreve a querer quebrar uma tradição de 801 ano?? Só um “louco, estulto, insensato” pode pensar assim. De fato, tratamos aqui de um problema de GERAÇÃO, isto é, a dele, como diz o salmo, é uma “raça corrompida e depravada!” Esta em que nos encontramos “é a geração dos que buscam a face do Senhor”.

  8. André Víctor

    Olá Jorge!

    A Paz de Cristo Jesus, Nosso Senhor e Salvador.
    E o amor sempre maternal e carinhoso de Nossa Senhora lhe esteja sempre presente.

    Há muito tempo não ‘dou’ uma palavrinha por aqui não é mesmo!? (rs) Mas isso não significa que não venho sempre por aqui, neste espaço, para verificar as ‘novidades’ e também, com muita alegria, prestigiar suas palavras cheias de amor pela Santa Igreja do Deus Altíssimo.

    Estou meio ausente devido ao seminário, se é que se lembre de lhe ter comunicado a respeito. Pois bem! Estou na árdua caminhada rumo ao sacerdócio, e já sabes muito bem, que o caminho se torna cada vez mais ‘perigoso’ quando se quer viver um autêntico sacerdócio, segundo a verdadeira vontade de Cristo, sumo e eterno sacerdote. A piedade já não nos é mais ‘aconselhada’, a reverência não mais desejada (Sic!). Com isso, vos peço, e também a todos os fieis católicos, que por aqui sempre percebi passarem, que em suas orações lembrem-se deste pobre e indigno candidato ao serviço da Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que tudo o que puder fazer, o faça, para maior honra e glória de Deus.

    Obrigado mais uma vez, e que Nossa Senhora de Fátima, continue lhe iluminando e protegendo, dando-lhe muita força para perseverar sempre mais e melhor no amor a Verdade encarnada que é Jesus Cristo.

    Abraços a todos e até mais ‘ver’.

    André Víctor

  9. Alex A. B.

    Observação: Só agora, fiquei sabendo que Kitten significa gatinho em inglês. Eu pensava que era nome próprio!…

  10. Alex A.B.

    Acabo de ler uma notícia triste!

    Se queremos ajudar não podemos tampar o sol com a peneira!

    Marido traído filma esposa na cama com padre

    http://br.noticias.yahoo.com/s/04112010/40/mundo-marido-traido-filma-esposa-na.html

    Espanha: Arcebispo afasta padre que oferecia serviços sexuais na internet

    http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/8332/Espanha-Arcebispo-afasta-padre-que-oferecia-servicos-sexuais-na-internet

    Igreja investiga padre que oferecia serviços sexuais na internet

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/02/100224_sacerdoteespanhol_ai.shtml

    “Os sacerdotes, ministros de Meu Filho, por sua má vida, por suas irreverências e por sua impiedade em celebrar os santos Mistérios, por seu amor ao dinheiro, às honras e aos prazeres, se converteram em cloacas de impurezas” Nossa Senhora em La Salette

  11. Alex A.B.

    “O Brasil tido como país mais católico do mundo está com o rebanho implorando por quem os guie. Parecendo ovelhas tontas, rodando em falso e clamando aos céus: Mande-nos quem nos fale de Deus, doutrina da Igreja, família, filhos, fidelidade, moral, liturgia, castidade, vida dos santos, inocência, sagrada escritura, virtudes heróicas, arrependimento, mandamentos, paternidade responsável, amor, pureza, temor…” Márcia Vaz

    http://www.midiasemmascara.org/artigos/religiao/11580-pastores-ou-caes-contra-as-ovelhas.html

  12. Alex

    ANGELUS: PAPA CONFIA A SÃO JOSÉ TODOS OS PASTORES DA IGREJA

    Cidade do Vaticano, 19 dez (RV) – “Desejo confiar a São José, padroeiro universal da Igreja, todos os pastores, exortando-os a oferecer aos fiéis cristãos e ao mundo todo, a humilde e cotidiana proposta das palavras e dos gestos de Cristo”: Com essas palavras, Bento XVI encerrou hoje a breve meditação para cerca de 30 mil fiéis reunidos na Praça São Pedro para a habitual oração do Angelus neste quarto domingo do Advento.

    […]

    http://www.radiovaticana.org/bra/Articolo.asp?c=448129

  13. Alex

    Jorge, poderia divulgar esta oração dos sacerdotes a São José?!?!

    ORAÇÃO DO SACERDOTE A SÃO JOSÉ
    Para antes de celebrar a Santa Missa

    Oremos:

    São José, varão feliz, que tivestes a felicidade de ver e ouvir o próprio JESUS, a quem muitos reis quiseram ver e não viram, ouvir e não ouviram; e não só ver e ouvir, mas ainda mais, trazê-Lo nos braços, beijá-Lo e guardá-Lo…

    V. Rogai por nós, bem-aventurado São José.
    R. Para que sejamos dignos das promessas de CRISTO.

    Ó DEUS

  14. Alex

    CONTINUAÇÃO

    Ó DEUS que nos concedestes um sacerdócio real, fazei com que, a exemplo do bem-aventurado São José, chamado a tocar com as suas mãos e a trazer respeitosamente nos braços o vosso Unigênito Filho JESUS, nascido da Virgem Maria, nós exerçamos o ministério dos vossos santos altares, com pureza de coração e inocência de vida.

    Concedei-nos que recebamos hoje o Santíssimo Corpo e Sangue de vosso Filho dignamente, e cheguemos a possuir a eterna recompensa na vida futura. Por Nosso Senhor JESUS CRISTO, vosso Filho, na unidade do ESPÍRITO SANTO. Amém.

  15. Alex

    ORAÇÃO DO SACERDOTE A SÃO JOSÉ
    Para antes de celebrar a Santa Missa

    Oremos:

    São José, varão feliz, que tivestes a felicidade de ver e ouvir o próprio JESUS, a quem muitos reis quiseram ver e não viram, ouvir e não ouviram; e não só ver e ouvir, mas ainda mais, trazê-Lo nos braços, beijá-Lo e guardá-Lo…

    V. Rogai por nós, bem-aventurado São José.

    R. Para que sejamos dignos das promessas de CRISTO.

    Ó DEUS que nos concedestes um sacerdócio real, fazei com que, a exemplo do bem-aventurado São José, chamado a tocar com as suas mãos e a trazer respeitosamente nos braços o vosso Unigênito Filho JESUS, nascido da Virgem Maria, nós exerçamos o ministério dos vossos santos altares, com pureza de coração e inocência de vida.

    Concedei-nos que recebamos hoje o Santíssimo Corpo e Sangue de vosso Filho dignamente, e cheguemos a possuir a eterna recompensa na vida futura. Por Nosso Senhor JESUS CRISTO, vosso Filho, na unidade do ESPÍRITO SANTO. Amém.