Campanha de orações – Salvem o Brasil!

Estamos há vinte dias das eleições presidenciais. Como eu já tive a oportunidade de anunciar aqui, estamos fazendo uma grande campanha de orações pela nossa Pátria.

Orações à Virgem Santíssima, a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Orações Àquela que – como sabemos – venceu sozinha todas as heresias do mundo inteiro. Orações Àquela que não desampara os que se Lhe achegam. Orações Àquela que é a Onipotência Suplicante. Orações Àquela que já nos valeu outras vezes! Àquela em quem confiamos, a cuja proteção recorremos.

Porque não se descortina, no horizonte, esperança alguma. Porque não queremos que o madeiro do Seu Divino Filho seja profanado nesta que é a Terra de Santa Cruz. Porque não queremos que o país que tem por padroeira a Senhora da Conceição Aparecida seja transformado em covil para os inimigos da Igreja de Nosso Senhor. Porque não queremos que a impiedade manche o solo desta Pátria.

A nossa proteção está no Nome do Senhor; no Nome d’Aquele que fez os Céus e a Terra. Que Ele ouça a nossa oração e, por meio da Sua Santíssima Mãe, possa chegar até Ele o nosso clamor.

Iniciamos hoje a campanha pela salvação do Brasil. Para que a Virgem Aparecida livre o Brasil do flagelo do comunismo. Vamos rezar um terço por dia, somente, daqui até o dia das eleições – e, assim, teremos rezado mil ave-marias pela nossa Pátria. Que o Altíssimo saberá escutar.

Visitem o site da campanha. A cada dia, um convite para a oração, uma proposta de sacrifício. A cada dia, um terço. Pelo Brasil.

http://www.salvemobrasil.com/

Nossa Senhora Aparecida,
livrai o Brasil do flagelo do comunismo!

Gostou? Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someonePrint this page

67 thoughts on “Campanha de orações – Salvem o Brasil!

  1. Ana

    Menino, uma singela campanha de oração desperta essa fúria nos eleitores de Dilmão?

    Em vez de virem aqui acusar de “quererem ser melhores católicos” os que querem apenas e fielmente seguir o que a Igreja de Nosso Senhor ensina, deveriam é juntar-se a nós na campanha de oração.

    A não ser que prefiram mesmo o comunismo (e, por conseqüência, legalização do aborto e do “ajuntamento” de homossexuais), não vejo por que não podemos rezar todos juntos. Não estamos rezando contra uma pessoa, estamos pedindo a Nossa Senhora o seu favor para que afaste do Brasil esse mal que parece iminente. De que forma Ela atenderá nossas pobres orações, não sabemos.

    Unam-se a nós, então. E enxerguem o verdadeiro inimigo.

    Teresa, muito obrigada pelo apoio. Amo Portugal por nos ter dado a Fé católica.

  2. Teresa

    Uma vida santa?

    Sem obedecer às ‘regras’ do Papa, seja quem for?

    Não me parece, Davi!!!

    Olha o seu Catolicismo aí!

    Olha os frutos da ‘primavera da Igreja’!

  3. Pingback: Locuta » Campanha de oração

  4. Karina

    “Não gosta do Lula porque ele não tem estudo, porque ele saiu da classe operária e se atreveu num cargo que antes era pra quem nasceu em berço explêndido”

    Ora, dona, isso não seria de se estranhar vindo de mim, que sou preconceituosa, que poso de uma virtude quase santa.

    Eu, que nem me comparo a você, exímia fazedora de trabalhos voluntários, amada e adorada por todos os paroquianos.

    Pois, para seu desencanto, dona, vou te informar o seguinte: eu já fui fã do Lula. Por ele ser do povo.

    Mas, porém, contudo e entretanto, com o passar do tempo e o meu “despertar” de consciência, eu percebi que ele não passa de um aproveitador.

    O Lula não passa de um espertinho a usar a boa fé do povo. Parou no tempo por causa de uma aposentadoria por invalidez (*), não procurou conhecimento que não fosse o de “como fazer manobras políticas”. Um presidente que se diz diplomata, mas proclama aos quatro ventos que estudar e ler é chato.

    Usou da sua pobreza para o mal, e não para o bem. Mantém o povo prisioneiro de um Bolsa Esmola que, sim, pode até salvar famílias da fome, mas não resgata sua dignidade. Está a sustentar o povo com migalhas, e infelizmente é por causa dessas migalhas que vai se reeleger (sim, Dilma é a re-reeleição de Lula).

    Um cara que fala errado como o povo, veio do povo, e dá migalhas que “nunca na história desse país” foram dadas, queria o que?? É claro que ele sabia que seu sucesso seria garantido.

    Quanto ao governo do PT “não ter nada a ver com a liberação do aborto, que não se mexeu na legislação”, o PNDH-3 é o que mesmo?

    Aliás, por esse entendimento, o Serra também não alterou nada em relação ao aborto, que governador nada decide.

    (*): dona, como a senhora sabe da minha vida mais que eu, e afirmou que eu não sei o que é a vida de pobre, então eu acho que as pessoas que eu vejo lutando por uma aposentadoria por invalidez em condições muito piores que um dedo mindinho faltando devem ser muito, mas muito ricas. Eu que não tinha me dado conta ainda, obrigada por alumiar a escuridão do meu preconceito.

    No mais, para quem tiver estômago, grupos pró aborto do México lutam por despenalização do aborto pós nascimento (sim, isso mesmo que vcs leram): http://darwinismo.wordpress.com/2010/09/19/aborcionistas-mexicanas-conseguem-a-libertacao-de-assassinas/

  5. Alex

    Jorge e demais amigos, você viram o novo texto do Pe. Lodi?!

    Cito a conclusão do artigo:

    O que foi feito de nossas orações?
    “A oração fervorosa do justo tem grande poder. Assim, Elias, que era um homem semelhante a nós, orou com insistência para que não chovesse, e não houve chuva na terra durante três anos e seis meses. Em seguida, tornou a orar e o céu deu a sua chuva e a terra voltou a produzir o seu fruto” (Tg 5,16-18).
    A oração tem eficácia garantida: “Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; pois todo o que pede recebe; o que busca acha e ao que bate se lhe abrirá” (Mt 7,7-8).
    Se a oração fervorosa é sempre atendida, nem sempre ela o é do modo que imaginamos. “É ele (Cristo) que, nos dias de sua vida terrestre, apresentou pedidos e súplicas, com veemente clamor e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte” (Hb 5,7). Aparentemente seu pedido não foi atendido. No entanto, prossegue o texto: “e foi atendido, por causa da sua submissão”. Cristo foi salvo da morte, não deixando de morrer (como seria de se esperar), mas ressuscitando ao terceiro dia e sendo exaltado à direita do Pai.
    Do mesmo modo, não devemos pensar que não foram atendidas nossas orações feitas em favor do Brasil nestas eleições. Não houve a derrota da candidata Dilma Rouseff, que tanto esperávamos. Mas “da mão do anjo, a fumaça do incenso com as orações dos santos subiu diante de Deus” (Ap 8,4). Os frutos dessas orações, aparentes ou invisíveis, presentes ou ainda por vir, são certos.
    A prisão de Jesus foi um momento tenebroso. Ele próprio disse aos guardas: “É a vossa hora e o poder das trevas” (Lc 22,53). Mas em pouco tempo as trevas cederiam seu lugar à luz da ressurreição. A vitória do inimigo foi apenas aparente. Da morte de Cristo, brotou a redenção para o mundo.
    Como ensina Santo Tomás de Aquino, “pertence à infinita bondade de Deus permitir males para deles tirar o bem”[16]. Aguardemos confiantes o bem que o Senhor pretende tirar desse mal tão grande que pesou sobre o país. Convém que não esmoreçamos nem na oração nem na ação em defesa da vida.

    Anápolis, 16 de novembro de 2010.
    Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz

    http://www.rainhamaria.com.br/Pagina/9656/O-poder-da-oracao-e-uma-vitoria-da-cultura-da-morte