Nota Pastoral de orientação em relação às eleições de 2010 – Dom Antonio Keller

closeAtenção, este artigo foi publicado 6 anos 11 meses 22 dias atrás.

Fonte: Diocese de Frederico Westphalen

Frederico Westphalen, 28 de agosto de 2010.

Irmãos e irmãs, diocesanos de Frederico Westphalen e homens e mulheres de boa vontade.

Esta Nota Pastoral tem a finalidade de oferecer reflexão e orientação, face às eleições que se aproximam, para os católicos diocesanos de Frederico Westphalen e para todos aqueles que procuram, com boa vontade, nortear sua existência pelo respeito aos valores fundamentais da existência humana.

O período que antecede as eleições é de suma importância, no sentido de que deve servir-nos para a reflexão e a escolha consciente daqueles candidatos e candidatas nos quais depositaremos nossa confiança através do voto. O voto não é algo que se decide no último momento, apressadamente, a partir do último “santinho” recebido. Voto é escolha refletida e decidida, após pesarem-se prós e contras. Mais do que nunca, diante da pluralidade de possibilidades, votar exige responsabilidade e coerência também em relação à fé professada. Longe do católico e da pessoa de boa vontade separar sua crença e seus valores de seu voto. Há, no voto, a exigência profunda da coerência.

Da mesma forma, a mesma coerência e responsabilidade são também exigências para aqueles que se candidatam a cargos públicos. As possibilidades são múltiplas. A pluralidade, louvável. Alguns candidatos se apresentam com clareza, defendendo princípios que não se identificam com aqueles que cremos e defendemos, como cristãos. Ao menos são verdadeiros. Ninguém, que professe a fé católica, ou defenda os valores da vida será enganado por eles…

Mas o grande problema, bastante presente nesta situação pré-eleitoral, é o da duplicidade, da incoerência daqueles candidatos, que por um lado, fazem questão de se mostrarem “religiosos”, sensíveis à fé, mas que na prática ou estão inscritos em partidos que defendem valores anti-cristãos, ou apresentam um ideário programático político pessoal que contêm indicações absolutamente incoerentes com a fé que declaram professar ou respeitar. Dentro deste quadro, chegamos ao ponto de sermos obrigados a ouvir, de determinados candidatos e candidatas, certas declarações, por exemplo, em relação ao aborto, afirmando que “pessoalmente sou contra, mas quando no governo, garantirei o direito de quem quiser abortar, já que o aborto não é uma questão que envolva a fé, mas sim, a saúde pública”.

Como Bispo Diocesano, venho, por meio desta Nota Pastoral, estribado na autoridade apostólica de pastor que deve cuidar do rebanho que lhe foi confiado, preocupado com a situação de confusão derivada da linguagem dúbia e da postura incoerente, oferecer uma orientação clara e segura a meus diocesanos e a todos os que crêem e defendem o valor da vida, desde a sua concepção até a sua morte natural.

Assim sendo:

1. Todo cidadão é chamado a votar com consciência. Nós cidadãos católicos somos chamados a votar com consciência cristã. Seria uma contradição acreditar e defender os valores da vida, da família, da moral e da ética, e votar naqueles candidatos e candidatas que propugnam pessoalmente, ou estão inscritos em partidos que propugnam os valores contrários. Ou seja, é preciso votar de forma coerente, em candidatos e em partidos que defendam os valores que nós cristãos acreditamos e defendemos, para que estes mesmos candidatos e partidos nos representem, nas instâncias do Executivo e do Legislativo, favorecendo medidas e leis que valorizem a cultura da vida.

2. Assim, neste período pré-eleitoral, é obrigação de todo católico, bem como daqueles que tem boa vontade e abertura para a cultura da vida, informar-se, em relação aos diversos candidatos e candidatas, se em suas propostas estão contemplados os valores éticos, nomeadamente, a defesa da inviolabilidade da vida humana (especialmente no que diz respeito á questão do aborto, da eutanásia, etc.), bem como a defesa do casamento e da família (como estas realidades são entendidas pela moral cristã) e a defesa privilegiada dos mais desprotegidos da sociedade.

Estes são alguns critérios, a meu ver, os mais fundamentais, que devem ser levados em consideração na hora de votar: como católicos temos o dever de votar naqueles que, posteriormente, como nossos representantes, na sua atuação política não irão contradizer os valores daqueles que os elegeram.

Peço que o Espírito Santo de Deus ilumine as mentes de todos os diocesanos de Frederico Westphalen e as de todas as pessoas de boa vontade, para que nestas eleições, todos possam exercer a cidadania com consciência e responsabilidade.

+ Antonio Carlos Rossi Keller
Bispo Diocesano de Frederico Westphalen (RS)

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

37 thoughts on “Nota Pastoral de orientação em relação às eleições de 2010 – Dom Antonio Keller

  1. Genivaldo Estigarribia

    Agradeço a Sandra pelas palavras, e quanto ao Sr. João L. estude e pesquise história universal nos ultimos 500 anos e veja a atuação de sua igreja, analise se ela realmente seguiu os ensinamentos de Cristo, quanta divisão ela causou por não interpetrar coretamente o cristianismo, quantos membros ilustres e dignos da igreja foram e continuam sendo afastados das decisões da igreja por defenderem o verdadeiro cristianismo. O saudoso Papa João XXIII fez uma tentativa de humanizar a igreja, mas, hoje poucas decadas depois de sua morte vemos com triteza grupos fanáticos tomando conta da cúpula católica, pregando divisões, preconceitos, acabando com o ecumenismo e o dialogo com outras crenças, estimulando a aversão a quem tem uma visão diferente de Deus, classificando quem não pensa como eles de ateus, hereges e outros adgetivos, preferindo coquistar pela espada em vez do amor e carinho e bom exemplo. Tenho conhecido muitaspessoas com uma crença profunda em Deus, com uma vida exemplar em todos os sentidos, no entanto não se declaram firmemente sem religião alguma, pois a grande maioria, senão todas estão mais preocupadas com coisas deste mundo e não com o transcedental, suas atitudes estão longe de oferecer conforto espiritual para os angustiados e atribulados dos dias de hoje. Muitos pastores, padres e bispos pregam mais parecendo politicos ou ainda pior, como mercadores da fé, basta assistir os canais de televisão religiosos para ver quanta babozeira é apresentada em nome de Deus, e no final invariavelmente vem o tradicional pedido de contribuição, mesmo que indiretamente atravez de vendas de objetos, livros, agua da terra santa, cruz do calvario, terra embebida do sangue de Cristo etc… etc…. E o que mais causa decepção são as brigas tanto entre religiões que se dizem Cristãs como é o caso dos católicos entre eles mesmos, padres contra padres, bispos contra bispos, diferentes facções se amaldiçoando mutuamente, e todos juntos sacaneando o povo sofrido que busca incansavel uma paz de espirito, mas se depender de boa parte destes lideres religiosos encotrarão só angustias e tormentos uma esperança de paz de espirito nunca. Chegamos num tempo em que talvez a unica solução seria o retorno de Cristo ao mundo, mas pergunto será que ele seria reconhecido? Será que não se repetiria o que aconteceu 2000 anos atráz? Quem seriam hoje os algozes de Jesus? Pensemos nisto neste sabado de 2011!

  2. Hermes Pompeu

    Porque será que a Dilma ganhou, aqui em Nonoai tanto rezamos, fizemos caminhadas rezando o terço, e não adiantou, talvez o nosso pároco era a favor dela, pois diziam que era PT. O que será agora, virá o comunismo, teremos que fugir!!

  3. Jorge Ferraz Post author

    Sr. Pompeu,

    Coragem. É hora de continuar lutando, não de fugir. As adversidades são excelentes oportunidades para adquirirmos valor.

    Abraços,
    Jorge

  4. Leniéverson Azeredo Gomes

    Sandra, vou aproveitar essa sua fala e não vou ser longo.

    Concordo com o que disse, muitas pessoas nçao aceitam que os pobres possa tem alguma qualidade de vida.

    Sandra, como você já sabe, eu sou fluminense ou seja sou do Estado do Rio de janeiro, governado pelo Sérgio Cabral Filho, aliado de Lula e da Sra.Dilma.Você deve estar acompanhando aqui no RJ, cerca de 700 vidas foram ceifadas devido as intensas chuvas que aqui caíram.Vejamos, Teresópolis e Petrópolis são governados pelo PT há 8 anos e o prefeito de Nova Friburgo é do PMDB, vejam só nessas prefeituras o que tem de gente morando em areas de risco é uma beleza.Os governos estadual e federal foram extremamente lentos na ajuda aos moradores daquelas cidades, o excesso de burocracia(ou seria burrocracia) para o envio de helicópteros das forças armadas; montar hospital de campanha; entre outras coisas, era e é um absurdo.Isso é pensar no pobre?Você vai me dizer assim, mas a Dilma liberou o saque do FGTS, foi lá e se deixou fotografar quando andava pelas ruas (ela, na maioria das vezes só sobrevoou as áreas atingidas).O cabral, na fatídica terça feira, dia 13, estava viajando com a família em Paris, mas só voltou no dia seguinte, ainda sim, depois de muita pressão.E a Dilma, depois de ter feito o seu “dever de casa”, foi descansar com a família em Porto Alegre e fazer de conta que tudo que aconteceu na região serrana não existiu.Eu pergunto novamente, isso é pensar no pobre?Não é, minha cara, pensar no pobre é ser mais rápido.

  5. Geronimo Sachett

    Pompeu! eu também resido em Nonoai RGS, terra dos martires do alto uruguai, Padre Manoel e coroinha Adilio, também me preocupo, mais com comunistas infiltrados na igreja do que com o governo, este a gente deruba, mas padres e até bispos isto é mais perigoso, podem dividir a igreja, mas fiquemos atento e rezemos.

  6. Eleutério Gasspodin

    No comentário do Sr, Lenieverson fica claro o seu pensamento politico partidário, “A Dilma fazer de conta que tudo que aconteceu não existiu” ora Sr. Lenieverson o Sr. queria o que! Que ela pegasse uma pá e fosse ajudar a cavocar! O Alquimin ou o Serra que são os enviados de Deus para voces, alguma vez foram ver de perto incendios de favelas, enchentes etc que ocoreram em SP! Algum Bispo Padre ou Seminarista foi ajudar a remover entulhos? Mas fiquem calmos, voces terão 8 anos para odiar a Dilma e mais 8 para odiar o Lula de novo!

  7. Jorge Ferraz Post author

    Em tempo:

    Sim, a sra. Rousseff foi duas-caras durante o pleito de outubro último.

    Não, o PSDB não é “enviado de Deus”.

    Abraços,
    Jorge